Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Mesmo sem MP, continua impasse entre governo e Sinte

08 de abril de 2015 3

A retirada da MP 198 não vai encerrar o impasse entre o governo estadual e o Sinte/SC. Apesar de iniciar a apresentação do anteprojeto do novo plano de carreira dos professores para a base aliada e diretores de escola, o secretário de Educação Eduardo Deschamps que a proposta não será protocolada na Assembleia Legislativa enquanto persistir a greve do magistério.

:: Governo do Estado revoga a MP 198, que trata da remuneração dos ACTs

Em nota encaminhada por assessoria, o secretário afirma: “Os projetos de lei que tratam da descompactação da carreira do magistério estão em fase de finalização para envio à Assembleia Legislativa. Porém, o governo não encaminhará nenhum projeto com a categoria parada.”

Na mesma nota, qualificou de “demonstração de boa vontade” a revogação da polêmica MP que desvinculava os professores ACTs da carreira do magistério. A medida foi o estopim da greve iniciada em 24 de abril e que tem adesão estimada em cerca de 12% pelo governo e 30% pelo Sinte/SC.

Por sua vez, o sindicato afirma que vai manter a paralisação até o governo voltar a negociar o novo plano de carreira com a entidade.

- A greve não era pelos ACTs, era por toda a categoria _ afirma o coordenador do Sinte/SC, Luiz Carlos Vieira.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Carlos Henrique diz: 9 de abril de 2015

    Grevista não é terrorista para o governo dizer que “não negocia”.
    Greve é direito previsto na constituição, e as ameaças de demissão proferidas pelo secretário estadual aos professores temporários e em estágio probatório são uma clara afronta a esse direito.

  • Fabiano diz: 9 de abril de 2015

    Parece muito fácil para o Secretário Eduardo Dechamps ficar arrochando o salario dos professores do Estado, ACT ou efetivo quando ele recebeu no ano de 2014 só em diarias mais do que muito professor. Sugiro que os catarinenses verifiquem no site portal transparência do nosso estado estes dados, respeito e entendo que é um direito de viaja a trabalho, mas convenhamos o valor não é pouco.

  • Zé Mano diz: 9 de abril de 2015

    O sem vergonha do Colombo não finca prego sem estopa. Deve-me, que está atrasado, 13.,5% de janeiro, 13,5% de fevereiro, 13,5% de março e 13,5% de abril pois não se coça, não faz comichão… 54% de um salário, uma folha, de economia até agora ( e muito mais ) com essa enrolação. E irá mais longe enquanto a maioria dos trouxas, que pensam ser expertos para mamarem nas costas dos outros ganhando os benefícios sem ônus algum, continuarem dentro das salas de aula!
    Os babacas não enxergam que o sindicato está fazendo tudo direitinho e que a coisa caminha para ser resolvida na Justiça!… Negociar…! Putz!…

Envie seu Comentário