Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

TJ proíbe ocupação de prédios públicos pelos grevistas da educação, mas nega retorno às aulas

22 de maio de 2015 0

O desembargador Jorge Luiz de Borba atendeu em parte a um pedido de liminar do governo estadual e determinou que os grevistas do magistério estão proibidos de fazer manifestações a menos de 200 metros de prédios públicos. Também está garantida pela liminar que os grevistas não poderão tentar impedir o funcionamento das escolas e o trabalho dos professores que não aderiram à greve. A multa para descumprimento é de R$ 20 mil para cada um dos dois itens.

O pedido do governo incluía a determinação de imediato retorno as aulas dos professores que aderiram o movimento, mas esse ponto foi negado pelo magistrado. Ele apontou o direito de greve dos servidores e que não há dano irreparável até o momento. De acordo com o governo, na fundamentação do pedido, 12 escolas estão totalmente paradas pela greve.

A decisão impede a ocupação da Assembleia Legislativa, um dos atos mais simbólicos do movimento grevista até agora.

Leia a íntegra da decisão do desembargador.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Rapidez em nome do consenso

21 de maio de 2015 3

imagemFB-painel

O Centro Administrativo trabalhou rápido para impedir que substituição de Adriano Zanotto (PMDB) na presidência do Iprev virasse mais um ruído na aliança governista. Encaminhou ontem aos parlamentares peemedebistas um documento para que referendassem a indicação do ex-deputado estadual Renato Hinnig (PMDB) para ocupar a função, menos de uma semana após o cargo ficar vago. Auditor fiscal aposentado, Hinnig preenche os requisitos para função e seu aproveitamento deve acalmar a bancada do partido. Uma das principais reclamações do PMDB na Assembleia era não ser ouvido sobre o preenchimento de cargos e o não aproveitamento de suplentes do partido.

Pressa incomum
A gente percebe que o clima político está tenso quando a presidência do Iprev tem potencial para gerar crises. Certo é que tudo que o Centro Administrativo e a base governista menos queriam era uma vaga aberta no primeiro escalão menos de uma semana após a morte de Luiz Henrique. Explica-se a pressa de todos para ocupá-la sem atritos. Pressa que não tem sido a marca do governo até agora.

Diagnóstico
Todos querem que baixe a poeira para que cada um toque seu projeto sem crises desnecessárias. A frase não é minha, é de um peemedebista com bom trânsito nos bastidores.

Pepe e Ideli, lado a lado
Beneficiado pela abrupta saída de Ideli Salvatti (PT) da pasta de Direitos Humanos, o ministro Pepe Vargas (PT-RS) fará na sexta-feira sua primeira visita à terra da antecessora como titular do cargo. O petista irá a Florianópolis fazer a entrega simbólica de equipamentos para conselhos tutelares e participar de um debate sobre a proposta de redução da idade penal _ o Planalto é contrário. Ideli vai participar.

Por toda Santa Catarina
Já existem três projetos de lei na Assembleia Legislativa para dar o nome de Luiz Henrique a espaços públicos. Os dois primeiros foram de Gean Loureiro (PMDB) e Leonel Pavan (PSDB), homenageando o peemedebista nos centros de eventos de Canasvieiras, em Florianópolis, e de Balneário Camboriú. Se somou a eles Luiz Fernando Vampiro (PMDB), com o futuro anel rodoviário de Criciúma.

Tempo extra
Outro rapidinho na Assembleia é João Amin (PP). Ele apresentou proposta de emenda constitucional para que fazer valer para os desembargadores do Tribunal de Justiça e para os conselheiros do TCE a mudança da idade para aposentadoria compulsória de 70 para 75, como aprovado recentemente no Congresso Nacional para magistrados de tribunais superiores.

