Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Obstrução evita votação de projeto de Amin que proíbe União de cobrar juros sobre juros na dívida

25 de fevereiro de 2016 2

Por pouco não foi votado nesta quinta-feira da Câmara dos Deputados o projeto apresentado por Esperidião Amin (PP) para revogar a cobrança de juros sobre juros prevista no decreto do governo federal para a renegociação das dívidas de Estados e municípios. O projeto de decreto legislativo é baseado nos estudos que levaram Santa Catarina a ingressar no Supremo Tribunal Federal (STF) alegando que o método fere o texto da lei aprovada em 2014 pelo Congresso Nacional.

União admite cobrança de juros sobre juros na dívida, mas diz que há previsão legal

O líder do governo, José Guimarães (PT-CE) apresentou pedido para que a proposta fosse retirada de pauta. Havia 404 parlamentares em plenário e era necessários 257 votos NÃO para que ela continuasse. Os partidos governistas deram orientação para obstruir a votação — ou seja, não marcar a presença para dificultar o quórum.

Ayres Britto é aliado de Santa Catarina na briga para zerar a dívida

No fim, 224 deputados votaram para continuar a votação. Apenas cinco parlamentares votaram pela retirada da proposta da pauta, mas 160 obstuíram.

Veja como votaram (ou não ) os nove deputados catarinenses presentes.

Angela Albino (PCdoB) – Obstrução
Rogério Peninha Mendonça (PMDB) – Obstrução
Mauro Mariani (PMDB) – Não
Valdir Colatto (PMDB) – Não
Esperidião Amin (PP) – Não
Carmen Zanotto (PPS) – Não
Geovânia de Sá (PSDB) – Não
Marco Tebaldi (PSDB) – Não
Pedro Uczai (PT) – Obstrução

Bookmark and Share

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Curió ( do partido do Dr. Nulis ) diz: 26 de fevereiro de 2016

    Upiara amigo… Explica com amplitude o que é isso de zerar dívida estadual, como pode ser isso, de forma que um mortal possa entender. Querido jornalista, creio não bastar apena reportar-se aos ” fatos ” da verdade ou da farsa que envolve a atitude de cada ente político, de cada oportunista ou salvador do povo catarinense… Sei que a interpretação é difícil mas não dá para parar adiante apenas a versão de ” fato consumado ” como está posta.
    Agradeço, querido jornalista.

Envie seu Comentário