Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Empresas verdes (ou não)"

Moda, luxo e lixo é tema de evento

26 de abril de 2011 0

A 6º edição do Moda Insights,  que neste ano tem como tema “Moda, Luxo e Lixo“, reunirá profissionais ligados à moda, que apresentam, de alguma forma, diferenciais no mercado de trabalho, na Feevale.

O evento pretende mostrar que a formação do profissional de design de moda caminha para uma dimensão maior, preocupando-se com a consciência social e ambiental, mesmo quando se envolve em criações luxuosas.

O Moda Insight será realizado de 9 a 11 de maio, no Campus II da Feevale.

As inscrições podem ser realizadas no setor de Atendimento, no Campus I e II da Feevale ou através do site www.feevale.br/modainsights. Informações pelo telefone (51) 3586.8822.


Programação


6 de maio – sexta-feira
Festa oficial de lançamento do Moda Insights 2011
Local: Meat Club Design (Rua Castro Alves, 825, Porto Alegre)


9 de maio – segunda-feira
14h30min às 19h30min | credenciamento
15h | Workshop de Millinery: técnicas de chapelaria sob medida – Eskola de Costura
19h45min | Práticas de marketing das marcas de luxo – Ani Born
20h50min | WGSN: Como a internet revolucionou a pesquisa de moda


10 de maio – terça-feira
14h30min às 19h30min | Credenciamento
15h | Workshop sobre imagem pessoal, visagismo e estilo – Style People
19h45min | Contextura: Aplicação de upcycling na moda gaúcha – Anne Anicet e Evelise Anicet
20h50min | Vida real – Isabela Capeto


11 de maio – quarta-feira
15h | Workshop sobre resíduos industriais de Couro – Ulyankay Acessórios
19h45min | Tag de Lux: Reciclando o conceito de brechó – Dallen Fragoso
20h50min | Bate-papo sobre Ecotendências – Lilian Pacce

Palestrantes

Ani Mari Hartz Born
Possui doutorado em Ciências da Comunicação pela Unisinos, mestrado em Comunicação Social pela PUCRS, MBA em Marketing pela ESPM-RS e graduação em Publicidade e Propaganda pela Unisinos. Tem experiência na área de Administração e Comunicação, atuando principalmente com os seguintes temas: marketing, comunicação, publicidade, luxo e elites. Atualmente é sócia-diretora da Sul Marketing Consultoria e docente na ESPM-RS.


Portal WGSN
Empresa reconhecida por ser líder mundial no serviço de pesquisa on-line, análise de tendências e notícias para as indústrias da moda e estilo. Dentre seus assinantes encontram-se grandes nomes da moda internacional, tais como: Dolce Gabbana, Diesel, Burberry, dentre outros.


Isabela Capeto
Formada pela Academia di Moda de Florença, Itália, Isabela Capeto propõe uma moda romântica. Ingressou no mundo fashion em 2003, abrindo seu primeiro ateliê. A estreia da marca nas passarelas aconteceu na edição de lançamento das coleções de inverno do Fashion Rio em 2004, partindo para o SPFW na edição seguinte. A estilista faz de suas peças, obras de arte com detalhes artesanais. Engajada a proposta de moda sustentável, suas principais inspirações provem de livros e museus e não seguem uma tendência comum. Assim a marca destaca-se pela leveza, romantismo e autenticidade.


Anne Anicet e Evelise Anicet
Representantes da marca Contextura | Ateliê que integra arte, moda, design, artesanato e sustentabilidade desenvolvendo peças com base em pesquisas criativas sob o conceito de slow fashion. Fundamentado na sustentabilidade e no reaproveitamento de materiais. Contextura utiliza o upcycling – processo de transformar resíduos, produtos inúteis ou descartados em novos materiais, perenes e atemporais, completamente expressivos e originais.


Dallen Fragoso
Representante da Marca Tag de Lux | Empresa situada em Novo Hamburgo, que trabalha com a proposta de reciclagem referente ao conceito de brechós. Promovem eventos itinerantes com regularidade desde 2007.


