Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

II Forum Gusmão Por um Mundo Melhor

13 de novembro de 2014 0

No dia 15 de outubro de 2014, Dia do Professor, participamos do Nono e último dia do II Fórum Gusmão Por um Mundo Melhor, na cidade de São Leopoldo. O Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre havia sido convidado a comparecer, e nos fizemos presentes, Ahmad Ali, Guershon Kwasniewski e esta representante do Espiritismo.

A Escola Municipal de Ensino Fundamental GUSMÃO DE BRITTO, é um local de extraordinário. Nós não a conhecíamos, e o que encontramos nos deixou com a sensação agradável de que um Mundo Melhor já está sendo construído. E ele está tão perto de nós que não o víamos. É uma escola pública, municipal, em que a aprendizagem é algo que realmente constrói o jovem, com a construção conjunta do professor. Tínhamos sido convidados para um debate a respeito de EDUCAÇÃO E REVOLUÇÃO, mas lá vimos que a Educação já revolucionou todos os parâmetros possíveis. O amor ao aprendizado que se vê no olhar de cada professor, a aceitação da proposta que os alunos apresentam, formam maravilhosa orquestra de construção de uma vida futura de novas perspectivas e alcances. A ideia proposta pelo Professor João que o ano passado fez surgir o I Forum Gusmão Por Um Mundo Melhor, foi aceita por seus pares e se agigantou, e esta realidade encanta e fortalece a fé em Um Mundo Melhor. À ideia inicial aderiram as professoras Luciana Andreis, Lisiane Moresco, Marlene Mello do Santos, e todos fizeram da ideia um sucesso que permanecerá gravado na memória dos jovens e de quantos participaram do evento.

Era o nono dia do Fórum e já haviam estado presentes professores, historiadores, pensadores, escritores, mostrando àqueles jovens novas visões do mundo. À tarde, vimos uma teatralização de “As Meninas do Quarto 28”, obra de autoria de Hannelore Brenner, que narra episódio real acontecido entre 1942-1944 na Tchecoslovaquia invadida pelo nazismo. Neste quarto 28 moraram 60 jovens judias, de 12 a 14 anos, que tinham esperanças, sonhos, anseios, e que mostram, através de sua história, a 2ª Grande Guerra, com toda a crueza e destruição; o chamamento de cada jovem para local desconhecido mostrava a separação, a morte de sonhos, a inexistência de vida futura. Das 60 jovens, sobreviveram 15, que se encontraram na década de 90 do século passado, e que narraram a sua história a Hannelore Brenner, que se engajou no projeto de mostrar ao mundo o que aconteceu e que nunca mais deve se repetir.

Após, fomos chamados a falar sobre EDUCAÇÃO E REVOLUÇÃO: Guershon mostrou o quase diário convívio com os jovens, e a importância e necessidade do estudo para todos. Ahmad falou sobre a necessidade do diálogo para a educação. Falamos sobre a palavra educação em vários dicionários: em um latino, com significação de alimentação; em dicionário antigo português, significando instrução; e em dicionário moderno, a busca da projeção de todas as potencialidades das pessoas, com a transformação de dentro para fora. A preparação do jovem para o imprevisível; não mais o foco em ensino, mas na aprendizagem. A busca de respostas com originalidade e diversidade. O incentivar o pensamento, a vontade, o sentimento, num sentido de vida, de renovação. E nisto tudo a importância do Projeto Conte Mais, da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, que na contação de histórias busca desenvolver o pensamento, a vontade, o sentimento, com histórias de fundo moral, adaptadas às idades de cada jovem.

Assistimos ainda uma apresentação coreografada de Umbanda, onde as jovens caracterizadas encenaram a celebração sobre o entendimento entre as pessoas e a natureza.

Na saída do evento, ouvimos e vimos belíssima apresentação da Banda da Escola, com os alunos uniformizados com perfeição, entoando sons harmônicos, feitos com alegria e amor.
E foi isto que trouxemos do II Fórum Gusmão Por um Mundo Melhor, na cidade de São Leopoldo: a sensação de que educar é uma ciência e uma arte, que faz desabrochar as potencialidades das pessoas que se deixaram cativar com amor dos professores à missão que assumiram, e ao sentido de realizá-la o melhor que possam.

