Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

TSE nega peritos para recuperação dos votos perdidos em Içara

03 de novembro de 2014 0

A polêmica sobre os cerca de 280 votos perdidos em uma urna de Içara no primeiro turno deve ser concluída nesta quarta-feira sem qualquer desfecho. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) respondeu negativamente ao pedido feito pela corte estadual para que fossem enviados técnicos com programas que, em tese, poderiam ajudar a revelar os votos perdidos em 5 de outubro e que poderiam ser suficientes para garantir a reeleição do deputado estadual Dóia Guglielmi — natural de Içara e derrotado por 38 votos.

Na semana passada, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) determinou a realização de uma audiência pública nesta quarta-feira com a presença de técnicos locais como última tentativa para recuperar os votos da seção 458 da zona 79 — a da urna queimada. Requisitou a presença de técnicos do TSE para decriptografar os dados. Esse foi o pedido negado ontem, em correspondência assinada pelo presidente do TSE, Antonio Dias Toffoli. O magistrado alega que “a decisão regional se deu à revelia deste Tribunal Superior, sem prévia consulta às unidades técnicas do TSE e sem a orientação deste órgão central para verificar a possibilidade de recuperação dos votos da urna eletrônica”.

Dessa forma, a audiência pública de amanhã contará apenas com os procedimentos que já foram aplicados sobre a urna, com poucas perspectivas de recuperação dos dados. A polêmica teve início por volta das 15 horas do dia 5 de outubro, durante o primeiro turno das eleições na escola Tranquillo Pizzetti, no bairro Nossa Senhora de Fátima, em Içara. A urna da seção 458 estragou e mesmo sucessivas trocas não garantiram a retomada da votação eletrônica. Pouco antes do encerramento oficial do horário da eleição, 103 eleitores que estavam na fila receberam senhas para votar em cédulas de papel. A demora fez com que boa parte dos eleitores desistisse — apenas 43 votaram — e atrasou a divulgação de resultados apurados em todo o Estado. A junta eleitoral finalizou os resultados invalidando os estimados 280 votos que haviam sido depositados na urna eletrônica defeituosa.

Ao final da apuração, o deputado estadual Dóia Guglielmi perdeu a última vaga do PSDB para correligionário Vicente Caropreso, de Jaraguá do Sul, por 38 votos. A coligação PSDB/PEN recorreu da decisão da junta local e teve acolhido pela juíza eleitoral Bárbara Thomaselli, que determinou a perícia e requisitou a presença dos técnicos de Brasília.

Guglielmi diz não alimentar expectativas sobre os votos perdidos na urna. Na mesma seção, em 2014, ele recebeu 14 votos e foi o quarto mais votado. Dos 43 votos registrados em papel este ano, apenas dois foram para o tucano — embora sua média de votos nas três outras urnas de Içara tenha sido exatamente os 38 necessários para reconduzi-lo à Assembleia.

— Eu só quero que os votos dos eleitores que votaram naquela urna tenham validade. O resultado é indiferente para mim — afirmou.

.:: A urna 458 em 2014 e em 2010

Como foi em 2010

206 eleitos aptos
187 votos
Ada de Luca (PMDB) – 24
Manoel Motta (PMDB) – 24
Acélio Casagrande (PMDB) – 21
Dóia Guglielmi (PSDB) – 14
José Nei Ascari (DEM) – 10
Nulos – 8
Outros/legenda – 86

A votação parcial de 2014

390 eleitores aptos
43 votos
Ada de Luca (PMDB) – 14
Manoel Motta (PMDB) – 7
Jerônimo Alves (PRB) – 3
Valmir Comim (PP) – 3
Luiz Fernando Vampiro (PMDB) – 3
Dóia Guglielmi (PSDB) – 2
Nulo – 1
Outros/legenda – 10

Bookmark and Share

Comentários

comments

Envie seu Comentário