Lilian Pacce
Apresentadora e coordenadora editorial do GNT Fashion, programa de moda semanal apresentado pelo canal GNT (Globosat). É crítica de moda do jornal “O Estado de São Paulo” e ministra palestras sobre moda, tendências, comportamento e ecotendências Crítica de moda do Caderno 2 do jornal O Estado de São Paulo desde 1996, Lilian é autora dos livros “Pelo Mundo da Moda – Criadores, Grifes e Modelos” (ed. Senac), “Ecobags – Moda e Meio Ambiente” (ed. Senac), “Herchcovitch;Alexandre” (ed. Cosac & Naify), “Dicionário Adesivo para brincar, colar e pintar” (ed. Ática) e do capítulo sobre biquíni em “O Pretinho Básico” (ed. Planeta). Foi consultora da coleção Universo da Moda da editora Cosac & Naify e colaboradora de revistas como a Big, Veja, Vogue, Elle, Daslu e Ícaro. Leciona em instituições como FGV, Faap, Faculdade Anhembi Morumbi e Senac.

Novo portal de consumo consciente para crianças

24 de março de 2011 1

O Instituto Akatu pelo Consumo Consciente lança na próxima segunda-feira o portal Akatu Mirim (www.akatumirim.org.br), um portal inédito sobre consumo consciente voltado para crianças, criado e desenvolvido pela agência digital Tribo Interactive e patrocinado pelo refresco em pó Tang, da Kraft Foods Brasil.

Com vasta experiência no relacionamento responsável para o público infantil, a Tribo Interactive criou para o Akatu um portal divertido e repleto de atividades que visam inserir por meio de jogos, brincadeiras, animações e interatividade as crianças no universo de consumo consciente, tratando de temas presentes em seu dia a dia. As ilustrações apresentam de forma leve e descontraída o conceito “De onde vem? Pra onde vai?”, para que as crianças comecem a descobrir que os bens e serviços vêm de uma cadeia produtiva e causam impactos – desde a origem até o descarte.

Entre os temas abordados, o primeiro será petróleo. As crianças são convidadas a descobrir em que objetos de seu cotidiano está presente o minério. Os próximos serão sacola plástica, garrafa d’água, celular e bala.

Jogos

O portal oferece jogos on-line, nos quais as crianças conhecem mais do produto específico jogando. No jogo “Descobrindo Petróleo!”, elas encontram petróleo em diversos objetos, como brinquedos, vestuário e utensílios de casa.

Atividades

Há sugestões também de atividades para serem feitas fora do computador, sozinha ou em grupo. A criança baixa as instruções do site e desenvolve as atividades. Por que ir sozinho para a escola? Que tal juntar os amiguinhos e irem todos em um só carro? Papais e mamães podem se revezar levando a criança e menos carros estarão circulando, assim o trânsito melhora e jogamos menos gás carbônico na atmosfera, reduzindo o efeito estufa.

E por que não aproveitar a ida à padaria para uma caminhada exploratória? O “Diário de um Pedestre” é atividade que estimula deixar o carro em casa, assim a criança se conscientiza e ajuda a mobilizar a família.

Animações

Você sabia que tem petróleo na goma de mascar, no asfalto, na garrafinha d’água, no batom, no tênis, na sacola plástica do supermercado? Questões como estas estão presentes nos vídeos animados, que apresentam a descoberta da matéria-prima, o primeiro uso em grande escala, até onde podemos encontrá-lo no dia a dia, sua importância para o ser humano e o mais importante: trata-se de uma fonte finita que precisa ser consumida conscientemente.


Mural

O tema ainda pode ser discutido no Mural, com enquetes e perguntas ao Akatu Mirim, personagem que vai interagir com as crianças sobre como consumir com responsabilidade e tirar dúvidas sobre o conteúdo do site.



Caravana Copa Orgânica chega ao RS

11 de março de 2011 0

O projeto Caravana Copa Orgânica chega ao Rio Grande do Sul, em março, com uma programação repleta de palestras com especialistas em alimentos orgânicos. Na capital, Porto Alegre, o produtor e tecnólogo Moacir Kretzmann ministra as palestras “Produtos Orgânicos – Diferencial Competitivo e Oportunidades de Negócios”, voltada aos empresários locais e “Orgânicos – Saúde, Sabor e Sustentabilidade Numa só Escolha”, para os consumidores.

