Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de abril 2009

CNBB discute celibato

27 de abril de 2009 1

Entrevista: Dom João Carlos Petrini, BISPO AUXILIAR DE SALVADOR E MEMBRO DA COMISSÃO PARA A VIDA E A FAMÍLIA DA CNBB

 

O celibato virou tema central de discussão para o episcopado brasileiro. É um dos assuntos principais da assembleia geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Indaiatuba (SP). No encontro, porém, a proibição do casamento para os padres não é posta em questão. A intenção é contrária: os prelados querem se mobilizar e mostrar as razões para observar a castidade. Nesta entrevista, o bispo auxiliar de Salvador, dom João Carlos Petrini, afirma que o debate é necessário, porque o celibato passou a ser visto como estranho:

Zero Hora – Qual é o objetivo da discussão sobre o celibato que está ocorrendo durante a assembleia?

Dom João Carlos Petrini – A assembleia sempre tem um tema central, que neste ano é a formação para o sacerdócio. Uma comissão de teólogos preparou um documento sobre o assunto, que está sendo discutido pelos bispos parágrafo por parágrafo. O celibato está incluído. Estamos debatendo para mostrar as razões positivas para um jovem de 20 anos abraçar a imitação radical de Jesus Cristo. Discutimos a semelhança entre celibato e martírio.

ZH – O celibato é um martírio?

Dom João – É uma analogia. A pessoa renuncia à sexualidade, que é muito forte em nós, por algo mais forte. Aceita se martirizar porque Jesus é tão grande que a renúncia se justifica.

ZH – A intenção é mostrar que o celibato vale a pena?

Dom João – É dar as razões, para que se compreenda esse sacrifício. Não se trata de não amar, mas de amar castamente.

ZH – Por que a CNBB quer reforçar o celibato neste momento?

Dom João – Nosso contexto cultural se caracteriza pela exaltação do erotismo. A sociedade não vê mais o celibato como um valor óbvio, instantâneo. Somos vistos como ETs circulando na Terra. A outra razão é interna, porque esse contexto traz dificuldades para padres e seminaristas. Eles estão sob pressão de um mundo sexualizado, a opção deles não é percebida como razoável, dizem que escolhem o celibato por ter problemas.

ZH – A Associação Nacional de Presbíteros propôs que o celibato seja opcional. Isso representa o pensamento dos padres?

Dom João – A CNBB presta atenção às reivindicações, mas não considera a hipótese. A opção do matrimônio não constitui resposta satisfatória. A Igreja Anglicana seguiu esse caminho, e as vocações não aumentaram.

ZH – Muitos padres vivem conflitos por causa do sexo?

Dom João – Ninguém é ordenado antes dos 24 anos. Até aí, tem a possibilidade de verificar o que quer da vida. Os problemas são parecidos com os do homem que se casou e quer ser fiel. Terá de sacrificar algo.

ZH – Como a Igreja lida com um padre que tem um relacionamento com um mulher?

Dom João – Costumamos resolver no diálogo. É como o homem que casou e se envolve com outra. Pode reafirmar o matrimônio ou se separar.

Fonte ZH

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Padres e casamento

27 de abril de 2009 1

A proibição do casamento não vale para todos os padres católicos. Para os sacerdotes de um conjunto de igrejas vinculadas a Roma, ter mulher e filhos é opcional. Os padres que podem casar são os do rito oriental, que segue um código canônico distinto do latino, também aceito pelo Vaticano. No total, são 22 as igrejas católicas orientais em que o padre pode se casar. A principal delas é a Maronita, com origem na Síria e no Líbano do século 4, que mantém uma paróquia em Porto Alegre.

O pároco é o monsenhor Urbano Zilles. Apesar de não ser maronita – adota, portanto, o celibato –, ele celebra semanalmente uma missa no rito oriental. Entre outras coisas, usa o aramaico.

– Nas igrejas orientais, há a opção. Antes de se ordenar, o padre decide se vai ser celibatário ou se vai casar. Uma vez ordenado, o padre não pode mais casar. No Líbano, metade dos padres são casados, metade não. Nas Américas, em respeito às igrejas locais, os padres orientais não casam – diz Zilles.

Mas há desejo de mudar isso. Na virada do ano, os bispos das igrejas orientais no Brasil – incluindo maronitas, melquitas e ucranianos – encaminharam documento a Roma fazendo uma consulta sobre a possibilidade de liberação do matrimônio no país. Não obtiveram resposta.

Zilles observa que, no rito latino, o celibato foi instituído só no século XI. Antes, padres e bispos tinham mulher. Desde a instituição da norma, sempre houve exceções, que não se limitaram às igrejas orientais. Nos últimos anos, grande quantidade de sacerdotes abandonou a Igreja Anglicana, na Grã-Bretanha, para engrossar as hostes católicas. Levaram as esposas com eles.