Que todos recebam nossos parabéns, em comemoração ao Dia dos Professores.

- Cristina Canovas de Moura

A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E OS TRANSPLANTES

29 de setembro de 2014 0

Nestes últimos dias aprendemos muito: o Grupo de Diálogo Inter-religioso de Porto Alegre foi convidado a participar da celebração inter-religiosa do Dia Nacional de Doação de Órgãos na Catedral Metropolitana de Porto Alegre em 25 de setembro de 2014; dia 26 de setembro, assistimos à mesa redonda que a Central de Transplantes do Rio Grande do Sul, comemorando o dia nacional da doação de órgãos e tecidos, onde representantes de diversas religiões expuseram o enfoque da sua religião a respeito do tema. Ambos os eventos estiveram sob o comando e organização de Lúcia e Naida, do Atendimento Psicossocial CTX da Central de Transplantes, a quem envidamos nossos aplausos, em vista do sucesso. O evento de 26 de setembro foi realizado no auditório do Centro Administrativo do Estado, Av. Borges de Medeiros, 1501, térreo, e a explanação começou perto das 10:30 horas. O público alvo foi composto por pessoas e instituições ligadas à saúde e público em geral.

Dissemos que aprendemos muito: e isto é uma realidade. A vida se nos apresenta a cada momento oportunidades cheias de vivências e ensinamentos; muitas vezes não damos ouvidos à voz da curiosidade, mãe do aprendizado, e que nos leva à busca de conhecimentos que abrem nossas realidades. E estes foram momentos de abertura, de renovação, de reavaliações.

Dia 25 de setembro, na Catedral Metropolitana, houve a belíssima celebração inter-religiosa; com início às 18:30 horas, coordenados por Alfa Buono, ouvimos a Coordenadora da Central de Transplantes, Dra. Rosana Reis Nothen falar sobre as atividades desenvolvidas pela Central, por Hospitais, e por todo um especial esquema de médicos, enfermeiros, assistentes sociais, transportadores de órgãos, doadores, e transplantados, com o único objetivo de salvar vidas.  O representante da Igreja Católica em nosso Grupo, padre Luis Carlos Almeida, leu a todos a Epístola aos Coríntios de Paulo. Tivemos a alegria de ouvir a salmista Rosângela, acompanhada de Hudson, envolvendo a atmosfera de sons maravilhosos em que o canto e o piano bailavam a nossos ouvidos sons e palavras belíssimas, contidas no Salmo 8.  Após, Ahmad Ali falou sobre o evento, seguido por nós, pelo representante da Umbanda e Cultos Afro Clóvis Alberto Oliveira de Souza e pelo Padre Luis Carlos Almeida.  Após, com a Oração de São Francisco cantada, ouvimos as mensagens de pessoas ligadas à doação de órgãos: Felipe Rafael Nunes, transplantado do coração, mostrou o seu envolvimento a partir de sua doença, tratamento e transplante até o despertar da vontade de ajudar que o transformou em estudioso de enfermagem, mister a que hoje se dedica; Rosemary Brandeburski, que teve uma filhinha de sete anos acidentada, e que somente ultrapassou a dor da perda pela doação dos órgãos da criança a receptores necessitados; o depoimento de Jorge Luis Neves, pai da receptora de fígado Andressa Lima que externou a todos a gratidão de ver uma filhinha renascer da dor pelo transplante necessário e vital; a assistente social da Santa Casa de Misericórdia Adriane Peres Barbosa que contou o trabalho que as equipes desenvolvem para que se concretize um transplante; o médico regulador da Central de Transplantes,  Dr. Ricardo Ruhling que nos fez saber o que é transportar sonhos, esperança, vida quando do transporte de órgãos doados, que poderíamos chamar de órgãos de amor; e por último, o depoimento da médica transplantadora do Hospital de Clínicas Dra. Sandra Vieira, que acompanhava com alegria a vida que saltitava de Andressa, sua pequena paciente, a quem restituíra um futuro e a vida. O evento terminou com a Bênção Aarônica, que o Grupo transmitiu, após o canto É Preciso Saber Viver, dos Titãs.

