Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de janeiro 2011

Brasil lembra vítimas do Holocausto

28 de janeiro de 2011 0

A presidente da República, Dilma Rousseff (PT), cumpriu nesta quinta-feira sua primeira agenda oficial no Rio Grande do Sul após a posse como presidente na cerimônia que marca o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Realizada no Palácio do Ministério Público (MP) do Estado, no Centro de Porto Alegre, a homenagem teve a presença de outras autoridades, como o governador gaúcho, Tarso Genro, as ministras da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, e da Comunicação, Helena Chagas, os ministros da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florense, do governador da Bahia, Jacques Wagner (PT) e do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).

Durante seu discurso, que encerrou a solenidade, a presidente lembrou que durante séculos o povo judeu manteve sua integridade através de seus intelectuais, seus livros, sua, culinária, religião e vida familiar, até conquistar sua pátria física. “Direito que não pode ser negado a nenhum povo”, emendou. E assinalou que seu governo não vai compactuar com nenhuma forma de violação de direitos humanos “em qualquer país, aí incluído o nosso.”

Dilma enfatizou que seu governo “será um incansável defensor da igualdade e dos direitos humanos.” “Temos clareza de que a nação brasileira é integrada por valores que respeitam dois princípios: a paz e a conciliação. Nós não somos um povo que odeia, nós não somos um povo que respeita o ódio, por isso o Brasil tem uma posição histórica que muito nos orgulha.”

A presidente falou ainda sobre as técnicas de tortura desenvolvidas no período nazista, na Europa, que inauguraram métodos aplicados em outros tempos, inclusive em ditaduras. “O nazismo aliou o uso da força, o emprego da dor e, ao mesmo tempo, a desumanização daquele que era objeto de extermínio. Inaugurou a tortura científica”, declarou ela. Segundo Dilma, é “nosso dever” lembrar que o holocausto é crime contra os direitos humanos e contra a humanidade e, ao lembrá-lo, lembrar também “de todas as vítimas de todas guerras injustas.” Dilma disse ainda que o mundo ignorou, à época, os sinais do avanço da barbárie antes da ascensão do nazismo.

Na solenidade, a presidente foi recebida por sobreviventes do Holocausto, como Max Schanzer e Sara Perelmuter, ambos prisioneiros do regime nazista entre 1941 e 1945. Ao final do discurso, a presidente foi aplaudida de pé pela plateia.


A Sra. Ministra da Secretaria  dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, falou na solenidade com o Prof. Guershon Kwasniewski.

Este lhe manifestou o interesse do Grupo de Diálogo Inter-religioso de apoiar iniciativas de direitos humanos no Rio Grande do Sul e no Brasil.

A Ministra e o Prof. ficaram em trocar experiências futuramente.


O Sr. Prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti e sua esposa conversaram com o Prof. Guershon sobre a importancia que tem o Diálogo Inter-religioso em nossa cidade.


Embaixador de Israel no Brasil, Sr. Giora Becher foi cumprimentado pelo Prof. Guershon, quem lhe manifestou a sua satisfação pela presença na solenidade.

O Dr. Cláudio Lottemberg fez um brilhante discurso apresentando a posição da comunidade judaica do Brasil sobre temas como intelerância religiosa, política e negação do Holocausto.

Ex-Chanceler Celso Lafer, Jack Terpins – Pres. Congresso Judaico Latino-Americano -, Rabino Michel Schlesinger – CIP, Sr. Gilberto Kassab Prefeito de São Paulo, Vice-Pres. da Federação Israelita de SP Ricardo Berkiensztat,   Sr. Max Shanzer – Sobrevivente do Holocausto, 83 anos mora em Porto Alegre.

Confira a íntegra do discurso da Sra. Presidenta da República, Dilma Roussef

http://www.youtube.com/watch?v=n3CMp8GPIFk&feature=player_embedded

Assista video apresentado na solenidade

http://www.youtube.com/watch?v=brSQXmR-rXU





Negar o Holocausto é Anti-Semitismo

27 de janeiro de 2011 0

http://www.youtube.com/watch?v=YHsgv5o5a5c


27 de janeiro Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Dilma Rousseff participa de ato em memória aos mortos no Holocausto

Presidente será a principal convidada em cerimônia judáica que acontece na Capital

Paulo Germano | paulo.germano@zerohora.com.br

Max Schanzer, 83 anos, viu seus pais pela última vez quando tinha 11 — o menino foi arremessado ao trabalho escravo num frio de 20 graus negativos, enquanto seus familiares rumaram para a morte numa câmara de gás.

Não há certeza sobre como os eles realmente morreram: podem muito bem ter sucumbido naqueles vagões de gado, onde os judeus eram amontoados às centenas a caminho da câmara letal em Auschwitz. 

