Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "pesquisa"

Brasileiros apresentam otimismo em relação à inovação, mas são cautelosos no uso excessivo da tecnologia

11 de novembro de 2013 0

Nove em cada 10 brasileiros acreditam que a tecnologia torna sua vida mais fácil e que a inovação tecnológica tem um efeito positivo na sociedade (95%, contra 84% da média global). Os dados são de um estudo encomendado pela Intel à Penn Schoen Berland. Conforme a pesquisa, os brasileiros também estão muito otimistas com o futuro da indústria local de tecnologia (92%, contra 69% na média global) e um em cada três brasileiros acreditam que o Brasil está no caminho certo para se tornar um líder mundial em inovação.

Embora o otimismo do país esteja mais alinhado com os mercados emergentes, o Brasil também apresenta uma característica em comum com as economias mais desenvolvidas – em especial a desconfiança em compartilhar informações pessoais para ajudar a criar tecnologias inovadoras. Por exemplo, 51% dos brasileiros disseram não se sentir confortáveis em deixar empresas acessarem informações bancárias para criarem tecnologias e serviços inovadores, contra 39% na China, 21% na Índia e 28% na Indonésia.

_ Os brasileiros apresentam um perfil bastante atípico, de otimismo cauteloso. Entre os países emergentes, o Brasil é o que apresenta um perfil mais parecido com o que encontramos em mercados já desenvolvidos. De uma forma geral, o brasileiro acredita no poder da tecnologia em gerar um impacto positivo em sua vida e na sociedade, mas também tem algumas ressalvas quanto a algumas questões, como por exemplo, o uso de informações pessoais por corporações ou serviços _ comentou Fernando Martins, Presidente da Intel Brasil.

Outros países que apresentaram alto índice de confiança na tecnologia e na indústria local são economias emergentes como Índia (98%), Indonésia (86%) e China (84%). Os Estados Unidos são o único país desenvolvido entre os pesquisados que demonstrou alto índice de confiança na indústria – 88%.

Clima agradável é o que mais retém profissionais nas empresas

07 de novembro de 2013 0

Uma pesquisa feita com 230 empresas brasileiras pela Curriculum, prestadora de serviços de recrutamento e seleção online na América Latina, mostra que a maior preocupação das companhias é oferecer um clima agradável no ambiente de trabalho, segundo a resposta de 42% das organizações entrevistadas.

Participação nos lucros (29%), benefícios especiais (28%), possibilidade de desenvolvimento constante (26%), flexibilidade no horário de trabalho (25%) e bônus (24%) são outros fatores que as empresas acreditam fazer a diferença para um colaborador decidir permanecer na companhia.

Quando questionadas sobre quais medidas são mais efetivas, independentemente de estarem adotando ou não, 69% (a maioria) também apontou o clima agradável no ambiente corporativo.

Do outro lado, possibilidade de transferência para outro país (2%), viagens internacionais (2,5%), 14º salário (4,5%) e carro (6%) foram as opções menos votadas e, consequentemente, as menos praticadas pelas empresas.

Votorantim Cimentos divulga relatório integrado avaliado por 28 stakeholders

06 de novembro de 2013 0

A Votorantim Cimentos acaba de lançar seu primeiro relatório integrado, que contém as informações financeiras, sociais e ambientais, relativas ao ano de 2012, período que consolidou a companhia como uma das maiores produtoras globais do setor cimenteiro, com a expansão internacional para seis novos países. As novas aquisições partem da integração de ativos estratégicos da portuguesa Cimpor, maior participação na uruguaia Artigas e aumento na participação da argentina Avellaneda.

Pela primeira vez, a empresa submeteu seu escopo de atuação à consulta de 28 stakeholders externos, entre investidores institucionais, especialistas, setor financeiro, mídia, governos, órgãos públicos, terceiro setor e associações de classe e 23 profissionais no âmbito interno, entre diretores e gerentes gerais, com apoio da BSD Consulting.

Atrelada à estratégia de negócio, a Votorantim Cimentos obteve a classificação A+ para as práticas de sustentabilidade, conforme a Global Reporting Initiative (GRI).

Pagar dívidas de cartões com o 13º pode ser equívoco

05 de novembro de 2013 0

O 13º salário deve injetar mais de R$ 143 bilhões na economia brasileira até dezembro, conforme dados do Dieese. Além de ajudar nos gastos de final de ano, os consumidores costumam aproveitar o dinheiro extra para quitar dívidas. Porém, para alguns especialistas, é necessário avaliar as contas. É o caso, por exemplo, de quando o consumidor já está com o nome negativado junto a instituições de proteção ao crédito e a dívida cresceu espantosamente em função dos juros praticados pelas administradoras de cartões.