No dia seguinte, 26 de setembro, após a abertura do evento pela Secretária da Saúde, seguida da explanação da Dra. Rosana Reis Nothen sobre o Panorama e Perspectivas nas Doações e transplantes, assistimos à mesa redonda que a Central de Transplantes do Rio Grande do Sul promoveu, comemorando o dia nacional da doação de órgãos e tecidos, onde representantes de diversas religiões expuseram o enfoque da sua religião a respeito do tema. Então estiveram presentes representante dos Luteranos, Pastor Carlos Kupka, que falou sobre o aconselhamento às pessoas com relação à morte cerebral, e o benefício da doação; o Padre Gustavo Hass, que a todos encantou com a maestria de suas palavras, que apontou nas Escrituras da Bíblia o primeiro transplante feito por Deus, quando retirou uma costela de Adão e fez a mulher; Dr. Emanuel Burck dos Santos, médico transplantador de rim do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, representando o Espiritismo; e Mozart Nascimento, representando a Umbanda, que firmou os princípios relativos ao evento, apresentando as razões das pessoas de seu culto religioso, com as condições básicas para aceitar ser doador. Seguiu-se o Mediador, Dr. Lothar Carlos Hoch, que mostrou sua vivência em Santa Catarina, concluindo que a família que permite a doação tem a dor do luto abreviada. Falou-se, após, no papel das diversas orientações religiosas em relação a tão importante evento, além de depoimento do Dr. Joel Andrade, Coordenador da Central de Transplantes de Santa Catarina.

Em A Gênese, Allan Kardec nos ensina que “O Espiritismo e a ciência se completam um ao outro; a ciência sem o Espiritismo se encontra na impossibilidade de explicar certos fenômenos unicamente pelas leis da matéria; sem a ciência, ao Espiritismo faltaria apoio e controle.”Se nos perguntarmos: o Espiritismo é a favor ou contra a doação de órgãos? É importante ressaltarmos que na época da Codificação Espírita nem se cogitava desse assunto. Porém, encontramos ensinamentos nas obras de Allan Kardec que nos autorizam a dizer que sim, o Espiritismo é a favor da doação de órgãos, respeitando também aqueles que optam em não doar, pois essa escolha é de cunho pessoal e não deve ser forçada sob nenhum pretexto. Examinando a resposta à questão 156 de O Livro dos Espíritos, que trata sobre a agonia, lembramos que é por que o Espírito abandona o corpo que acontece a morte; na agonia, há o desprendimento do Espírito ou da alma; não há mais nada a não ser resquícios de vida material. E lembramos: será que isto não corresponde à morte encefálica que os Espíritos já falavam por volta de 1857? Também, quando do desprendimento da alma, não há mais dor física, de acordo com o que se apreende em LE 257. Mas sabemos que não existe morte, pois a vida continua em outro plano. E no mundo espiritual não precisamos mais deste corpo. Nosso irmão Jesus nos ensinou que devemos amar a Deus, ao próximo e a nós mesmos; devemos fazer ao outro o que gostaríamos que fizessem a nós mesmos. No caso da doação, o maior beneficiado é o doador. E é preciso que nos esclareçamos, pois aqui se fala em vida, e, doar é dar com amor, propiciar ao outro que nosso ente querido que foi para outro plano continue vivendo, por um maior período, continue conosco, beneficiando com seus órgãos, pessoas  necessitadas e trazendo ao outro a vida pela matéria que não mais necessita.

Não sabemos a autoria de um trecho que lemos na Internet, em página de um espírita de Minas Gerais, Valdir Pedrosa, que aqui trazemos: “Quando minha hora chegar, não tente introduzir vida artificial no meu corpo, através de uma máquina. Em vez disso, doe meus olhos para um homem que nunca viu o Sol nascer, nem o rosto de um bebê ou o amor nos olhos de uma mulher. Doe meus rins para uma pessoa que depende de máquina para viver de semana em semana. Pegue meu sangue, meus ossos, todos os músculos e nervos do meu corpo, e encontre uma maneira de fazer uma criança aleijada andar. Explore todos os cantos do meu cérebro. Pegue minhas células, se for necessário, e cultive-as. Então, quem sabe um dia, um garoto mudo consiga gritar quando seu time marcar um gol, e uma garota surda consiga ouvir o som dos pingos da chuva batendo na sua janela. Queime o que restar de mim e espalhe as cinzas para ajudar as flores crescerem. Se você quiser mesmo enterrar alguma coisa, enterre meus erros e minhas fraquezas. Minha alma eu peço que seja entregue a Deus”.

