Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de julho 2009

SER PADRE? VALE A PENA?

31 de julho de 2009 1

       

      Acontece-me, às vezes, de perceber nos pais uma espécie de medo, e apreensão diante da suspeita que um filho possa orientar-se ao Ministério Sacerdotal.

       Mesmo os pais de seminaristas me fazem intuir a sua inquietude, como se perguntassem: “Mas que vida espera meu filho, se se tornar padre? Será feliz? Estará só?

       Gostaria de respopnder que a vida do padre, a de hoje e de amanhã, como a de ontem, é uma vida cristã: por isso quem quiser ser um bom padre carregará a sua cruz a cada dia, como fazem vocês, pais, numa dedicação que não será sempre gratificada pelo reconhecimento e por resultados, num exercício de responsabilidade que encontrará também a crítica e a incompreensão, num acúmulo de compromissos e de exigêncas que será , às vezes, desgastante.

        No entanto, parece-me, não se considerar o bastante aquilo que torna bela a vida de um padre, bela e feliz de um modo único.

        O padre, de fato, vive sobretudo de relações: dedica o seu tempo às pessoas. Não cuida de coisas, de papeis, de dinheiro, a não ser secundariamente. Passa o seu tempo a encontrar gente: os idodos, crianças, jovens e dultos, os doentes e os sadios, aqueles que lhe querem bem e o ajudam, e aqueles que o criticam, zombam dele e até fazem cobranças. É uma existência humana extraordinária. Ele encontra as pessaos não para lhes vender alguma coisa, nem para obter alguma vantagem; não por curiosidade, nem como quem encontra um cliente, mas ele encontra as pessoas para cuidar delas, de sua vocação à alegria, do seu ser filhos de Deus.  Ao padre as pessoas frequentemente abrem seu coração com uma confiança sem paralelo nas relações humanas, e nesta confiança é semeada a Palavra que diz a verdade, que abre a esperança eterna, que cura com o perdão.

         O padre vive uma liberdade extraordinária: entregou-se a si mesmo  à Igreja e por isso, se é coerente com sua vocação, não tem apreensões pelo seu futuro, não se apega às coisas, não vive na obsessão de enriquecer. Entregou-se a si mesmo na obediência a Deus, e justamente no exercitar esta obediência vive uma  grande liberdade, dispõe de seu tempo para servir, dispõe das suas qualidades pessoais para ajudar a comunidade.

          O padre celebra por si e pelas pessoas os mistérios da salvação: a obra de suas mãos não são produtos precários, fortunas expostas à incerta sorte das coisas humanas. Celebrando os Santos Mistérios oferece às pessoas a graça de entrar na vida eterna, a comunhão com Jesus. Mesmo que prestem pouca atenção à sua palavra, ainda que seja reduzido o número daqueles que procuram o Dom oferecido, o padre vive a certeza que o Reino de Deus vem exatamente assim, como a semente que morre para produzir muitos frutos. O padre, no fim de sua vida, olhando para trás, poderá sentir arrependimento por suas misérias e entristecer-se pela sua inadequação à missão recebida, mas não lhe faltará a incomparável consolação de ter oferecido aos homens o Pão da Vida eterna  e os abraços do perdão de Deus.

          Parece-me oportuno recordar aquilo que torna  grande a vida do padre, para que a ênfase sobre as fadigas, o sublinhar das dificuldades, não obscureça esta forma esplêndida de vida cristã.

          Para nós, católicos,o  mês de agosto é o mês em que meditamos as diversas vocacões cristãs, para que possamos,  de fato, vivê-las na fidelidade e  na certeza de que o chamado de Deus exige uma resposta séria e consequente.

      

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Postado por Porto Alegre – Pe. João Tadeu.

