Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Mário Fernandes, um zagueiro exilado na lateral

05 de junho de 2011 7

Mário Fernandes, 20 anos, quer uma sequência de partidas na zaga central, mas os técnicos que passam pelo Estádio Olímpico sempre o escalam em outro lugar

Num dos dois estádios em pé entre os 12 da Copa do Mundo do Brasil, a Arena da Baixada, em Curitiba, o olheiro da Juventus, um dos clubes mais ricos e populares da Itália, enriqueceu seu laptop com os números de Mário Fernandes – o melhor dos 22, ao lado de Victor, nos 90 minutos de Atlético-PR e Grêmio (0 a 1), um domingo atrás. Porto e Inter, de Milão, também seguem o jogador desde 2009 quando ele trocou São Caetano pela capital gaúcha. Já o viram em ação ao vivo, em vídeo, numa coleção de DVDs – até o popstar dos treinadores, o português José Mourinho, do Real Madrid, sabe o que Mário Fernandes pode dar em campo.

Só que o Grêmio exige dinheiro gordo de zagueiro pronto dos gulosos europeus. Imagina mais de 10 milhões de euros pelo jovem de 20 anos porque sabe do seu enorme potencial – conceito compartilhado por torcedores, fãs de futebol e jornalistas.

Mas quem vai pagar algo como R$ 22 milhões por um jogador que é zagueiro, mas atuou a grande maiora das partidas de lateral-direito entre os azuis e com diferentes técnicos, de Paulo Autuori a Celso Roth, de Marcelo Rospide a Renato Portaluppi?

Os europeus seguem o jogador,

mas o Grêmio exige uma fortuna

Hoje, ninguém na Europa, muito menos no Brasil, investiria tanto no polivalente jogador. Mas, afinal, Mário Fernandes é lateral ou zagueiro?

– Zagueiro, zagueiro – ele diz, convicto, por celular, sexta-feira, ao cair da noite no Estádio Olímpico, minutos antes de subir a escada do ônibus que o levaria à concentração de quase 48 horas no Hotel Deville, ao lado do aeroporto Salgado Filho, à espera do jogo com o Bahia.

– Zagueiro mesmo? Agora ou no futuro? – eu pergunto.

– O Renato precisava de um lateral-direito depois da lesão do Gabriel (que pode voltar neste domingo). Me escolheu, tudo bem, eu entrei, joguei e acho que fiz boas partidas no Gauchão, na Libertadores e no começo do Brasileirão.

– Fez, sim – eu repito com ele.

Entre os jovens que o treinador convocou nas últimas cinco semanas, ele foi o melhor, disparado. Suas performances foram aplaudidas por todos os que o viram em ação.

– O Renato pega no meu pé. Eu ouço e treino. Tento me aprimorar.

Mas Renato usa Mário como lateral e até volante nos treinos. Nunca como zagueiro. Antônio Vicente Martins, o número 1 do futebol gremista, esquiva-se quando alguém pergunta qual é a real posição do jogador:

– Ele é um talento puro, atleta versátil. Seu futuro no Grêmio é gigantesco – explica o dirigente que vasculha o mercado latino em busca de outro zagueiro.

– O que você quer, Mário? – eu insisto.

– Eu quero ser zagueiro. Preciso de sequência. Não dá para jogar uma partida, sair, voltar, jogar outra, seguir este ciclo. Agora, estou na lateral.Mas não tem problema. Quero ajudar o Grêmio. Mas o futuro é mesmo na zaga.

Sua versatilidade é um alívio para os treinadores

E Renato, o que ele pensa?

– Fico contente por ter jogadores que atuam em mais de uma posição. Até durante a partida posso deslocá-los sem mexer muito. Claro que todo jogador tem a sua posição, agora a pergunta que não cala: ele quer jogar na sua posição e saber que pode ir para o banco, ou seguir improvisado entre os titulares? – pondera o técnico que não morre de amores pelo zagueiro Mário no meio da zaga (e até já criticou o seu posicionamento na bola aérea).

