Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Os times B que nunca dão certo

20 de janeiro de 2011 14

Times B são cemitérios de jogadores. São formados por jovens inexperientes, usando o uniforme dos titulares, mas sem a experiência e a aparente qualidade dos que habitam as equipes de cima. Muitas vezes jovens promesas se transformam em apressados fracassos quando um Time B não vai bem.

Times B nunca jogam Bem, salvo exceções. Times B não precisa dar certo. Não têm obrigação de ganhar. Tem o dever de se portar como laboratório e nada mais.

Nem podem se dar bem, jogar como nunca, atuar como poucos, se não têm sequência, estrutura, tranquilidade e, alguns vezes, treinadores capacitados.

Vi o B do Inter na quarta, observei jogadores nervosos, tensos, indecisos na hora do drible, no momento do chute, no exato instante da definição. Pura intranquilidade, o cenário do Beira-Rio intimida muitos garotos.

Há bons jogadores, eu notei, mas os próprios torcedores exigem demais, querem mais, desejam performances miraculosas. Querem titulares experimentados quando o que mais falta é experiência, calma, certezas, e não futebol.

A expectativa do torcedor é sempre maior do que a de todo o mundo. Eles querem o craque pronto, o querem lapidado aos 19 anos de idade. Não admitem falha, erros de passes, dribles inexatos.

É preciso dar um tempo aos jovens dos times B, deixar jogar, oferecer tempo e tranquilidade, sequência de jogo e confiança.

Bookmark and Share

Comentários (14)

  • Gilberto diz: 20 de janeiro de 2011

    Deixa o time “A” jogar novamente, e a torcida vai descobrir que o time “B” não é tão ruim assim…

  • Julio Cezar diz: 20 de janeiro de 2011

    Concordo com esse pensamento. Algo que pode ser repensado é o custo de ter tantos jogadores no time B, talvez fosse melhor emprestar a maioria para times médios e ao ganhar experiência trazê-los de volta.

  • MARCIO ROBERTO SZADKOWSKI diz: 20 de janeiro de 2011

    Não coloque “torcedores” de forma generalizada, radical. Sabemos que hoje e principalmente em grandes jogos quem lotam os estádios são os sócios e esses porque pagam em dia, com certeza querem um time experiente e vencedor. Tenho acompanhado jogos do time B no Gauchão e juniores na Copa São Paulo, vejo os jogadores nervosos por conta de seus treinadores e da forma que eles escalam o time, substituem jogadores e principalmente cobram resultados. Culpam todos, menos eles próprios. Em muitos, falta humildade e saber que errar faz parte e aprender é uma busca eterna. Espero que isso mude porque desde a base até o profissional, nossos treinadores estão deixando a desejar e isso fará parte de nosso futuro próximo.

  • João diz: 20 de janeiro de 2011

    Concordo, o time B é um laboratório para fazer os jogadores que vêm da base, ou são novos, jogarem para pegarem experiência e para serem observados. Por ser concomitante com a libertadores o gauchão tem que ser colocado de lado. Não acho que a torcida do Inter tenha que cobrar tanto do Inter B. Prefiro deixar o time B jogar a vontade e apostar todas as fichas na libertadores. No ano passado esta estratégia deu certo para a libertadores. O que não deu certo, foi poupar o time no brasileirão pensando numa competição que ia ser no final do brasileirão.

  • Dejalmo diz: 20 de janeiro de 2011

    CONCORDO COM O GILBERTO. RENAN, NEI, ÍNDIO, MATIAS E GLAYDSON, ENTRE OUTROS, NÃO JOGAM NEM NO TIME C.

  • André diz: 20 de janeiro de 2011

    Que é isso gente? Gilberto e Dejalmo, vcs com certeza são gremistas, então, cuidem de seus clubes e times B, que anunciam “contratações fantasmas”, as dão como certas e depois, na hora do fracasso, tentam jogar o lixo prá debaixo do tapete. Concordo que time B deve servir apenas como laboratório ou preparação de jovens promessas.
    Só não concordo que o time B do Inter seja melhor ou pior que o A. Não esqueçam vcs gremistas que este “fraco” time A do INTERNACIONAL é o atual campeão da copinha Libertadores da América.
    Xô, secadores sem títulos de expressão neste século!

  • Ricardo diz: 21 de janeiro de 2011

    Este time “B” mais parece um amontoado de jogadores, sem disposição tática, num corre-corre enlouquecedor, sem objetividade. Qualquer “ajuntamento” de guris, para uma simples pelada, ou para uma partidinha de fim de semana nas areias de nosso litoral, é mais produtivo que este grupo de jogadores. Novamente o Inter está pecando neste início de temporada, com decisões equivocadas, algumas presepadas e outras coisitas intrigantes. Sempre o mesmo discurso de não valorizar o Gauchão, de fazer desta equipe “B” um laboratório para experiências e coisas e tal. É uma visão equivocada e temerária. Este negócio de privilegiar Libertadores é “prá boi dormir”! Vimos o que aconteceu em dezembro/10, com o Mundial de Clubes. Tanto privilégio, tanta preservação de jogadores, tanto foco, e deu no que deu. Aquele último jogo do Brasileirão contra o Avaí, onde o Colorado foi derrotado com sua equipe considerada titular, deu a dimensão dos tantos equívocos que são praticados pros lados do Beira-Rio. Ali, ficou patente que o time não conseguiria ir muito longe naquela competição. Continuam as presepadas, a falta de seriedade, a falta de coerência e os discursos embelecados. Que tenhamos melhor sorte!

