Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

As 12 lições do Gre-Nal 388

29 de agosto de 2011 6

O Gre-Nal é pródigo em lições.

Sempre ensina algumas. Colhi 12.

1) Futebol é, antes de tudo, motivação, determinação, entrega. O Grêmio parecia bem mais interessado no jogo. O Inter ainda estava mergulhado na alegria da Recopa. A derrota começa por aí, mas não se encerra na motivação. O Grêmio jogou mais.

2) Dorival Júnior mostrou que ainda não conhece o grupo colorado – nem poderia. Pensou mal o jogo, escalou mal, substitui pior ainda. Usar Glaydson na lateral é uma afronta, especialmente se tem Ilsinho no banco. Elton, Tinga e Andrezinho formam um meio-campo lento. João Paulo seria opção de agilidade. A comopleta ausência de jogadas laterais estrangulou Leandro Damião.

3) Celso Roth, que teve uma semana inteira para pensar (treinar) no clássico, e deu uma aula tática em Dorival Júnior. Amarrou o time do Inter, teve posse de bola, jogada pelas laterais e escalou um time mais inteligente, rápido e incisivo. O Grêmio sempre esteve mais interessado na vitória, foi melhor, venceu com justiça.

4) Árbitro sem qualidade tem tudo para estragar um clássico. Marcelo de Lima Henrique, ontem, prejudicou o Grêmio. O Inter pode ser a próxima vitima. Gre-Nal tem status para reivindicar árbitros do primeiro time. Lima Henrique não tem bapa para apitar o Gre-Nal. Basta observar seu currículo.

5) Futebol se vence pelas extremas, os locais menos populosos de uma campo de futebol. O Grêmio atacou pelos dois lados, criou, teve situações de gol. A defesa gremista amarrou Damião, teve facilidades porque a bola raramente chegou aos pés do centroavante.

6) Mário Fernandes é o melhor lateral direito do Grêmio. Pode jogar mais ainda, basta uma sequência de partidas, mas Mário precisa se definir, ou é zagueiro ou lateral. O irregular Gabriel é reserva

7) Leandro Damião precisa de auxílio. Não pode mais ficar isolado. Precisa que os meias cheguema, que os laterais avancem, que seu companheiro de ataque se aproxime para as tabelas. Fica difícil marcar gols quando a assistência não chega. Ele foi a grande vítima do esquema equivocado do treinador.

8) Saimon é uma afirmação. Não pode sair do time. É titular da zaga. Ele e Vilson ofereceram uma segurança defensiva que o Grêmio desconhecia.

9) Julio Cesar deu ao Grêmio uma jogada que estava ausente do cardápio de tramas ofensivas. Ele sabe jogar como ala, entra na área, faz bem a jogada de linha de fundo, sabe passar. Chegou como titular. Vai ficar entre os quatro da defesa.

10) Elton é uma afirmação no Inter. O meio-campo começa por ele.

11) O Inter sente muito a falta de D’Alessandro, o jogador que pode fazer a diferença. Sente ainda mais em Gre-Nal, onde o meia argentino sempre joga mais do que o normal.

12) Não se pode chamar de torcedores os gremistas que brigaram no Olímpico. São vândalos. O futebol não tem lugar para marginais. Eles precisam ser impedidos de frequentar estádios. Brigaram domingo, vão se engalfinhar outra vez. Quem sofre é o torcedor de verdade, que não volta ao estádio, teme correr riscos. Ou os clubes (e a Justiça) acabam com os vândalos no futebol ou o futebol acaba nas mãos deles.

Bookmark and Share

Comentários (6)

  • PEDRO GAUCHO diz: 29 de agosto de 2011

    Vejam a manchete da RBS em 2010: 24/10/2010 – 17h50

    Torcedores do Internacional brigam entre si antes do clássico Gre-Nal no Olímpico.

