Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Por que a Fifa descartou a tecnologia

12 de março de 2010 29

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, explicou quatro motivos que levaram a entidade a descartar a tecnologia nos campos de futebol, como o chip na bola.

1) O sistema para detectar se uma bola cruzou (ou não) a linha do gol é muito caro e não pode ser usado universalmente.

2) Muitos jogos, mesmo de alto nível, não são transmitidos pela TV. Há 900 partidas preliminares para uma Copa e todas as regras precisam ser aplicadas numa mesma competição.

3) As regras devem ser universais para as partidas e adotadas por todas as federações.

4) Se o jogo é interrompido, se quebraria o ritmo da partida. Não tem sentido deter o jogo para tomar uma decisão. A parada atenta contra a dinâmica natural do jogo de futebol.

E você, leitor do blog, concorda com as explicações da Fifa?

Bookmark and Share

Comentários (29)

  • Igor Kochanowski diz: 12 de março de 2010

    Chega de dinheiro e tecnologia no futebol. Precisamos de mais futebol raçudo.

  • Guilherme diz: 12 de março de 2010

    Concordo, acho que não precisava nem ter juiz, tinha que ser pediu parou. Tipo “” paro aqui, falta em mim….””” e deu !!!

  • Gustavo diz: 12 de março de 2010

    Ridículo. Desculpas de quem não quer mesmo fazer para continuar tendo condições de interferir nos resultados. Lamentável, a quadrilha da fifa e cbf continuará roubando.

  • Mauro diz: 12 de março de 2010

    E o quinto elemento: com a tecnologia os arranjos ficam mais difíceis de serem feitos. Imaginem um jogo onde não há erros de arbitragem (impedimentos, faltas, gols). O juiz fica sendo apenas um operador do jogo e não a autoridade máxima…

  • Luiz diz: 12 de março de 2010

    A meu ver, a FIFA quer é manter a possibilidade de alterar resultados conforme seus interesses ou quem sabe, não quer deixar explícita a incompetência da entidade em arbitrar jogos. O hockey, o futebol americano entre outros também são disputados em nivel mundial e possuem tais tecnologias o que anula o argumento da FIFA sobre custos. Sem falar da F1, onde sem as câmeras seria imposível saber o que houve. Até quando nós torcedores teremos que ver nosso time perder uma partida importante por que o “árbitro FIFA” não marcou um gol legítimo, uma falta decisiva ou um pênalti???? Todo esporte profissional que almeja seriedade e profissionalismo, deve aliár-se as novas tecnologias e tornar-se mais confiável e evoluido.

  • Walter Santos diz: 12 de março de 2010

    Não concordo…o motivo é único…se isto acontecer 80% dos resultados dos jogos serão modificados e isto não é bom prá eles que manipulçam resultados etc e tal!

  • Rafael diz: 12 de março de 2010

    Até concordo, mas melhor do que um aparelho pra ver se a bola passou ou não da linha, seria colocar um árbitro extra atrás de cada gol, pra ver não só se a bola passou como observar possíveis penalidades que o árbitro principal muitos vezes não vê!

  • BETO diz: 12 de março de 2010

    Mas é claro! Se ficar interrompendo o jogo toda hora vai durar 3 horas um jogo!!!! E a novela das 8 e as miniséries, como ficam?? Hahaha! Essa é que é a verdade. Esse tipo de coisa não é pro futebol, além do jogo realmente durar mto mais (é ruim até pro torcedor que vai ao estádio), daqui a pouco vai aumentar o preço do ingresso pra gente ter que pagar a tecnologia.

  • tacho diz: 12 de março de 2010

    plenamente.
    bola com chips ? só serve para quem vê o jogo pelos canais pago de tv ou nas LCD dos camarotes.
    pela volta da emoção no futebol ( anos 80 para trás).
    fora a televisão e a burguesia dos camarotes dos estádios que se divertem vendo os vândalos das torcidas organizadas soltos nas gerais; os dois estão acabando com o prazer do povo de ir aos estádios.
    pela volta às coréias e dos estádios com 80 mil pagantes e com muito menos violência.

