Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Patricia Amorim ao telefone

23 de janeiro de 2011 6

O celular toca na Redação às 17h12min de sexta-feira:

– Alô. Luiz? É a Patrícia.

Patrícia Filler Amorim, 41 anos, presidente do Flamengo, cumpre a promessa. ZH estava na lista das suas entrevistas do dia, ao lado dos jornais The New York Times e As, da Espanha, e da revista Isto É. Ela prometeu chamar. Ligou. Ela nunca disse que iria contratar Ronaldinho. Contratou:

– Eu tive muito cuidado no anúncio. Estava escaldada. Havia perdido Felipão para o Palmeiras, o atacante Emerson para o Fluminense e o Adriano voltou para a Roma. Não queria encher a torcida de expectativas. O caso Bruno nos arrasou. O 2010 foi muito complicado para os torcedores do Flamengo.

– Foi difícil negociar com o Milan e o Assis?

– Sim, muito, mas não vou entrar em detalhes. O Ronaldo, preciso dizer, tem muito respeito pelo Grêmio, mas queria jogar no Flamengo. Eu sempre quis ter o craque. Conheço a família dele, temos amigos em comum desde o começo da década passada.

– Desde o tempo em que a Marlene Mattos cuidava da carreira dele?

– Exato. Eu sempre o encontrava no Rio e dizia que o Ronaldo precisava jogar no Flamengo. Quando ganhei a eleição (final de 2009) recebi uma ligação do Assis. “Agora ele vai para o Flamengo”, ele brincou. Fazia muito tempo que conversávamos. Eu estava só esperando a hora certa. Chegou, né.

– O Grêmio não a preocupou?

– Claro, o Palmeiras também, mas eu estava bem calçada nas negociações. Ciente. Fiz tudo com calma, esperei o momento certo. Sei que os gremistas ficaram magoados. Vai passar. São coisas do futebol. Tenho as melhores relações com o clube, adoro os gaúchos, gosto demais do Grêmio Náutico Gaúcho, que é nosso parceiro em esportes amadores.

– E o gaúcho Fábio Koff?

– Sim, claro, sou muito amiga dele, fiquei ao seu lado na eleição do Clube dos 13, votei nele. Ele é uma das minhas referências.

– O Dr. Koff, com o Clube dos 13, se envolveu no “Caso Ronaldinho”?

– Nããooo, quis poupar o coração gremista dele (risos).

A primeira pessoa a levantar o dedo, pedir a palavra na Gávea e dizer que Ronaldinho era sonho possível foi Patrícia Amorim, mãe de quatro filhos. Aliás, um dos primeiros a saber que tudo tinha dado certo foi o primogênito Vitor, 14 anos, irmão dos gêmeos Ricardo e Daniel, nove, e de Leonardo, quatro – Fernando, o pai, tem 41.

O time de futebol de salão familiar de Patrícia, todos rubro-negros, é o que mais importa, mas é o Flamengo que toma 90% do tempo, mais do que a Câmara de Vereadores do Rio, onde ela, em terceiro mandato, defende o esporte com a bandeira do PSDB.

– Entro na Gávea (sede do Flamengo) às 9h. Às vezes saio às 23h quando não tenho compromisso como vereadora. Minha vida social bate no zero. Não tenho tempo.

– Nem para nadar?

– Nadar? – ela brinca. – Só no verão. No inverno, caminho. Hoje tenho medo, pavor de água fria. Sinais de outros tempos (risos). Percorro os quilômetros de tênis pensando no Flamengo. O clube não sai da minha cabeça.

Peço que ela ouça com atenção os próximos 30 segundos da minha fala que toca no seu passado de nadadora campeão:

– 28 títulos brasileiros, 29 recordes sul-americanos, 85 brasileiros e 180 estaduais em mais de 15 anos de carreira…

– Meus números – ela diz com orgulho indisfarçável. Eu era feliz e não sabia (risos).

Ela, que saiu da piscina, não entra em vestiário. Fica na porta. Cumprimenta um, saúda o outro, um terceiro beija a sua mão. Há um respeito enorme. Patrícia é presidente de uma nação de 35 milhões de torcedores.

– Quando busquei o Ronaldo pensei um pouco nos meus filhos. O clube deve crescer. O sorriso de Ronaldo é sinal para as crianças, para o futuro. Venham para o Mengão.

Ronaldinho é carioca graças a Patrícia.

Bookmark and Share

Comentários (6)

  • Mauricio diz: 23 de janeiro de 2011

    Se foi assim mesmo, eu estava certo no meu palpite sobre tudo o que aconteceu, após o desfecho do caso “Ronaldinho”. Ronaldinho queria jogar no Flamengo, e tudo o que o Assis fez não passou de uma simulação de que Ronaldinho preferia o Grêmio, mas por razões financeiras…iria para outro time. Assim, ficaria de bem com a torcida do Grêmio, dizendo que fez de tudo para voltar ao Olímpico, e ia para a gávea festar. Acontece que o Assis jamais imaginou que o Grêmio cobriria todas as ofertas dos 7 contratos…e o plano dos Assis Moreira de reatar o amor com a torcida tricolor tornou-se mais ódio ainda.

