Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 junho 2006

O gol contra da Nike

04 de junho de 2006 12

O novo problema de Ronaldo: chuteiras novas/Fernando Llano, AP
Nunca tinha visto nada parecido na história do marketing esportivo. Um legítimo gol contra aos 90 minutos de uma decisão mundial.

O segundo melhor garoto-propaganda da Nike, Ronaldo Fenômeno (o primeiro é o Gaúcho), falou assim, já de chinelos, no banco de reservas do Brasil

– As feridas foram causadas pelas costuras da nova chuteira.

A sua nova chuteira, fabricada sob medida e com todos os cuidados da Nike, foi a razão das bolhas nos pés. Ele mudou duas vezes de chuteira, confecionada com a certeza das novas tecnologias, mas não adiantou. As bolhas nos pés o tiram de campo. Uma delas estava em carne viva.

O mico foi ainda maior porque as tevê mostrou o roupeiro da Seleção tentando um remendo caseiro na chuteira azul novinha e folha.

Alguém da Nike não deve estar dormindo bem neste domingo, cinco dias antes da Copa.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Os quadrados e o 12º titular

04 de junho de 2006 1

Robinho é o 12º titular de Parreira/Fernando Llano, AP
O Brasil da bola está dividido em dois. Os que não gostam do quadrado e os que apostam no quadrado. Parreira fala em quadrado, aposta no sistema, mas garante que que batizou o quadrado de %22mágico%22 foi a mídia. Ele jamais tratou seu esquema assim.

Um) Os fãs do quadrado são imensa maioria. Eles têm certeza absoluta que bastam jogadores talentosos para vencer uma Copa. E, depois, quem precisa marcar os talentosos brasileiros são os adversários, nunca os brasileiros. Imaginam que o futebol ofensivo é capaz de tudo. Raciocinio simples. Quantos jogadores são necessários para cuidar de perto de Ronaldinho, Kaká, Ronaldo e Adriano? Seis, no mínimo. Fora o goleiro, sobrariam mais três. Será que estes três pode fazer algo contra outros seis verdes e amarelos?

Dois) Os inimigos do quadrado são os fãs do futebol defensivo. Homens de pouca fé no poder dos atacantes, capazes de rechear o meio-campo com dois volantes, mais um ou dois meias, talvez apenas um atacante lutando contra gringos de 2 metros de altura por 3 de largura. Lembra que Parreira deixou Romário e Bebeto na frente para vencer a Copa dos EUA. Recordam que Felipão usou algo semelhante ao 3, 5, 2 (Rivaldo e Ronaldo) para trazer a primeira Copa da Ásia. E que, talvez, só em 1970 o Brasil entrou com uma estratégia tão voltada ao ataque.

Na real, o Brasil tem dois quadrados engatilhados:

1) o atual, que já fez três jogos e muitos gols

2) e o com Robinho, que jogou mais, e que começou a funcionar em Porto Alegre, no ano passado, quando o Brasil venceu o Paraguai, no Beira-Rio. No vacilo do primeiro, Parreira tira Adriano ou Ronaldo, o que estiver pior, e coloca Robinho.

Aliás,Robinho é o 12º titular da Seleção Brasileira. Não existe um 13º fixo.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Sobre os favoritos e uma zebra

04 de junho de 2006 5

Van Basten, técnico da Seleção da Holanda/Ermindo Armino, AP

1) O Brasil ainda não encarou uma seleção de primeiro nível em 2006. Mas como o país tem os melhores jogadores do planeta, provados e aprovados, todos esperam o melhor da Seleção. Não há uma alma que possa dizer o contrário. Contra a Nova Zelândia, que vive na pré-história da bola, a goleada foi mais fácil que um treino.

2) A Inglaterra está exibindo a sua melhor geração desde 1966. Mas perdeu o seu melhor atacante (Rooney), desde Kevin Keegan. Seu substituto, Crouch, marcou três vezes contra a Jamaica. Dos aspirantes ao título, depois do Brasil, é o que está melhor. Poucos jogadores no mundo estão jogando tanto quanto Lampard, candidato ao melhor da Copa.