Mário Fernandes quer a zaga do Grêmio e não se preocupa com a possível contratação de gente mais experiente (mais cascuda) para a posição:

– Todo jogador é bem-vindo, acrescenta ao grupo, dá mais força ao time. O Brasileirão é uma competição longa – diz.

A zaga tricolor seria um recomeço. O zagueiro lateral precisa do Brasileirão para se firmar e chamar a atenção de Mano Menezes. Uma das suas metas é integrar a Seleção nos Jogos Olímpicos, de Londres, em 2012.

– Como zagueiro?

– Sim, claro. Zagueiro – diz antes de encerrar a conversa.

O Grêmio tem uma fila de zagueiros e busca mais. Mário vai continuar exilado na lateral sonhando com um lugar que não será seu enquanto Renato mandar.

– Comigo ele é lateral – já disse o “professor” Renato Portaluppi.

Bookmark and Share

Comentários (7)

  • Guto diz: 5 de junho de 2011

    Zini, Zini, Zini. Aquelas aspas da última frase são cruéis! Verdadeiras ao extremo mas, ainda assim, cruéis.

    Alguém lembra que Mário TAMBÉM NÃO ERA ZAGUEIRO com o gênio da raça Silas? E agora não é zagueiro com Renato. Qualquer semelhança NÃO É MERA COINCIDÊNCIA! Os dois entendem a mesma coisa de futebol…

  • flavio diz: 5 de junho de 2011

    Como zagueiro ele dificilmente chegará a Seleção pois não tem altura e impulção boa. Na lateral poderá a vir a ser o melhor Brasileiro pois tem velocidade, habilidade, tecnica e qualidade no cruzamento. Se ele quizer ele chegará a Seleção Brasileira facilmente!!
    Na zaga centrao Saimon tem mais futuro e também poderá chegar a seleção!!
    Basta o renato e a direção seguir´dando chance a este meninos!!

  • Alexandre diz: 5 de junho de 2011

    Mário Fernandes é o melhor lateral que o Grêmio tem e o único que sabe crusar, o segundo melhor é o Neuton!
    Os dois são zagueiros de origem, mas jogam muito mais nas laterais.
    A zaga do Grêmio melhorou muito com os dois nas laterais, na minha opnião, o Renato deveria deixar como está, pois já fazia muito tempo que o Grêmio levava gols em todas as partidas, agora, já são duas partidadas consecutiva sem levar gols, é a prova que está dando certo e com o entrosamento do setor, só tende a melhorar.

  • Mori diz: 5 de junho de 2011

    Zini que horror esta dupla de zaga do Inter, contro o modestíssimo Amárica cada bola em nossa area era um sufoco.

  • Pedro Fernando diz: 6 de junho de 2011

    Zini, parabéns pela reportagem, ótima, para mim Mário sempre foi Zagueiro, é que como é um dferenciado faz bem a lateral como acho que também faria bem o volante, mas é Zagueiro, só o professor pardal não ve isso como não ve muita coisa como o Escudero que entrou muito bem hoje.

  • rodrigo diz: 6 de junho de 2011

    Pior do que treinador que não entende de futebol, é treinador que quer inventar. O time do Grêmio, ao menos do meio para trás, tem que ser esse que jogou ontem. Só retirando o Fernando.

  • Samuel diz: 6 de junho de 2011

    Mário pode ser um zagueiro discreto ou um ótimo lateral direito. Penso que deveria continuar sendo o versátil jogador que é. Veja alguns exemplos próximos:
    - O paraguaio Arce era meia, foi para a lateral direita e se tornou um dos melhores do setor;
    - Leo, zagueiro do cruzeirinho-RS, era atacante, foi pra zaga e é um dos maiores destaques do futebol gaúcho;
    - Rever era volante, foi pra zaga e se tornou um grande destaque do setor;

    Há muitos outros exemplos na história do futebol, mas nenhum jogador deveria reclamar de ser utilizado em outros setores. Mário pode evoluir seu cabeceio e se tornar um bom zagueiro, mas até lá, pode continuar atuando como lateral e arrancar ainda mais elogios dos admiradores do futebol.

Envie seu Comentário