A profecia de Lula
A iminente fusão entre o PTB e o DEM vai tornar realidade o desejo externado pelo ex-presidente Lula em um comício em Joinville, em 2010. Na época, em campanha por Dilma Rousseff à presidência, ele afirmou que o partido deveria ser extirpado da política. Passados menos de cinco anos, os demistas que resistiram ao PSD de Gilberto Kassab vão acabar se tornado todos petebistas.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Ideli e Pepe Vargas juntos em Florianópolis

20 de maio de 2015 1

Pepe Beneficiado pela abrupta saída de Ideli Salvatti (PT) da pasta de Direitos Humanos, o ministro Pepe Vargas (PT-RS) fará na sexta-feira sua primeira visita à terra da antecessora como titular do cargo. O petista estará em Florianópolis para fazer a entrega simbólica de equipamentos para conselhos tutelares e participar de um debate sobre a proposta de redução da idade penal — o Planalto é contrário. Ideli vai participar da mesa redonda.

Oito municípios catarinenses vão receber os kits de equipamentos: Palhoça, Pinheiro Preto, Piratuba, Princesa, Santo Amaro da Imperatriz, Sul Brasil, Balneário Rincão e Florianópolis.

O evento será realizado às 11h, na Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis. Rua Cândido Ramos, 250, Bairro Capoeiras.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Renato Hinnig deve assumir o Iprev

20 de maio de 2015 7

Os deputados da bancada do PMDB na Assembleia Legislativa foram convidados a assinar um documento respaldando a indicação do ex-deputado estadual Renato Hinnig (PMDB) para a presidência do Iprev. A vaga está aberta desde a semana passada, quando Adriano Zanotto (PMDB) pediu exoneração para voltar a exercer a advocacia.

A indicação agrada aos peemedebistas da Assembleia, que vinham reclamando do não aproveitamento do ex-colega no atual governo. Hinnig foi deputado estadual por dois mandatos e é auditor fiscal aposentado da Secretaria da Fazenda. No primeiro mandato do governador Raimundo Colombo (PSD), comandou a Secretaria Regional da Grande Florianópolis. Hoje, é sétimo suplente na Assembleia.

Bookmark and Share

Comentários

comments

A carta de Ivete Appel da Silveira para Dalírio Beber

20 de maio de 2015 3

Assessora do falecido senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), Letícia Schlindwein publicou em seu Facebook a carta da viúva do senador, Ivete Appel da Silveira ao suplente Dalírio Beber (PSDB), empossado na terça-feira.

Leia a íntegra.

Caro senador Dalírio Beber,
Te desejo sorte, força e fé nessa nova empreitada.
Tenho a certeza absoluta que és muito capaz.
Se meu marido te escolheu é porque em ti confiava, porque tinha a certeza que és um homem bom, um homem que vai honrar o Senado Federal, o Brasil e toda Santa Catarina.
Isso conforta a mim, a minha família e todos os catarinenses nesse momento difícil, de dor e saudade.
Temos certeza que darás continuidade a um trabalho sério, a favor da melhoria da vida das pessoas, ao qual Luiz Henrique sempre se dedicou.
Você é merecedor de sentar nessa cadeira e de assumir esse posto! Que Deus te abençoe hoje e sempre!
Grande e fraternal abraço,
Ivete Marli Appel da Silveira e família
Joinville, 19 de maio de 2015

Bookmark and Share

Comentários

comments

A última articulação de LHS

18 de maio de 2015 6

imagemFB-painel

A consolidação do nome de Vinicius Lummertz (PMDB) para a presidência da Embratur desmancha a articulação do vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB) e do falecido senador Luiz Henrique (PMDB) envolvendo a Secretaria de Infraestrutura e a Casan. Pelo acerto, Lummertz, apadrinhado por LHS, substituiria Válter Gallina na estatal – com este assumindo a secretaria no lugar de João Carlos Ecker (PMDB).

Não deu em nada
A costura foi feita em março, mas enfrentava reações na bancada peemedebista na Assembleia, que se sentia alijada das discussões, e do próprio Gallina, que preferia permanecer à frente da Casan. Eduardo Pinho Moreira chegou a dizer que as mudanças estavam decididas. Agora, a tendência é tudo ficar como está, até porque o próprio governador Raimundo Colombo (PSD) teria resistido às mudanças.
_ Ele já tinha dito não com o Luiz Henrique vivo _ revela um colaborador.

Inimigos íntimos
Aparentemente, o maior defeito de João Carlos Ecker na Infraestrutura é o PSD gostar dele. Não é o primeiro caso. Colombo e pessedistas palacianos queriam que Ari Vechi (PMDB), adjunto da Casa Civil, assumisse a Administração quando Derly de Anunciação deixou a pasta. Esse desejo, por incrível que pareça, fortaleceu a indicação de João Matos (PMDB), atual dono da vaga.