Fonte ZH

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

A Igreja de Maradona

21 de abril de 2009 1

O nosso último post faz referência a Religiao Jedi, vejam que existe público para tudo.

Nao existe limite quando se fala de religiao no imaginário das pessoas.

Na Argentina existe a Igreja Maradoniana, que rende culto ao ex-jogador de futebol Diego Maradona.

Igreja Maradoniana

Origem

 

A Igreja Maradoniana (Iglesia Maradoniana) é um grupo de pessoas do mundo inteiro que se juntam em uma paródia de religião para celebrar o jogador de futebol argentino Diego Maradona como seu Deus.

História

Foi fundada em 30 de outubro de 1998 na cidade de Rosario por torcedores argentinos que resolveram considerar a data de nascimento de Maradona como Natal. A partir disto criaram uma igreja com orações e mandamentos, com fãs cadastrados em vários países, inclusive Brasil.

 

Los diez mandamientos

 

  1. La pelota no se mancha como dijo D10s en su homenaje.
  2. Amar al fútbol por sobre todas las cosas.
  3. Declarar tu amor incondicional por el futbol.
  4. Defender la camiseta argentina, respetando a la gente.
  5. Difundir las palabras del “diego maradona” en todo el universo.
  6. Alabar los templos donde predicó y sus mantos sagrados.
  7. No proclamar el nombre Diego en nombre de un único club.
  8. Amar siempre los principios de la Iglesia Maradoniana.
  9. Llevar Diego como segundo nombre y ponérselo a sus hijos.
  10. No ser cabeza de termo y que no se te escape la tortuga.

El Diego nuestro

 

Diego nuestro que estas en las canchas.

Santificados sean tus goles, venga a nosotros tus pases. Hágase tu magia tanto de local como de visitante.

Danos hoy los goles de cada día, perdona nuestras patadas, como nosotros perdonamos la mafia napolitana, no nos dejes caer en off-side y

líbranos de las gallinas. Diego.

Las palabras de Maradona

 

“A los fundadores de este movimiento y a los hinchas que participan les agradezco en el alma que me tengan tan presente en la memoria y en su corazón. Gracias”
Diego Maradona

Fonte Wikipedia

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

“Religião Jedi” ganha fiéis na Grã-Bretanha

20 de abril de 2009 0

Uma estranha religião virou moda na Grã-Bretanha – o culto Jedi, baseado na série de cinema Guerra nas Estrelas. Criada em 2008 por dois irmãos ingleses, Barney e Daniel Jones, que dão sermões sobre a Força, a “fé” ganhou adeptos nos lugares mais insuspeitos – a polícia da Escócia, por exemplo. Segundo uma reportagem da rede de TV BBC, oito policiais e dois outros funcionários da Strathclyde Police aderiram à religião.

- Apesar dos esforços de seus seguidores, a Ordem Jedi e os ideais da religião não foram, até agora, reconhecidos oficialmente na Grã-Bretanha

 

Fonte ZH

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Arcebispo ganha prêmio por luta contra aborto

20 de abril de 2009 0

O arcebispo de Recife e Olinda, dom José Cardoso Sobrinho, recebeu, na capital pernambucana, o Prêmio Cardeal Von Galen por sua luta antiaborto.

No mês passado, o arcebispo excomungou a mãe e os médicos que participaram de um aborto em uma menina de nove anos. Ela havia ficado grávida de gêmeos após ter sido abusada sexualmente pelo padrasto, em Alagoinha.

A homenagem
> A distinção, concedida pela instituição norte-americana Human Life International a prelados que se destacam pela defesa da moral católica, é uma homenagem à luta antiaborto do religioso.

 

Fonte ZH

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Programa Polêmica, Rádio Gaúcha

16 de abril de 2009 3

Registramos a participação sobre o debate da temática Celibato, no programa Polêmica de Lauro Quadros, na Rádio Gaúcha.

Prof. Luis Osvaldo Leite

Padre Atilio Harttman

Pastor Cláudio Kupka

Prof. Guershon Kwasniewski

O programa do dia 15/4, está disponivel no www.clicrbs.com.br

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Escândalo sexual constrange o bispo-presidente

14 de abril de 2009 9

Lugo admite ser pai de menino e traz à tona relacionamento de 10 anos

Nem foi preciso longas brigas na Justiça e exames de DNA. Nitidamente constrangido, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, surpreendeu jornalistas ontem ao admitir, em entrevista, que é pai do menino Guillermo Armindo, de quase dois anos, fruto de um relacionamento iniciado na época em que ocupava o cargo de bispo emérito da diocese de San Pedro – ou seja, quando ainda devia obediência ao voto de castidade.

