Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Fifa tenta reduzir importação de jogadores

30 de maio de 2008 6

Michel Platini (UEFA) e Joseph Blatter (FIFA), D, são os mais poderosos do futebol da Europa e do mundo/AP
Da distante Austrália, do outro lado do mundo, direto de mais um congresso internacional da FIFA, chega uma boa notícia para o futebol brasileiro. A organização que controla o futebol no mundo, que manda e desmanda, lançou uma idéia para fortalecer as seleções _ fundamentalmente as da Europa. O presidente da entidade, o suíço Joseph Blatter, quer que os clubes contem com um máximo de cinco jogadores estrangeiros na formação das equipes no início de partida.

O novo projeto da FIFA já tem até nome: “6+5″. Ou seja: os time podem alinhar seis jogadores nacionais na partida mais cinco estrangeiros. O banco de reservas poderia ter, claro, mais cinco estrangeiros. Mas três deles entrariam em campo durante as partidas somente no lugar de outros estrangeiros. Os clubes poderiam continuar contratando um número elevado de atletas de outros países. Mas apenas cinco deles teriam permissão para disputar cada partida.

A proposição da FIFA, a decisão de defender a escalação de seis jogadores nascidos no país do clube mais cinco estrangeiros, não encantou todo mundo. Mas os dirigentes que cuidam de seleções na Europa acharam o máximo. Eles vivem reclamando que a importação exagerada de craques impede o natural desenvolvimento de novos jogadores em seu países. A Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF) apóia a proposta.

O outro lado, os donos dos clubes, milionários de dinheiro sem procedência e etc., não aprovaram a sugestão de Blatter e contra-atacaram. Dizem que a ausência de uma legião de estrangeiros vai enfraquecer os times, torná-los menos competitivos, afastar os fãs dos estádios, gerar menos dinheiro em publicidade.

A União Européia (27 governos) também é frontalmente contra a proposta do “6+5″, especialmente se afetar os países do seu grupo, onde não há mais fronteiras entre as nações. Onde um espanhol é igual a um italiano ou o alemão ao português. O mercado de trabalho é o mesmo para todos. O Parlamento europeu disse aos Estados membros e às associações esportivas que não aprovem as novas regras que criariam discriminações baseadas na nacionalidade.

A FIFA deseja ver o sistema “6+5″ implantado em 2011, protegendo assim a identidade de seleções nacionais como a Inglaterra, por exemplo. O Manchester United é campeão da Europa. O Chelsea da capital Londres é vice. Mas a seleção inglesa está fora da Eurocopa, a copa do mundo das seleções do continente, que começa dia 7 de junho. Somando os dois times, não vemos 11 ingleses em campo.

A Europa deve discutir muito a sugestão da FIFA. O Brasil vai ouvir de longe. O país é exportador. Se a idéia se transformar em lei, os investimentos em jogadores estrangeiros podem cair drasticamente. Talvez os melhores continuem indo ao Exterior de qualquer maneira. Mas não todos, não quase cem por cento.

Ninguém agüenta mais assistir o melhor futebol brasileiro só pela televisão. Olímpico e Beira-Rio merecem ter a sua grama ocupada, nuncaa maltratada, pelos melhores também.

 

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Comentários (6)

  • otavio diz: 30 de maio de 2008

    UMA DAS CONSEQÜÊNCIAS POSITIVAS SERÁ A REDUÇÃO DA EXPORTAÇÃO DE PROMESSAS. COM A LIMITAÇÃO,OS TIMES IMPORTADORES DEVERÃO SER MAIS SELETIVOS PRÁ NÃO QUEIMAR O NÚMERO PERMITIDO DE ESTRANGEIROS. SE ESTOU CERTO, ISSO DARÁ UMA SOBREVIDA AOS NOSSOS INICIANTES. O OBINO, PARTICULARMENTE, NÃO PRECISARÁ COLOCAR O DOUGLAS NA SOLITÁRIA, EM LUGAR ERMO, INCERTO E SÃO SABIDO. CONSEQUÊNCIA OUTRA É A REDUÇÃO DO VALOR DESSAS PROMESSAS. NIGUÉM VAI PAGAR 50 MILHAS POR UM JOGADOR DESCONHECIDO DO JUVENTUDE.

  • silvio jaime fernandes diz: 30 de maio de 2008

    Zini:…Também esta na pauta da FIFA, que as Seleções Nacionais só podem usar estrangeiros naturalizados por mais de 5 cinco anos.

  • borracho diz: 30 de maio de 2008

    ZINI agora com a saida do edu costa o gavilan de graça seria muito bom divulgue isso por favor.

  • Eduardo Rodriguez diz: 31 de maio de 2008

    Caro Zini, O verdadeiro futebol está nos clubes. Ás seleçoes sao todas discutíveis, porém sao a fonte de vida da FIFA. Chegará o dia em que passarao de moda as seleçoes?

  • lucas diz: 2 de junho de 2008

    vai melhorar muito o futebol brasileiro mas eu acho que os clubes da europa vão fazer tanta pressão em cima da fifa que vai acabar não dando certo isso.

  • Rafael diz: 31 de maio de 2008

    Ótima idéia que, além do mais, vai acabar reduzindo o valor dos salários dos jogadores que jogam no Brasil, uma vez que a comparação com os salários europeus irá para o espaço devido ao número reduzido de vagas que haverá na Europa para estrangeiros. Enfim, se isto realmente acontecer, vamos ter nossos jogadores medianos de volta (já que os melhores vão continuar saindo de qualquer forma) e a máscara de muito jogador vai cair.

Envie seu Comentário