Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Onze vezes Paulo Roberto Falcão

11 de abril de 2011 13

Jogador histórico do Inter, Falcão tem uma missão no clube em 2011. Levantar a Taça Libertadores.

1) Os jogadores precisam sabem quem é Falcão, especialmente os líderes. Torcedores acusaram alguns jogadores importantes pelos maus resultados que detonaram o trabalho de Tite, Jorge Fossati e Celso Roth. Na apresentação, nesta segunda-feira. Falcão enquadrou alguns. Pediu a presença de seis jogadores em sua apresentação, mas apenas cinco apareceram: Rafael Sobis, D’Alessandro, Bolívar, Kleber e Tinga. O volante Guiñazu foi o ausente. (“Eles simbolizam a ideia de coletivo, futebol só se faz com isto, assim como com os conselheiros e sócios-torcedores”, disse o novo ténico). Falcão  deixou os jogadores em pé enquanto fazia a sua apresentação. Ele e os dirigentes estavam sentados. Os jogadores, atrás, sérios, ouviam. Falcão mostrou quem é quem, cada um no seu lugar, cada um no seu quadrado.

2) Uma das primeiras atitudes do técnico é encontrar seu líder, o seu homem de confiança, o jogador que será seu espelho em campo. O capitão é Bolívar. Vazou a informação (informação) de que D’Alessandro seria o novo capitão. Falcão não confirmou. Ele ainda precisa saber quem é quem no vestiário, tem a informação, mas deve esperar um pouco.

3) Falcão é referência no Inter. É o futebol, bonito e competitivo, em seu estado bruto. Os torcedores não esperam o mínimo dele. Querem o máximo. A exigência dos vermelhos na primeira passagem como técnico, nos anos 1990, era uma. Hoje é outra, completamente diferente. Não há outro caminho fora o título da Libertadores. É o mínimo que a torcida espera.

4) O Brasil vê o Inter com outros olhos. Vê Falcão como espelho, a exigência é outra. Se Celso Roth se importava com um futebol só pegador, sem o brilho, Falcão exige as duas qualidades. O país aguarda um novo Inter, capaz de mostrar em campo os conceitos que Falcão desfilava como comentarista da TV Globo.

5) O Inter tem um dos melhores grupos do futebol brasileiro. A base é da temporada passada, com acréscimos qualificados. Falcão não poderá se queixar de falta de qualidade. Há uma série de bons jogadores, capazes de formar um time competitivo, de fazer a diferença nas decisões. A bola está com Falcão. Há 101% de confiança no seu trabalho.

6 ) O novo técnico tem problemas nas laterais. Nei não completa a jogada ofensiva. Kleber, que completa, não chega ao fundo. Sem as jogadas pelos lados, especialmente com os laterais, Leandro Damião perde 50% do seu poder. Damião precisa da bola aérea. A cabeça é a sua arma. Dois atacantes, às vezes três, é conceito de futebo.

7) Falcão sabe, como você e eu, que a dupla de zaga, Bolívar e Índio, especialmente Índio, não atravessa grande fase. Bolívar vem de cirurgia. Índio não parece o mesmo jogador de outras temporadas. Ele precisa mudar a zaga. O jovem Juan é opção. Roth queria fixar Rodrigo e Sorondo. Não teve tempo.

8 ) D’Alessandro é um problema, mas ao mesmo tempo é a solução. É um cara difícil, não é um líder, mas é um agitador no vestiário. O acusam de ter ajudado a derrubar Tite. Ele nega. O técnico não negará a informação. Os dois quase se pegaram num vestiário. Falcão precisa do jogador, ele é o diferente no time, ele. em forma. desequilibra. É um jogador de grandes decisões.  D’Ale não tem pinta de capitão. Mas às vezes os jogadores se revalm quando assumem a liderança em campo.

9) Falcão sabe, porque não um conceito de futebol igual do de Roth, que um time sem dois atacantes não funciona. E ele tem dois especialista, Sobis e Damião, que podem fazer todos os gols que o Inter precisa. Sobis é experiente, é conhecido. Damião é revelação, é jovem de Seleção.

10) Dizem os cariocas e os paulistas que o gaúcho é apaixonado por volante. Sim, mas pelos que tratam a bola com carinho, como Falcão. Ele sabe que é fácil resolver o meio de campo de um clube que tem Bolatti e Guiñazu como homens de marcação. Não precisa mais. Ex-volante, o técnico entende o significado da marcação no futebol. A marcação não significa abdicar do bom futebol.

11) Comparar agora Renato e Falcão é bobagem, “nonsense“. São ídolos, jogadores de estilos distintos. No banco de reservas, Falcão ainda precisa de um tempo para mostrar como voltou. Hoje ele é uma aposta. Mas poucos duvidam do seu sucesso. Eu sou dos que apostam em Paulo Roberto Falcão.

Bookmark and Share

Comentários (13)

  • Emerson de Lima Torres diz: 11 de abril de 2011

    Zini.
    1) Zini entendo que a torcida cobrou os jogadores por desempenho técnico. O Indio, por exemplo não está mal por falta de garra e vontade, simplesmente por que a idade está pesando. Não vejo fata de empenho em jogadores do Inter eles passam muitas vezes por crises técnicas, já aconteceu com vários e vai seguir acontecendo por isso deve-se ter um grupo forte.
    2) Vazou a informação? Ou alguém plantou a informação. Pelo que vi o Falcão não falou nada quem seria o capitão, e uma das virtudes do Falcão e ser um cara inteligente e bem articulado, acho que jamais ele comentário que pensa em trocar o Capitão sem conhecer o grupo.
    Pelo comentário e comportamento do Dálessandro com o Roth e Fossati ele não demosntrou ser um cara díficil. Ele teve problemas com o Tite de fato, mas quem derrubou o Tite foram os maus resultados.