  • FERNANDO COLORADO diz: 12 de março de 2010

    ATÉ QUE TEMOS ESTES RETROGRADOS NO COMANDO DO FUTEBOL VAI SER ASSIM.
    VEJAM COMO O FUTSAL E O VOLEY FICARAM MUITO MAIS EMOCIONANTES.
    FUTEBOL COM TECNOLOGIA SIGNIFICA ACOMPANHAR O TEMPO.
    OUTRA REGRA QUE ACABARIA COM UM MONTE DE CONFUSÕES(OU ROUBALHEIRAS)SERIA LIQUIDAR DE VEZ COM O IMPEDIMENTO(QUE FIQUE UM ZAGUEIRO MARCANDO O ATACANTE).
    MAIS UMA:APÓS UM NUMERO DE FALTAS ESTAS NÃO TERIAM MAIS A BARREIRA(AZAR DO INFRATOR).
    VAMOS MUDAR UM POUCO PARA PODER VER UM FUTEBOL MAIS BONITO E MAIS MODERNO.

  • Eduardo diz: 12 de março de 2010

    Eu acho completamente esfarrapada estas desculpas do Joseph Blatter.
    Se fosse assim, esportes como Futebol Americano e Tennis não reuniriam tantos seguidores.
    Basta tomar por experiência o último Superbowl, o 44, que deve um deslize cabal de um dos árbitros em relação à um Touchdown do New Orleans Saints que poderia ter cunhado para na vitória do Indianapolis Colts. Porém, após 10 minutos revendo o lance diversas vezes os árbitros decidiram por dar o Touchdown e isso transformou o jogo em um dos melhores dos últimos tempos.

  • Vaner Mombach diz: 12 de março de 2010

    Não concordo. Até quando estes velhinhos vão mandar no futebol? Ontem em Quito se houvesse consulta na TV o arbitro não teria passado pelo constrangimento de marcar um penalti absurdo e depois ficar o resto do jogo querendo compensar.

  • Geovani diz: 12 de março de 2010

    Não só concordo como também fico surpreso com tamanha coerência, pois todos os dias, só leio absurdos e bobagens na imprensa.

  • paulo wolff diz: 12 de março de 2010

    justificativas de m…. em competicoes de minima relevancia ha cameras de TV que poderiam comprovar se um jogador estava impedido ou se a bola cruzou a linha do gol. Na duvida, sempre se deixaria a jogada prosseguir e o quarto arbitro poderia dar o parecer do “replay” em segundos para o juiz da partida… nao entendo porque no tenis, por exemplo, a tecnologia pode ser implantada e no futebol temos este bando de cegos no comando. No minimo, eles tbm nao sabem sequer ligar um computador…

  • Edgar Ramos diz: 12 de março de 2010

    Porquê precisamos desse chip na bola, não poderiamos simplesmente utilizar cameras fixas nas goleiras? Essas cameras transmitiriam as imagens para uma central a poucos metros de distancia..
    Até pela internet, usando webcam , dá para transmitir imagens…

  • Alvaro diz: 12 de março de 2010

    Blatter vai passar e a tecnologia vai entrar no futebol, pois a tecnologia não vai sair de nossas vidas, ela vai ser mais forte com o tempo.
    Tudo desculpa para não assumir uma nova realidade.
    As regras são as mesmas para todos os jogos, mais e dai?…bola saiu, saiu, entrou, entrou, isso é a regra, ela não esta sendo mudada, e sim, estamos melhorando a qualidade de interpretar o lance.
    Lamentável estagnação, até quando?

  • pedro vargas diz: 12 de março de 2010

    Ué, cadê o comentário sobre a atuação do Inter ontem à noite? por que falar sobre um assunto da FIFA? que timão, hein? gastou todos os comentários antes do jogo, elogiando como sempre? de cada 5 comentários, trẽs são sobre o colorado, um sobre outro assunto e um depreciativo sobre o tricolor. Tens preferencia ou não?!

  • rodrigo diz: 12 de março de 2010

    É muito simples dizer que o problema é o preço, mas sabendo a grana envolvida que a fifa ganha chega a ser ridicula a explicação, todo mundo sabe que o motivo é que com toda a tecnologia fica dificil evitar certos favorecimentos, vide a entrada da Franca na copa com um erro clamoroso de arbitragem, ou a Italia favorecida por nosso “querido” Carlos Simon….

  • Leonardo Rathunde Jr. diz: 12 de março de 2010

    Sinceramente Zini, nada disso é aprovado, pois daí seria mais dificil conseguir manipular o resultado das partidoas, já que haveriam dispositivos para reavaliar a existência ou não de uma penalidade ou impredimento, bem como outros.
    Então, não aprovam pois existe manipulação de resultados em todsas as esferas do futebol…
    Lamentável….

