Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O 15 do 13

13 de julho de 2015 2

O dia 15 de julho de 2015 será emblemático para o PT em Santa Catarina. Mais ostensivamente, com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT) no Estado para inaugurar a ponte Anita Garibaldi e o túnel do Morro do Formigão, dando fim a dois dos principais gargalos de infraestrutura dos catarinenses – e duas obras de porte, marcas de gestão.

Trecho a trecho, gargalo a gargalo, a duplicação da BR-101 Sul se arrastou no Estado durante os governos petistas. Concentrou esforços que colocaram em segundo plano e atrasaram demandas tão urgentes quanto ela – as incipientes obras de duplicação das BRs 280 e 470 são exemplos emblemáticos dessa situação. As sucessivas derrotas do PT em Santa Catarina têm, sim, base em um perfil mais conservador dos eleitores do Estado, mas é inegável que a dificuldade do governo federal em dar respostas rápidas a problemas históricos de infraestrutura fazem parte dessa fatura. Uma fatura que o PT tenta começar a pagar de forma tão grandiosa quanto a própria ponte Anita Garibaldi. Se os petistas ainda acreditam em uma improvável virada no Estado, eis um símbolo para ela.

De forma mais silenciosa, no mesmo dia 15 de julho, entra em execução outra operação visando a reconstrução do PT catarinense. O ex-prefeito josefense e ex-deputado federal Djalma Berger (PMDB) será indicado para o Conselho da Eletrosul, medida necessária para que no dia seguinte ele seja eleito presidente da estatal. Com a indicação do ex-deputado federal Claudio Vignatti (PT), presidente estadual da sigla, para uma das diretorias da empresa, inicia-se um processo de cruzamento de sangue entre petistas e peemedebistas em SC visando 2018. Principal posto federal no Estado, a Eletrosul abriga ainda o ex-governador Paulo Afonso Vieira (PMDB) e tem uma diretoria mapeada para o ex-deputado estadual Jailson Lima (PT).

A articulação quase deu com os burros n’água no final de abril, com a surpreendente nomeação de Márcio Zimmermann para a presidência da Eletrosul. A pressão das bancadas federais do PMDB e do PT prevaleceu. O ovo foi desfritado. Tudo em nome de 2018.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Henrique diz: 13 de julho de 2015

    Será mesmo um grande dia.Será o dia seguinte em que a Dilma Rousseff será desmascarada no TSE pelo depoimento do Ricardo Pessoa,será talvez o dia anterior ao dia em que o Zé Dirceu irá para a cadeia e será o dia em que a Dilma irá inaugurar uma obra da Camargo Corrêa,que custou 800 milhões e que em breve irá aparecer na Lava-Jato.

  • Amorim diz: 13 de julho de 2015

    Enquanto continuarem nomeando POLÍTICOS ao invés de TÉCNICOS para cargos estratégicos nas estatais, não poderemos considerar estas empresas como sendo sérias e dignas de confiança do povo. Este senhor deixou sujeira em São José, e todos os outros lugares por onde passou. Seu irmão mais ainda. E agora, o presenteiam com a presidência de uma empresa grandiosa como a Eletrosul. Só me falta o nariz de palhaço.

Envie seu Comentário