Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O tempo do gol

18 de agosto de 2010 8


Se depender do retrospecto de gols no Estádio Beira-Rio, pela Libertadores, o torcedor colorado vai demorar um pouco para soltar o grito rouco e aliviado de “é campeão”.

Apesar de ter ganho todos os jogos em Porto Alegre, o Inter, dos 11 gols que marcou, fez apenas dois no primeiro tempo (Deportivo Quito, 3min, e Banfield, 41min). Os outros nove foram anotados na etapa final, sendo quatro no último quarto de partida. Alecsandro foi o jogador que mais marcou em Porto Alegre: três gols.

No gol, o Inter tem Renan, que ainda precisa de uma grande partida para garantir a confiança do fã colorado depois da falha no Morumbi.

Bookmark and Share

Comentários (8)

  • Antonio Magalhaes diz: 18 de agosto de 2010

    Mas que bobagem

  • JV SALSA(DÃO) diz: 18 de agosto de 2010

    RESPEITO SIM,MEDO DE NINGUÉM.
    VAMOS SER CAMPEÕES COLORADO
    É TUA HORA NOVAMENTE RUMO AOS
    DOIS BI.D’LE INTER.

  • wilson santos diz: 18 de agosto de 2010

    mas jogos contra times extremamente retrancados….

  • JORGE diz: 18 de agosto de 2010

    POIS é HOJE ZINI A GRANDE PARTIDA DE RENAN, RUMO AO BI DA AMÉRICA.
    DALHE INTERRRRRRRRRRRR.

  • Danilo diz: 18 de agosto de 2010

    No Inter tudo é sofrido ultimamente. Melhorou significativamente com o Roth, a mudança na preparação física e o estabelecimento dos trabalhos em dois turnos. Acabaram as farras de muitos jogadores. Mas o sofrimento e as incertezas continuam, pela falta de planejamento e a qualidade de alguns jogadores contratados, com altos salários e pouca produção. Há dois anos não temos centroavante. O Alecsandro é mediocre. Não tem velocidade. Tem o raciocínio muito lerdo e apanha da bola. Alegam os golos que faz. O problema é que um outro, não falo nem em Nilmar, Pato, Fred, Luiz Fabiano, André e assim por diante, mas um razoavel como o Borges, o Waschinton, Jobson e outros do mesmo nível fariam o dobro. O Inter peca em não contratar atacantes com vocação para marcação de golos.Em decorrência, em que pese a maior posse de bola, os escores são minguados e as vitórias sofridas. O sofrimento é maior porque, ao que parece, continuamos com o problema de goleiros falhando em partidas descisivas. Esta Libertadores ficará na história como um exemplo de como ganhar sem plenejar. Espero que o Sóbis recupere o seu preparo físico, condicionamento e futebol, para que possamos vencer o mundial. `Seria interessante contratar um zagueiro para atuar ao lado do Bolivar e ficar atento na situação dos goleiros. O Pato é o mais experiente. Caso o Renan continue demonstrando insegurança, que se exija mais do Pato nos treinamentos, para condiciona-lo para a descisão em Abu-Dab. Estou certo de que o Celso Roth já fez um raio-x das carências do time e isto me deixa mais tranquilo com relação a medidas que serão tomadas p, visando o bi-mundial.

  • Ricardo Reischak diz: 18 de agosto de 2010

    Com certeza o jogo de logo mais não será fácil, pois o Chivas, certamente, adotará um esquema diferenciado de jogo, impondo muitas dificuldades ao colorado. Precisamos estar atentos, com os pés no chão, não depreciando, em nenhum momento, o adversário. Exemplos anteriores, envolvendo clubes brasileiros, permitem que sejamos cautelosos nesse momento. Temos que acreditar, mas nada está ganho. Não existe jogo jogado. Comemorações somente após a conquista no campo de jogo. Cautela e prudência não fazem mal a ninguém!

  • Ely Silveira diz: 18 de agosto de 2010

    Como bom gremista, vou torcer por uma zebra e uma vitória do Chivas, mas como bom esportista e por ter um filho, uma filha e a esposa colorados, não vou ficar triste se os colorados ganharem. Eles estão disputando a final por que mereceram. Que vença quem merecer.

  • Fernando Borges diz: 18 de agosto de 2010

    Comentário desnecessário, provocativo (gremista) e pouco inteligente, pois qualquer pessoa atenta, quanto mais um jornalista, se daria conta que todos os times que enfrentaram o Inter no Beira-Rio pela Libertadores vieram com retrancas para não sofrer gols (especialmente Cerro, Banfield, Estudiantes e São Paulo), o que OBVIAMENTE dificultou o ataque colorado. Hoje não, pois se o Chivas não atacar vai perder a Libertadores, ou seja, o adversário não ficará com todos os jogadores atrás da linha bola.

Envie seu Comentário