Agora vai
O diálogo entre Raimundo Colombo (PSD) e Eduardo Pinho Moreira (PMDB) está oficialmente reaberto desde quarta-feira. O peemedebista bateu na porta do gabinete do governador, abriu, elogiou a camisa de Colombo e disse:
_ Precisamos conversar.
Por enquanto não foi muito além disso, mas já é um começo.

De volta ao aconchego
Adriano Zanotto (PMDB) surpreendeu muita gente ao anunciar que vai deixar a presidência do Iprev. Ele chegou a ser cotado para assumir a Administração, mas o discurso no Centro Administrativo na época era de que estava tendo bom desempenho no instituto previdenciário e que seria difícil substituí-lo. A vaga deve continuar sendo do PMDB. Zanotto vai voltar à advocacia e deve disputar a presidência da OAB-SC em novembro — o grupo político dele na entidade perdeu a presidência para Tullo Cavallazzi na última eleição.

Ajuste fiscal na prática
Em sua turnê catarinense, no sábado, o ministro Joaquim Levy conquistou a simpatia do governo estadual e de empresários em Florianópolis e Joinville. Um detalhe chamou atenção. Na hora de ir embora, o ministro e sua equipe recusaram a oferta do avião do governo do Estado para voltar a Brasília. Partiram em voo de carreira, em Navegantes.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Uma greve diferente

14 de maio de 2015 5

imagemFB-painel

Quando o Sinte/SC deflagrou seu terceiro movimento grevista dos governos de Raimundo Colombo (PSD), no dia 24 de março, uma questão logo surgiu: a nova paralisação conseguiria repetir o sucesso de adesão e simpatia conquistada pela greve de 2011 ou morreria de inanição sem maiores resultados como a de 2012? Passados 52 dias, é possível dizer que as duas alternativas estão incorretas.

A greve de 2015 tem a persistência da paralisação de 2011, que durou 63 dias, e também a resistência política. Naquele ano, o governo só conseguiu emplacar na Assembleia a terceira tentativa de aplicação do piso salarial ao plano de carreira. Neste ano, os professores derrubaram a medida provisória que desvinculava os professores temporários e têm conseguido fazer boa parte da base governista torcer o nariz para a proposta de novo plano de carreira.

Ao mesmo tempo, o movimento atual traz em seu DNA um dos fatores do fracasso de 2012: a dificuldade em traduzir a pauta para a sociedade. A aplicação dos percentuais do reajuste do piso sobre todos os níveis da carreira, a não incorporação da regência de classe aos salários e a anistia das faltas injustificadas desde 2012, são demandas que, justas ou não, falam mais à parcela mobilizada da categoria do que à população. Neste ano (*) haverá eleições no Sinte/SC e os grupos que tradicionalmente disputam o comando do sindicato também usam o movimento como palanque. Precisam cuidar para que a greve dos professores não vire uma greve dos grevistas.

(*) A assessoria do Sinte/SC corrige o blogueiro. A eleição do sindicato é em 2016.

ACABA?
Na assembleia desta quinta-feira, os professores decidem se encerram a greve. A estratégia do governo é oferecer a pauta sindical (abono das faltas, por exemplo) e levar os pleitos salariais para a mesa de negociação.

O CONSELHO QUE FALTOU
Se falou bastante na fusão entre PSB e PPS durante o velório do senador Luiz Henrique, na segunda-feira, em Joinville. A deputada federal Carmen Zanotto (PPS) revelou que tinha combinado uma conversa com o peemedebista sobre o assunto, que seria marcada ainda para esta semana. Ela queria conselhos e leituras de cenário, especialidades do senador.

O VETO DECISIVO
Os líderes do PSB e do PPS são cautelosos na avaliação dos cenários. Aguardam o Congresso votar o vetos da presidente Dilma Rousseff (PT) à abertura de janela de 30 dias para parlamentares aderirem a partidos resultantes de fusão – da mesma forma que acontece com legendas novas. A regra estava na lei aprovada para impedir fusões de partidos com menos de cinco anos de existência, votada a toque de caixa para impedir que a fábrica de legendas Gilberto Kassab (PSD) recriasse o PL com o objetivo de engordar o PSD.