A Vida e o Amor nas Religiões

01 de setembro de 2014 0

14-08-29SeminarioAPER-RS1A VIDA E O AMOR NAS RELIGIÕES.

No dia 29 de agosto de 2014, a convite da Associação dos Professores do Ensino Religioso do Rio Grande do Sul (APER/RS), o Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre participou do IX Seminário de Ensino Religioso, que se realizou no Auditório da Livraria Paulinas, na Rua dos Andradas 1212, em Porto Alegre.

Em um clima de fraternidade e descontração, se fizeram presentes a Coordenadora Alfa, a Monja Isshin Havens (Missionária do Soto Zen Japonês, e orientadora espiritual da Sanga Águas da Compaixão – Budismo Zen), Ahmad Ali (Fundador do Grupo DIRPOA e Representante Palestino da Comunidade Islâmica e do Centro Cultural Islâmico do RGSul), Pastor Carlos Dreher (Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil), Rabino Guershon Kwasniewski (Líder religioso da SIBRA-Sociedade Israelita Brasileira de Cultura e Beneficência), Clovis Alberto Oliveira de Souza (CEUCAB – Presidente do Conselho da Umbanda e Cultos Afro-brasileiros), Padre Luis Carlos de Almeida(Igreja Católica Apostólica e pároco da Igreja das Dores) e a representante da Federação Espírita do Rio Grande do Sul.

O tema do Seminário era A VIDA E O AMOR NAS RELIGIÕES, e o objetivo refletir sobre a contribuição das religiões na valorização da vida e na vivência do amor na cultura dos povos. Cada representante explanou o tema de conformidade com a visão de seu credo, respondendo a perguntas que surgiram, mostrando a necessidade de tais encontros para esclarecimento e difusão de pontos que não claros para todas as pessoas.

À tarde, com a continuação das apresentações, assistimos a trechos dos dois Concertos em Clave de Fraternidade que o Grupo do DIRPOA apresentou em novembro de 2013 e junho de 2014 na Igreja das Dores, tornando a visualização do Grupo um fato que nos compensou com muita  alegria e satisfação, parabenizando a Direção da Associação dos Professores do Ensino Religioso pelo evento pleno de êxito e fraternidade.

Cristina Canovas de Moura – Representante da Federação Espírita do Rio Grande do Sul – FERGS

Do Jornal Zero Hora: MUNDO DESPROPORCIONAL

06 de agosto de 2014 0

O conflito que envolve os palestinos e israelenses para muitos é desproporcional. O que é verdadeiramente desproporcional é o nível de ignorância sobre esta guerra que acontece no Oriente Médio.

Pessoas cultas e incultas deixam aflorar o seu ranço antissemita que se acaba misturando com o antissionismo.

A dor de uma mãe palestina que perde o seu filho é a dor de uma mãe israelense que perde a seu filho.

Um míssil que cai numa cidade israelense tem um poder de destruição igual a um que cai em Gaza.

O esforço de um médico por salvar a vida de um ferido é semelhante em ambos os lados.

As sirenes que tocam em Ashdod, Sderot, Askelon, Tel Aviv causam o mesmo dano psicológico que os aviões israelenses voando sem pausa na região costeira palestina.

Depois da retirada unilateral de Gaza por parte de Israel no ano 2005, se aguardava uma autonomia produtiva por parte dos palestinos. De fato a sonhada paz com os vizinhos se viu inúmeras vezes interrompida pelo lançamento de mísseis contra a população civil israelense, especialmente do sul do país.

A imprensa parece querer levar os israelenses para a forca por um simples motivo, ter poder de defesa.

Como deveria um país reagir se tem os seus jovens sequestrados e assassinados e ainda é bombardeado?

Os judeus apreenderam com a história a se defender. Israel é uma potência militar não por prazer e sim pela necessidade da sua sobrevivência.