_ Como os juros cobrados pelas administradoras de cartões são flagrantemente abusivos, as pessoas têm que endurecer a negociação _ alerta o consultor Marcelo Maron, do Grupo Par.

Maron relata que é muito comum que, com o passar do tempo, o “desconto” oferecido pelas administradoras de cartões para a quitação da dívida chegue a 90% do total, podendo ficar até mesmo abaixo do valor principal.

O consumidor pode usar esse dinheiro extra para mudar o perfil da dívida, aumentando as chances de livrar-se do débito de uma forma mais justa.

_ É comum ouvirmos relatos de pessoas que são ameaçadas de arresto de bens para penhora. O consumidor precisa saber que as coisas não funcionam assim. É preciso ignorar este tipo de ameaça e negociar com calma e frieza, sem nenhuma pressa. Se a pessoa se deixar intimidar, fatalmente fechará um péssimo negócio _ lembra Maron.

Psicologia e turismo são áreas com maior aumento salarial no último ano

04 de novembro de 2013 0

Levantamento da Catho mostra que Psicologia e Turismo são as áreas com maior aumento salarial no último ano, com índices de 54,72% e 40,09%, respectivamente.

_ A área de Turismo estar no topo é algo natural se levarmos em conta a Copa e as Olimpíadas. Já Psicologia, podemos dizer que é uma profissão sempre requisitada em diversas áreas, o que amplia o leque de contratações e de aquecimento do mercado _ explica Luís Testa, diretor de Marketing da empresa.

Em terceiro lugar estão os profissionais de Exatas, com taxa de 33,77% no aumento salarial. Outras áreas que também apresentaram aumento foram de Engenharia Têxtil e Processos, com índices em torno de 18%.

Louise Bragado

Blindagem de carros deve bater novo recorde no país em 2013

01 de novembro de 2013 0

Até o final deste ano, 10 mil veículos devem ser blindados no país, batendo novo recorde nacional. Levantamento da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin) revelou que no primeiro semestre de 2013 4,7 mil carros receberam a proteção, aumento de 11,55% em comparação ao mesmo período de 2012.

Para empresários do setor, o fator econômico pesou para o crescimento do setor:

_ A base de clientes cresceu na medida em que o poder aquisitivo do brasileiro também aumentou. O valor da blindagem, por sua vez, se manteve estável, o que trouxe mais carros para os pátios das blindadoras _ afirma o diretor da Concept Blindagens, de São Paulo, Fábio Rovedo de Mello.

O levantamento da Abrablin revelou também o perfil dos usuários: os homens compõem 57,5% do universo, sendo a maioria (23%) na faixa etária dos 30 a 39 anos. As mulheres representam 42,5% do segmento, tendo a maior parte (22,8%) entre 40 a 49 anos de idade.

Do universo total dos usuários, 79% são executivos ou empresários; 10% artistas ou cantores; 6% juízes e 5% políticos.

A pesquisa da entidade trouxe, ainda, os modelos de carros mais blindados no período. O campeão foi o Tiguan, modelo da Volkswagen, seguido pelo Range Rover Evoque, da Land Rover. O Jetta Sedan, da Volks, o Corolla, da Toyota, e o Range Rover Discovery, também da Land Rover, completam a lista dos veículos que mais receberam a proteção blindada.

Fapergs anuncia edital para investir R$ 25 milhões em micro e pequenas empresas

31 de outubro de 2013 0

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs) e a Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT) anunciam nesta quinta-feira o programa Tecnova, que vai investir R$ 25 milhões em micro e pequenas empresas do Estado. Do total, R$ 15 milhões serão aportados pela Finep, vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, e R$ 10 milhões provêm de acordos entre o governo e parceiros locais.
A ação permitirá a contratação de até 75 pesquisas nas cadeias de tecnologia da informação; comunicação; petróleo e gás; energias alternativas; saúde avançada e medicamentos; calçados e artefatos; indústria moveleira; e nos setores metalmecânico-automotivo e agroindustrial. Os recursos variam entre R$ 200 mil e R$ 667 mil por projeto.
As inscrições vão até o dia 16 de dezembro no site www.tecnova.rs.gov.br

Quase metade das vagas temporárias de fim de ano devem ser preenchidas em novembro

30 de outubro de 2013 0

Cerca de 223 mil trabalhadores temporários devem ser absorvidos pelos setores do comércio e serviços ainda no mês de novembro. Levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revelou que quase metade (48%) dos empresários consultados têm a intenção de fazer alguma contratação no mês de novembro. Outros 27% afirmaram que pretendiam dar início às seleções ainda em outubro, 19% alegaram já ter realizado as contratações e apenas 5% esperariam até dezembro para concretizá-las.

