Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Itália encontra fundo do poço

24 de junho de 2010 1

A surpreendente queda da Itália, ainda mais que a da França, mostra como as falhas de dois técnicos experientes podem liquidar duas seleções tradicionais em Copas do Mundo em apenas 270 minutos. A dupla não se move sozinha, se movimenta com o apoio das suas respectivas federações, respondem aos presidentes das entidades, cada um na sua, mas têm licença para longos voos. Podem ousar.

Fico com Marcelo Lippi, campeão do mundo na Copa da Alemanha. Esqueço Raymond Domenech, vice no mesmo torneio.

Lippi ganha quase US$ 1 milhão por mês. Foi chamado depois do fracasso da Itália na Euro 2008. Foi recebido como esperança. Foi saudado como o salvador. Ele ganhou todos os títulos possíveis, da Copa da Itália passando pela Liga dos Campeões e até uma Copa do Mundo.

O que a esperança italiana fez?

Nada, quase nada, zero se a seleção italiana for analisada. Convocou errado.

Os melhores atacantes do país estavam longe da África do Sul, como Cassano e Balotelli, um que é inventivo, capaz da jogada diferenciada, do toque de qualidade. Lippi insistiu com atacantes sem qualidade, meros definidores.

Não é culpa de Lippi se a Itália não produziu um novo Toti e outro Del Piero, se Pirlo estava fora de forma, machucado, se Cannavaro envelheceu, se Buffon, um dos três melhores goleiros do mundo precisou abandona a Copa.

Mas é dele a falta de apresentar no Mundial uma equipe tão limitada, tão quadrada, tão sem criatividade, tão burocrática. Lippi se defendeu, quando precisou atacar no desespero levou três gols em 90 minutos. Achou que o seu ferrolho venceria outra vez. Perdeu. Não entrou nem na fase do mata-mata, onde, talvez, levada pela sua camisa, a Itália pudesse jogar o que não sabe.

Com quatro títulos mundiais, dona de uma torcida que ama o futebol, de um campeonato nacional que encanta o planeta, menos que antes, mas ainda conserva um certo charme, a Itália precisa se reinventar. Chegou ao fundo do poço, como disse Gattuso. Ficou em quarto lugar no Grupo F, atrás até da Nova Zelândia. Fez o fiasco do novo século.

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • ilidio nicolini diz: 25 de junho de 2010

    como diz o Romario, técnico nao atrapalhando já é uma grande coisa………a Italia é que nem o Vasco, só fiasco, em 1966 foi eliminada por 4 x 0 pelos coreanos…….ou como diria o Renato Gaucho……o futebol Italiano, sem o estrangeiro é uma piada…….nada de novo……………………

Envie seu Comentário