Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Relator revela trechos da delação premiada que incrimina prefeito afastado de Lages

26 de fevereiro de 2015 1

Durante a leitura de seu relatório, o desembargador Ernani Guetten de Almeida apresentou trechos das delações dos empresários Arnaldo e Julian Sherer, da Viaplan, que detalhariam como se dava o esquema de propina que seria supostamente comandado pelo prefeito afastado Elizeu Mattos.

De acordo com Arnaldo Scherer, o peemedebista teria procurado por ele após a eleição de 2012, ainda antes de assumir o cargo de prefeito. Na Assembleia Legislativa, onde era deputado estadual, Elizeu teria dito que trocaria a empresa que operava o sistema de água e esgoto e oferecido a função à Viaplan. Em 9 de janeiro de 2013 foi assinado o contrato com dispensa de licitação.

Os pedidos de propina teriam começado em maio de 2013, após uma conversa entre o prefeito e Arnaldo. Os valores começaram na faixa de R$ 10 mil e os pagamentos seriam feitos por Julian a Antonio Simas, o Toninho, motorista do prefeito. O valores teriam subido com decorrer do tempo, chegando a R$ 165 mil mensais a partir de 2014. Esse foi o valor apreendido com Toninho em novembro, quando foi preso em flagrante durante a deflagração da Operação Águas Limpas.

As propinas somariam R$ 3.624.136, envolvendo outros agentes públicos. A parte de Elizeu chegaria a R$ 2.877.136. Os valores eram sempre pagos a Toninho. O MP-SC e os delatores não souberam precisar a parte que caberia ao motorista, mas Julian, em seu depoimento, afirmou que o pagamento de R$ 6 mil de uma das parcelas foi feito com a quitação de uma dívida de Toninho em uma loja de materiais de construção.

A Viaplan também teria ficado responsável por pagar R$ 20 mil por mês a Vilson Rodrigues da Silva, então secretário Municipal de Águas, além do empréstimo de um automóvel. Segundo Arnaldo, foi a forma encontrada para Vilson ir para Lages assumir a secretaria – complementando o salário de secretário.

Os empresários também admitiram que o prefeito e seus assessores estariam envolvidos no direcionamento da licitação para contratação definitiva da empresa para gerir o sistema de água e saneamento. Elizeu teria demonstrado preocupação sobre as chances de a Viaplan vencer a licitação. Questionado por ele, Arnaldo teria solicitado que o edital fosse “mais fechado”.

Um decreto teria sido assinado criando regras que, na prática, serviam para impedir a participação de uma das concorrentes da licitação.

O advogado Rui Espíndola, que faz parte da defesa de Elizeu, afirmou que as acusações feitas nas delações premiadas serão rebatidas “no momento oportuno”. Durante o julgamento da denúncia, a defesa do prefeito afastado não abordou os depoimentos dos empresários da Viaplan.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Comentários (1)

  • NOTA DE DESFALECIMENTO: O AMIGO DO CURIÓ diz: 26 de fevereiro de 2015

    Com pesar esclarecemos os termos de passamento do Curió. Já foi dado pela equipe médica do Imperial Hospital de Caridade mas os amigos rezam com tristeza e fé num verdadeiro milagre. Bate o peito mas não tem mais condições de vida entre os mortais.
    Esclarecemos os últimos acontecimentos que levaram ao óbito o falecido amigo, estimado por aves do bem. Gostava de literatura. Tinha um disco de um Réquiem de Mozart que está sendo escutado, está quase furando, na toca do baiacu, pelos íntimos e muitos professores. Deu-se ultimamente, apesar de tomar Rivotril diariamente, aos nervos a flor da pele, disse o filhote. O ninho está entristecido. Justo na quaresma, nas procissões do Senhor Bom Jesus dos Passos. Deu-se nos nervos com a história da medida provisória dos ACTs. Professor Ostradamus não conseguiu segurar o cutelo.
    - Ele saiu nua avoada só lá para as bandas da Assembléia Legislativa. Mesmo dando contra a parede envidraçada muito limpa ele se aprumou e entrou. Lembram daquele cara que há duas décadas entrou no ar em um jornal da RBS ? Foi semelhante. Entro lá e foi bicando e comento aquela papelada que o Colombo mandou para lá, os originais com assinatura do governador em bom papel. Mas foi demais. Comeu aquilo tudo e não deixou vestígios de medida alguma. Chamaram a PM. Deram umas porradas para ele vomitar mas nada. Quanto mais batia mais ele inchava como um baiacu. Veio o Samu e levaram já sem vida para o hospital. Foi tubo por tudo que é lado e desentupiram o cutelo. Teve morte cerebral. Vegeta.
    - Descobrimos uns documentos dele, escritos nos últimos tempos. Cheio de anotações.
    Tinha uma espécie de manifesto que ele mandaria para o Upiara ver se publicava no blog dele que tanto gostava.
    - Havia uma espécie de anotação a respeito de Líbero Badaró. Deveria estar fazendo pesquisa na internet. O título era MANIFESTO DAS CANGALHAS. As anotações davam conta da morte de Líbero Badaró pelo bacamarte de um dos quatro alemães que em 1830 o atraíram para uma cilada. Havia anotado a lápis uma frase famosa de Líbero Badaró “MORRE UM LIBERAL MAS NÃO MORRE A LIBERDADE “. Tinha anotado com a própria letra do Curió quantos foram no enterro do famoso jornalista 5.000 pessoas. Das quais ou mais 800 levavam consigo tochas acesas.
    - O que ? Foi ? … é…
    - Lá vem a procissão… é…

Envie seu Comentário