  • carlos diz: 23 de janeiro de 2011

    E isto que faz do Flamengo uma grande nacao. E claro que a Globo esta por de tras. E claro que o centro do pais da mais retorno de marketing e financeiro. E claro que ha os que foram contrarios, tambem dentro do clube, mas mesmo assim a maioria apoiou, torceu pra que desse certo. E claro que o Flamengo e Patricia nao foram toda esta lisura que agora vendem, houveram vazamentos e declaracoes anteriores ao fechamento do negocio, e “corridas por fora”. E claro que as relacoes cultivadas de longa data ajudaram. O Flamengo tem tudo que o Gremio e Palmeiras nao tiveram, e fizeram tudo que estes dois nao fizeram. Parabens ao Flamengo e a Patricia. A primeira vista, ganharam, e muito. “As favas” a divida de 300 milhoes. Esta divida tem seu maior volume nas obrigacoes sociais e nos impostos. E impagavel. A Timemania ira ajudar um pouco e o governo jamais ira cobra-la. Os outros que se danem se nao fizeram o mesmo. A outra parte da divida e administravel (como diria Delfim Neto: divida nao se paga, se administra). Mais socios, mais futuros torcedores (principalmente nas criancas porque Ronaldinho tem, realmente, este apelo), mais patrocinio, mais negocios. Logo, logo, com Ronaldinho havera condicoes de qualificar mais o time. Para Ronaldinho tambem foi melhor. Entre outros adicionais, tudo leva a crer que se abre um leque de opcoes e de titulos. Por mais que se fale, a historia nao tem como ser mudada. Ele continuara a ser um dos maiores que ja sairam dai. Infelizmente, o Rio Grande, ainda nao esta preparado para questoes desta magnitude. Ah, como gostaria que ele estivesse no …

  • Aloizio diz: 24 de janeiro de 2011

    Zini, este papo de que o Ronaldinho queria jogar no Flamengo é papo de carioca. Pelo que sabemos o Flamengo era a última opção dele, conforme os indícios nas palavras do próprio Assis, no final da fatídica negociação: “‘Não temos pra onde correr, vamos fechar com o Flamengo.” Na minha opinião o Odone e o Antônio Vicente Martins são os responsáveis por esse malogro.
    O que tu achas da opinião deste blogueiro, http://www.fatoecritica.blogspot.com/ , no seu post deste sábado, intitulado “Trapalhadas”, sobre justamente o nosso atual vice-presidente de futebol?

  • Luiz Carlos Quadros diz: 24 de janeiro de 2011

    Vejam só: presidente do clube de maior torcida do País e NÃO FALOU UMA VEZ EM CAMISA SAGRADA, MANTO SAGRADO, IMORTAL E OUTRAS BABAQUICES TÃO COMUNS AQUI NO SUL. Ou seja, lá ela sabe que é a presidente do maior clube e não precisa de SOBERBA para mostrar o que é enquanto aqui, é pura SOBERBA para parecer o que não é.

  • Tiago José diz: 24 de janeiro de 2011

    Das muitas qualidades da presidente do Flamengo,se destaca a coragem e isso nem a rivalidade que por muitas vezes ultrapassa os limites de tolerância, no que diz respeito a civilidade dos opostos, deve encobrir ou desprezar.Tem um curriculum de respeito como atleta do próprio clube pelos anos dedicados a natação,tem vida pública numa cidade conhecida no mundo inteiro,além da família com filhos ainda menores.Não é pouco,principalmente numa sociedade que é notadamente machista,logo nunca vê méritos no âmbito das mulheres plurais que conquistam espaços que até então eram somente ocupados pelos homens.Destaquei a coragem,pois se comprometer a pagar o que foi acordado com o Assis,na soma com o salário do Luxemburgo,do Tiago Neves,do Felipe e outros que lá estão é um ato de coragem sim,principalmente porque,o caso do Ronaldinho gera uma expectativa que está na dependência do que ele vai render no campo,e no campo há muito tempo o seu futebol destoa abismos do que ele ganha,uma da razões do Milan não o querer mais.Tem muita coragem sim a Sra.Patrícia Amorim.

  • magnus diz: 24 de janeiro de 2011

    patricia..a “mágoa” vai passar? mas nem a pau..O RONALDO CARIOCA JÁ ERA NA HISTÓRIA DO GRÊMIO.. era o msm qdo o zico jogava atuar em outro time q ñ fosse o flamengo..dado proporção a cada jogador..DEIXA VIR O DENTUÇO AKI NO OLÍMPICO..VO LEVAR FAIXA E FICA ROCO DE XINGA ELE..T.R.A.Í.R.A. .. VAI VER Q DINHEIRO Ñ É TUDO!

Envie seu Comentário