Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Papai Noel existe?

23 de novembro de 2009 2

Se você, assim como eu, vive este dilema, vale dar uma lida neste texto…

Papai Noel existe? *

Um dia, todas as crianças chegam com perguntas embaraçosas, para as quais seus pais têm de ter resposta pronta: a verdade. Mas não a verdade crua e nua, mas a verdade ao alcance do entendimento e da curiosidade da criança.

É inevitável, faz parte do papel de pai, mãe e de avós: responder às perguntas que as crianças nos fazem e que julgamos embaraçosas. Mas há uma solução prática para isso: dizer sempre a verdade.

Só que a verdade e a fantasia, não são antônimos, dependendo da idade da criança. Ou seja: há uma etapa do desenvolvimento infantil, que vai até os seis anos de idade, em que os pequenos vão gradativamente começando a diferenciar o que é fantasia do que é real e aí vem aquela fase das dúvidas e das perguntas. Algumas são engraçadas, outras curiosas, outras que são repetitivas. Mas há sempre algumas perguntas que surpreendem a família, que nos deixam sem resposta. E por quê?

Acontece que quase sempre achamos nossos filhos muito mais imaturos e ingênuos do que são na realidade. É normal que os queiramos sempre crianças, pois essa é uma fase maravilhosa. Mas eles crescem dia a dia, conversam com outras crianças, de outras idades, assistem TV, ouvem rádio, navegam na Internet…e mesmo quando tudo isso não existia, em gerações passadas, com certeza havia um momento em que o simples observar do movimento da casa, as dezenas de “Papais Noel” que se multiplicam nas lojas e ruas, as informações desencontradas, levantavam a primeira suspeita e como a idade já permitia um pensamento mais lógico, a verdade era descoberta. Muitos até fingiam acreditar só para não entristecer os pais !

Quando a criança chega a perguntar aos pais: Papai Noel existe? É porque ela já tem no mínimo alguma dúvida. O ideal é devolver a pergunta a ela, para se ter mais idéia do que realmente ela já sabe e do que está preparada para saber. Assim, perguntar “o que você acha, meu filho”?, abre portas para um diálogo. As respostas que se seguirão, não podem ser inverídicas, pois mentir é sempre pernicioso. As respostas devem ser adequadas ao entendimento da faixa etária e variar desde um “se você acha que existe, existe” até a explicação mais próxima da realidade:” existe como existem os super heróis, meu filho”.

Por que na verdade é assim: sempre existe dentro de cada um de nós, um super herói capaz de fazer milagres pelos filhos e um Papai Noel incansável que lhes trás todos os presentes possíveis!

O que é importante lembrar é que forçar a crença do filho, não trás vantagem alguma, pelo contrário: além de acabar sendo motivo de risadas na escola, a criança se sentirá traída pelos pais e onde existe apenas meia confiança, não existe é confiança alguma…

* Maria Irene Maluf

Especialista em Psicopedagogia e em Educação Especial

Postado por Romí – Fpolis

Comentários (2)

  • euclides cesar garcia diz: 23 de novembro de 2009

    A torcida do Figueirense acredita, em ePapaie Noel. Coehlho da Pascaoa , Duende acredita ate que tem time de futebol.

  • Age Nor diz: 23 de novembro de 2009

    CLARO QUE EXISTE. SEI ATÉ O NOME.
    É LULA. Sabe porque? Porque quem trabalha, nunca pagou tanto imposto, para sustentar vagabundo desocupado e político safado. E a tendência é piorar muito para você que trabalha e procura ser honesto. O ANTICRISTO quer devorar o teu dinheiro e teu sangue. E adianta chorar? Enquanto isso a vida segue com os que Iludem e os que são Iludidos…

Envie seu Comentário