Já em Santo Antonio da Patrulha, Osório e Viamão, Shigueo Sumi, engenheiro agrônomo, e Danilo Caceres, técnico em agricultura, ensinam aos produtores, por meio de um Curso de Noções Básicas de Agricultura Orgânica, conceitos e técnicas de cultivo de orgânicos.

A Caravana Copa Orgânica tem como objetivo difundir o conhecimento sobre a produção e o desenvolvimento do mercado de alimentos orgânicos no Brasil e será realizada de 21 de fevereiro a 24 de julho. Ela pretende atingir um público total participante de três mil pessoas beneficiadas com os eventos, sendo produtores rurais, empresários do setor de alimentação e consumidor final de 44 cidades de 12 estados brasileiros.

O evento, organizado pelo Instituto BioSistêmico, conta com a Jasmine Alimentos como uma das principais patrocinadoras. Tal iniciativa converge com as ações governamentais e com as propostas de desenvolvimento da Copa do Mundo de 2014.

Serviço

Porto Alegre
Palestra sobre Mercado Orgânico para Empresários
Dia 16 de março – quarta-feira
Horário: 16h30
Local: Centro Administrativo do Estado – Av. Borges de Medeiros, 1501 – térreo – Auditório Paulo Freire

Palestra de Sensibilização para Consumidores e Produtores
Dia 19 de março – sábado
Horário: 10h
Local: Auditório da Fepagro – Rua Gonçalvez Dias, 570 – B. Menino Deus

Santo Antonio da Patrulha
Curso de Noções Básicas de Agricultura Orgânica para Produtores
Dia 16 de março – quarta-feira
Horário: 13h
Local: Centro de Eventos Corpo Santo – Av. Bolivia, s/n°, Pitangueiras

Osório
Curso de Noções Básicas de Agricultura Orgânica para Produtores
Dia 17 de março – quinta-feira
Horário: 13h
Local: Plenário da Câmara de Vereadores – Av. Jorge Dariva, n° 1211 – Centro

Viamão
Curso de Noções Básicas de Agricultura Orgânica para Produtores
Dia 18 de março – sexta-feira
Horário: 13h
Local: Sindicato Rural de Viamão – Rua Luiz Rossetti, n° 331 – Centro

Concurso para esculturas urbanas

27 de dezembro de 2010 0

A Tetra Pak lançou o “Concurso Esculturas Urbanas” para jovens universitários dos cursos de Artes Plásticas, Artes Visuais, Arquitetura, Design Gráfico e Industrial. Os projetos devem ter entre 6 m3 e 8 m3 e utilizarem materiais provenientes da reciclagem de embalagens longa vida (resina plástica, pó de alumínio e/ou placas de material reciclado) para constituição da obra.

O concurso terá abrangência nacional e visa incentivar as reflexões sobre a temática da Sustentabilidade e seus desdobramentos na produção artística de jovens brasileiros.

A inscrição é gratuita e poderá ser feita no período de 10 de dezembro de 2010 a 31 de março de 2011, mediante o preenchimento de ficha a ser obtida junto ao endereço eletrônico www.esculturasurbanas.com.br/site.

Os 15 melhores projetos, selecionados por uma comissão de seleção formada por renomados profissionais da área, receberão os materiais necessários para a execução da obra. A previsão é que os trabalhos sejam expostos na Praça Victor Civita, localizada no bairro de Pinheiros, em São Paulo, no mês de agosto de 2011.

Faça estampa para camiseta de fio pet e concorra a R$ 2 mil

13 de outubro de 2010 1

O Instituto HSBC Solidariedade e o site Camiseteria lançam o 1º Concurso de Camisetas PET, que tem como tema “Eu visto sustentabilidade”.

O objetivo da ação é aumentar a conscientização da sociedade sobre a importância da sustentabilidade, tanto na criação de estampas que façam referência ao tema quanto na utilização de tecidos reciclados. As camisetas, criadas especialmente para o concurso, são produzidas a partir de fibras de garrafas PET e outras fibras recicladas. Para cada peça são usadas em média 2,5 garrafas PET, o que diminui o uso de algodão natural.

