Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Paulistas, cariocas, mineiros e a bola do Grêmio

28 de outubro de 2008 30

Sete rodadas antes do final do Brasileirão, 21 pontos ainda pendentes, mostra o irregular e desconfiado Grêmio numa desconfortável liderança. É um posto ameaçado e disputado a cada rodada, gol a gol, segundo por segundo. É uma posição invejada pelos outros 19 clubes da competição, por outras dezenas de torcidas.

 

Muitas vozes de fora (e de dentro) do Estado passaram os últimos seis meses dizendo que o Grêmio não tinha fôlego, futebol, estofo de líder. A seqüência de jogos disse o contrário.

O que acontece é que o futebol gremista não brilha, não se ele sobre os demais. O que rola é o clássico futebol de resultados. O que fica é uma liderança justa, embora quem vê o time, especialmente nos últimos jogos, mais fora do que no sagrado Olímpico, não acredita em liderança. Precisa abrir os olhos duas vezes e examinar a tabela três.

O Brasil desta quarta-feira joga contra o Grêmio. O país é o Cruzeiro do largo Mineirão de grama fofa. Seus 11 jogadores são as chuteiras da pátria. O inimigo nasceu no Sul, veste um azul mais escuro, menos celeste.

Olhando de longe, do nosso extremo, o pensamento geral é assim, somando o desejo de cariocas, paulistas e mineiros. Observando de perto, nem tanto.

Os cariocas, em sua maioria, quer o Flamengo na ponta, deseja absurdamente o ex-jogador Ronaldo no comando do ataque na Libertadores 2009. A minoria saudável e barulhenta de outras torcidas, Vasco, Flu e Botafogo, está ao lado do Tricolor. Tudo que fere o Mengão é mel no paladar dos fãs das outras equipes locais.

Os paulistas, que não gostam do São Paulo e perderam a fé no Palmeiras, preferem o Grêmio ao Flamengo, afinal o Mengão é do Rio de Janeiro e o paulista chama o Rio de “O Balenário” e a rivalidade no futebol é gigantesca. O renascido corintiano seca dia (e noite também) São Paulo e Palmeiras e ainda ri das agruras do Santos que, por sua vez, detestaria ouvir a explosão dos malditos foguetes em nome de Rogério Ceni ou de Diego Souza.

Nem Minas Gerais é totalmente anti-Grêmio, embora a fronteira com o Rio e São Paulo seja minadas de flamenguistas e são-paulinos, entre outras cores menos berrantes. O Galo, se pudesse, pintava a sua vistosa crista de azul, preto e branco. Pelo menos nesta decisão, o Atlético MG é bem mais gaúcho que mineiro quando a bola começar a rolar na sua capital.

No Brasil de hoje onde não existe mais esquerda nem direita, onde o católico troca de religião, o homem casa três vezes e as pessoas trocam de sexo, nunca vi um ex-gremista, ex-colorado, ex-flamenguista, ex-corintiano. Você conhece?

Muda a roupa, o cabelo, o peso, a dieta, o médico, o dentista, o emprego, o amigo, o banco, o carro, a casa e a sogra. Ninguém troca a cor do seu clube do coração, salvo numa fração de segundos de uma vida que é o tempo justo de uma partida de futebol.

A quarta-feira, 29 de outubro de 2008, é um destes raros momentos de uma existência. Cruzeiro e Grêmio ganharão milhões de novos torcedores temporários de diversas cores, um número muito superior ao seus fãs reais e jurados. Não pela paixão de verdadeiro torcedor, mas por interesse momentâneo, passageiro, que pode sumir rapidamente e sem deixar marcas depois de 90 minutos e alguns descontos ou, quem sabe, retornar domingo na próxima rodada.

Um interminável Brasil seca os dois, outro, dividido, aplaude um de cada vez. Cruzeiro e Grêmio jogam uma das mais importantes partidas da sua história recente e o país inteiro está de olho, menos pelo futebol, mais pela vontade de ferrar seu adversário mais próximo com as chuteiras de grife de mineiros e gaúchos.

No futebol, só nele, é permitido emprestar os sentimentos por 5.400 segundos, nunca por muito mais. O sentimento passageiro não carrega o coração nas suas aventuras clubísticas.

Postado por Zini, Porto Alegre

Bookmark and Share

Comentários (30)

  • Paulo diz: 29 de outubro de 2008

    Belíssimo texto. Parabéns

  • Rafael Pereira diz: 29 de outubro de 2008

    Não gostei do texto… não acho que a realidade seja essa… os paulistas não gostam do São Paulo e preferem o Palmeiras??? Eles não gostam é dos gaúchos… pra eles até um time de Roraima pode ganhar contando qe não seja Grêmio e/ou Inter…

  • antonio diz: 29 de outubro de 2008

    E x c e l e n t e.
    Isto é um crônica bem pensada e bem escrita.
    Parabéns.

  • Eliot Teixeira diz: 29 de outubro de 2008

    Epico! Parabens Zini!

  • Ricardo José Stefani diz: 29 de outubro de 2008

    Zini, parabéns. Realista, racional e, principalmente, muito bem escrita. Essa a gente lê por prazer, independente da cor clubística.

  • Manfroi diz: 29 de outubro de 2008

    Caro Zini,

    Perfeito!!
    Poucas vezes, neste “campo” do futebol, onde todos sao metidos a comentaristas, um texto tao bem escrito.
    Parabens!!

  • Tiago diz: 29 de outubro de 2008

    Não costumo postar muito, apesar de sempre ler o blog. Mas este texto merece um parabéns.
    Belo texto.

