Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Inter e Boca têm a mesma missão

20 de outubro de 2008 18

O maestro dos maestros argentinos do momento, Riquelme é um jogador que merece ser observado ao vivo no Beira-Rio. Ele vale um jogo inteiro. /Natacha Pisarenko
Fiquei distante do Inter no curto final de semana. Sai de Porto Alegre, viajei, fui tomar chuva em Santa Catarina. Na casa onde dormi não havia tevê. Só música. Reencontrei a realidade domingo no final do dia quando canal 39 piscou na minha frente surpreendentemente em outro lugar, em Florianópolis, e eu pude assistir a pior exibição do Grêmio do atarantado Celso Roth em meses.

 

Conheci detalhes de Inter e Atlético PR (2 a 1) por ZH – Nilmar e Alex, sempre eles. Falei com colegas da Redação que foram ao jogo e observaram o mesmo Inter do período Pifero/Luigi, um time inconstante, uma equipe irregular, um grupo imprevisível. O Inter dos nossos dias é inconfiável. Nunca se sabe o que esperar dele.

O Inter da administração Vitório Pifero tem alguns mistérios que eu não consigo entender, solucionar, resolver. Talvez você posso me oferecer uma luz.

Em dois anos, o Inter nunca acertou o time completamente, nunca alcançou a sonha regularidade. Saiu Abel, entrou Abel, veio Galo, chegou Tite, três técnicos de características distintas, e o grupo jamais fez a torcida se mostrar confortável, – fora jogos esporádicos, como o irrepreensível e histórico Gre-Nal dos 4 a 1. Goleada em clássico é quase nada num ano de Libertadores como meta.

Não há uma só voz no Brasil de mais de 100 milhões de técnicos de futebol que ache os jogadores do Inter passageiros de uma equipe de última. Pelo contrário, Índio, Sorondo (quando joga), Magrão, Guiñazu, Alex, D`Alessandro e Nilmar são jogadores de primeira qualidade. Dos sete, três são de seleção. Todos, porém, seriam titulares em qualquer grande time do Brasil.

Onde está centrado o problema? Na direção? Nos técnicos? Nos jogadores? Eu diria que em todos, cada um tem o seu naco de responsabilidade. Enquanto a ponte entre os três setores não estiver completa, apesar dos esforços do ex-presidente Fernando Carvalho, vestindo agora o uniforme de assessor especial de futebol, nada vai funcionar com a regularidade de um time de futebol. O Inter ainda busca o seu ponto de equilíbio dentro do Beira-Rio.

A saída honrosa ao Inter no ano que insiste em não acabar é uma só. Ganhar a Copa Sul-americana, título inédito no Beira-Rio e no Brasil também.

A Sul-americana é um título de pouca importância aos que estão lutando pela Libertadores no Brasileirão. Mas é uma opção para os times que olham o G-4 de longe.

O problema é o adversário do Inter. O Boca é o grande time do continente. É uma grife do futebol. Mesmo longe dos seus dias superiores, distante da disputa do título argentino, o Boca repete o Inter na Argentina. Usa a Sul-Americana como escape, como presente de Natal ao torcedores carentes.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Comentários (18)

  • Gustavo Rodrigues diz: 20 de outubro de 2008

    Obrigado pelo post,Zini.Mas,falando em Inter,eu acredito que o grande problema deste time vem da falta de planejamento que a direçào vem tendo nestes últimos dois anos.Claro que jogadores e técnicos têm sua parcela.Pequena,mas têm.Piffero-Luigi foi uma parceria infeliz.Parecem muitas vezes vendados.Não enxergam os erros,não vislumbram soluções. Apenas procuram explicações pálidas(juíz,campo ruim,vento contra,etc).O inter precisa é mudar de rumo.Lembrar do passado mas olhar para apenas pra frente

  • FERNANDO ROTTA GRACIOLLI TOLLER NOAL – CAMPEÃO DO MUNDO FIFA diz: 20 de outubro de 2008

    O PROBLEMA DO INTER FOI A COPA DUBAI E ATUALMENTE O TREINADOR E VITORIO PIFERO.
    VOLTA FERNANDO CARVALHO … PELO AMOR DE DEUS,,,,,,

  • adriano diz: 21 de outubro de 2008

    o prob é esse time meia boca q montaram, a falta de planejamento, só se fala em centenario la no beira, o inter tem meia duzia de ótimos jogadores e só, não tem um técnico competente, não tem bons jogadores nas laterais do campo, não tem força pra se impor jogando fora de casa e por fim a toda hr tem algum jogador cometendo erros estupidos dentro de campo, o q mostra claramente uma total falta de concentração na busca de um objetivo maior q seriam os titulos.

  • Luis diz: 21 de outubro de 2008

    Obrigado, Luis. Erro de digitação corrigido.

  • RENATO CAETANO NASCIMENTO diz: 20 de outubro de 2008

    AMIGO: NÃO ADIANTA COMPRAR O MELHOR ELENCO DO BRASIL, E DEIXAR NAS MÃOS DE TITE, PÍFERO E LUIGI. VEJA O CO-IRMÃO: O CELSO ROTH NÃO É MAU TÉCNICO, MAS O TIME QUE DERAM PARA ELE… E VÃO COBRAR O QUÊ? NÃO É SEMPRE QUE SE TIRA LEITE DE PEDRA… QUEM INVESTE ENORME QUANTIDADE DE DINHEIRO PARA TER O ELENCO QUE O INTER TEM, PAGA UM TÉCNICO QUE FAÇA JOGAR. QUE SAIBA E TENHA SOLUÇÕES, QUE DÊ ORDENS E QUE MANDE COMO FAZ O LUXEMBURGO AS ESTRELAS PARA O BANCO QUANDO NECESSITAM “CADEIRINHA DE PENSAR”.