Desproporcional é o ódio, a falta de ética para informar e transmitir o conflito. As condenações daqueles que só alçam as suas vozes para lembrar as mortes em Gaza e esqueceram os mais de 170 mil mortos na Síria. Desproporcional são os governos que manifestam solidariedade com um grupo terrorista.

Toda guerra tem um alto custo, uma ferida aberta que tarda em cicatrizar e que dói só de olhar. Que rápido morreu a esperança pela paz acordada na região na última visita do Papa Francisco em maio passado.

Procuremos a paz através da verdade, do diálogo e tenhamos coragem de buscar a confiança que fugiu e parece estar perdida ou escondida em algum canto entre estes dois povos.

do Jornal Zero Hora
24 de julho de 2014

 

Vídeo: 2º Concerto Inter-religioso "Em Clave de Fraternidade"

24 de julho de 2014 0

Compartilhamos o vídeo do 2º Concerto Inter-religioso “Em Clave de Fraternidade” (completo):

A COPA E O CONCERTO

30 de junho de 2014 0

No dia 12 de junho de 2014, os representantes dos vários credos que compõem o Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre se reuniram no Anfiteatro Por do Sol às 15 horas para dar as boas vindas em todos os idiomas, aos participantes da Copa do Mundo que visitam nossa Porto Alegre. Portando uma faixa com a palavra PAZ em todos os idiomas, a alegria se fazia presente entre todos. E o sol brindava o seu calor em nossos rostos, e o vento levava a todos  nossa alegria, mostrando o quanto é importante a vida e a paz.

 

Em 29 de junho de 2014, o Grupo de Diálogo Interreligioso  de Porto Alegre se fez presente de forma melodiosa no 2º Concerto Interreligioso em Clave de Fraternidade. Este se realizou na Igreja das Dores de Porto Alegre, onde fomos todos amavelmente recebidos pela simpática figura do Padre Luis Almeida, representante da Igreja Católica junto ao DIRPOA. O evento teve início às 19:30 horas; àquele horário, ao término da Missa, Padre Luis convidou aos representantes do DIRPOA, apresentando-os aos paroquianos, convidando a todos ao Concerto.

O Concerto em Clave de Fraternidade iniciou com a Coordenadora do Grupo, Alfa Buono chamando os representantes da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, que se fizeram presentes com dois corais: o Coral Julieta Felizardo de Leão, do Atheneu Espírita Cruzeiro do Sul, formado há mais de quarenta anos; e o Coral Vida, que existe há quatro anos; o Coral Julieta Felizardo de Leão teve durante muito tempo a regência de Osmar Santos, e desde 2007 tem como regente Marli Marlene Becker; o Coral Vida desde a sua fundação até hoje sempre teve a regência de Marli Marlene Becker, direcionando o seu trabalho às pessoas idosas em diversas Casas Geriátricas,e às crianças do Lar Fraterno.  Ambos os Corais cantaram quatro músicas, e terminaram a apresentação com a música Amigos para Sempre, em fraternal abraço a todos.

O Pastor Dreher, a seguir, apresentou o Coral da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, formado há vários anos, e que nos elevou e encantou com belíssimas vozes que entoaram cânticos melodiosos e sublimes.

A representante da Fé Baha’i envolveu a todos com suas canções e a sua voz bela que se elevava em hinos e orações, acompanhada do entusiasmo que brotava do som do violão.

A Monja Isshin, representante do Zen Budismo e seu discípulo, o noviço Ryûshin-san, nos trouxeram mantras que revelam a natureza e o respeito a cada momento, a cada ser, a cada sentimento, conduzindo-nos à reflexão das reações que temos frente à vida.

O Rabino Guershon, da Sociedade Israelita Brasileira de Cultura e Beneficência, conduziu cantando e encantando a todos pela forma de persuasão que consegue envolver e elevar os presentes à Igreja das Dores, com músicas, sons e enlevo, onde todos comprovaram o abraço como o momento de paz nos corações.

O Conselho Estadual da Umbanda e dos Cultos Afro-Brasileiros, com o representante Babalorixá Clóvis e inúmeros adeptos, trouxe os rituais e orações que envolveram o ar com cânticos e tambores, acompanhados pelo agê, que com suas contas marcavam o momento do ritual e oração.