Hoje é Tishá ve Av

29 de julho de 2009 0

9 de Av

© Jane Bichmacher de Glasman

Dias de Jejum e Luto

Quatro vezes por ano se requer dos judeus que jejuem desde o amanhecer até que apareçam as primeiras estrelas: Assará BeTevet, Taanit Ester, Shivá Assar beTamuz e Tsom Guedaliá. Chama-se a estes dias de Taanit Tsibur (jejum público). A diferença destes dos jejuns de Tishá beAv, é que os últimos duram desde o entardecer até o entardecer seguinte. Se qualquer um dos jejuns cai no Shabat é adiado até o dia seguinte, excetuando-se Iom Kipur, que não se adia, e Taanit Ester, que se adianta para quinta-feira (se adiado cairia em Purim e luto e alegrias não devem entremear-se).

O cumprimento dos jejuns pelo povo de Israel serve a 3 propósitos: teshuvá (arrependimento), bakashá (pedido especial ou súplica privada ou pública) e avelut (luto privado ou público).

9 de av  (tishá be-av)

É a data mais sombria do calendário judaico. Nela se registram vários fatos trágicos como: o decreto pelo qual os israelitas deveriam vagar pelo deserto por um período de 40 anos; a destruição do Primeiro e do Segundo Templos; a queda da fortaleza de Betar; a queda de Bar Kohbá e o massacre de sua gente; o sítio de Jerusalém por Adriano; a assinatura do édito de expulsão dos judeus da Inglaterra em 1290 e a assinatura do decreto de expulsão dos judeus da Espanha em 1492.

Neste dia jejuamos não somente para recordar os tristes fatos do passado como também para testemunhar a unidade do povo judeu no presente, sua vontade de existência e fé em seu destino.

Em Tishá beAv lemos a Meguilat Eihá (Lamentações), escrita pelo profeta Jeremias que presenciou a destruição do Primeiro Templo, de noite, à luz de uma lúgubre vela, e na manhã seguinte. A congregação se senta no solo ou em bancos baixos e não se usam nem os tefilim nem o talit. Depois da leitura de Eihá, se cantam as Kinot (súplicas). Estas são poemas de lamentos e elegias escritas por poetas de várias épocas que foram testemunhas de desastres para o povo judeu. As kinot variam de comunidade em comunidade, porém geralmente terminam com shirei Tsion (Sionidas), poemas dedicados ao Monte Sagrado do Templo – Monte Sião. Uma das mais famosas, não por acaso, é o poema Tsion halo tishali” de Iehudá haLevi.

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Gripe A

28 de julho de 2009 0

Prezados leitores

Escrevo desde Buenos Aire, onde estou estudando, no Semirário Rabínico.

Gostaria comentar que aqui a vida voltou ao normal, as pessoas voltaram para as ruas.

Locais públicos como teatros e shoppings voltaram a  estar lotados.

Praticamente ninguem vai de máscara pelas ruas.

Em todos os locais públicos existe alcool a disposiçao do público para lavar as maos.

Caiu drásticamente a quantidade de turistas que visita Buenos Aires nesta êpoca do ano, especialmente periodo de férias.

Nao podemos negar que existem casos de Gripe A, nao podemos negar que existem mortos por causa desta gripe, mas existe uma sensaçao de que o pior já passou.

Foi muito triste desde fora do Brasil acompanhar o acidente de Felipe Massa.

Desde aqui rezo junto a milhoes de brasileiros pela recuperaçao do nosso caro piloto.

Abraços a todos!

Prof. Guershon Kwasniewski

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

O conceito de Guilgul

22 de julho de 2009 3

Pergunta o leitor Luís Abrianos:

Gostaria de saber, se possível, qual o verdadeiro significado da palavra “GUILGUL” como ela é e quando é aplicada?

Prezado Luís

O conceito da transmigraçao das almas – guilgul neshamot ou guilgul nefashot – é a doutrina que afirma que a alma reaparece depois da morte em outro corpo, seja humano ou animal.

Este conceito foi condenado pela maioria das autoridades rabinicas como uma superstiçao paga.

Mas, alunos do Rabino Isaac Luria, o cabalista da cidade de Safed no século XVI, aceitaram este conceito como legítimo da crença judaica.

O conceito Guilgul Mechilot, faz referença a uma crença que diz que quando o Messias chegar, os corpos dos judeus diasporicos que mereçam, chegarao até a Terra Santa por passagens subterraneos feitos por D-s, e serao ressuscitados.