  • Marcelo Caju diz: 29 de outubro de 2008

    Tudo bem Zini,o texto é belo,mas dizer que o Brasil contra o Grêmio,soa como o Universo x RS,menos né…Isso é o ônus do lider,ou vai dizer que ninguém aqui secou os lideres anteriores!?Caso o Grêmio vença esse CB,será pelos seus méritos e se vier a perder,pela sua incompetencia.Nem todos os cincos clubes postulantes ao titulo farão 21 pontos,e nem todos irão a Libertadores,então vai depender exclusivamente do seu proprio esforço,quem conseguir,derrubará automaticamente o outro.So isso.Abraços!

    Marcelo: Falamos em futebol e o líder sempre enfranta o resto do mundo. É normal em decisões, em grandes jogos. Hoje é o Grêmio, amanhã pode ser o Flamengo ou o São Paulo.

  • mozao47 diz: 29 de outubro de 2008

    e o futebol vistoso q o gremio apresentou no 1º turno vc jah esqueceu??? ou nao vale mais para justificar a lideranca????

  • dacio wladimir diz: 29 de outubro de 2008

    sensacional és o mago das palavras e que meu grêmio triufe em cima disso tudo que falaste…

  • frank diz: 29 de outubro de 2008

    Cara, que texto!!! PARABÉNS!!!

    Abraço

  • Marcos Almeida – GREMISTA diz: 29 de outubro de 2008

    Muitas vozes? tenha coragem e diga a MINHA voz.

  • MARCELO BERNARDES diz: 29 de outubro de 2008

    Muito bom o texto.Preferências a parte (a minha é TRICOLOR), é muito legal ver a paixão das torcidas aguçadas pelo pouco que resta do verdadeiro futebol. Aquele decidido dentro das quatro linhas, sem STJD, sem Eu_RICO, sem Sveiter, sem Ricardo Teixeira, sem Copa do Brasil com cento e tantos “votos”, quero dizer, clubes e por ai vai. É muito legal ver essa faceta das torcidas que “ontem” torciam pelo seu time e hoje só podem torcer pelo fracasso do rival. Viva a última chama da paixão nacional…

  • Zê diz: 29 de outubro de 2008

    Concordo plenamente contigo … hj vai ser o jogo do Brasil contra o Grêmio… mas é o preço de quem está no topo, sempre tem alguém querendo o teu lugar… normal , mas vamos lá galera tricolor… td pode acontecer. Avante

  • Pedro Prinz diz: 29 de outubro de 2008

    Belo texto Zini!

  • bik diz: 29 de outubro de 2008

    Parabéns,texto Brilhante.

  • JUAREZ diz: 29 de outubro de 2008

    Caro Zini, como sempre tua coluna é perfeita na análise do futebol e sua paixões. Mas, escrevo para responder-lhe que conheço um ex-gremista: após mais de 30 anos fanático pelo clube azul, junto com seus fiéis seguidores filhos…de repente este ano viraram a casaca. Vestem-se de vermelho, torcem ferrenhamente pelo rival colorado e ninguém sabe a motivação. Talvez, haja o arrependimento em dezembro, se já não está havendo, mas transparece que não. É pagar para ver. Mas EU conheço esse viracasaca

  • ´JOSÉ PETRY diz: 29 de outubro de 2008

    ESTE É O LEGITIMO COMENTARIO INTELIGENTE, ATINGE A TODOS .COM CERTEZA SERÁ APRECIADO POR TODOS.PRINCIPALMENTE OS FUTUROS CAMPEÕES.DÁ-LHE GREMIO.

  • Tassio Guichard diz: 29 de outubro de 2008

    Mais uma vez, BAITA TEXTO ZINI!

  • Marco diz: 29 de outubro de 2008

    fantástica leitura da cabeça do brasileiro quando o assunto é futebol!

  • vinicus diz: 29 de outubro de 2008

    “salvo numa fração de segundos de uma vida que é o tempo justo de uma partida de futebol”..heheh..boa zini

  • Renato diz: 29 de outubro de 2008

    Parabéns pelo texto!!!!

  • Maninha-Gremista diz: 29 de outubro de 2008

    Por isso que adoro ler os teus comentários Zini! Texto perfeito, quase poético! Um abração!

  • igor diz: 29 de outubro de 2008

    meus parabens

  • Marlus Mello diz: 29 de outubro de 2008

    Nada a comentar, Perfeito Zini!!!

  • Paulo Delmar diz: 28 de outubro de 2008

    Magnífico texto!!!!!!!!!! Parabéns Zini!

  • Leonardo Alvez diz: 29 de outubro de 2008

    Correção: pela festa que fizeram as torcidas de Grêmio e Inter no ano passado pela queda do Corínthians, acredito que eles estejam do lado do Cruzeiro. E eu também. Idem torço pelo São Paulo, Palmeiras e Flamengo.

  • Marco Antonio Dias Vunhas diz: 29 de outubro de 2008

    Zini! Muito bom o teu post! Emoção e realidade…um abraço meu caro!

  • mozao47 diz: 29 de outubro de 2008

    belas palavras, mas….. sempre foi assim o futebol zini… nao eh novidade …

  • Pobre futebol brasileiro diz: 28 de outubro de 2008

    Zini, que o gremio não tem time é um fato, que ele tá num posição além do futebol que tem é realidade. A culpa não é dele, é claro. Apenas podemos constatar a dura realidade do nosso futebol, do nível do futebol praticado no brasil. É a sobra. É o que restou depois da janela. Não tem time, ninguém tem time, nem gremio, nem cruzeiro, nem palmeiras. O São Paulo ainda é o melhorzinho, por ter plantel, direção e treinador. Não tenho dúvidas que será o campeão. Pobre futebol brasileiro de um time só.

Envie seu Comentário