  • Leandro diz: 21 de janeiro de 2011

    O Zini tem memória curta, não o culpo, dizem que é o mal dos brasileiros. A manchete do blog é facilmente desmentida lembrando do Inter B do ano passado que foi muito bem com Damião, Walter e o mesmo Enderson Moreira no comando. Mas concordo com Zini qdo diz que a cobrança sobre o time B deve ser menor.

  • Alceu Medeiros diz: 21 de janeiro de 2011

    Zini: não é só o time B que joga ruim. No geral, os clubes de futebol estão formando mal os seus atletas. Explico: os jogadores mais parecem com time de botão, ou de futebol-de-mesa. Ninguém dribla o adversário. É um tal de passa bola prá lá, bola pra cá, isto é, livram-se dela para não se comprometerem. Aí é que está! Não sei se os jogadores formados nos clubes é que têm essa mentalidade ou são treinados assim. O Neymar, dos Santos, faz a diferença por que dribla o seu marcador. Repare noutra coisa: antigamente o futebol gaúcho formova centroavantes tipo Flávio Bicudo, Claudiomiro (Inter), Alcindo Martha de Freitas (Grêmio), isso, é, antes das escolinhas de futebol dos clubes. esses jogadores vinham da várzea.Hoje são formados nos clubes com todos os vícios possíveis. Encosta, cai. Se driblar, é punido. Olha, tenho certeza que tão cedo não vai surgir outro Grarrincha (Seleção), alguém que saiba fazer, ao menos, um drible no adversário. Garrincha era da localidade de Pau Grande (RJ). Vi nesta semana os jogos do sub-20 do Inter, na Taça S.Paulo. Com todo o respeito, parece futebol-de-mesa, previsível, armandinhos, ninguém dribla (ou tenta). Como não tem mais campeonato de várzea, tão cedo imagino não vai surgir nenhum jogador diferente do tipo daqueles que eu citei (Alcindo, Claudiomiro, Flávio Bicudo), e tampouco um Garrincha.

  • Valmor diz: 21 de janeiro de 2011

    Futebol é bem simples…. Jogar 4 4 2, torcida gosta de ver um esquema bem definido, e não 4+2+3+1 ….chega de inventar esquemas que ninguém, nem os jogadores!

  • rodrigo diz: 21 de janeiro de 2011

    De repente o time B do Inter ganhasse do poderoso Mazembe.

  • Tiago José diz: 21 de janeiro de 2011

    Olá Zini! Em relação as excessões, lembro o “Banguzinho” que deu certo e levava público ao estádio,entretanto,concordo com você que geral,pouco se salva dos “segundos-times” atuais.Só não concordo com a questão da estrutura,pois esses guris tem tudo o que precisam.Até a unha do pé tem que corte para eles.Comem bem,com nutricionista e avaliações periódicas,tem preparação física e DM ao nível de muitos times da 1ª divisão e se não jogam o que se espera deles,não reside somente neles a razão.Além dos outros pontos já questionados entre os participantes do blog,quero acrescentar aqui a pressão que esses guris sofrem dos seus representantes ou procuradores,por conta de promessas que lhes fazem,sendo que a maioria delas não são cumpridas.Como em grande escala,são de origem humilde e com pouquíssimo grau de esclarecimento,ficam a mercê de pseudo-empresários que só vislumbram lucros com seus “afilhados”.Ainda na década de 80,assistindo a um jogo dos juvenis do Grêmio contra um desses times que vem do interior para jogar com a dupla em Porto A legre,me chamou a atenção a “instrução” que deu o treinador do Grêmio a um atleta que iria substituir um companheiro.Foi mais ou menos assim:”olha você vai entrar,mas se não fizer o que te pedi,já sabe o que vai acontecer”.Nos 15 minutos que faltava para terminar o jogo,o guri não tocou na bola Zini.Quando voce fala que eles precisam ser bem treinados,também concordo contigo,pois o que aquele “treinador” fez naquela ocasião é um crime,e acredite,ainda há treinadores que ajem assim.Cumprimentos!

  • ricardofloripagaucho diz: 22 de janeiro de 2011

    Me explica esta Sr. Zini: Por que tantos jogos no início da temporada pro Grêmio? Na iminência do Rio Grande ter mais um representante na Libertadores, a Federação Gaúcha impõe cinco jogos ao tricolor em quinze dias, contando com o jogo contra o Liverpool em Montevidéo serão seis jogos em quinze dias, o que dão um jogo a cada 72 horas, ou seja a média de 2,5 dias cada jogo.

    Se fosse o Inter dariam o mesmo tratamento? Não! A prova é que no ano passado em pleno brasileiro a mesma INTERviu
    a favor de seu afilhado e jogos do mesmo foram jogados após a datas anteriormente marcadas. Aí dá pra ver porque o
    presidente da referida é colorado de carteirinha, onde está a imparcialidade? É imoral ter membros da dupla grenal no poder da federação, interessante, quase sempre quem a preside é um vermelho, interessante, estranho ou dolo mesmo?

  • prudente antonio diz: 23 de janeiro de 2011

    Só concordo quando dizes que a cobrança é muito forte,principalmente por parte da imprensa e quanto ao Inter,porque o gremio estava ganhando de 2×0 do Lageadense, deixou empatar e para voces foi um resultado normal,já o Inter ganhou do Porto Alegre como sempre jogando muito mal. Quanto a dizer que time B nunca deu certo é um grande exagero,o Inter foi campeão brasileiro sub-23 e campeão da Copa Enio Costamilan, está sempre revelando jogadores,e isso não é dar errado, seu Zini.

Envie seu Comentário