Quando acender uma vela hoje à noite, ao lado da presidente Dilma Rousseff, Max Schanzer lembrará dos pais — e de outros 6 milhões de judeus mortos no maior genocídio da história da humanidade.

ZERO HORA


Max Schanzer, de 83 anos, participará da cerimônia com a presidente - Jefferson Botega / ZH

Max Schanzer, de 83 anos, participará da cerimônia com a presidente
Foto:Jefferson Botega / ZH

Missa lembra vítimas do Holocausto

26 de janeiro de 2011 0

Durante a missa da Paróquia Sto. Antônia do Pão dos Pobres de ontem, o Padre Picolli e o Prof. Guershon Kwasniewski – Lider Religioso da SIBRA (Sociedade Israelita Brasileira) -, lembraram das vítimas do Holocausto, na semana na qual a ONU declarou o dia 27 de janeiro como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Este tipo de iniciativas que acontecem em Porto Alegre consolidam o respeito entre as religiões.

Um respeito que não existe em todas partes do mundo. Um respeito que não existiu durante a Segunda Guerra Mundial.

Teve sim Padres e Pastores que arriscaram as suas vidas para proteger judeus, mas foram muito poucos. A eles o nosso reconhecimento e gratitude.

Os inimigos de Israel não conseguiram o seu objetivo.

Hoje lutamos por um mundo melhor, onde desejamos que ninguém seja perseguido ou exterminado por pertencer a um determinado povo, por professar uma religião ou pela sua ideologia política.

Gostaria agradecer os membros da Paróquia Sto. Antônio pela cálida acolhida, assim como meu reconhecimento a Ana Tartarotti pela iniciativa.

Imagens que chocam

25 de janeiro de 2011 1
Publiquei hoje em Zero Hora uma nota sobre as reclamações feitas pro moradores da Zona Sul, domingo, em encontro com a prefeita em exercício, Sofia Cavedon, sobre uma série de serviços públicos deficientes. Uma das reclamações dizia respeito aos restos de animais sacrificados em rituais religiosos. Outra, ao acúmulo de lixo nas ruas do bairro Ipanema.

Recebi da Andréa Nocchi fotos que comprovam o que os moradores relataram a Sofia Cavedon. È assustador que um bairro bonito como Ipanema esteja nesse estado, como vocês podem comprovar pelas fotos.
De outra parte, recebi do Conselho Estadual da Umbanda e dos Cultos Afrobrasileiros uma carta lamentando a atitude de epssoas que sacrificam animais em rituais e jogam os restos nas ruas.


“Lamentável, em todos os aspectos, os fatos que deram origem à matéria da Página 10 de 16jan.
Fatos como este deturpam ainda mais a visão daqueles que ainda não nos conhecem, aumentando o preconceito, que é fruto da ignorância.
O CEUCAB/RS, o Conselho Estadual da Umbanda e dos Cultos Afro-brasileiros do Rio Grande do Sul, de há muito orienta seus filiados a não procederem desta forma.
Percebe-se que somente pessoas mal orientadas procedem assim.
Há que se perdoá-las e orientá-las.
Há maneiras de se oferendar na Natureza sem essa exposição pública, que é desnecessária e desrespeitosa para com as demais pessoas.
Após a sacralização, o que não é consumido pelos seres humanos pode ser ‘plantado’ em terra, voltando aos ciclos da Natureza.
A citada faca, provavelmente de Sacerdote ou Sacerdotisa falecido(a), também poderia ter sido ‘plantada’.
Este é um preceito respeitado e seguido pela maioria dos praticantes de Religiões de Matriz Africana, de várias e diferenciadas origens.
Para os filiados ao CEUCAB/RS, “A  NATUREZA  É  O  NOSSO  ALTAR!”.
Qualquer dúvida, queiram, por gentileza, contatar-me.
Atenciosamente,
Clovis Alberto
CONSELHO ESTADUAL DA UMBANDA E DOS CULTOS AFRO-BRASILEIROS DO RIO GRANDE DO SUL
Fonte Rosane  Oliveira, ZH.

Missa em lembrança do Holocausto

25 de janeiro de 2011 0

Hoje 25 de janeiro,  às 18:30 horas acontecerá uma missa na Paróquia Santo Antonio Pão dos Pobres- Rua da República, 838 -bairro Cidade Baixa.

O Pároco  Pe. João Piccoli guiará o serviço religioso que contará com a participação do Líder Religioso da SIBRA, Prof. Guershon Kwasniewski.

Católicos e judeus, juntos e unidos para lembrar o Holocausto, uma das piores tragédias da humanidade, na semana na qual a ONU, declarou o dia 27 de janeiro como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. 

