Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2011

O dia que Douglas ofuscou o R10

31 de outubro de 2011 45


Douglas jogou no Olímpico, domingo, o que ele nunca jogou no Grêmio em duas temporadas. Fez uma partida de exceção. Foi o 10 da partida com o Flamengo. Ofuscou o 10 mais famoso do Brasil dos últimos anos. Douglas deve ter realizado uma das melhores partidas da sua carreira de quase uma década.

Depois do gol de pé esquerdo, completando uma jogada mortal pelo lado direito, com intenso brilho pessoal, Douglas foi saudado por Marquinhos.

Ao abraçar o autor do gol, o meia apontou com as duas mãos para o número 10 do colega. Com gestos, Douglas estava de costas, não viu, afirmou que o 10 real estava ali, era azul, não rubro-negro. Douglas pode guardar, gravar, o jogo com o Flamengo. Ele vai se lembrar do domingo, 30 de outubro de 2011, como um dia  espetacular da sua vida.

Douglas mostrou o seu poder real com o Flamengo. Escapou da sua realidade. Fosse o partidaço do final de semana a sua média, Douglas seria chamado por Mano Menezes todos os meses, teria lugar cativo na Seleção.

Douglas correu, marcou, criou, driblou, passou e ainda fez gol. Deu show. Honrou a camisa 10.

Bookmark and Share

Inter vê linha da Libertadores no horizonte

30 de outubro de 2011 19

O Inter não fez uma boa partida no Planalto Central. Foi a mais fraca das últimas quatro, creio. Mas raros se importaram.

A magra vitória sobre o Atlético-GO, 1 a 0, teve peso três porque encostou o Inter na zona da Libertadores. Há 24 pontos disponíveis no Brasileirão, o Flamengo tem 52, o Inter 51. Tudo é possível. O Inter não saiu de cena.

Muriel, uma certeza no Beira-Rio, garantiu o empate no primeiro tempo. Kléber saiu da sua lateral, vestiu a camisa de atacante, recebeu uma bola de Oscar e marcou, com a falha do goleiro Márcio. O Inter foi mais competente. Teve chances, marcou. O adversário, não.

O Inter tem o melhor ataque do Brasileirão, com 52 gols (os mesmos números do Flamengo). Mas quando o ataque não marca, como em Goiás, um lateral (Kléber) estufa as redes – assim como fez Nei, sete dias atrás, contra o Corinthians, na Capital.

Leandro Damião voltou, mas sem a antiga forma, algo normal depois de mais de um mês fora de ação. D’Alessandro fez falta. Sem ele, o Inter sente, Damião sente muito. Domingo, com os dois, o Fluminense, com Sobis e Abel, vai sofrer dobrado no Beira-Rio.

O final do Brasileirão está espetacular. O Inter está no pelotão da frente. Domingo começa um novo campeonato de seis rodadas. É a corrida final. Em sete dias o Inter pode dorminar na zona da Libertadores. Sonhas é permitido no Beira-Rio. O ano ainda não acabou.


Bookmark and Share

Virada histórica deixa Ronaldinho sem ação

30 de outubro de 2011 24

Você pode guardar os nomes abaixo. Decorar. Contar. Espalhar.

Victor; Mário Fernandes, Saimon (Adilson), Rafael Marques e Julio Cesar (Bruno Collaço); Gilberto Silva, Fernando, Marquinhos, Douglas e Escudero (Miralles); André Lima.

Os 14 jogadores acima fizeram uma partida inesquecível. Um jogo que pode ser dividido em dois tempos. Num, o Flamengo foi melhor. No outro, só o Grêmio jogou. Proporcionou aos mais de 44 mil torcedores azuis do estádio uma virada espetacular no jogo que pode ser classificado como o melhor do ano no Olímpico.

Você pode esquecer o primeiro tempo do jogo que o Olímpico, aos 57 anos de vida, ouviu a maior vaia da sua história. Gritos que Porto Alegre jamais ouviu, vaias que Ronaldinho carregará pelo resto da sua vida como um peso de toneladas. Vaias pesam 100 vezes mais que um 4 a 2.

A derrota não é nada. O que fica no ouvido para sempre é o grito da torcida, um grito que não saiu da boca, brotou na alma. Ronaldinho sentiu. Todo o humano com sangue quente sentiria. Até um vampiro de Bram Stoker se tocaria.