Por último, o Padre Luis, pároco da Igreja das Dores e representante da igreja católica junto ao DIRPOA apresentou um belíssimo final, chamando extraordinários músicos a tocar Ave Maria de Gounot em órgão e violino, que nos fizeram ouvir e ver com os olhos da alma momentos sublimes de musicalidade e beleza.

A final, os representantes dos vários credos, em união, procederam à Bênção Aarônica, cada um com o gestual de sua crença, com o Rabino Guershon  dizendo as palavras na linguagem de Israel e o Pastor Dreher em português. O abraço e a confraternização de todos selou o Concerto com a musicalidade e carinho, mostrando que o diálogo é a forma de existência de credos e pessoas que se respeitam, se aceitam e oram por um mundo de paz e luz.

Foi uma noite extraordinária, onde as várias culturas apresentaram orações em forma de sons e cantos, em preciosa mensagem de paz a tudo e a todos.

Assiste ao vídeo da Benção Aarônica de encerramento do concerto.

Em clave de fraternidade - Concerto Inter-religioso

27 de junho de 2014 0
Concerto Inter-religioso

Concerto Inter-religioso

Venha compartilhar a música inter-religiosa conosco!

Concerto Inter-religioso do Grupo de Diálogo Inter-religioso de Porto Alegre.

Domingo, 29 de junho às 19:30 hs

Igreja Nossa Senhora das Dores (Rua Riachuelo 630

SHABAT SHALOM DAS NAÇÕES

08 de junho de 2014 0

Procurando saber, buscamos no dicionário, obtendo como respostas: ” Shabat é a fonte para o termo em português Sábado, e para a palavra que denomina esse dia da semana em muitas outras línguas. Uma tradução mais literal seria “cessação”, com a implicação de ‘parar o trabalho’. Portanto, Shabat é o dia de cessação do trabalho, enquanto que descanso é implícito, mas não é uma denotação da palavra em si. O Shabat é iniciado ao pôr do sol de cada sexta-feira. Deus abençoou o 7º dia – o Shabat – quando repousou, depois de ter completado sua obra de criação.Shalom (em hebraico שָׁלוֹם) significa paz entre duas entidades (geralmente duas nações) ou a paz interior de um indivíduo. A palavra shalom representa um desejo de saúde, harmonia e paz para aquele ou aqueles a quem é dirigido o cumprimento. Em diversas passagens bíblicas é encontrada a palavra shalom com o significado de paz e desejo de bem estar entre as pessoas ou nações. Por exemplo, ‘Shalom Aleichem’, uma saudação frequentemente utilizada por Jesus e que significa ‘A paz esteja convosco’. ‘Shalom Aleichem’ é também o nome de um cântico entoado em celebrações do Shabbat. ”

Para muitos esta busca de significado não tem sentido. Entretanto, ontem, sexta feira, dia 06 de junho de 2014, estivemos presente e participamos de belíssimo evento na Sinagoga SIBRA, onde o representante israelita no DIRPOA, Rabino Guershon propiciou a todos o sentido das palavras na prática, dando testemunho de Oração pela Paz entre os Povos, no dia importante de preces que se iniciava. Por iniciativa de Rabino Guershon, acolhida com entusiasmo pela comunidade israelita e apoiada pela Direção da SIBRA, ontem se reuniram, na sede da SIBRA, cônsules e representantes de diversos países (Espanha, Itália, Egito, Alemanha, Grécia, Portugal, Uruguai entre outros), para celebrar o Shabat Shalom, juntamente com os participantes do Diálogo Interreligioso de Porto Alegre, o Prefeito Municipal e o Representante do Governo Estadual através da Brigada Militar.

Os ares se encheram de belíssimos cantos, em vozes extraordinariamente abençoadas, em ritmos que contagiavam a todos, pela pureza dos sons, dos cânticos e do envolvimento que todos sentiram e mostravam.

A paz celebrada nada tinha de tristeza, de momento sério e fúnebre: eram hinos de amor, cheios de esperança e de realizações, motivadores de vida e de luz, numa construção individual e coletiva para a paz, de cada um e entre todos. A construção da paz começa em cada um; quando sincera e pura, consegue envolver a todos, como vimos e sentimos nos momentos em que estivemos reunidos. E este sentimento devemos levar aos dias que se seguirão, onde nossa querida Porto Alegre vai receber tantas pessoas, e a todos acolherá com carinho e atenção.