Imagem de Navegantes é levada para igreja do Rosário, no centro de Porto Alegre

24 de janeiro de 2011 0

Santa ficará no local até o dia 2 de fevereiro, quando ocorrerá a grande procissão na 136ª Festa de navegantes

Por volta das 18h deste domingo, a imagem de de Navegantes deixou o santuário de Nossa Senhora dos Navegantes e foi levada para o igreja do Rosário, no Centro de Porto Alegre, dando início à 136ª Festa dos Navegantes.

O itinerário pelas avenidas Sertório, Pres. Roosevelt, Visconde do Rio Branco,  Farrapos, Voluntários da Pátria e Vigário José Inácio foi acompanhado por dezenas de romeiros e fiéis, muitos já aproveitando a ocasião para fazer ou pagar promessas.

A santa ficará no santuário Nossa Senhora do Rosário até 2 de fevereiro, dia da grande procissão na qual retornará para Navegantes.


Fonte
ZEROHORA.COM

Quem é judeu?

17 de janeiro de 2011 1

Shabat na praia

14 de janeiro de 2011 0

Hoje, às 19:30 horas a SIBRA realizará o serviço religioso de Kabalat Shabat ( recebimento do Shabat), na praia de Atlántida, na sede campestre do clube SABA.

Este serviço religioso faz parte do projeto O Shabat não sai de férias, e vem sendo feito nos últimos anos em parceria com a WIZO e o Conjunto Musical Lechaim.

Shabat Shalom!


Natal Luz nota 10!!!

13 de janeiro de 2011 0

Gostaria parabenizar a Prefeitura de Gramado pela organização do 25 Natal Luz.

Viajei para Canela para realizar uma cerimônia judaica, e aproveitei para visitar as cidades de Gramado e Canela –  as nossas pérolas da serra gaúcha -.

Sou judeu mas tenho uma visão liberal do mundo,  gosto de admirar tudo o que é bom e faz bem as pessoas.

Já subi a serra em várias oportunidades para ver e curtir as belezas de Gramado e Canela

Posso dizer que encontrei um dos Natal Luz mais profissionais das últimas edições.


Na hora do desfile até aventurei imaginar entre tantas imagens natalinas, as luzes de uma Chanukiá – candelabro de oito velas – também passando pela avenida.

Deixo como sugestão aos organizadores, poder incorporar outros símbolos religiosos que tenham a ver com a luz e que integrem ainda mais os participantes do evento.

Parabéns a todos  os que participaram, porque foi mesmo um clima de cidadania pura.

Crianças, adolescentes , adultos e pessoas de idade de Gramado todos se doando para os turistas.

O Natal Luz é um evento for export, de nivel internacional, vale a pena visitar.

No verão gaúcho, até neve não faltou no Natal Luz, para alegria de crianças e adultos.


Clicando acima das fotografias, você pode ampliar as mesmas

Texto e fotografias Prof. Guershon Kwasniewski

Líder Religioso da SIBRA

Arcebispo-Auxiliar de Niterói se reúne com o Dir-Poa

11 de janeiro de 2011 0

Dom Roberto Francisco Ferrería Paz é o bispo católico auxiliar da Arquidiocesse de Niterói, Rio de Janeiro.

Em sua passagem por Porto Alegre, o Grupo de Diálogo Inter-religioso reuniu-se com seu ex colega

Antes de ser transferido para Niterói,  o Padre Roberto Paz fazia parte do Grupo, do qual é um dos seus fundadores.

Os religiosos aproveitaram para colocar a sua conversa em dia e trocar experiências de trabalho.

Foi antecipado pelo Bispo Paz que no ano 2013 o Papa Bento XVI visitará o Brasil.

Temas como a situação atual no Rio e os problemas das drogas  foram abordados nas conversas.

O Grupo de Diálogo Inter-religioso aproveitou para colocar a sua agenda em dia e planejar futuras participações em eventos de Porto Alegre.


Na praia, pouco respeito pelo próximo

07 de janeiro de 2011 1

A praia é um local maravilhoso para observar se existe ou não o respeito pelo próximo ou  pelo meio ambiente.

No meu modo de ver, não existe nada mais bonito que contemplar o mar sentado tranquilo e plácidamente  numa cadeira de praia.

Ali chegam os carros, abrem o porta malas e começa o show da poluição sonora.

Cada um tem o seu direito de escutar música, mas quando os outros não estão a fim de tal barulho isso se transforma em desrespeito.

E não é só uma questão de carros com caixas de som, também em algumas residencias o som se prolifera além dos limites desejaveis.

Existe desrespeito porque não existe ninguém que faça cumprir a lei.

Existe desrespeito porque ninguém se manifesta, todos estão incomodados, mas todos ficam numa boa, aguardando que alguém tome a iniciativa.

Em algumas praias não existem lixeiras e onde sim existem parace ser que são esquecidas.

Sacolas de plástico, garrafas aparecem reiteradamente puxadas pelas ondas.

A praia, esse paraíso de descanso é um bom termômetro para medir o respeito que sentimos e manifestamos  pelo nosso próximo.