Para participar, os interessados precisam criar uma estampa com o tema sustentabilidade e postar o material no site www.camiseteria.com.br/euvistosustentabilidade. O participante pode concorrer com quantas estampas desejar, desde que o material seja inédito. A escolha das melhores criações será feita por meio de votação no próprio site.

As cinco camisetas mais votadas receberão prêmio de R$ 2 mil cada. Os modelos vencedores ficarão disponíveis para venda no site do Camiseteria por R$40 cada e, parte da verba arrecadada, será destinada às instituições apoiadas pelo Instituto HSBC Solidariedade.

O concurso será dividido em três etapas. Na primeira fase (07/10 a 07/11/2010) o internauta poderá enviar a sua criação ou votar nas estampas disponíveis. A segunda fase, que acontece de 07/10 a 17/11/2010, será dedicada à votação das melhores estampas. Já na terceira fase, a partir de 27/11/2010, os interessados poderão adquirir as camisetas com as estampas vencedoras.

Para mais informações sobre o concurso acesse o regulamento pelo site www.camiseteria.com.br/euvistosustentabilidade

BNDES vai apoiar projetos de coleta e reciclagem nas cidades-sede da Copa

04 de outubro de 2010 0

O BNDES quer aproveitar a oportunidade representada pela Copa do Mundo de 2014 para estimular projetos de coleta seletiva de lixo com inclusão social de catadores de materiais recicláveis.

Para isso, o Banco iniciou entendimentos com os ministérios do Esporte e do Meio Ambiente, com os estados e municípios sedes do torneio e com o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis. Representantes de cada uma dessas entidades se reuniram na sede do BNDES no final da semana passada em oficina de trabalho que começou a mapear oportunidades nesse sentido.

Além de utilizar recursos do seu Fundo Social para cooperativas de catadores, o BNDES pode também realizar empréstimos a prefeituras e estados, para elaboração de projetos, e financiar eventuais concessionários de serviços de coleta e destinação de resíduos sólidos.

- Pretendemos criar linhas de financiamento com condições especiais para apoiar os municípios nas obrigações da nova lei – afirmou o diretor da Área de Inclusão Social do Banco, Elvio Gaspar.

Os municípios são os responsáveis legais pela política de resíduos sólidos e têm uma série de obrigações a cumprir, de acordo com a lei 12.305/2010, sancionada em agosto. Entre as obrigações, está a elaboração de um plano de gestão integrada de resíduos sólidos num prazo de dois anos e a eliminação por completo dos lixões até 2014.

Para auxiliá-los nesse esforço e ao mesmo tempo prover capilaridade à sua atuação, o BNDES estimulará as prefeituras a apresentar projetos globais, que envolvam a coleta seletiva de todo o território municipal e que contemplem todas as cooperativas de catadores do município (em vez de apoiar projetos isolados).

A iniciativa terá inicio pelas cidades-sede, mas o objetivo é que a experiência seja replicada, posteriormente, em outros municípios de grande e médio porte.

Fonte: BNDES

Sustentabilidade na semana da moda de Nova York

27 de setembro de 2010 1

Neste mês, ocorreu a aclamada New York Fashion Week _ e, com ela, sua versão sustentável, o TheGreenShows.

Nos “ecodesfiles”, foi possível conferir a moda mais consciente de vários estilistas. Um dos destaques foi a Bright Young Things, da “fashionista” Eliza Starbuck, de Nova York. Ela ampliou um conceito explorado no ano passado pelo The Uniform Project, iniciativa lançada em parceria com Sheena Matheiken como um exercício de sustentabilidade, contra o consumismo.

Sheena usou por 365 dias o mesmo vestido preto desenvolvido por Eliza, mas com o desafio de fazer um look diferente para cada dia sem comprar nenhuma outra peça de roupa o ano inteiro.

O vestido reversível, conhecido como “little black dress”, pode ser usado de várias formas: do avesso, aberto, fechado, como jaqueta… Na nova coleção, a mesma versatilidade pode ser vista em oito ítens, como calças e bermudas. A ideia é ter várias roupas comprando apenas uma.