Estimado Sr. Luís espero ter respondido a sua inquietude.

Atte.

Prof. Guershon Kwasniewski

 

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Homenagem as vítimas do acidente da TAM

17 de julho de 2009 0

Hoje, às 19 horas, a sinagoga SIBRA fará uma homenagem as vítimas do acidente aéreo do vôo TAM JJ3054.

Há dois anos da tragédia que enlutou o Brasil, nos unimos em prece para lembrar as benditas memórias dos que partiram.

Que D-s conforte o coração dos enlutados.

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Ataques a várias igrejas em Bagdá deixam 4 mortos

12 de julho de 2009 2

Quatro pessoas morreram e 32 ficaram feridas numa série de atentados contra várias igrejas neste domingo em Bagdá. Os quatro mortos são cristãos que se encontravam na proximidade da Igreja de Nossa Senhora, na região leste da capital.

A explosão do templo também deixou 21 feridos. Outras 11 pessoas também ficaram feridas em explosões contra várias igrejas de Bagdá.

Há menos de duas semanas o exército americano se retirou das cidades do país, mas a violência continua fazendo vítimas.

Segundo os dirigentes cristãos locais, dos 800.000 cristãos que viviam no Iraque antes da invasão americana em 2003, 250 mil abandonaram o país por temer a violência dos extremistas muçulmanos.

Fonte France Presse

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Muito dinheiro, pouca educação

11 de julho de 2009 0

Hoje pela tarde fiquei indignado com um cidadão que transitava com a sua Mercedes Benz preta placa MCX 0320.

Da janela do seu carro não parava nunca de jogar para a rua casca de bergamota.

Começei a buzinar para chamar a atenção e nada, continuou.

Muitas vezes a sociedade julga as pessoas pelas suas posses. Mais dinheiro = mais educação.

Cuidado com os preconceitos!

Este cidadão sem educação fez da rua a sua lixeira.

A cidade é de todos, tentemos preservar o que é nosso.

Conforme a carta de principios do Grupo de Diálogo Inter-religioso, preservar o meio ambiente é uma obrigação de todos.

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Qual é a melhor religião do mundo?

11 de julho de 2009 1

A resposta do Dalai Lama é perfeita. Pena que milhões de adeptos de várias religiões não pensem assim e continuem se matando.

 

Leonardo Boff explica: 

`No intervalo de uma mesa-redonda

sobre religião e paz entre os povos,

na qual ambos participávamos,

eu, maliciosamente, mas também

com interesse teológico,

lhe perguntei em meu inglês capenga:

 - `Santidade, qual é a melhor religião?`

Esperava que ele dissesse:

`É o budismo tibetano` ou `São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo.`

O Dalai Lama fez uma pequena pausa,

deu um sorriso, me olhou bem nos olhos

- o que me desconcertou um pouco,

 por que eu sabia da malícia

contida na pergunta –

e afirmou: 

`A melhor religião é a que mais

te aproxima de Deus.

É aquela que te faz melhor.`

Para sair da perplexidade

diante de tão sábia resposta,

voltei a perguntar:

 - `O que me faz melhor?`

Respondeu ele:

- `Aquilo que te faz mais compassivo

(e aí senti a ressonância tibetana, budista,

taoísta de sua resposta),

aquilo que te faz mais sensível,

mais desapegado,

mais amoroso,

mais humanitário,

mais responsável

A religião que conseguir fazer isso de ti

é a melhor religião…`

Calei, maravilhado,

e até os dias de hoje

estou ruminando sua resposta

sábia e irrefutável

Postado por Pastor Carlos Dreher

Arte une Cristianismo e Judaísmo em igreja alemã.

10 de julho de 2009 0

Memórias da viagem
 
 
Na cidade de Mainz, berço do Judaísmo na Alemanha, visitei a igreja de St. Stephan.
Esta igreja gótica foi terminada de construir no ano 1335 e destruida na Segunda Guerra Mundial.
A sua reconstrução foi realizada após da guerra, alcançando no ano 1962 a sua forma atual.
 
A cada ano aproximadamente 200.000 turistas visitam a igreja.
 