  • Gabriel diz: 20 de outubro de 2008

    Realmente acho que o maior problema do Inter na atualidade é a falta de planejamento da diretoria. A verdade é que, em 2008, priorizaram a Copa Dubai. Resultado: os jogadores chegaram no meio do ano já cansados, uma vez que não tiveram tempo pra descansar no final do ano passado e início deste. 2007 e 2008 tiveram as mesmas falhas, mesmos discursos e, pelo jeito, nada se aprendeu. Temo que tenhamos uma repetição desses erros no Centenário.

  • Jonas Rafael diz: 21 de outubro de 2008

    O Riquelme só jogou duas partidas boas na vida e foi contra o Grêmio. Também com o juiz deixando ditar o ritmo do jogo não tinha como não jogar. Pessoal exagera muito a importância dele. É um mascarado estilo Ronaldinho que joga uma partida a cada 100 e na maioria dos jogos some.

  • Jonas Rodrigues diz: 21 de outubro de 2008

    Se o Boca usa a Sul Americana como escape, deve ser escape para os seus reservas, pois estes é que têm jogado a Copinha. Quanta desinformação !

  • Carlos diz: 21 de outubro de 2008

    A Direção tem boa parcela de culpa, mas muitos méritos também: a manutenção de Guiñazu, Alex e Nilmar, a contratação de D`Alessandro, os planejamentos para viagens, avião fretado e outros, acho q o grande Prob foi a rotatividade de jogadores a saída de uns Fernandão, Renan, Sidnei, Yarlei e a chegada de outros em meio a competição a janela de Agosto tirou todo o foco e agora não tem como recuperar, tem de montar um time no início do ano e depois manter tipo o time de cabeça de bagre da Azenha

  • Carlos Alberto Rathunde diz: 21 de outubro de 2008

    Me respondam uma coisa: Quem acha que se o Inter tivesse Luxemburgo, ou Altuori ou Leão no comando, as coisas seriam diferentes? Então: a culpa é dos treinadores de segunda para um elenco de primeira. Abel é fraco, Galo é fraco e Tite é fraquíssimo.

  • HELOÍSA PIRES diz: 20 de outubro de 2008

    Eu acho interessante as pessoas confudirem “um planejamento que não deu certo” com “falta de planejamento”. O INTER, desde que saneou o futebol, possui um planejamento de longo tempo, ou seja, há tempos que o INTER planejou Libertadores, Campeonato Mundial, Ano do Centenário, etc. É como se fosse um planejamento plurianual, com uns 4 anos de antecedência. Além disso, ANUALMENTE, projeta um planejamento para o ano próximo, que as vezes não dá certo, como qualquer planejamento que se faz na vida.

  • jo diz: 20 de outubro de 2008

    tu e muita gente se esquece que se o inter ganhar a sulamericana estará em 2 finais internacionais no ano do centenário e poderá ser o único clube no brasil a ter todos os títulos brasileiros e sulamericanos isto sem falar da possibilidade que entrar na pré libertadores!isto é futebol orofissional e marketing esportivo!

  • silvio jaime fernandes diz: 20 de outubro de 2008

    Olá Zini: – Teu comentário não está longe da verdade.Lastimavelmente a “dupla diretora” do Inter estão longe de serem bons gestores.
    A Sul Americana deve ser focada fortemente.Além do título inédito, dá ao Inter a chance de ganhar a Recopa.Mesmo não classificando para a Libertadores 2009, o ano de 2008, não seria de todo ruim.
    Mas…ainda acredito no G4.

  • Marcelo diz: 21 de outubro de 2008

    concordo com todos, foi pura e simples falta(erro) de planejamento, a disputa dessa tal de Dubai, não é pré-temporada (essencial na preparação de uma equipe para enfrentar uma temporada), é uma Copa que vale título e principalmente DINHEIRO, me preocupa muito essa vontade da nossa diretoria em disputar a Dubai Cup em 2009, não estão aprendendo com os erros do passado, é como diz o ditado: “errar é humano, permanecer no erro é burrice”

  • Dirceu diz: 21 de outubro de 2008

    Ta certo o inter teve um ano muito ruim, mas eu acho que voces detonam um produto, que partacipam. Nao deve ser encarado como saida honrrosa mas sim como um titulo, que nenhum brasileiro ganhou.

  • Eduardo Oliveira dos Santos diz: 21 de outubro de 2008

    Desculpe, mas a sua visão sobre o Boca está equivocada. O Boca venceu o super clássico contra o River Plate e está em 4º lugar no Apertura, oito pontos atrás do San Lorenzo. E ainda almeja conquistar um vaga para a Libertadores, esse sim o grande objetivo deles. Na Sul-Americana estão jogando com time reserva, no máximo um ou dois titulares vem a Porto Alegre enfrentar o Inter.

  • ROBSON DE CASTRO LEMES diz: 21 de outubro de 2008

    jonas rafael ta chapado mano? vem dizer que o riquelme e o ronaldinho jogam bem uma partida a cada 100, então é injusto ser o melhor do mundo 2 vezes?que inveja…quem joga joga mesmo é o dalessandro…

  • ricardo fixman diz: 21 de outubro de 2008

    Olá, Zini!Infelizmente o mesmo que aconteceu em 2007 se repetiu em 2008. 1º -fechar o grupo de jogadores sem transferências. Quem quer sair, sai e tchau.Quem fica, fecha por 1 ano e fim de papo! 2º- preparador físico competente! e só agora temos 1. de resto é só baboseira. fechou o grupo qualquer treinador com o mínimo de esquema tira leite. Vejam o Roth! pode ser o que for, está em 1º com um grupo pior que do Inter. não foi Dubai nem nada!

Envie seu Comentário