– Aqui e agora, diante de meu povo e de minha consciência, declaro com a mais absoluta honestidade e transparência que houve uma relação com Viviana Carrillo. Assumo todas as responsabilidades derivadas do ato. Reconheço a paternidade da criança – disse o presidente.

Guillermo Armindo nasceu em 4 de maio de 2007, e Lugo renunciou ao sacerdócio apenas em dezembro de 2006, para se candidatar à presidência. Ainda assim, o papa Bento XVI só liberou o ex-bispo dos seus votos de pobreza, castidade e obediência em 31 de julho de 2008, após muita polêmica.

Viviana, atualmente com 26 anos, é oriunda do departamento de San Pedro, e sua relação com Lugo começou quando ela tinha 16 anos. Na quarta-feira passada, seus advogados entraram com processo no Juizado da Infância e Adolescência na cidade de Encarnación, 470 quilômetros ao sul de Assunção. Segundo a denúncia, Viviana foi seduzida pelas “belas palavras” do então bispo, hoje com 57 anos (veja quadro).

Senador da oposição pede excomunhão do presidente

Apesar de ter descumprido o voto de castidade da Igreja Católica, algumas autoridades destacaram que o reconhecimento da paternidade – que seria oficializado ainda ontem – conta a favor de Lugo. O bispo do departamento (Estado) de Misiones, monsenhor Mario Melanio Medina, foi o primeiro a se manifestar:

– Lugo mentiu à Igreja, mas o fato é que ele reconheceu o erro, e isso foi um ato de coragem. Antes tarde do que nunca, como diz o ditado.

Já a ministra da Mulher do Paraguai, Glória Rubín, afirmou que o presidente “agiu como homem”:

– Ele fez o correto. O menino tem direito a um pai.

Mas houve quem não concordasse. O senador Julio César Velázquez, do Partido Colorado, na oposição, pediu à hierarquia católica que “excomungue Lugo por ter cometido estupro presumido (Viviana era menor de idade na época do início do relacionamento)”:

– Ele tinha responsabilidades episcopais e teve relações sexuais com uma adolescente.

Assunção

Multimídia

Fonte Zero Hora

A temática será tema de debate no programa Polêmica da Rádio Gaúcha onde estarei participado,  amanhã 15 de abril às 9:30 hs.

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

O melhor que aconteceu nesta Páscoa

11 de abril de 2009 0

Prezados leitores, em primeiro lugar novamente o nosso desejo de uma Feliz Páscoa. – Chag Sameach, em hebraico -

Cristãos e judeus neste ano coincidimos na data da comemoração.

Cada um com os seus fundamentos, histórias e principios.

Gostaria abrir o espaço do blog, para que possamos escrever o que de melhor aconteceu nesta Páscoa.

Resgato no meu caso, a comemoração familiar e a comemoração junto aos amigos.

Destaco também a recuperação de uma amiga da família que estava muito doente.

Podem parecer simples fatos, mas são muito profundos e significativos para a vida de qualquer mortal.

Cada vez existe menos tempo para família e amigos, a força da festividade permite que encontremos esse tempo escaso durante o resto do ano.

Sobre o outro ponto, as vezes quando temos saúde esquecemos que podemos perder a mesma. Milhares de pessoas baixam ao hospital diariamente, a palavra baixar o diz tudo.

Baixamos na nossa condição de normalidade, descemos, estamos mais pertos da terra.

No Judaísmo quando a pessoa morre, conforme o Gênesis, volta para a Terra, baixa, sai da dimensão humana.

Por isso quando alguém se recupera de uma doença se reergue, se levanta, se supera, se afasta da Terra.

Que a Páscoa e o Pessach fortaleçam a nossa espiritualidade, saúde!

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Pessach: a Pascoa Judaica

07 de abril de 2009 0

O dia 15 de nissan, conforme o calendário hebraico (neste ano 8 de abril a noite) começam as comemorações do Pessach.

O motivo central da festividade passa pela lembrança da saída do Egito nos tempos da escravidão, há 3321 anos.

Os filhos de Israel guiados por Moshé – Moisés – encontraram a liberdade no deserto a caminho da terra de Canan.

Este relato é narrado na integra no livro de Êxodo e também se encontra na Hagadá, livro que compartilhamos a sua leitura durante os jantares da festividade.

Durante uma semana o judeu está proibido de ingerir alimentos com fermento – bolo, massa, pizza, cerveja, etc – em virtude dos alimentos não fermentados que comeram os antepassados no Egito.

O valor principal que destacamos na nossa comemoração é a LIBERDADE.

Somos um povo que de fato é uma comunidade de práticas, tendo a família como o núcleo da perpetuação das tradições.

A Pascoa Judaica – Pessach – é uma das festividades comemoradas por um 95% de povo, é coloca-se como uma das mais comemoradas do calendário judaico, junto ao Rosh Hashaná – Ano Novo – e Iom Kipur – Dia do Perdão -.