No ano 1973 o artista judeu Marc Chagall foi convidado pelo Monsenhor Klaus Mayer para construir os vitrais.
 
No ano 1978, com 91 anos de idade Chagall entregou o primeiro vitral, completando a sua obra com 97 anos, um pouco antes da sua morte.
 
 
Chagall se tornou cidadão honorário de Mainz.
Seus vitrais com imagens da Torá, são uma verdadeira maravilha a ser admirada.
Eu particularmente fiquei encantado com a figura do anjo e a menorá.
 
A St. Stephan é a unica igreja na Alemanha com vitrais de Marc Chagall.
 

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Anistia Internacional - AÇÃO URGENTE

06 de julho de 2009 0


   

AÇÃO URGENTE

SETE LÍDERES BAHÁ`ÍS SOB RISCO DE EXECUÇÃO

Os sete membros da minoria religiosa Bahá`í do Irã serão julgados em 11 de julho. Se forem condenados, poderão enfrentar a pena de morte.

As famílias dos detidos foram informadas em maio que eles agora enfrentam a acusação adicional de mofsed fil arz (disseminar a corrupção na terra), que pode levar à pena de morte, e que a nova data para seu julgamento foi definida. Eles deverão ser conduzidos a julgamento em 11 de julho perante a Vara n° 28 da Corte Revolucionária em Teerã, onde provavelmente serão acusados de mofsed fil arz, assim como de “espionagem para Israel”, “insulto às santidades religiosas” e “propaganda contra o sistema”. Seus advogados nunca puderam ter acesso aos prisioneiros desde a prisão, apesar de terem sido permitidas visitas familiares.

Os sete são membros de um grupo responsável pelos assuntos religiosos e administrativos da comunidade bahá`í no Irã. Estão presos na Seção 209 da Prisão de Evin, que é administrada pelo Ministério da Inteligência. Seis dos líderes do grupo – Fariba Kamalabadi Taefi, Jamaloddin Khanjani, Afif Naemi, Saied Rezaie, Behrouz Tavakkoli e Vahid Tizfahm – foram presos logo após buscas em suas casas realizadas por oficiais do Ministério da Inteligência em 14 de maio de 2008. Uma sétima pessoa, que servia como secretária do grupo, Mahvash Sabet, fora aprisionada em 5 de março de 2008. Fariba Kamalabadi, Behrouz Tavakkoli e Jamaloddin Khanjani haviam sido presos anteriormente por causa de suas atividades em prol da comunidade bahá`í. A Fé Bahá`í não é reconhecida pela Constituição iraniana.

FAVOR  Enviar via email para chefe do judiciário do Irã , Ayatullah  Shahroudi,

shahroudi@dadgostary-tehran.ir  

Modelo da Carta:

Your excellency,

Ayatullah  Shahroudi,

We hereby undersign our deepest concern regarding the lack of human rights’ observance in the treatment of the seven Bahá’í leaders, formerly known as the Yaran, who have been made prisoners in Evin for over one year by the Islamic Republic of Iran. Their names are Fariba Kamalabadi Taefi, Jamaloddin Khanjani, Afif Naemi, Saied Rezaie, Behrouz Tavakkoli, Vahid Tizfahm and Mahvash Sabet. The accusations being held against the seven Bahá’ís, in addition to compliance disregard to a fair due process are unacceptable to international standards. According to information received, the trial of the seven Bahá’í prisoners will occur on July 11th, 2009, under the jurisdiction of Branch 28 of Iran’s Revolutionary Court. The following actions have been identified as severe violations of human rights laws, disregard to international norms governing due process, and also demonstrate the ill intentions of the Iranian Government regarding this matter: 1) The Bahá’í prisoners have been detained for a period that extends one year without a clear charge, and in our understanding are considered to be prisoners of conscience. 2) The charges have changed over the period of their imprisonment without adequate proof of each charge or justification for their subsequent alterations, leading us to believe that the charges are random and addressed according to political and judiciary interests, and hence we demand that these charges be dropped. 3) We express our grave concern regarding the fact that, if convicted of the charges that they are said to be facing the seven could be sentenced to death. 4) The Bahá’ís have been held in prison while waiting for trial. Also, no proper visitations from family members have been granted. They have also been denied the right for legal counseling until the recent scheduling of the trial. We demand that this situation be regularized, allowing them to receive family visits and to be seen by their lawyers and to receive any medical assistance they might require. 5) It was only one month prior to the scheduled trial, that the Defenders for Human Rights lawyers were officially authorized to offer legal counsel to the prisoners. Having finally had access to the Bahá’í prisoners’ case files, the lawyers raised concern over the unusually extensive content of the files. Due to the limited time allocated, proper preparation for legal counseling and representation have been jeopardized. 6) We call on the Iranian state to ensure that the seven are protected from torture and other ill-treatment. The Bahá’ís are known internationally as prominent contributors in processes related to the improvement of the human condition and the advancement of the world’s civilization. The endeavors of the Bahá’ís range from local to worldwide activities responsible for positive social transformation. It is common sense for the international community that the human rights violations against the former Yaran are an attempt to exterminate this minority through internationally condemned methods. For the reason exposed, we demand that the seven bahá’í prisoners be immediately released and allowed to await for their trial in freedom, as specified by the Iranian law. We undersigned sincerely hope that your urgent attention is paid to this matter.