Logo aos três minutos Victor fez um milagre ao defender um chute de Ronaldinho. A bola depois bateu no travessão. O Flamengo foi melhor, marcou duas vezes, teve outras chances, Ronaldinho e Thiago Neves deslizavam em campo e parecia que a vitória estava encaminhada.

Veio o segundo tempo, Celso Roth tirou Saimon, com cartão amarelo, recuou o lento Gilberto Silva e colocou Adilson na marcação pelo lado direito da defesa. O corredor foi fechado. A vigor do começo, time compacto atacando com meia dúzia, defendendo com oito, perdeu efeito. O Grêmio passou a correr mais e muito mais organizado fez o segundo gol, empatou e depois virou. Controlou o jogo. Acho que um 7 a 4 seria placar ideal.

Quem foi ao jogo viu um espetáculo. Vai voltar. Grêmio e Flamengo fizeram um dos grandes jogos dos últimos tempos na Capital.

Douglas deu show. Foi o melhor em campo. André Lima foi o matador, Miralles fez um golaço. Fernando, um guerreiro. Victor, decisivo. Gostei demais do garoto Tomás, 18 anos. Sem ele, o Flamengo perdeu toque de bola e movimentação.

Bookmark and Share

Árbitro da Polícia Federal no Inter

30 de outubro de 2011 3

Formado em Educação Física e Direito, Marcos André da Penha, 36 anos, que apita Atlético-GO e Inter, é agente da Polícia Federal no Espírito Santo.

Ele está no quadro da CBF desde 2009.

Foi um dos árbitros que mais apitou na Série B de 2010 e na Copa do Brasil de 2011.

O jogo é neste domingo, 18h, no Estádio Serra Dourada, em Goiás, onde os gaúchos não costumam sair felizes depois dos 90 minutos.

Bookmark and Share

O dia e a cidade do primeiro Gre-Nal de 2012

30 de outubro de 2011 4

O primeiro Gre-Nal de 2012 será disputado dia 5 de fevereiro, em Erechim.

A tabela do Gauchão será definida sábado, em Santiago do Chile, onde a FGF faz a convenção anual com 42 pessoas.

A Dupla receberá R$ 10 milhões pelo campeonato.

 As outras 14 equipes ganharão R$ 950 mil cada uma.

Bookmark and Share

Contas para a Libertadores 2012

29 de outubro de 2011 11

Nos últimos cinco anos nenhum time brasileiro alcançou a última vaga da Libertadores com menos de 60 pontos:

2006: Paraná, quinto, 60 pontos.

2007: Cruzeiro, quinto, 60 pontos

2008: Palmeiras, quarto, 65 pontos

2009: Cruzeiro, quarto, 62 pontos

2010: Grêmio, quarto, 63 pontos.

Sete rodadas antes do final, com 21 pontos disponíveis, o Inter tem 48 pontos.

O Grêmio conta com 43.

O quinto na classificação, com vaga no torneio, o Fluminense soma 50.

Bookmark and Share

A queixa do número 7 Valdomiro Vaz Franco

29 de outubro de 2011 8

Valdomiro, 65 anos, tem uma queixa do Inter, 43 anos depois da sua estréia.

A camisa 7, sua por por mais de 12 anos, hoje de Tinga, não sai do banco de reservas.

O ex-ponteir colorado, referência no Beira-Rio, acha que o número precisa estar obrigatoriamente entre os 11 titulares.

Acredita que o 7 dá sorte. Chama títulos.

Ele tem mais de 10 faixas de campeão no Inter, depois de mais de 800 jogos com a camisa 7.


Bookmark and Share

VÍDEO: Por que se preocupar com Ronaldinho?

28 de outubro de 2011 19

Bookmark and Share

A supervalorização de Ronaldinho no Olímpico

27 de outubro de 2011 80

Ronaldinho traiu o Grêmio duas vezes em uma década. É fato. Nada vai mudar a história, faixas, cartazes, fitas, vaias, moedas de verdade, dinheiro falso.

Ronaldinho está sendo supervalorizado pela torcida gremista. Se fala mais em segurança do que no jogo, mais em proteção, agentes infiltrados do que no Flamengo e no Grêmio.  O extracampo ganhou da bola. Atenção! Você precisa ver outro jogo.

Ele fez sua opção, quis o Flamengo e não o Grêmio. Ficou no Rio, não em Porto Alegre. Exerceu o seu direito, mesmo usando a ética do lado do avesso.

Não podemos ser provincianos e imaginar que um jogador, seja ele quem for, possa superar em importância um jogo entre Grêmio e Flamengo no Olímpico. Uma partida do Grêmio vale mais do que Ronaldinho, dois, três, um estádio inteiro.