  • SILVIO diz: 11 de abril de 2011

    Olá Zini:…..Acompanhei a apresentação do Falcão pela TV INTER, via Internet..
    Me chamou a atenção duas coisas:……Falcão se reuniu com a comissão técnica e jogadores antes da entrevista coletiva e carregou consigo a divisão da responsabilidade com a presença dos líderes do plantel. Não entendi porque Guinazu não e fez presente. Em momento algum foi arrogante, imperativo e não prometeu milagres. É próprio de sua personalidade.
    Seja bem vindo Falcão. Voce encarna a alma da Nação Colorada.

    AH:….dá uma atenção especial para a zaga. Na minha opinião é apenas uma questão de posicionamento.

  • luiz carlos diz: 11 de abril de 2011

    Concordo com o seu comentário, mas há um erro de digitação pois não estamos mais em 2010 e sim em 2011.

  • ivan diz: 11 de abril de 2011

    “O tempo é o senhor da razão”.

  • Lucas diz: 11 de abril de 2011

    Zini, sinceramente, eu acho que vocês estão fabricando um produto. O futebol, como ele diz, é, como a paz, algo que não conhecemos, que apenas buscamos e podemos imaginar. O futebol assim como ele diz, tanto quanto a paz, é um ideal. O Falcão não é nenhum gênio que está inventando um novo futebol, através do Internacional (ele não é nenhum carrossel holandês). Ele só está juntando idéias, que não poderá por em prática. O problema, também, se vc recordar, é que o Falcão não é um líder típico, como não o foi no passado de técnico. Nem um treinador vitorioso. É só um teórico incompleto, que por enquanto diz coisas bonitas para vôcês ouvirem e comentarem para nós. Para o bem do Internacional, eu rezo para que ele dê certo. Mas o mais provável é que o Internacional vá pagar mais um técnico, sem fazer nada. No caso dele, já a partir do começo do próximo ano, exceto se houver uma tragédia nesse ano, o que não é provável … mas o fracasso do Falcão é bem provável. E logo!

  • Alexandre diz: 11 de abril de 2011

    Bah Zini, ficou tão empolgado com a contratação do Falcão que chegou a esquecer em que ano estamos, 2010 já passou, o Inter foi Bi-campeão da Libertadores e também conseguiu protagonizar o maior fiasco de todos os tempos, perdeu para o MAZEMBE do KIDIABA e KABANGU, lembra??? Foi em 2010 isto, agora estamos em 2011!!!
    Só uma perguntinha, já pediu desculpas ao Carlos Alberto pelas fofoquinhas?? O Marcelo Barreto já pediu, este é um cara que merece respeito, tem carater!!!

  • Mauricio diz: 12 de abril de 2011

    Quanto ao 1: Discordo completamente. De onde voce tirou essa informação de jogadores detonaram o trabalho de técnicos medíocres que trabalharam no Inter? E segundo, qual o problema dos jogadores em pé ali? Isso ali foi cordial, nao tem enquadramento, o próprio Falcão disse que nao pode haver pressão e clima pesado e voce inventa isso?
    Quanto 2: Se voce viu a entrevista, o que certamente fez, deve ter ouvido a primeira mijada que o Falcao deu na imprensa por noticiar a falsidade sobre o capitão. A diferença é que agora voces nao podem negar, pois ele era colega de voces até ontem.
    Quanto ao 11: Concordo plenamente.

  • jorge diz: 12 de abril de 2011

    Falcao em fim colocou alguns no seu lugar,atletas principalmente,sabemos nao de hoje que vestiario era tumultuado,por isso tem muita gente na entrevista de cara amarrada,vamos ver se consegue manter o controle.

  • sidnei diz: 12 de abril de 2011

    em 2010 o inter perdeu de virada pro vasco em sao januario (fossati caiu). Em 2011 perderam pro jaguares e derrubaram roth, depois os entendidos vem me dizer que jogador não derruba treinador. Porém podem jogar por ele também…acreditem.

  • rodrigo diz: 12 de abril de 2011

    O grande mal da Internet, é a necessidade dinâmica da informação. Tempos atrás, tinhamos o jornal (editado diariamente) e o rádio. Hoje temos os sites de notícias, muitos sites. Como aqui no sul temos apenas dois times grandes, a demanda de informações é enorme, por isso algumas notícias tem que ser “implantadas” no mal caratismo mesmo. Com certeza, 40% das informações que lemos nessas colunas aqui da ZH, não são confiáveis.

  • jorge diz: 12 de abril de 2011

    A festa ta boa,mas como voce diz e uma aposta,tem atletas bem complicados no temperamento mas com bola cheia,outros preocupados com declaraçoes sem motivos ou estao cuidando mais dos azuis,tem que focar e no Inter.

  • COLORADO – São Vicente do Sul diz: 12 de abril de 2011

    Alexandre, até qdo tua maior conquista será a nossa derrota do ano passado? Amargo Bi-rebaixado…

  • Vitor diz: 12 de abril de 2011

    Olha Zini, sou gremista mas vou dar o meu “pitaco”, até porque admiro Falcão como jogador que foi e como teórico do futebol, nos seus anos de comentarista. O fato de ser o maior ídolo colorado e da sua inteligência, não lhe credencia ao sucesso, vai ser preciso fazer com que o time, no campo, realize com êxito as idéias que deseja por em prática. Concordo 100% com o item 5 do teu comentário: é o melhor elenco que ele recebe de todas as experiências como técnico que já teve. É também a grande oportunidade para revelar-se bom treinador. Não conseguindo agora, sua imagem ficará bastante arranhada nessa profissão. Enfim, só o futuro nos revelará a verdade.

Envie seu Comentário