  • Marcos diz: 12 de março de 2010

    A regra mais importante para mudar seria quanto à marcação do tempo. O futebol é o único esporte sme pontos fixos (como volei, tenis, etc.), cuja marcação do tempo não é cronometrada. 70 minutos de jogo marcado no cronômetro, teriam muito mais tempo de bola rolando e seria o fim das abomináveis ceras

  • André Flores diz: 12 de março de 2010

    FIFA acertou, o charme do futebol está nas questões do ‘foi ou não foi’ gol, penalti, falta e etc…

    O que seria dos comentaristas no dia seguinte? não teriam nada para debater….

  • GERSON FONTOURA(RIO) diz: 12 de março de 2010

    claro que não!explicações absurdas!!O CARA É UM DEMENTE!

  • rodrigo diz: 12 de março de 2010

    A FIFA quer é que continue com possibilidade de fazer falcatruas. só isso que justifica nao adotar tecnologia.

  • Joao Lise diz: 12 de março de 2010

    Lógico que concordo.

    A Fifa não poderia estar mais correta.

    Pra usar a TV nos jogos, todos os jogos teriam que ser transmitidos da mesma forma, pra não haver diferença no tratamento de jogos de A ou de B. Por exemplo, nos esportes onde a TV é usada (NHL e NFL) as transmissões são padrão. Todos jogos tem o mesmo número de câmeras colocadas no mesmo ângulo. Coisa que é impossível no futebol, pelo enorme número de jogos e pela arquitetura diferente dos estádios.

    Alguém pode dizer “mas e o tênis? Usa tecnologia mas as transmissões variam”. Sim, usa-se mas, apenas pra dizer dentro ou fora, não existem regras interpretativas, impedimentos passivos, bola na mão/mão na bola no tênis. A arbitragem do futebol é muito mais complexa.

    E a bola com chip é muito cara e é usada muito pouco. Não compensa o custo.

  • Mêlanie diz: 12 de março de 2010

    Concordo com o presidente. Principalmente com a primeira explicação. Se não pode ser para todos, então que nenhum use o sistema.

  • João Carlos diz: 12 de março de 2010

    Concordo com as três primeiras questões apontadas por Blatter. Aliás, quem defende o uso da TV parece esquecer dos milhares de jogos do interior, sem TV. Quanto ao ponto 4, onde fala em quebrar a dinâmica. Me poupe, né! O que quebra a dinâmica são as regras ultrapassadas, como transformar substituições em verdadeiras solenidades, o que impede de se usar o banco o tempo todo, como em outros esportes.

  • Jerkamp diz: 12 de março de 2010

    Sou a favor da tecnologia, mas por hora o futebol não está preparado pra ela e a FIFA deu explicações suficientes.

  • Renato diz: 7 de maio de 2010

    Acho que realmente a tecnologia não deve entrar nos jogos, pois vai perder a graça do futebol, como nós ficaríamos sem as falhas do juízes e bandeiras, não íamos nunca mais poder chingar ninguem. /O gostoso é realmente o ser humano, como jogador amador diria o seguinte, não poderíamos mais catimbar, ter malandragem no jogo, ia acabar os jogos serem muito técnicos, daqui a pouco ia entrar em campo robô. E a maravilha de gol de mão do Túlio, do Maradona onde ficaria esta maravilha do futebol. O povo tem que deixar como está. A mídia ja prejudica o futebol muito, pois eles levantam e derrubam um jogador ou árbrito. A maravilha do futebol esta puramente no ser humano, e não nessa tecnologia, que não viu um jogo no estádio não saberá oque estou dizendo. Ja pensou que gostoso ganha um clássico como o grenal, flaflu entreoutros com um gol robado, se fosse assim o santos não era campeão pulista este ano. O cara que narrou na band disse “seria uma injustiça se o Santos não ganhasse” sabendo que o Santo André foi roubado no gol, e aí porque não foi mostrado v´[arias vezes e discutido, porque não era interessante para a mídia.

  • Frederico Rodrigues diz: 27 de junho de 2010

    Que explicação medíocre, nada se justifica a inépcia dos retrogrados dirigentes em negar o uso da tecnologia, quantos milhões não são arrecadados em uma partida de peso, cuja bilheteria seria suficiente para investir nesse tipo de modernização. Poderia se fazer uma parceria com a própria emissora para que esta reprisasse o lance duvidoso. Faltou criatividade e vontade para solucionar o problema!

Envie seu Comentário