Destes momentos de paz, aprendemos ainda mais o significado do diálogo, do respeito mútuo entre as pessoas, entre as religiões e entre as nações; saímos revigorados, com esperança no dia de amanhã, agradecendo a Rabino Guershon pela iniciativa e desejando a todos: Shabbat Shalom! Shalom Aleichem!

- Cristina Canovas de Moura- representante da Federação Espírita do Rio Grande do Sul.

GDIRPOA no Hanamatsuri e Festival da Paz 2014

01 de junho de 2014 0

HANAMATSURI E FESTIVAL DA PAZ.

Cerimônia Inter-religiosa de Abertura

Cerimônia Inter-religiosa de Abertura – Hanamatsuri e Festival da Paz 2014

Em 24 e 25 de maio de 2014 o Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre foi convidado pela Monja Isshin,  representante do Zen Budismo, a participar de belíssimo Hanamatsuri e Festival da Paz, que se realizou na Usina do Gasômetro.

Lemos nos prospectos gentilmente oferecidos, que, “de acordo com a tradição Budista, uma chuva de pétalas e néctar caiu quando o Buda Shakyamuni nasceu, no dia 08 de abril de 566 A.C. Para comemorar a data, os japoneses criaram o Hanamatsuri, Festival das Flores. A festa em Porto Alegre, agora na sua 2ª edição, torna-se um Festival da Paz, para celebrar os valores da não discriminação, não violência, inclusão social e cuidados com o meio ambiente e os animais.”

No sábado pela manhã o dia se fazia cinzento até o início do evento; o sol se mostrou quando as autoridades subiram ao palanque revestido de flores: lá estavam o Cônsul do Japão Takeshi Goto, o Vice Prefeito Sebastião Melo representando a Prefeitura Municipal, Monja Isshin  e Alfa Buono, representando o Grupo de Diálogo Interreligioso.

Após as saudações iniciais, a procissão formada por crianças vestidas com quimono (Ochigosan) e outras com roupas tradicionais de gaúchos, mostrando a inclusão dos povos às tradições da terra, levaram o Hanamido, altar adornado com a imagem do Pequeno Buda.

Terminada a procissão, as Ochigosan e as autoridades realizaram o ritual do Kanbutsu-e, banho de chá adocicado no Buda, simbolizando o néctar que teria caído do céu abençoando o seu nascimento.

Encontro de Diálogo Inter-religioso no Hanamatsuri e Festival da Paz 2014

Encontro de Diálogo Inter-religioso no Hanamatsuri e Festival da Paz 2014

O evento contou, nos dois dias, com inúmeras palestras e oficinas, do que o Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre também participou, assim como outros credos ali representados no domingo à tarde.

As dependências do Gasômetro estiveram repletas de pessoas que mostravam no sorriso contagiante a satisfação de comemorar a Paz, a união de crenças pelo desejo de construção de novo mundo, num renascimento de esperança na pessoa humana, na compaixão, na caridade.

O evento que a Sanga Águas de Compaixão (Jisui Zendô) e uma comissão de voluntários, sob a orientação da Monja Isshin, proporcionou a nossa cidade,  foi um belo momento de muita leveza espiritual, fraternidade e respeito entre os povos do que todos nos  podemos orgulhar, parabenizando os promotores com alegria, neste Porto Alegre que considera esta uma festividade que se deve realizar a cada ano. Nossa cidade aplaude o Festival das Flores e a Cultura da Paz.

- Cristina Canovas de Moura. Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Neste Dia das Mães