Assine Nome:

Postado por payam Neda

Religiões do Mundo

06 de julho de 2009 1
 
Apresentação
   
  O programa “Religiões do Mundo” é uma oportunidade para aprofundar o debate sobre o papel das religiões e do diálogo inter-religioso na sociedade contemporânea, a partir do Projeto de Ética Mundial, de autoria do teólogo suíço Hans Küng, que se apóia em quatro convicções básicas: não há paz entre as nações sem paz entre as religiões; não há paz entre as religiões sem diálogo entre as religiões; não há diálogo entre as religiões sem padrões éticos globais; não há chance de sobrevivência para nosso planeta sem uma ética global, uma ética mundial, apoiada por pessoas religiosas e não-religiosas.

A programação inclui a exibição de uma série de sete documentários organizada e apresentada por Küng. Intitulada “Religiões do Mundo”, a obra foi gravada nas grandes capitais religiosas do mundo, em locais que Küng buscou seguir as trilhas das religiões ao longo suas histórias e culturas. O projeto contempla as três maiores correntes religiosas presentes no planeta: as religiões da sabedoria de origem chinesa (Confucionismo e Taoísmo), as religiões da mística de origem indiana (Hinduísmo e Budismo) e as religiões da profecia de origem no Oriente Médio (Judaísmo, Cristianismo e Islamismo). A partir dos vídeos, foi desenvolvida uma exposição de 15 banners sobre a temática, de forma sintética e didática, com conteúdos de outras duas tradições religiosas: as religiões indígenas e as religiões de matriz africana.

   
Realização
   
  Início: 10 de agosto de 2009
Término: 08 de outubro de 2009
Duração: 14h (Exibições comentadas)
Local: Instituto Humanitas Unisinos – IHU, TV Unisinos e Casa de Cultura Mário Quintana – Porto Alegre
   
Objetivo
   
  Geral

Promover a reflexão e o debate sobre a contribuição das grandes tradições religiosas do mundo (religiões da sabedoria de origem chinesa, religiões da mística de origem indiana e religiões da profecia de origem no Oriente Médio) para a construção da paz, de formas de vida mais humanas e de uma ética básica comum na sociedade e na cultura contemporâneas.

Específicos

• Oferecer indicações para a reflexão sobre as grandes tradições religiosas mundiais;
• Analisar os elementos éticos presentes nessas tradições e sua relação com o diálogo inter-religioso;
• Refletir sobre o significado da religião para a sociedade contemporânea;
• Debater sobre as possibilidades e os limites de elementos éticos comuns entre as grandes tradições religiosas e a importância destes para o mundo contemporâneo.

   
Público-alvo
   
  Comunidade acadêmica e público em geral.
   