Veja, em vídeo, os 365 looks

Uniform Project Picture Book from The Uniform Project on Vimeo.

71% das empresas têm gestão ambiental

24 de setembro de 2010 2

Interessantíssimo!

Procedimentos relacionados à gestão ambiental, como economia de energia elétrica e reutilização da água, são adotados por 71% das empresas, segundo levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse porcentual diminui para 61% entre as pequenas empresas e sobe para 94,9% entre as grandes. Entre aquelas que declararam adotar esses procedimentos, 87,5% afirmaram contar com um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) – que compreende processos com certificação internacional.

Investimentos
A pesquisa mostra que 88% das empresas tinham planos de investir em preservação ambiental em 2010, um aumento de 2,1 pontos porcentuais em relação a 2009. Na opinião das empresas entrevistadas, esses investimentos deveriam ser impulsionados por meio de incentivos fiscais, acesso a crédito de fundos ambientais e pelo pagamento por programas de conservação.

A sondagem da CNI foi feita com 1.227 empresas (677 pequenas, 367 médias e 183 grandes), entre os dias 5 e 19 de abril.

Fonte: Agência Estado

Greenwashing é tema de curso na Capital

09 de setembro de 2010 1

Instituto Justiça Ambiental (IJA) realizará na terça-feira que vem, 14 de setembro, debate sobre um assunto muito relevante na atualidade: o greenwashing.

O evento Sustentabilidade: verdades e mentiras no Instituto Goethe, em Porto Alegre, RS fará uma abordagem crítica buscando diferenciar verdade da falsa propaganda ambiental. Há sinceridade nas empresas que agregam valor ambiental a seus produtos? Quais empresas são de fato comprometidas com o meio ambiente e com modernização dos processos? O que precisa ser feito para atingirmos o ideal de sustentabilidade?

Para a mesa de debates, o IJA convidou Amyra El Khalili, Antônio Libório Philomena, José Truda Palazzo e Paulo Ricardo Abdala. Estarão também presentes representantes de empresas, ambientalistas, estudiosos e interessados, que poderão formular perguntas aos palestrantes e participar do debate.

Data e horário:
14/09/10, terça-feira, às 19h

Local:
Auditório do Instituto Goethe (Rua 24 de Outubro, 112, Porto Alegre)

Inscrições e informações:
Pelo mail: ija@ija.org.br ou pelo fone 51 3907-9010

Entrada franca!

Emma Watson defende moda eco e ética

20 de agosto de 2010 1

O mundo da moda exerce um grande poder e tem o potencial de degradar o ambiente. Mas também tem o potencial de poupá-lo. Além disso, não são poucas fábricas que se aproveitam de mão de obra praticamente escrava.

Muitos estilistas e celebridades estão se dando conta disso, e alguns tantos compraram essa ideia. Um ótimo exemplo é a atriz britânica Emma Watson, a eterna bruxinha Hermione dos filmes do Harry Potter.

Aos 20 anos, ela apóia uma marca chamada People Tree, que desenvolve roupas baseadas no Fair Trade e que são feitas com menos impacto ao meio ambiente. A People Tree usa mão de obra de cooperativas de países menos desenvolvidos (e as remunera bem), com algodão orgânico certificado, corantes naturais, materiais reciclados etc.

Atualmente, a Emma Watson é um ícone fashion na Grã-bretanha. Assim, ela decidiu usar sua influência junto aos adolescentes e jovens que a viram crescer nos filmes do bruxinho e que cresceram com ela para estimulá-los a consumir uma moda com responsabilidade socioambiental, em vez das roupas feitas em massa.

A atitude da atriz é admirável, porque ecofashion é mais procurada por pessoas com mais, digamos, experiência de vida. Conscientizar quem está aprendendo a consumir terá um efeito benéfico imenso.

A próxima coleção será lançada em um festival de 12 dias organizado pelo príncipe Charles (outro entusiasta do ambiente) em sua residência londrina, Clarence House.

