Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Em sigilo, PSDB e PSB já tratam até de coligação para deputado

24 de junho de 2014 2

Nos bastidores, os tucanos já dão como certa a aliança que juntaria Paulo Bauer (PSDB) e Paulo Bornhausen como candidatos ao governo e ao Senado. Existe ainda a resistência do ex-governador Leonel Pavan (PSDB), que resistiu muito a aceitar assumir a condição de pré-candidato a senador e agora se veria obrigado a – os políticos adoram essa expressão – praticar o gesto.

Uma conversa entre ele e Aécio Neves, ainda esta semana, deve resolver a questão. As cúpulas nacionais do PSDB e do PSB estão estimulando esses palanque híbridos de oposição ao PT nacional. Ajudam a estimular a nacionalização do debate nos Estados. Com seu palanque “dilmista, mas não petista”, o governador Raimundo Colombo (PSD) poderia ser prejudicado nesse cenário.

Bornhausen nega que já esteja fechado com o PSDB e até mesmo que existam conversas agendadas. Diz que precisa antes conversar com o PSB e com os partidos aliados ao projeto Campos em Santa Catarina. Também não descarta ser ele próprio candidato a governador. Repete que não vai estar em palanque que tenha Dilma e que pode continuar na coligação de Colombo se ele abrir mão do apoio à reeleição da petista.

- Nós gostamos do Colombo, não gostamos é da candidata dele à presidência – brinca.

Mesmo com as negativas de Bornhausen, o cenário parece se encaminhar para a aliança Bauer-Bornhausen. Em meio a tantas cartas escondidas na manga, um tucano revela qual foi a jogada que encantou o PSDB, especialmente a bancada estadual.

- Ele propôs coligação de todos os partidos na eleição proporcional.

Era tudo o que queriam ouvir os candidatos do PSDB à reeleição na Assembleia.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Carlos Henrique diz: 25 de junho de 2014

    Bom, o Paulinho deve lembrar que, alguns anos atrás, o candidato dele a presidente era ministro do Lula, colega de Dilma (também ministra). Saiu para ser governador em Pernambuco, onde fez sucesso com generosas verbas federais, assim como faz Colombo.

    As semelhanças param por aí.
    Colombo reconhece a dívida de gratidão com o governo federal.
    Eduardo Campos não.

  • Essemeu Esseteu Prometeu diz: 25 de junho de 2014

    E assim vai o concílio de Latão ( proposto por D. João Nonato ) com os cardeais de anelões… deixaram o Papa um pouco de escanteio na no retiro de Castelgandolffi e daqui a pouco já estarão incomodando o velho porque ninguém entente mais a suma teológica no momento… Dromedário veloz vem atravessando o deserto para emplacar o primeiro ato da tragédia recreacional dos clérigos: eis aqui o sarcófago do Vampeta de Nova Veneza! O jogo estava já aporrinhando até os sacristãos e começou a fazer ruídos no consistório.
    Até agora era a briguinha de guri pequeno disputando as figurinhas do álbum da copa. Não era assim uma Noite de São Bartolomy… agora vai queimar foguete. Aceso o rastilho sobe a serra para explodir o paiol da Coxia Rica. E vai ter baiacu boiando na Ponta das Canas.

Envie seu Comentário