Programação*
 
TV Unisinos
Exibição na TV Unisinos – Canal 32 da NET ou 30 em UHF
• 10 de agosto a 21 de setembro, sempre às segundas-feiras, às 18h
Exibições comentadas
No Instituto Humanitas Unisinos – IHU (sextas-feiras, das 16h às 18h)
Agosto: 07, 14, 21 e 28
Setembro: 04, 18 e 25

Na Casa de Cultura Mário Quintana (quintas-feiras, das 19h às 21h)
Agosto: 20 e 27
Setembro: 03, 17 e 24
Outubro: 1º e 08

Islamismo
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 14 de agosto;
Casa de Cultura Mário Quintana: 20 de agosto;
Debatedor: Ahmad Ali (Sociedade Islâmica e do Centro Cultural Islâmico do RS).
Judaísmo
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 07 de agosto;
Casa de Cultura Mário Quintana: 27 de agosto;
Debatedor: Prof. Guershon Kwasniewski (Sociedade Israelita Brasileira de Cultura e Beneficência).
Cristianismo
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 21 de agosto;
Casa de Cultura Mário Quintana: 03 de setembro;
Debatedores: Rev. Jessé Castro Ramos (Igreja Episcopal Anglicana do Brasil);
Pr. Joe Marçal Gonçalves dos Santos (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB).
Hinduísmo
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 28 de agosto;
Casa de Cultura Mário Quintana: 17 de setembro;
Debatedor: Swami Krishnapriyananda Saraswati (Presidente latino-americano da Sociedade Internacional Gita).
Religiões Chinesas
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 04 de setembro
Casa de Cultura Mário Quintana: 24 de setembro
Debatedor: Mestre Adriano Jagmin D’Ávila (Centro Cultural Tao).
Religiões Tribais
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 18 de setembro;
Casa de Cultura Mário Quintana: 1º de outubro;
Debatedores: Babalorixá Dejair Haubert (Sociedade Beneficente Ilê dos Orixás);
Ialorixá Dolores Dorneles Senhorinha (Associação Africanista Santo Antônio de Categeró).
Budismo
Instituto Humanitas Unisinos – IHU: 25 de setembro;
Casa de Cultura Mário Quintana: 08 de outubro;
Debatedores: Monja Kokai(Zen-Budismo);
Ricardo Strauch Aveline (Instituto Caminho do Meio)
Henrique Lemes da Silva (Instituto Caminho do Meio)
Exposição de banners
a EXPOSIÇÃO dos banners será conjunta às exibições-debate;
 
 
*Sujeito a alterações
 
Investimento
   
  Evento gratuito.
   
Coordenação
   
  MS Ana María Formoso – Unisinos
Profa. Dra. Cleusa Maria Andreatta – Unisinos
Prof. Dr. Inácio Neutzling – Unisinos
Maria Cristina Giani – Unisinos
Moisés Sbardelotto – Unisinos
Esp. Susana Rocca – Unisinos
   
Promoção
   
  Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos
Instituto Humanitas Unisinos – IHU
Escritório da Fundação Ética Mundial no Brasil
   
Informações
   
  Linha Direta Unisinos: +55 (51) 3591 1122
Email: humanitas@unisinos.br
www.unisinos.br/eventos
www.unisinos.br/ihu
   

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski

Os milagres também acontecem em nossos dias

05 de julho de 2009 2

Prezados leitores

O milagre chama-se Bahia Bakari, uma menina de 14 anos franco-camoronse, única sobrevivente do acidente aéreo que envolveu um avião do Yemen.

Milagre é um fenômeno que trascende o natural, dificil de explicar, dificil de entender, mas é verdadeiro e acontece.

Porque esta menina ficou com vida, quando mais de 150 pessoas que estavam no mesmo avião morreram?

Este fato me leva a refletir, acorda em mim uma Fe maior.

Situações como estas mexem com todos, e em especial com aqueles que atravessam por uma situação de crise espiritual.

Muitas vezes como homens modernos achamos que os milagres fazem parte da Biblia, de outros tempos, mas está em nós perceber e apreciar os milagres que acontecem em nossos dias.

Bahia Bakari, que perdeu a sua mãe no acidente, voltou para França onde mora com o seu pai.

Milagre!

 

Postado por Prof. Guershon Kwasniewski