3) A Argentina ainda busca soluções ofensivas. Como não tem mais um Batistuta, e sabe que Crespo não funciona, tanta um plano B uma semana antes da sua estréia. Mas, por outro lado, conta com Messi, já recuperado da lesão muscular.

4) Van Basten está exibido uma nova Holanda. Sem a experiência de Davids e Seedorf, mas com a juventude e o talento de Robben e Van Persie. Nunca desde os anos 70, os holandeses tiveram um time com tantos brancos e tão poucos negros.

5) Se você procure uma zebra, descarte Portugal ou os africanos. Fique concentrado na República Tcheca. Seu líder é um dos melhores homens de meio-campo do mundo, Pavel Nedved, da Juventus. A seleção só não foi campeã da Europa em Portugal, dois anos atrás, por um capricho do futebol. Foi derrotada pela Grécia, que nem no Mundial está.

6) Em 16 Copas, do Uruguai ao Japão, nunca houve zebra. Os países periféricos do mundo do futebol nunca conseguiram subir no pódio.

7) Como acreditar na Alemanha se nem os seus mais fiéis torcedores acreditam? Uma seleção não pode dar certo quando o seu melhor jogador é um goleiro (Lehmann).

Postado por Zini, Porto Alegre,

Bookmark and Share

A Copa do Churrasco

04 de junho de 2006 0

No Mundial do Churrasco, deu Argentina/Roberto Candia, AP
Os argentinos largaram na frente. Ganharam a Copa do Churrasco.

Veja só o assado que os hermanos alemães dos hermanos argentinos prepararam na chagada dos jogadores em Heroldsbach, na Alemanha. É, eles precisa de força mesmo, da popular sustança. Seus adversários, no chamado Grupo da Morte, o C, são Costa do Marfim, Holanda e Sérvia e Montenegro.

O último título argentino foi há 20 anos, com Maradona na maior fase da sua vida. E hoje não há Maradona. Quanto muito um Messi, talvez um Riquelme, mas jamais um Crespo ou um Saviola poderão fazer a diferença.

Você acredita na Seleção da Argentina. Eu acredito e boto fé. A atual geração de jogadores é da melhor qualidade.  

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

O rumo da bola de Felipão

04 de junho de 2006 1

Quantos balõezinhoes será que ele consegue?/Paulo Duarte, AP
Quem disse que Luis Felipe Scolari não dava mais que dois balõezinhos sem deixar a bola cair na grama?

Em Marienfeld, onde Portugal treina para enfrentar Irã, Angola e México, o técnico gaúcho bem que tentou. Mas a bola subiu, desceu, subiu outra vez, caiu nas costas, voltou a descer. A bola não ganhou controle, nem rumo.

O ex-zagueirão do Caxias nunca foi íntimo da bola, mas como técnico ele sabe e ensina. O Brasil inteiro conhece, Portugal está sabendo e nunca, em toda a sua história, esperou tanto de um Mundial como o da Alemanha, que começa sexta-feira.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Assim ninguém segura o Brasil

04 de junho de 2006 2

A legítima fã do verde e do amarelo/Fernando Llano, AP
O Brasil precisa de mais fãs assim para chegar ao Hexacampeonato. Todo os seus 11 craques jogariam duas vezes mais.

Imagina Ronaldinho jogando por dois. Não há inglês, argentino ou alemão que nos segure.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Um zagueiro na rua

04 de junho de 2006 1

Você reconhece (ou conhece) Rafael Marquez?/Claudio Cruz, AP
Colega de Ronaldinho, amigo de Eto%27o e Deco, às vezes companheiro de zaga do azarado Edmilson, Rafael Marquez foi eleito um dos melhores zagueiros do Campeonato Espanhol.

Na Copa, com o México, loge do seu Barcelona, Marquez quer provar que não veio jogar apenas a primeira fase da Copa.

Ontem, na ruas de Goettingen, usou disfarce para não ser reconhecido. Mas será que você o reconheria numa rua da Alemanha ou de Porto Alegre?

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share