Curso sobre construções sustentáveis e certificações

16 de agosto de 2010 0

A Krebs Sustentabilidade realiza mais uma edição do curso Construções Sustentáveis e Certificações Green Building em Porto Alegre. Eu fiz, e é muito legal. Vale a pena, arquitetos e engenheiros.

O curso terá 8 horas de duração e será realizado no Sindicato dos Engenheiros do RS (SENGR/RS).

Dias: 8 e 9 de setembro
Horário: das 18h30min às 22h30min
Inscrições: (51) 3230 1622 / sengeoffice@senge.org.br
Endereço: Av. Erico Verissimo, 960

Portal ajuda a construir e reformar de forma sustentável

26 de julho de 2010 1

Quer ser sustentável na construção ou na reforma e não sabe como? Um portal recém lançado na internet foi criado exatamente com este intuito: possibilitar que cada vez mais pessoas e profissionais conheçam e utilizem produtos e serviços ecoeficientes em todo o país.

O Construção Eficiente (www.construcaoeficiente.com.br) mostra soluções para economia de água, de energia, climatização, materiais mais eficientes e até mesmo móveis e artigos de decoração. Interessados podem pesquisar produtos, aprender, solicitar orçamentos e iniciar uma negociação de compra de forma simples, rápida e gratuita. Já os fabricantes, lojistas e profissionais de produtos e serviços com critérios de ecoeficiência podem divulgá-los gratuitamente por 30 dias. Depois, é cobrada uma taxa.

O portal foi desenvolvido pela Rudra Tecnologias Sustentáveis, mesma empresa de Florianópolis que lançou o Green Jobs (www.greenjobs.com.br), portal de empregos verdes.

Se um cão consegue ser verde, não me venha com churumelas

26 de julho de 2010 2

Esse cão é demais!

Você conhece Puglet, o Pug?  Em um vídeo que virou sensação na internet, ele mostra como é fácil ser mais sustentável com atitudes muito simples e rotineiras. Se um cão pode ser verde, quem vai dizer que não consegue, hein? Assista às peripécias da estrela do blog TheDailyPuglet.com

Marketing ambiental: o exemplo valioso da Bombril

18 de julho de 2010 1

Pessoal, publico aqui um artigo excepcional de um dos leitores do blog, o consultor ambiental Luiz Carlos Porto, de Americana (SP). Com o exemplo da Bombril, ele mostra como algumas vezes as empresas usam a crescente consciência ambiental e o apelo da sustentabilidade para tentar lucrar com a falta de conhecimento técnico da população. Assim, acabam caindo no sempre infame greenwashing. Às vezes, o produto de fato tem características sustentáveis, mas não exatamente como é vendido para o público.

Recomendo fortemente a leitura!

Marketing ambiental: um exemplo valioso

Um caso de marketing ambiental ocorrido recentemente é um ótimo exemplo de como as empresas não sabem aproveitar a preocupação ambiental da sociedade. Já falamos muito aqui de como a sociedade, e consequentemente o mercado, estão valorizando cada vez mais as empresas que demostram um desempenho ambiental elevado.

A Bombril veiculou na TV alguns comerciais alegando um alto desempenho ambiental de sua tradicional esponja de aço. Os comerciais, criados pela Agência WMcCann (vídeos abaixo), ressaltam o baixo desempenho ambiental de produtos concorrentes, as esponjas multiuso feitas de polímeros (tipo Scotch-Brite da 3M).

Qualquer profissional da área ambiental percebe claramente que trata-se de um comercial criado por profissionais de propaganda, sem qualquer respaldo técnico. Assumir que um produto é mais “ecológico” que o outro, ou até que seja “100% ecológico” como a propaganda afirma, é uma simplificação inadmissível.

A Bombril não cita nenhum estudo técnico ou certificação de instituição independente que justifique os atributos ambientais alegados. Além do mais, essa forma de autodeclaração ambiental vai contra as recentes Normas Técnicas da Série ISO 14000.

O que poderia ocorrer? O óbvio. Empresas concorrentes da Bombril entraram com representação no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR) pedindo a suspensão dos comerciais. Como as justificativas apresentadas são inquestionáveis, nesta semana o CONAR suspendeu a campanha da Bombril.

