Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 7 novembro 2012

Repórter atingido por pedrada em Criciúma: "Estava com um olho tapado de tanto sangue"

07 de novembro de 2012 10


Marcelo Becker
marcelo.becker@diario.com.br 

O repórter Jorge Domingos, da Rádio Difusora AM910, de Criciúma, que foi atingido por uma pedra, atirada em direção à porta do vestiário dos jogadores, após a derrota para o São Caetano, não pretende largar a profissão.

Apaixonado por esporte, considera o caso uma fatalidade e ressalta que um fone de ouvido ajudou-o a não sofrer um ferimento maior. Domingos conversou com o Diário Catarinense e contou como foi incidente.

Diário Catarinense _ Como foi esse incidente?

Jorge _ Assim como em outras partidas eu trabalhei nas arquibancadas entrevistando torcedores e depois do final do jogo corri para o pátio do estádio para pegar mais alguns depoimentos do público ou algum dirigente. Foi quando cerca de 100 torcedores que estavam perto da porta que dá acesso aos vestiários entraram em conflito primeiro com os seguranças e depois com a Polícia Militar.

DC _ Foi quando você levou a pedrada na cabeça?

Jorge _ Eu estava no ar, descrevendo a situação, quando tentei me proteger e fui atingido. Por sorte eu usava o fone de concha que amenizou o impacto da pedrada. Ainda no ar eu pedi socorro. Fiquei tonto me agachei entre dois carros. Estava com um olho tapado de tanto sangue e fui socorrido pelo meu colega Tony Marcos. Fui levado de ambulância para o Hospital São José, onde fiquei cerca de uma hora.

DC _ Pretendes continuar trabalhando com o futebol?

Jorge _ Com certeza, é a minha paixão. Eu era gandula em 1991 quando o Criciúma ganhou a Copa do Brasil e faço esporte amador em toda a região. Sempre digo que fico feliz por isso ter acontecido comigo e não com uma criança. Já pensou se essa pedrada atingisse uma criança de colo?

Nesta quarta-feira, Jorge recebeu a visita do atacante Zé Carlos, que foi prestar apoio e solidariedade ao radialista.

"Temos falhado muito", diz Paulo Comelli após derrota do Criciúma

07 de novembro de 2012 5

Comelli lamentou a derrota para o São Caetano. Foto: Maurício Vieira / Agência RBS

A derrota do Criciúma para o São Caetano trouxe decepção aos torcedores do Tigre. Depois da derrota para o Joinville, no último sábado, os tricolores esperavam uma vitória que significaria o acesso à Série A. Ela não veio e, agora, deixa a equipe em alerta. Apesar da vantagem de quatro pontos para o quinto colocado, o momento incomoda o treinador Paulo Comelli.

— Nós estávamos em uma situação tranquila da competição e poderíamos ter definido a nossa situação. Procuramos fazer de tudo, conversamos, orientamos e até uma palestra motivacional a gente fez. Temos falhado muito e foram erros que não podem acontecer mais. Tínhamos uma situação que era muito boa. Logicamente só depende do Criciúma ainda, mas você dá oportunidade aos adversários — disse o comandante.

Comelli aproveitou para criticar a postura da torcida após a derrota, que se manifestou negativamente com o resultado. Além de um problema com um repórter atingido por uma pedra, houve um incidente com as mulheres dos atletas.

— Acabou tendo um incidente com as esposas dos jogadores. Os jogadores saíram para ver o que acontecia. Logicamente, há uma frustação. A torcida fica chateada e com razão. Esperávamos o acesso no sábado e não veio.

Repórter agredido após jogo do Criciúma contra o São Caetano se recupera bem

07 de novembro de 2012 18

Foto: Marcelo de Bona / Portal Engeplus

O repórter Jorge Domingos, da Rádio Difusora AM910, passa bem após ter sido atingido por uma pedra na cabeça. Após a derrota do Criciúma para o São Caetano, os torcedores do Tigre se exaltaram e atiraram pedras em direção a porta do vestiário dos jogadores, local em que o repórter estava.

Jorge foi socorrido por outro repórter da Difusora na partida, Tony Marcos, e encaminhado ao hospital, onde levou quatro pontos no ferimento e foi liberado em seguida.

>>> Veja imagens da confusão após a partida

Na manhã desta quarta-feira, Jorge Domingos conversou com a reportagem da Difusora:

- Isso acontece com que está no meio. Estamos ali para fazer o nosso trabalho, levar ao ouvinte as manifestações e é lamentável pois eu estava muito próximo da entrada do vestiário e fui atingido. Quero agradecer ao Tony Marcos que estava ali, buscou ajuda e em questão de minutos os paramédicos chegaram. Havia muitas crianças, familiares de jogadores preocupados porque se eles saíssem na porta, com certeza, aconteceria algo de mais grave. Estou bem, graças a Deus, tomei quatro pontos, mas vou me recuperar, mas isso não pode acontecer.

*Com informações da rádio Difusora AM 910.

Após susto com agressões da torcida, Rampinelli diz que Tigre fica no G-4 até a última rodada

07 de novembro de 2012 20

Agressões no Heriberto Hülse. Foto: Flávio Neves

Com o resultado negativo contra o São Caetano na noite da última terça-feira, o diretor de futebol do Tigre, Waldecir Rampinelli, soube lidar tranquilamente. Já com as agressões e pedradas por parte de alguns torcedores do Criciúma, Rampinelli ficou assutado. Após a partida, o dirigente pediu calma ao torcedor. Pediu também desculpas,  no intuito de acalmar os torcedores mais nervosos:

— Eles precisam ter um pouco de calma. Os atletas não podem ser agredidos, não é momento de agressão. É um momento de união, mas faz parte do jogo. Claro, ninguém queria perder. Depois do jogo do Joinville estávamos concentrados no jogo contra o São Caetano para revetrer o nosso resultado. Pedimos que os torcedores não agridam ninguém, nem quebrem nada. Não precisamos passar por essa situação delicada deste jeito. Se for preciso pedir desculpas, então eu estou fazendo isso oficialmente, peço desculpas ao torcedor.

O diretor do Criciúma disse ainda que não é preciso agressão e que o Tigre ficará no G-4 até a última rodada:

— Peço que o torcedor tenha paciência e não agrida aos atletas, que isso não vai levar a nada. Esse time está no G-4 desde aprimeira rodada e vamos ficar no G-4 até a última rodada.
Confira a galeria de fotos da manifestação da torcida no Heriberto Hulse