Devemos agradecer pela liberdade que hoje temos para comemorar, pela liberdade de professar a nossa fé e pela liberdade que temos no Brasil para seguir com as nossas tradições e costumes.

Desejamos a todos um Chag Kasher Ve Sameach! Feliz Festa!

Também desejamos aos nossos irmãos cristãos uma Feliz Páscoa!

Na próxima sexta-feira, estarei na TVCOM programa Falando Abertamente, onde abordarei a temática da Páscoa.

 

 

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

CARTA DE PRINCÍPIOS

05 de abril de 2009 1
Muitas vezes em nossa vida deixamos de lembrar princípios fundamentais que regem ou devem reger nossas vidas. O Grupo de Diálogo Inter-Religioso de Porto Alegre também tem princípios, tendo-os inclusive colocado em Carta. Certas posições e assertivas que dizemos ou atitudes que assumimos faz pensar que ou nós ou os outros esquecemos que vivemos em um mundo diferente do anterior: estamos em um mundo de responsabilidade. Responsabilidade, já disse alguém, é responder com habilidade aos desafios que se nos aparecem. As palavras muitas vezes são armas que atacam sem deixar rastros, mas que ferem e matam: também as palavras podem enaltecer e nos consolar. O Espiritismo tem dois princípios básicos: consolo e esclarecimento. Muitas vezes o consolo se encontra na atitude de estar junto, de sentir junto, de consentir. Mas o esclarecimento é importante, pois ele nos revela a verdade. Jesus já dizia: “Conhecereis a verdade e ela vos salvará”.
 
Por tal, consideramos de suma importância relembrar a Carta de Princípios do Grupo de Diálogo Inter-Religioso de Porto Alegre. É um documento precioso, aplicável à vida diária, e serve para todos indistintamente, sejam autoridades, sejam pessoas simples como nós.   
“Carta de Princípios do Grupo de Diálogo Inter-Religioso de Porto Alegre
- O Grupo de Diálogo Inter-religioso reafirma que o caminho para reverenciar a Deus é respeitar a vida amando o próximo, aceitando as crenças, as culturas, as etnias e a própria integridade do planeta.
- Acredita que a unidade é possível, respeitando-se a diversidade de cada religião, e que a paz é a vocação de todo o Universo. – Expressa o sentimento de dor e solidariedade pelas vítimas da violência e do ódio e de compaixão pelos causadores dessa violência e desse ódio, chamando-os ao arrependimento. Afirma igualmente ser necessário opor-se ao mal e à injustiça. – Considera que as grandes mudanças devem vir do interior de cada pessoa a partir de sua sintonia com a Verdade Última. – Busca atuar, para que seja construída na Terra uma cultura de paz, tolerância, fraternidade e convívio harmonioso entre os povos de diferentes costumes, e tradições religiosas. – Defende que o direito de auto-constituição dos povos em estados livres e soberanos deve ser respeitado. – Confia na humanidade, na capacidade de comunhão e de serviço existente em cada ser humano. – Entende que o ser humano e o meio-ambiente natural estão inter-relacionados e são mutuamente interdependentes. – Afirma o dever humano de proteger o meio-ambiente natural e ajudar na manutenção do equilíbrio ecológico. E que a poluição de locais públicos, a poluição do ar, da água, as devastações ambientais são um crime. Portanto afirma ser necessário assegurar o uso responsável dos recursos da natureza, reconhecendo a dignidade de todo o universo.- Acredita que um mundo sem violências, guerras, devastações, poluição e desrespeito é possível através da conscientização das gerações atuais e futuras. E que ela se dará mais por ações do que apenas por palavras. – Compromete-se em manter vivo o movimento inter-religioso através da unidade de testemunho, entendendo-se instrumento da paz de Deus no Brasil e no mundo e sendo também um promotor da Verdade Ultima.- Busca sempre reavivar a visão da unidade para que todos possam vivê-la no tempo presente. – Conclama a todos à oração pela paz, à renovação interior e à busca do espírito de reconciliação e de harmonia, diante das rupturas no mundo atual, onde existem muitas nações quebrantadas, religiões e famílias divididas.”
Tendo-se presente os ensinamentos registrados nesta Carta de Princípios, na última reunião do Grupo manifestamos uma total rejeição a todo e qualquer ato ou palavra discriminatória a respeito de povos e religiões, ou tentativa de desconhecimento de fatos históricos, o que não enaltece a condição humana de ninguém. Outrossim, expressamos a alegria de ver o registro posterior de existência de diálogo esclarecedor com busca de entendimento entre representantes de credos.
Que Deus ilumine a caminhada de todos nós na busca da verdade e da realização do Bem e da Lei de Amor, que é a Lei de Deus.

 

Postado por CristinaCanovasdeMoura