Conclusão: a Bombril gastou R$ 30 milhões com uma campanha que foi suspensa compulsoriamente e ainda ficou com a imagem de que é uma empresa que pratica o “greenwashing“, ou seja, que quer aproveitar a onda verde para fazer média com seus produtos.

Esse caso me fez lembrar um fato ocorrido comigo. No Dia mundial do Meio Ambiente de 2009 recebi um e-mail de uma das maiores empresas do Brasil alertando que devemos tomar ações em defesa do ambiente. Uma parte do texto dizia: ” Sabe o que acontece quando usamos mais o transporte público? Menos gás carbônico é liberado na atmosfera, não prejudicando tanto a camada de ozônio“. Inacreditável não? Um típico exemplo de ação feita por profissionais de propaganda, sem apoio técnico algum. 

Uma coisa precisa ficar claro para as empresas. Não se pode querer faturar com o engajamento da sociedade na causa ambiental sem uma base sólida de gestão ambiental e sustentabilidade. É um erro imenso deixar a cargo de profissionais de propaganda e marketing campanhas que apresentam benefícios ou desempenho ambiental de produtos e empresas.

Quando forem lidar com marketing ambiental as empresas devem lembrar dos dois P’s. O marketing ambiental é poderosíssimo, mas também é perigosíssimo. Fazer ações de marketing ambiental sem base técnica pode levar ao efeito contrário (o que os americanos chamam de backlash): a empresa ser punida pelos consumidores por fazer “greenwashing”. É melhor ficar quieta.

O marketing ambiental só trará um resultado significativo para a empresa se for uma ação criteriosa, com embasamento técnico, planejada em conjunto por profissioanais de gestão ambiental e de marketing. É um campo muito perigoso para tentativas e “chutes”.

Luiz Carlos Porto, Eng., MSc.
Silva Porto Consultoria Ambiental
Diretor Técnico
www.silvaporto.com.br
www.twitter.com/silvaporto

Outros comerciais aqui

Bolsas feitas com malotes velhos

05 de julho de 2010 4

Depois de décadas de trabalho em um banco, o porto-alegrense André Denardin, 42 anos, percebeu que centenas de malotes iam para o lixo ao atingir o fim de sua vida útil. Cerca de três anos atrás, ele decidiu fazer alguma coisa para mudar essa história: teve aulas de modelagem e costura do Senai em Novo Hamburgo, pediu autorização para recolher os malotes e comprou uma máquina. Com sua criatividade e consciência ambiental, os malotes velhos transformaram-se em bolsas feitas com lona reaproveitada _ assim, nasceu a viaeco.

Só no banco em que trabalha, diz Denardin, são aproximadamente 400 malotes girando para lá e para cá. Cada um dura entre cinco e oito anos. Imagine a quantidade de malotes que são descartados todos os anos no Brasil inteiro.
_ Os malotes têm uma história para contar. Cada pedacinho de lona fez alguma coisa, enfrentou dificuldades. Estavam abandonados, e agora estamos dando vida a eles _ afirma Denardin.

Além de bancos, transportadoras de valores _ interessadas no descarte responsável de seu lixo _ também fornecem os malotes usados. Para começar a viaeco, Denardin investiu R$ 20 mil _ R$ 13 mil apenas na máquina de costura específica para a produção das bolsas. Ele não largou o trabalho no banco, e sim usa o tempo livre para sua empresa _ são cerca de duas horas por dia e os sábados em cima de suas criações. Para garantir que seus produtos sejam realmente “eco”, o bancário procura comprar o restante dos materiais necessários em empresas que também tenham como filosofia a preservação ambiental, como botões de fibra de côco e rebites e ferragens de baixo impacto ambiental.

No futuro, Denardin quer profissionalizar a viaeco. Atualmente, ele usa o boca a boca para vender as bolsas, mas também conta com a internet _ pelo site www.elo7.com.br/viaeco, ele envia seus produtos para outros Estados e também para o Exterior. A encomenda vai pelo correio em caixas reaproveitadas, claro.

Foto: divulgação