Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Esperidião e Angela Amin assinam ação contra apoio do PP à reeleição de Dilma

26 de junho de 2014 4
Foto: Renan Arais, Divulgação.

Foto: Renan Arais, Divulgação.

Os catarinenses Esperidião e Angela Amin fazem parte do grupo de pepistas liderado pela senadora gaúcha Ana Amélia Lemos que assinou a ação judicial que tenta impedir o apoio formal do PP à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) na polêmica convenção realizada pelo partido na quarta-feira.

Segue a nota oficial

NOTA À IMPRENSA

Em razão dos fatos ocorridos na convenção nacional do Partido Progressista nesta quarta-feira (25), em Brasília, a senadora Ana Amélia e outros sete integrantes do Diretório Nacional do PP – o governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho; os deputados federais Esperidião Amin, Dimas Fabiano e Jerônimo Goergen; o presidente do PP/RS, Celso Bernardi; a 2ª vice-presidente do PP Nacional, Ângela Amin; e o advogado Pedro Feiten – protocolaram ação cautelar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O pedido de liminar visa suspender os efeitos da convenção nacional Progressista, uma vez que não houve a contagem dos votos dos convencionais durante a deliberação sobre o apoio do partido à candidatura a Presidente da República.

Os representantes do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e Santa Catarina, favoráveis à neutralidade na disputa presidencial, não puderam se posicionar em razão da forma como foi conduzida a votação. O presidente do PP Nacional, Ciro Nogueira, declarou aprovada por aclamação resolução que deixaria a cargo da Executiva a decisão sobre o apoio na candidatura a presidente. A proposta, contudo, não foi votada e, consequentemente, aprovada.

Assim, com provas suficientes para embasar a ação no TSE, como a gravação da convenção realizada no auditório Petrônio Portela do Senado Federal, os oito integrantes do diretório nacional protocolaram a ação cautelar no TSE, onde foi designado como relator o ministro Henrique Neves da Silva. O objetivo da liminar é suspender os efeitos da convenção e buscar que o Partido Progressista se posicione de forma democrática, conforme a vontade majoritária dos Progressistas.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Comentários (4)

  • Carlos Eduardo Ruckl diz: 26 de junho de 2014

    Para não haver vencido nem vencedores: Colombo, como defende LHS, renuncia para concorrer em igualdade de condições com os demais candidatos. Pinho Moreira, não assume (não pode) pois é o candidato à vice natural. Resta então ao Presidente da Assembléia Legislativa, que coincidentemente é Joares Ponticelli, assumir como Governador e concluir o Mandato. Pronto simples assim.

  • ZENON BERTO BORGE diz: 26 de junho de 2014

    Amim e Ana, não façam isso, pois o PP, esta na Governo desde 2004, tem o ministerio das cidadões, fonte de recursos que o Partido administra e usa para seus candidatos, em santa catarina muitos recursos foram recebidos via emendas. desta forma voces estao sendo muito incoerentes, ou seja usam mas não querem ser usados. retire logo essas assinaturas, e casa um procure seus espaço nas eleições estaduais, aqui em santa catarina, o PP, deve estar com pt.

  • FAÍSCAS ATRASADAS diz: 26 de junho de 2014

    Chupins e oportunistas pois a rebelião deveria ter sido na hora das nomeações dos cargos.
    Assim como os manifestantes mascarados deveriam ter protestado na hora da decisão de trazer a copa e não na hora de sua realização.

  • Curió diz: 28 de junho de 2014

    Era o sepultamento de quem mesmo ?
    Não ?
    Que gente mais mal humorada… credo em cruz!

Envie seu Comentário