Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ingênuas verdades

04 de abril de 2010 0

Será mesmo que essas pegadas são do coelho?Cada vez mais eu me convenço de que poucas coisas no mundo são tão gratificantes quanto a visão apaixonada das crianças.

Noite passada pintei o chão da casa, da entrada, passando pela sala até o quarto do João. Tudo com tinta guache preta. Escondi a cesta num dos três caminhos “trilhados pelo coelho”. Nos outros dois, deixei um bombom como rastro.

Antes de dormir, o bambino estava excitadíssimo com a chegada do dia seguinte. Mas pegou no sono, enfim, lá pelas 22h. Quando acordou, hoje cedo, acho que tinha esquecido da euforia da Páscoa. Queria ir pra sala brincar. Quando ele levantou e viu as pegadas, virou pra mim com um olhões arregalados e apontou:

_ Tem pegaaaadas, mãe!!

Dali por diante, parece que o menino foi ligado no 220. Imediatamente, pegou a lupa. “É pra ver se essas pegadas são mesmo do coelho”. Seguro de que sim, eram do coelho (ufa!), o meu detetive mirim partiu para a nova empreitada, de procurar as surpresas.

Que alegria quando encontrou a cesta. Dali por diante, onde ia, contava que o coelho havia ido na nossa casa e que tinha deixdo “um monte de surpresas” (que nem eram tantas assim).

Fiquei com saudades do tempo em que eu e meus irmãos madrugávamos, no domingo de Páscoa, para procurar nossos ovos.

O filho de uma amiga (a Vivi Bevilacqua, vizinha de blog), de uns 20 anos, veio com essa semana passada: “Ô mãe, eu estava pensando. Bem que você podia esconder meus chocolates esse ano”.

Boa ideia. Estou pensando em pedir a mesma coisa para a minha mãe, ano que vem.

Envie seu Comentário