    Marinho Saldanha e Jeremias Wernek

    No momento mais alto da briga, um dos torcedores do Internacional utilizou um instrumentos de percussão para atingir outro torcedor que estava no chão. Imediatamente houve revide e um clarão se abriu entre os presentes.

    NÃO LEMBRO DE ALGUEM FALAR EM PUNIR A TORCIDA DO INTERNACIONAL. A PUNIÇÃO TEM QUE SER PARA OS DOIS LADOS. NAS DUAS TORCIDAS TEM MARGINAIS. APOIO AS AÇÕES PARA COIBIR A VIOLÊNCIA. MAS DE TODO MUNDO. SÓ DO GRÊMIO, NÃO.

  • COUTO BSB diz: 29 de agosto de 2011

    PARABÉNS!

    Sou colorado e concordo com todo texto, principalmente nas partes do inter.

    Finalmente vejo uma observação clara e transparente.

  • Edjor Borges diz: 29 de agosto de 2011

    Já dizia o general BOBOLÍVAR: Futebol é motivação é entrega, inclusive eu tenho entregado em todos os jogos !!!!

    BOBOLÍVAR o bonecão de olinda !!!

  • valdir diz: 29 de agosto de 2011

    É isso Zini, a segunda lição sobre o Dorival é tudo o que eu ia escrever, escalou mal e mexeu pior ainda…e mais, passei a semana escrevendo que com Tinga e Andrezinho não iria dar certo. BINGO. Certamente o Bolati no lugar do Tinga e principalmente o João Paulo no lugar do Andrezinho dariam muito mais resultado.
    Mas o que me deixa mais indignado é o fato de só o Dorival que deve ganhar no mínimo uns R$ 300 mil mensais, não ver o que até um cego viu, que o Inter tinha perdido o meio campo desde o início do jogo, e quando imaginei que no intervalo ele mexeria no meio, eis que surge o JÔ, TROCANDO SEIS POR MEIA DÚZIA, e, o meio campo continuou o mesmo, e continuou perdido, e o Dorival continuou cego. O resultado só podia ser a derrota, que aliás saiu barato.
    -ALGUMAS COISAS QUE SÃO FATO NO BEIRA-RIO:
    1- O Andrezinho só serve pra entrar lá pelos 30 min do segundo tempo, e olhe lá;
    2- O João Paulo é MUITO melhor que o Andrezinho, lamentável que não esteja jogando;
    3- O D’ale não tem substituto que chegue sequer aos seus pés no beira-rio;
    4- A zaga precisa de renovação urgente.
    No mínimo é isso
    valeu

  • jose carlos correa diz: 31 de agosto de 2011

    fecho de 1 a 5,como valdir, certas coisas sao incompreesiveis no beira rioilsinho e bolati,e joao paulo serem banco,isto me cheira a queimaçao andrezinho se escala no carteiraço,vadio,cercador depois de deixar o plantel engatado naquela de nao ir a bahia,parece que tomou conta do vestiario,se escala,nao joga nada e nao é mexido Fernandao até tu,ta entrando nessa o dorival nao conhece mais TU és da cocheira te flagra pois daqui a pouco vai começar a ferver o vestiario

  • elio miguel diz: 31 de agosto de 2011

    E o Roth que tanta injustiça tem sofrido por esses que colocam problemas pessoais acima de tudo. Pobre Roth, uma vez pegou o Grêmio para não cair e levou ao vice-campeonato com Pereira, Paulo Sérgio, Pico, Elder, Magrão, Perea, Reinaldo, etc.
    Pobre Roth, chamado de retranqueiro, mas foi o melhor ataque nas vezes em que treinou o Vasco e o Atlético MG. Pobre Roth, todos se lembram que fazia muito tempo em que ele não ganhava grenais, mas se esqueceram de dizer que ele nunca perdeu Grenal no Olímpico. Atenção, o Dorival Junior, o grande ofensivista, qual foi a última vez que venceu no Brasileirão?

Envie seu Comentário