Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

BNDES vai apoiar projetos de coleta e reciclagem nas cidades-sede da Copa

04 de outubro de 2010 0

O BNDES quer aproveitar a oportunidade representada pela Copa do Mundo de 2014 para estimular projetos de coleta seletiva de lixo com inclusão social de catadores de materiais recicláveis.

Para isso, o Banco iniciou entendimentos com os ministérios do Esporte e do Meio Ambiente, com os estados e municípios sedes do torneio e com o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis. Representantes de cada uma dessas entidades se reuniram na sede do BNDES no final da semana passada em oficina de trabalho que começou a mapear oportunidades nesse sentido.

Além de utilizar recursos do seu Fundo Social para cooperativas de catadores, o BNDES pode também realizar empréstimos a prefeituras e estados, para elaboração de projetos, e financiar eventuais concessionários de serviços de coleta e destinação de resíduos sólidos.

- Pretendemos criar linhas de financiamento com condições especiais para apoiar os municípios nas obrigações da nova lei – afirmou o diretor da Área de Inclusão Social do Banco, Elvio Gaspar.

Os municípios são os responsáveis legais pela política de resíduos sólidos e têm uma série de obrigações a cumprir, de acordo com a lei 12.305/2010, sancionada em agosto. Entre as obrigações, está a elaboração de um plano de gestão integrada de resíduos sólidos num prazo de dois anos e a eliminação por completo dos lixões até 2014.

Para auxiliá-los nesse esforço e ao mesmo tempo prover capilaridade à sua atuação, o BNDES estimulará as prefeituras a apresentar projetos globais, que envolvam a coleta seletiva de todo o território municipal e que contemplem todas as cooperativas de catadores do município (em vez de apoiar projetos isolados).

A iniciativa terá inicio pelas cidades-sede, mas o objetivo é que a experiência seja replicada, posteriormente, em outros municípios de grande e médio porte.

Fonte: BNDES

Envie seu Comentário