Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 19 maio 2008

Final da Champions League desconhece favorito

19 de maio de 2008 3

O cobiçado troféu europeu que será entregue no Luzhniki Stadium, em Moscou/MIcha Japaridze, AP

Manchester United e Chelsea fazem a final da Champions League, em Moscou, quarta-feira. É um jogo só, ao contrário das semifinais, por exemplo, onde os clubes se enfrentavam duas vezes.


Numa dupla de partidas eu até apostaria no Manchester United, que jogou o melhor futebol do mundo nos últimos 10 meses. (E você está com quem na decisão?).


Como é um jogo só, qualquer adianto, qualquer posicionamento, é suicídio. Os 90 minutos da decisão podem apontar qualquer um dos dois gigantes ingleses como vencedor. Uma falha, um cartão vermelho fora de hora, uma desatenção pode fazer toda a diferença. Não há uma segunda chance, uma possibilidade de recuperaçã, outros decisivos 90 minutos.


O United tem mais time, mais técnico, mais qualidade. O Chelsea, porém, é um time mais forte, mais alto e também tem muita qualidade.


Quem deve começar no banco do Chelsea é, curiosamente, o lateral-direito brasileiro Belletti, que marcou o gol do título do Barcelona na temporada de 2006, diante do Arsenal, que jogou com 10 durante quase toda a partida, depois da expulsão do goleiro Lehmann.


Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Inter murcha longe do Beira-Rio

19 de maio de 2008 14

Depois de tocar o Céu, encontrar o Paraíso, golear o inimigo número 2, (Juventude, 8 a 1), levantar o título gaúcho, após dois anos de jejum, o Inter mergulhou nas seus piores 100 horas de 2008. Levou um fundaço na Copa do Brasil, 3 a 1, em Recife. Caiu outra vez em São Paulo, 2 a 1 ante o Palmeiras.


Na segunda rodada do Brasileirão, o Inter, um dos favoritos ao título segundo boa parte dos cronistas esportivos do país inteiro, é apenas um modesto 11º colocado _ mais fragilizado, o Grêmio é um surpreende sexto.


 Sem exibir bom futebol longe da sua massa vermelha, depois de sucessivas derrotas para Juventude, Paraná, Sport e Palmeiras (1 a 0 contra o Juventude (que já havia feito 3 a 0), 2 a 0 diante do Paraná, 3 a 1 frente ao Sport e, por último, o 2 a 1 para o Palmeiras), a direção do Inter prefere culpar os árbitros por todas as derrotas. Abel Braga faz coro.


Claro que a explicação é simplista, rasa. Retira dos ombros dos dirigentes todas as culpas. Marcelo de Lima Henrique (RJ) viu um pênalti em Valdivia que apenas os palmeirenses confirmaram. Erro, mas acertou a expulsar o violento Edinho, mais Guiñazu.


O que se viu num quase oco Parque Antártica, na noite de domingo, foi um Inter prejudicado pela atuação peladeira de Edinho, que acertou o tornozelo de Valdivia na frente do juiz. Foi mal o volante, desequilibrou todo o time, ajudou o adversário. Jogador experiente não age assim.  Com 10, o Inter perdeu o controle do jogo e podia ter sofrido uma goleada no primeiro tempo. Índio salvou, fez 1 a 1 mas o pênalti destroçou os gaúchos.


Olhando o futuro, o Inter busca o Flamengo, sábado, no Maracanã. Será outra vez um time descaracterizado, sem Edinho e Guiñazu, parte da sua força defensiva. O Inter tem atuado sem os seus melhores 11, quando os tem, um é expulso, como domingo passado.


O Inter tem sérios problemas nas duas laterais. Fernandão anda jogando muito recuado e pouco, Alex anda omisso e não chuta mais ao gol com a regularidade de semanas atrás. Nilmar é um ser isolado no ataque, joga longe da área e só recebe lançamentos longos ou bolas para dividir com os zagueiros.


Abel Braga tem um pouco de culpa. Seu Inter poderia estar melhor organizado.


O vibrante Inter do Beira-Rio não é mesmo quando embarca num Boeing e joga fora. O Maracanã será um bom teste. Se perder outra vez, aí sim, os árbitros serão postos de lado. Abel e os seus precisarão de todas as explicações do mundo para explicar outra derrota. 


O grupo de jogadores do Inter é qualificado. Seus salários são alguns dos maiores do país. A expectiva da torcida era enorme. O Inter começa o Brasileirão devendo futebol, ainda impactado pelo fracasso na Copa do Brasil.



 

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Time de Tinga vai repensar seu grupo de jogadores

19 de maio de 2008 16

Borussia Dortmund levantou o cartão vermelho e mostrou ao técnico Thomas Doll. O treinador de Tinga, contratado em 2007 e com emprego até 2010, caiu porque não conseguia fazer o time jogar um futebol de qualidade. Durante meses, o Dortmund rodou a parte inferior da tabela, tonteando na beira precipício da Segunda Divisão da Alemanha.

 


A má campanha do clube está fazendo a direção repensar o grupo que vai vestir a camisa amarela e preta do clube na próxima temporada, que começa no segundo semestre. Não será difícil, portanto, a liberação do gaúcho Tinga, sonho de consumo do Inter e do Grêmio.


Por uma boa proposta Tinga sai hoje mesmo da Alemanha e volta ao Brasil.


Thomas Doll, 42 anos, recebeu uma compensação de 500 mil euros do clube pela sua dispensa antecipada.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Grêmio precisa de atacantes com urgência

19 de maio de 2008 27

Quase 24 horas depois do empate num Olímpico todo azul, e muito animando, as causas do injusto 0 a 0 ainda são buscadas, discutidas, analisadas. Falam no goleiro Bruno, o melhor em campo, destacam um dos seus aliados, as traves da goleira, atacam o árbitro Wilson Luiz Seneme (SP), que fez olho branco num pênalti lógico em Jonas no final partida.


Seneme não marcou porque não quis. Estava perto. Se fosse no Maracanã, e o pênalti se abrisse ao Flamengo e seus milhares de aliados rubro-negros, ele marcaria com absoluta certeza. Seneme está na média dos juízes brasileiros. De fraco para baixo. De má partida em má partida.


Goleiro, trave e juiz foram decisivos. Os inoperante atacantes do Grêmio, que parecem ter medo de entrar na grande área adversária e de tentar a jogada individual, também colaboraram. Assim como o técnico Celso Roth que manteve o seu esquema de três zagueiros mesmo quando o Flamengo não saía mais do seu campo. Que tirou Roger, um jogador que podia desequilibrar, meter uma bola em posição de gol, criar algo. Que ainda terminou um jogo em casa com três zagueiros, três volantes, Eduardo, Rafael e Makelele, e com um Rodrigo Mendes fora de forma e com o irregular Jonas.


O Grêmio fez uma boa partida, pegou um Flamengo jogando todo recuado, fugindo das suas melhores cacaterísticas. Empatou.


Se fosse mais ofensivo, se tivesse jogadores mais qualificados no ataque, o resultado seria outro. Estaria comemorando seis pontos em dois jogos e o sabor momentâneo de uma vaga na Copa Libertadores.


 

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share