Ele é apenas um personagem da partida, talvez coadjuvante depois. Foi do Grêmio, não é mais, a sua imagem no clube já está definida e definitivamente escrita em linhas tortas. A história já se encarregou dele. Ele pagou o preço de nunca mais poder andar tranquilamente em Porto Alegre, mas quem ainda se importa? Ele não, com certeza. Ele tem o mundo ao seu alcance e ainda o dinheiro que permite viver como ídolo em qualquer cidade do Planeta, engordar em diferentes idiomas.

Claro que a torcida gremista tem o direito de chamá-lo de Judas. Mas não pode atirar uma pedra, um rádio portátil, um tênis furado. O jogador não vale uma agressão, ninguém vale.

Ronaldinho precisa sair do Olímpico com uma sonora derrota, com os ouvidos lotados de gritos, cansado das gozações, esgotado pelos cânticos, tonto pelas avalanches, mas sem um só, um único arranhão. Torcida é só paixão, mas domingo é preciso buscar um milímetro de civilidade.

Ronaldinho parece hoje mais importante do que sempre foi no Estádio Olímpico. Não é mais. É passado, passou, em dois anos será ex-jogador e quem se importa com ex-jogadores ingratos no Brasil?

Bookmark and Share

Os fantasmas políticos da Copa em Porto Alegre

27 de outubro de 2011 38

Você que segue estas linhas e que gosta de futebol perdeu uma oportunidade histórica.

Não vai mais gastar cerca de R$ 270 para assistir um possível Brasil e Espanha, talvez Alemanha e Uruguai, quem sabe Inglaterra e Japão, nas novas cadeiras do Beira-Rio.

Sem a Copa das Confederações (CF), o Rio Grande do Sul perdeu uma das suas duas históricas Copas em três anos. Teria sete, talvez oito jogos internacionais nunca vistos nestas terras de Gre-Nal entre os dois torneios. Ficou com cinco na Copa do Mundo.

Quinta-feira passada, o Beira-Rio foi limado de 2013 pela Fifa por problemas técnicos. Não ofereceu garantias aos suíços que, sem o cronograma das obras, não conseguiram garantir as três partidas na Capital de junho de 2013 na Capital.

Não imagine um complô mundial na decisão, tramas políticas, ataques ao Palácio do Planalto via CBF ou Fifa.

O Inter se perdeu nos próprios corredores do Beira-Rio. O racha político trincou a gestão vitoriosa de quase uma década. A mudança gerou dois modelos de negócios distintos para o estádio em menos de dois anos, um deles inviável, e catapultou a Copa das Confederações para o Nordeste.

No meio das discussões entre a CBF, o COL (Comitê Organizador Local da Copa) e a Fifa, observado de lado e de longe pela maioria dos políticos locais, não surgiu nem uma liderança gaúcha, colorada, capaz de juntar as partes, botar a bola no centro e recomeçar o jogo no Beira-Rio.

A Fifa até poderia ter servido de juiz.

Bookmark and Share

A lista de Mano: os acertos, os erros

27 de outubro de 2011 7


Mano Menezes anunciou os jogadores da Seleção que enfrenta o Gabão (quinta-feira, dia 10, em Libreville, às 6h de Brasília) e o Egito (segunda-feira, 14, em Doha, às 15h). Acertou três vezes.

Chamou Kaká, um dos raros craques brasileiros dos nossos dias. Kaká voltou aos seus melhores dias.

Descartou Robinho, um projeto de craque que não deu certo na Europa.

Poupou as equipes do Brasileirão na reta final da competição. Não convocou um só “brasileiro”. Anunciou só os estrangeiros como manda a Data Fifa. Se o Brasileirão rola normalmente em Data Fifa, vamos respeitar o nosso campeonato, convocar só os que atuam na Europa, lá as ligas entram em recesso.

Acertou, mas errou também ao insistir com jogadores que não terão futuro na Seleção, como Adriano (Barcelona), Bruno César (Benfica), Elias (Sporting), Jonas (Valencia), Luiz Gustavo (Bayern de Munique), entre outros. Todos são coadjuvantes em seus clubes.

Mano ainda busca sua Seleção, insiste.

Mais de um ano depois da sua contratação, menos de três anos antes da Copa do Mundo de 2014, o Brasil ainda não tem uma cara boa, uma maneira de jogar, uma ideia de futebol.