06 de janeiro de 2011 0

Caros Leitores,

recebi a mensagem abaixo de minha prof., monja Coen, e achei interessante de partilhar em nosso blog.

Gasshô,

Monja Shoden.

Reflexões sobre uma teologia budista para o bem comum

No próximo dia 8 de fevereiro de 2011, o Fórum Mundial de Teologia e Libertação irá celebrar, dentro do Fórum Social Mundial, em Dakar, no Senegal, uma oficina sobre “Religiões e Paz: A visão/teologia necessária para tornar possível uma Aliança de Civilizações e de Religiões para o bem comum da humanidade e a vida no planeta”. A organização da oficina é da Associação Ecumênica de Teólogos/as do Terceiro Mundo – ASETT/EATWOT.
Para facilitar a participação e o debate, a EATWOT disponibilizou as conferências resumidas de vários especialistas que serão apresentadas sobre a temática proposta na oficina do ano que vem.
O sítio do IHU, em suas Notícias do Dia, está disponibilizando as principais conferências a respeito da temática. Veja abaixo, em “Para ler mais”, a lista de textos já publicados.
No texto abaixo, David R. Loy, professor da Xavier University, a partir da perspectiva budista, afirma que “a globalização da humanidade permite que nossas diversas tradições se tornem cada vez mais conscientes das demais”. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
Eis o texto.

Reflexões sobre uma teologia budista para o bem comum
1. Vivemos em um tempo de uma grande e crescente crise: econômica, social e – o mais alarmante – ecológica. Esses desafios urgentes foram provocados pelo ser humano e requerem a melhor resposta possível das tradições religiosas. As religiões não deveriam se relacionar entre si como concorrentes, porque estão comprometidas em uma tarefa comum. A globalização da humanidade permite que nossas diversas tradições se tornem cada vez mais conscientes das demais, que aprendam e cooperem entre si. Também devemos aprender com o melhor que a ciência tem a oferecer – por exemplo, a evolução biológica –, sem cair em um materialismo reducionista.
2. “Deus” é uma forma de tentar dizer algo muito importante, que definitivamente não pode ser expresso pela linguagem. Brahman, Nirvana e o Tao são algumas outras formas para tentar descrever ou apontar para essa ultimidade. Somos desafiados não a compreender esse mistério inefável, mas sim a abrir-nos a ele e a ser transformados por ele.
3. Cada tradição religiosa tem contribuições espirituais que se tornaram parte da herança religiosa comum da humanidade, mas nenhuma tradição é incorrigível ou tem o monopólio da verdade religiosa. Historicamente preservadas e transmitidas, todas essas revelações ou realizações foram cocriadas por seres humanos e, portanto, estão sujeitas à crítica e à correção. Elas precisam ser integradas aos desenvolvimentos “seculares” tais como a democracia e os direitos humanos, incluindo os direitos das mulheres.
4. A partir de uma perspectiva budista, não somos “salvos” por nos identificarmos com uma figura em particular (por exemplo, Shakyamuni Buddha), um texto, um código moral ou um conjunto de rituais. Cada um destes, por si mesmos, é apenas parte do caminho espiritual que envolve a transformação pessoal de toda a pessoa, incluindo a realização da nossa interdependência com os outros. Hoje, tornou-se mais claro que esse processo de transformação individual não pode ser separado da transformação social e ecológica.
5. No passado, os caminhos religiosos foram entendidos frequentemente como transcendentes a este mundo, no sentido de que escapariam de seus problemas ao alcançar algum âmbito mais alto ou alguma dimensão espiritual. Esse dualismo implicou às vezes em desprezo ou desvalorização do mundo físico, incluindo a natureza (os animais), a mulher e os nossos próprios corpos. Os desafios religiosos que enfrentamos hoje incluem a superação desse dualismo. O caminho religioso não significa escapar deste mundo, mas envolve um compromisso com ele, que está profundamente comprometido com o aperfeiçoamento de todas as suas criaturas.
David R. Loy
Professor da cátedra Besl de Ética, Religião e Sociedade da Xavier University, em Cincinnati, nos Estados Unidos
Para ler mais:

O melhor para todos neste 2011

04 de janeiro de 2011 0

Prezados leitores

Após de uns dias de folga retomo o contato com vocês.

A virada do ano me deu a possibilidade de curtir mais a família e recarregar forças junto com a natureza.

Que cada um dos vossos desejos se tornem realidade.

Que tenhamos todos um ano espiritualmente rico!

Saúde!

Prof. Guershon Kwasniewski

Líder Religioso da SIBRA


ps. em tempos em que a cidade fica práticamente vazia lamento que tenham pichado a frente da sinagoga.

Entendo que temos que criar espaços para desenvolver a arte urbana, mas as residencias e  prédios públicos ou privados merecem ser respeitados.