De acordo com a pesquisa, as perspectivas de vendas para o fim de ano esboçam um quadro positivo: 83% dos empresários entrevistados esperam vendas iguais ou maiores do que as de 2012 e apenas 12% acreditam que a situação será pior. O principal motivo para esse otimismo, citado por 36%, é a maior disponibilidade de crédito no mercado. A pesquisa também procurou conhecer características pessoais e habilidades profissionais dos empregados procurados pelos comerciantes. Nove em cada dez (91%) contratados devem ter entre 18 e 34 anos e as funções mais demandadas são a de vendedor (32%), caixa (16%) e estoquista (13%).

temporarios_105

Metade dos brasileiros já pagou por um produto que nunca usou

23 de outubro de 2013 0

Levantamento inédito realizado nas 27 capitais brasileiras pelo SPC apontou que 47% dos brasileiros admitiram já terem comprado algum produto que nem sequer chegaram a usar. Apesar disso, 88% se autodeclararam conservadores ou moderados quando vão às compras. De acordo com a pesquisa, o consumidor brasileiro recorre ao consumo como forma de satisfazer suas vontades pessoais. Tanto que 59% já compraram algo pensando “eu mereço”, mesmo sem ter condições financeiras para arcar com o produto.
Seis em cada 10 pessoas (62%) assumem que antes mesmo de receber o salário, já pensam nas compras supérfluas que farão no mês seguinte. Os brasileiros também se preocupam com a imagem que transmitem às pessoas: pelo menos três em cada 10 entrevistados (30%) já se sentiram discriminados por um vendedor e acabaram comprando o produto para provar que tinham condições financeiras de arcar com o custo. No mesmo sentido, 21% dos brasileiros disseram que costumam acompanhar familiares ou amigos a lugares que extrapolam seu próprio orçamento para “no fazer feio”. O estudo revela ainda que 33% dos consumidores confessam que já deram um presente muito acima de seu orçamento apenas para impressionar o presenteado e 43% fazem questão de exibir a novidade para os amigos quando adquirem um ítem recém-lançado no mercado.

pesq_comportamento_1[1]

pesq_comportamento_2[1]

 

Pesquisa mostra que, para 78% dos profissionais, dinheiro é o mais importante para ser feliz no trabalho

15 de outubro de 2013 0

O tema felicidade no trabalho, hoje, é a bola da vez no mundo corporativo e uma das prioridades das áreas de recursos humanos. Para tentar desvendar o significado de felicidade no trabalho, o Ateliê de Pesquisa Organizacional fez um estudo com gestores e não gestores de companhias para que eles indicassem o entendimento e a experiência que têm da própria felicidade no trabalho. Entre as principais conclusões, a pesquisa revela que a felicidade no trabalho para os profissionais ouvidos está ligada a ganhar dinheiro, relacionar-se com pessoas, ter desafios, trabalhar em equipe. É contar com relações seguras e confiáveis entre colegas, ser reconhecido, sentir-se motivado, satisfeito, competente e alegre na empresa, entre outros sentimentos.
Na questão da infelicidade no trabalho, os participantes da pesquisa apontaram vários itens: ter disputas internas, sofrer pressões, ambiente tenso, colegas fingidos, adoecimentos, pouco tempo para coisas pessoais, ausência de reconhecimento e líderes inadequados, entre outros fatores.

Veja abaixo os principais resultados do estudo:

Felicidade em relação ao trabalho
Para 78%, o dinheiro é um fator que se sobrepõe a todos os outros.
Para 79% dos entrevistados, eles estão felizes ou muito felizes em relação ao trabalho, apenas 7% consideram-se infelizes ou muito infelizes.
Para 46%, eles são os responsáveis e não a empresa pela própria felicidade no trabalho.
Entre as mulheres, 84% consideram-se felizes ou muito felizes em relação ao trabalho. Entre os homens, 75% consideram-se felizes ou muito felizes em relação ao trabalho.
Para 57%, trabalhar mais de 8 horas por dia é motivo de satisfação. Apenas 17% responderam que trabalhar além do horário é motivo de insatisfação.

O que deixa feliz no trabalho
Para 49%, relacionar-se com pessoas é uma das situações que os deixa felizes no trabalho. Para 41%, trabalhar em equipe é a principal situação.
Para 68%, quando estão felizes no trabalho, sentem-se motivados.
Para 48%, a infelicidade no trabalho traz o sentimento de desmotivação.