11 de maio de 2014 0

Na manhã de 10 de maio, nos encontramos para comemorar o Dia das Mães na Catedral Metropolitana. O Grupo de Diálogo Interreligioso de Porto Alegre havia sido convidado pela ACM Centro para participar do evento. Lá estava a Diretoria da ACM de Porto Alegre, parentes de alunos, amigos, convidados. Deu-nos a honra de sua presença a Primeira Dama do Município, que nos mostrou que professoras, cuidadoras, enfermeiras, todas são mães pelo cuidado e amor que nos dispensam. A Diretora da ACM contou a todos como teve início a comemoração do Dia das Mães, trazido ao Brasil pela Associação Cristã de Moços. Lá ouvimos o histórico da formação de nosso Grupo de Diálogo por Ahmad Ali; os sons do tambor tocaram na Catedral, e o Babalorixá Clóvis nos conduziu por um passeio à Mãe Natureza, onde encontramos Nhansã e Orixás.  O Coro de Aposentadas nos brindou com suas vozes uníssonas de beleza e paz. O Pastor Dreher nos levou a orar pelas mães das meninas que no Oriente estão sofrendo em sequestro.  O coral das crianças da ACM, crianças de menos de cinco anos, nos encantou e comoveu. Falamos a todas as mães: às mães queridas, às não tão queridas, às amorosas, às que não tiveram tanto tempo para nós, às avós, duplamente mães, às bisavós que já estão mais colocadas de lado mas que guardam tantas experiências e belezas, àquelas que já estão noutro plano; e a todas, agradecemos de coração, por não terem nos abortado, por terem permitido que vivêssemos, aceitando o fruto da concepção. Falamos que o Espiritismo não aceita milagres; o único milagre que aceitamos é o milagre da vida. E, por isso, queremos, neste momento, de coração agradecer o milagre da vida que nos foi dado e oportunizado por nossas Mães. Que Deus, em sua infinita bondade, as proteja, ilumine e abençoe, pelo amor que nos deram e ensinaram. Com a Benção Aarônica foi encerrado o evento, coroado com uma rosa a cada mãe presente.

 

- Cristina Canovas de Moura – representante da Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Mensagem para o Vesakh / Hanamatsuri do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso

01 de maio de 2014 0

Trecho da MENSAGEM AOS BUDISTAS PARA O VESAKH / HANAMATSURI 2014
do PONTIFÍCIO CONSELHO PARA O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO (Vaticano)

[...] Prezados amigos, para construir um mundo fraterno, é de importância vital que unamos as nossas forças para educar as pessoas, de modo especial os jovens, a fim de que procurem a fraternidade, vivam na fraternidade e tenham a coragem de construir a fraternidade. Oremos para que a celebração de Vesakh seja uma ocasião para voltar a descobrir e promover novamente a fraternidade, de maneira particular nas nossas sociedades divididas.
Permiti que vos manifeste mais uma vez as nossas mais cordiais felicitações e que deseje a todos vós uma Feliz festa de Vesakh!
- Cardeal Jean-Louis Tauran, Presidente

Para ler a mensagem completa, visite o site do Vaticano – La Santa Sede

Vídeo: Um Ano de Francisco - Percepções

28 de março de 2014 1

Um Ano de Francisco – Percepçõe: Uma série de entrevistas sobre o primeiro ano do Papa Francisco como líder da Igreja Católica, gravadas em março 2013 pela Rede Vida de televisão.
1. Zen Budismo
2. Islamismo
3. Judaismo
4. Umbanda e Cultos Afro-brasileiros

Um ano de Francisco, percepções do Judaísmo

19 de março de 2014 0

Clique no link e veja opinião do representante do Judaísmo do Grupo Inter-religioso de Porto Alegre sobre o primeiro ano de Francisco no papado.

http://www.youtube.com/watch?v=hdFKXpCf8kc

Lembrar para não esquecer

27 de janeiro de 2014 1

Solidariedade e força é o nosso desejo para todas as famílias que perderam um ser querido na Boate Kiss de Santa Maria.
Que o encerrar deste dia permita ter pela frente um ano com ações positivas para lembrar as benditas memórias dos que hoje não estão mais apenas fisicamente.

Parabéns Dr. Ahmad Ali!!

21 de janeiro de 2014 0

Fundador e colega do Grupo de Diálogo Inter-religioso, completou  hoje 80 anos e o comemorou com um almoço com o melhor da culinária do Oriente Médio – não faltaram falafel, kibe, tchina, humus e outras delícias -.
Coincidentemente com o Dia Nacional de combate a intolerância religiosa os integrantes do Grupo de Diálogo Inter-religioso de Porto Alegre confraternizamos com familiares e amigos de Ali – o jornalista Túlio Milman estava entre os presentes -.
Vida longa para este amante da paz e do diálogo!

1521640_573965936024127_1242844142_n