Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

47º Capítulo

18 de julho de 2010 0

Não vou fazer considerações sobre toda a novela, até porque não a acompanhei diariamente. Nem me atrevo a comentar sobre as histórias com profundidade, portanto vamos direto ao último capítulo: Que gravata mais mal dada a do Zeca no Niemann. Tinha uma folga de pelo menos uma cabeça ali. E o mais engraçado é que apesar de estar folgado, capricharam tanto na maquiagem que o cara tava vermelho.

Outro ponto  foi a fuga da Maureen da delegacia. primeiro ela pega o telefone do cenario, que não estava ligado na parede porque não tinha fio na hora que a criatura puxou, pra atacar o policial, e depois foge pela porta da frente que estava cheia de policiais e repórteres, e ninguém conseguiu pegar a mulher!

E o que foi o enigma que o moribundo do Niemann deu pra Deodora desvendar…se fosse na vida real eu diria que ele passou um tempão ensaiando no caso de que se algo viesse a acontecer. Uma saída “a lá Código da Vinci”. A pobre da Deodora foi que morreu baleada dentro de um hospital e não teve um médico sequer pra socorrer, trágico não?!

A melhor cena da noite foi a do Leal e da Hélia, mas também não poderia ter sido diferente. Até me arrepiei quando ela falou que o tempo do amor deles já tinha passado! Emocionante! Melhor ainda a bela troca que ela fez, o Fagundes pelo Sérgio Marone.

E pra quem estava esperando o fim do sofrimento de Nelinha e Zeca, acho que realmente acabou viu, porque eles quase não apareceram no último capítulo. Acabou o drama, acabou a graça, por isso acho que o autor preferiu deixar eles no canto mesmo, não passou nem a carinha do filho dos dois!

Enfim, que venha Ti Ti Ti

Envie seu Comentário