Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de janeiro 2016

Placa descerrada no Hospital Conceição pelo Grupo de Diálogo Inter-religioso

22 de janeiro de 2016 0

Placa GHC

Encontro promoveu a paz e reuniu representantes de diversas religiões no GHC

22 de janeiro de 2016 0

 

Grupo Hospitalar Conceição
No Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o Espaço Inter-Religioso do Hospital Conceição realizou ato de acolhimento de diferentes crenças com a participação de integrantes de denominações religiosas como Judaísmo, Islamismo e de Matriz Africana



Com o objetivo de promover a cultura da paz e da liberdade de crenças, o Espaço Inter-Religioso do Hospital Conceição realizou, nesta quinta-feira, 21 de janeiro, um encontro temático com a participação de integrantes de diversas denominações religiosas. A data, que celebra o Dia Mundial das Religiões e o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, foi marcada pelo descerramento da placa do Espaço Inter-Religioso, que materializa o compromisso do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) de incentivar a liberdade de culto.

Convidados representantes do Judaísmo, Islamismo, Budismo, Espiritismo, Catolicismo, Anglicanismo, religiões Evangélicas e de Matriz Africana participaram da solenidade expressando a fé em prol do cuidado ao usuário. O gerente de Apoio do GHC, Márcio Belloc, defendeu que o Espaço Inter-Religioso é uma articulação importante, garantida por políticas públicas que buscam a diversidade. “É um privilégio que nossa instituição possa sustentar um espaço assim”, disse o gerente.

O diretor técnico do GHC, José Fossari, considerou de extrema importância a presença da religião no ambiente hospitalar. “Sabemos que manter o vínculo com a fé ajuda a diminuir o sofrimento, estimulando a longevidade em casos de recuperação e, nos casos terminais, um fim com conforto e qualidade que todos merecem”, declarou o diretor.

A diretora-superintendente do GHC, Sandra Fagundes, também esteve presente no encontro e destacou o respeito às dimensões da espiritualidade como um momento histórico de reafirmação do GHC em relação à população do Rio Grande do Sul. “Estamos promovendo a paz em um momento oportuno das necessidades brasileiras. Aqui é realizado um trabalho civilizatório, de reconhecer a pluralidade, aceitar e acolher cada crença, e isso faz a diferença”, enfatizou a superintendente.

O coordenador da Participação Cidadã, Elpídio de Souza, reforçou a importância do encontro como meio de integração. “Este espaço é fundamental para a saúde do usuário”, disse o coordenador.

A assistência espiritual é feita nos hospitais do Grupo Hospitalar Conceição (Conceição, Criança Conceição, Cristo Redentor e Fêmina), por meio de celebrações nos espaços inter-religiosos e conforme o calendário de atendimento com escala elaborada para contemplar todas as denominações. Também são realizadas visitas aos usuários internados, quando há solicitação. O objetivo é contribuir com a humanização e a atenção integral à saúde, levando em conta o aspecto físico, psicológico, social e espiritual.

Representantes das denominações religiosas parabenizaram o GHC e o Núcleo de Assistência Espiritual pela promoção de um espaço inter-religioso e ressaltaram a missão de incentivar a fé, a esperança e o respeito à diversidade. O espaço garante acesso à assistência espiritual e assegura aos usuários o direito de expressar sentimentos de fé, paz e solidariedade durante o tratamento médico.

Também estiveram presentes na cerimônia o gerente de Recursos Humanos do GHC, Diogo dos Santos, a coordenadora da Comissão Especial de Promoção de Políticas da Igualdade Racial (Ceppir/GHC), Ludmila Marques, a coordenadora da Comissão de Gênero do GHC, Renata Zardin ,o gerente de Administração do Hospital da Criança Conceição, Aldacir Oliboni, o representante do Conselho Estadual da Umbanda e dos Cultos Afro-brasileiros do Rio Grande do Sul Pai Clóvis de Xangô Aganju, a representante da Igreja Evangélica da Graça de Deus Carla Oliveira, a representante da Igreja Anglicana Roberta Santos.

O encontro inter-religioso integra a programação do GHC no Fórum Social Mundial 2016, e contou com a participação dos seguintes integrantes de denominações religiosas:

Ahmad Ali – Centro Cultural Islâmico do Rio Grande do Sul

Carlos Dreher – Igreja Evangélica de Confissão Luterana

Darlan Oliveira – Igreja Evangélica Assembleia de Deus

Guershon Kwasniewski – Judaísmo

Jussara Reis – Doutrina Espírita

Lea Bos Duarte – Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Mãe Angélica de Oxum – Religião de Matriz Africana

Mãe Carmem de Oxalá – Religião de Matriz Africana

Maximiliano Zambom – Igreja Católica

Pai João de Iemanjá – Religião de Matriz Africana Umbandista



Creditos:
Mariana Ribeiro

Grupo de Diálogo Inter-religioso abriu os trabalhos do Fórum Social Mundial

19 de janeiro de 2016 0

Fórum Social Mundial 19 de janeiro de 2016

Convite aberto à população

18 de janeiro de 2016 0

Interreligioso Hospital Conceição

O Grupo de Diálogo Interreligioso estará presente no Fórum Social Mundial

15 de janeiro de 2016 0

FSM

Acreditamos no Diálogo Interreligioso

07 de janeiro de 2016 0

O Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre em sintonia com um mundo que pede e necessita diálogo.

É possível, basta querer e começar.

Assista o vídeo produzido pelo Vaticano.

https://youtu.be/ApLt2ryh3Yw

Tempo de priorizar

04 de janeiro de 2016 0

Artigo

Guershon Kwasniewski: tempo de priorizar

Líder religioso da Sociedade Israelita Brasileira (Sibra) e coordenador do Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre

Por: Guershon Kwasniewski
28/12/2015 – 05h05min  Zero Hora

A chegada de um novo ano motiva e gera em cada indivíduo uma série de reflexões, que ligam o passado com o futuro. O simples fato da virada do ano proporciona um olhar diferente em nossa linha do tempo.

Essa caminhada pelo tempo é desigual entre os que nos rodeiam. O jogo dos sentimentos vai de um estremo a outro, pudendo estar ansiosos, expectantes, teimosos ou alegres pelo novo, representado pelo 2016 ou tristes e saudosos pelas lembranças que deixa o 2015.

Se falarmos desde a espiritualidade, toda mudança está relacionada com o otimismo e a renovação interna e externa do ser. Escolhemos uma nova roupa, trocamos de penteado, procuramos surpreender a nós mesmos. Desde uma mudança de conduta, atitude, relacionamentos, desafios e compromissos.

Planificamos ter mais tempo para a família, os amigos, um bom livro, exercício físico, cuidados com a saúde, fazer algum trabalho voluntário, participar mais da vida religiosa e cultural da nossa comunidade.

Se avaliarmos as promessas que fazemos de um ano para outro, percebemos que mais da metade delas ficam na teoria e em nossos pensamentos.

É tempo de priorizar, devemos ser práticos e objetivos, às vezes pouco ou nada mudará de um ano para outro, mas se priorizamos com quem aproveitar o nosso efêmero tempo, a nossa vida terá outra dimensão.

Devemos ter prazer pelo que fazemos e encaramos, sabendo que existem dificuldades, mas também acertos.

O sucesso e o fracasso estão tão próximos um do outro que às vezes é uma questão de detalhes, mas devemos tentar.

Priorize em que e com quem deseja investir a sua energia e o seu tempo.