ALIÁS
Parece óbvio que um sistema partidário com 33 legendas e outras tantas em processo de criação concedesse beijos, abraços e outras vantagens para siglas que pretendessem se fundir.

MÁQUINA DO TEMPO
Pela quantidade de gente que diz ter falado com Luiz Henrique entre sexta-feira e sábado, parece que aqueles dois dias duraram uma semana.

Bookmark and Share

Comentários

comments

Paulo Bornhausen envia carta a filiados do PSB-SC sobre fusão do partido com o PPS

13 de maio de 2015 6

Os filiados do PSB em Santa Catarina receberam nesta quarta-feira uma mensagem do presidente estadual da sigla, Paulo Bornhausen, sobre o processo de fusão com o PPS. Se for confirmada, o novo partido – que deve manter o nome PSB – teria em Santa Catarina três deputados estaduais e uma federal.

Leia a íntegra:

Amigos,

Como sabem, o PSB e o PPS deram há poucos dias o primeiro passo para a fusão. Evoluiremos nessa direção ao longo das próximas semanas, e a participação de cada um é fundamental.

Precisamos de um partido cada vez mais forte, que seja oposição e alternativa ao grupo que ocupa o poder federal há 12 anos, envergonhando o Brasil diariamente.

Já estivemos juntos com o PPS nas últimas eleições, mostrando também aqui em Santa Catarina que dividimos os mesmos sonhos e objetivos. Juntos, seremos um partido forte, com nove senadores, três governadores, 45 deputados federais, 92 deputados estaduais, 568 prefeitos, 5.831 vereadores e mais de 790 mil filiados no Brasil.

Nossa união representará, definitivamente, uma alternativa à polarização na política nacional. Também seremos uma grande força estadual.

Estamos começando a construir as diretrizes dessa fusão, que culminará em um projeto unificado. Queremos manter o nome PSB e o número 40, reforçando uma marca que já é vista como símbolo de uma postura crítica e independente.
Somos a cara do novo Brasil. Por isso, o engajamento de cada um nesse processo é vital. Com dedicação, construiremos um bom caminho, ganharemos fôlego e ergueremos uma estrutura proporcional ao desejo de mudança implorado pela sociedade.
Vamos em frente!

Paulo Bornhausen
Presidente PSB-SC

Bookmark and Share

Comentários

comments

Assembleia coloca Alescprev na pauta de votação

12 de maio de 2015 11

Não deve ser coincidência. Ainda em clima de luto político pela morte do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e na ausência do presidente Gelson Merisio (PSD), em viagem oficial aos Estados Unidos, a Assembleia Legislativa deve votar hoje o polêmico Alescprev.

Alescprev está pronto para ser votado na Assembleia
Alescprev é o novo capítulo de uma velha tradição
Tudo que foi publicado no Bloco de Notas sobre o Alescprev

A proposta foi analisada e aprovada em menos de uma semana no final do ano passado. O Alescprev é um fundo complementar de previdência para parlamentares e funcionários de confiança com efeito retroativo até 2001. Foi votado a toque de caixa para beneficiar os parlamentares que não conseguiram se reeleger no ano passado. A proposta foi vetada pelo governador Raimundo Colombo (PSD) e dormia nas gavetas do Legislativo.

Atualização: Não será votado nesta terça-feira porque a sessão será em homenagem a Luiz Henrique. Mas continua na pauta para amanhã.

Bookmark and Share

Comentários

comments

O velório de Luiz Henrique

12 de maio de 2015 5

A despedida do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) conseguiu reunir um pouco de tudo o que o político catarinense mais gostava. A família, os amigos, o poder, o balé Bolshoi, o povo de Joinville e muita, mas muita conversa sobre política. Em todas as rodas do velório do peemedebista, realizado entre a noite de domingo e a tarde de segunda-feira, o que mais se perguntava e o que menos se respondia era uma só questão:

— E agora?

Leia a íntegra do texto publicado no Diário Catarinense desta terça-feira.

Bookmark and Share

Comentários

comments