Mano é bom técnico, tem crédito. Mas seu trabalho já pode ser questionado. Pode?

A lista dos dois amistosos:

Adriano (Barcelona)

Alex Sandro (Porto)

Bruno César (Benfica)

Daniel Alves (Barcelona)

David Luiz (Chelsea)

Diego Alves (Valencia)

Dudu (Dínamo de Kiev)

Elias (Sporting)

Fábio (Manchester United)

Fernandinho (Shaktar)

Hernanes (Lazio)

Hulk (Porto)

Jonas (Valencia)

Kaká (Real Madrid)

Kleber (Porto)

Lucas (Liverpool)

Luisão (Benfica)

Luiz Gustavo (Bayern de Munique)

Marcelo (Real Madrid)

Neto (Fiorentina)

Sandro (Tottenham)

Thiago Silva (Milan)

William (Shaktar)

Bookmark and Share

Douglas por Kleber. Quem apoia a troca? Eu trocaria

27 de outubro de 2011 101

O Palmeiras só negocia Kleber com o Grêmio se Douglas desembarcar em São Paulo.

Não aceita plano B, seja Gabriel, Miralles, Rochemback ou qualquer outro.

Ao falar em dinheiro, os paulistas sugerem R$ 5,5 milhões, o que o Grêmio acha caro por 50% dos direitos do atacante de 28 anos.

As propostas estão na mesa do presidente Paulo Odone, no Olímpico. Ele vai decidir.

Douglas, 30 anos em fevereiro, era o goleador do Grêmio no Brasileirão, com seis, até sábado passado, antes dos dois gols de André Lima, agora com sete.

Apesar de não marcar há cinco jogos, a média de gols do camisa 10 é maior do que em 2010, quando fez seis, mas em 30 partidas – hoje tem 26. Douglas é o sétimo jogador que mais finaliza no Brasileirão, 3,4 por jogo.

Mas, por outro lado, não aparece nem entre os 10 em assistências: só três passes para gol.

Eu trocaria Douglas por Kleber na hora. Douglas é bom jogador. Mas seu futebol é supervalorizado.

Seus números não são bons. Os técnicos sempre precisam encontrar um esquema para o meia.  Como principal jogador do time, ele não joga como um fora de séria. Sua média de atuações nunca superam a média de um bom jogador, nada mais.

Seu contrato com o Grêmio termina em 2012, quando poderá sair de graça em 2013, se não renovar.

Bookmark and Share

O filho do gaúcho que lançou Gabiru

27 de outubro de 2011 0

O porto-alegrense Enio Oliveira Junior, Eninho, 30 anos, faz sucesso na Coreia do Sul, no Jeonbuk, seu 13º time.

Eleito o melhor meio-campista do país asiático em 2010, ele é filho do ex-jogador gremista dos anos 1970, Enio Oliveira, que atuou também em Alagoas com Valdir Espinosa, Valmir Louruz, Djair e Torino, e depois revelou Adriano Gabiru e Cleiton Xavier, ex-Inter,. no futebol alagoano.

Eninho passou pelo Grêmio em 2005 e, quarta-feira, fez os dois gols que colocaram seu time na final da Liga dos Campeões da Ásia.

 O vencedor de Jeonbuk e Al- Sadd, do ex-técnico colorado Jorge Fossati, pode enfrentar o Santos no Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão.

Bookmark and Share

Mano Menezes deve chamar Kaká

26 de outubro de 2011 5

Mano Menezes convoca nesta quinta-feira, às 10h30min, num hotel em Copacabana, no Rio, os jogadores para as duas partidas contra Gabão, dia 10, em Libreville (16h, de Brasília, com TV), e Egito, dia 14, no Catar (15h).

País da costa oeste da África, o Gabão, ao lado da Guiné Equatorial, será sede da Copa Africana das Nações, em janeiro. O campeão disputa a Copa das Confederações de 2013, que Porto Alegre perdeu.

Uma das novidades da Seleção pode ser o meia Kaká. Seu futebol voltou. Quarta, ele fez outro gol na vitória de 3 a 0 do Real Madrid sobre o Villareal.

Kaká foi o último número 1 da Fifa com passaporte brasileiro.

Ele é o reforço dos sonhos de Mano. Pode jogar ao lado de Ganso e Neymar, atrás de Leandro Damião.

Com Kaká em forma, a Seleção terá outra cara. Ronaldinho, na máximo, seria reserva.

Bookmark and Share

Torcida do Flamengo quer lugar no Olímpico

26 de outubro de 2011 32

Há 57 anos as torcidas organizadas frequentam estádios brasileiros.

A Raça Rubro-Negra tem 35 anos de vida, mas as suas longas jornadas de ônibus pertencem ao passado.

Domingo, dia de Grêmio e Flamengo, cerca de 70 cariocas desembarcam no aeroporto Salgado Filho.

 Como compraram a passagem de avião com antecedência, gastaram só R$ 100 por bilhete, ida e volta.

A Torcida Jovem preferiu a BR-101. Já lotou cinco ônibus.

 No porta-malas vão trazer bandeiras gigantes com a imagem de Ronaldinho. Na longa viagem, que se inicia sábado, vão ensaiar gritos de guerra.

Bookmark and Share

Os seis jogadores preferidos dos gaúchos em 2011

26 de outubro de 2011 4

Pesquisa da Sport+Markt perguntou no Rio Grande no Sul:

“Qual jogador de futebol em atividade você prefere”?

Encontrou os seis mais, entre entre setembro e outubro:

1º) Leandro Damião: 22,2%

2º) Ronaldinho: 21,5%

3º) Neymar: 18,2%

4º) Victor: 4,4%

5º) Messi: 4,3%

6º) D’Alessandro: 2,8%

Bookmark and Share

Os 10 mais do futebol brasileiro

25 de outubro de 2011 23

Pesquisa da Sport+Markt perguntou em todo o país:

“Qual jogador de futebol em atividade você prefere”?

Descobriu os 10 mais, escolhidos entre entre setembro e outubro deste 2011:

Conheça a lista:

1º) Ronaldinho: 25%

2º) Neymar: 24,8%

3º) Messi: 4,7%

4º) Ganso: 3%

5º) Rogério Ceni: 2,7%

6º) Kaká: 2,7%

7º) Leandro Damião: 2,5%

8º) Lucas: 1,8%

9º) Robinho: 1,7%

10º) Liedson: 1,6%

Bookmark and Share

Pesquisa: Leandro Damião ou Ronaldinho?

25 de outubro de 2011 30

Os preferidos

A Sport+Markt, empresa de consultoria de negócios esportivos de São Paulo, fez uma entrevista com 8.235 torcedores em todos os estados brasileiros, mais o Distrito Federal, entre setembro e outubro. Perguntou: “Qual o jogador de futebol em atividade o senhor prefere”.

1 Descobriu, por exemplo, que Ronaldinho ainda é jogador preferido dos gremistas que vivem no Rio Grande do Sul:

1º) Ronaldinho: 28,2%

2º) Neymar: 18,4%

3º) Victor: 8,9%

4º) Damião: 6,8%

2 O resultado entre os colorados que vivem no Estado:

1º) Damião: 38,3%

2º) Neymar: 16%

3º) Ronaldinho: 13,4%

6º) D’Alessandro: 6,1%

Na pesquisa nacional, Ronaldinho e Neymar tem empate técnico: 26% a 25,8%.

Messi é o terceiro (4,7%).

Leandro Damião ocupa o sétimo lugar (2,5%) no país.

Mas, no Rio Grande do Sul, o centroavante foi o mais votado entre todos, acima de Ronaldinho e de Neymar.

Victor teve 4,4% da preferência contra 2,8% de D’Alessandro.

Bookmark and Share

Roth, o Grêmio e o futuro

24 de outubro de 2011 41

Celso Roth se despediu do futuro do Grêmio em Minas Gerais. Suas mudanças não recomendam.

Ele continua seguindo como ninguém a velha escola gaúcha dos sistema defensivos acima de tudo – às vezes além da razão.

Ok, começar um time pela defesa parece bom e lógico, mas insistir em se defender ao enfrentar 10 com 11 parece fora da realidade.

Não é a primeira vez.

Não será a última.

Os conceitos de Roth não se renovam. Ele trabalha, trabalha, trabalha muito, mas se atrapalha nas substituições, no momento de mudar o esquema, na hora precisa da troca de rota.

Roth peca também ao usar um centroavante de referência, pesado e sem mobilidade, num time que tem três meias de qualidade técnica. O atacante não combina. Participa pouco do jogo, se atrapalha. Faz poucos gols na média.  Aliás, a lentidão do time gremista também assusta.

Bookmark and Share

A maldição das barreiras no futebol

24 de outubro de 2011 9

Goleiros, mais ou menos experientes, sofrem com as barreiras.

Às vezes não são ouvidos pelos zagueiros, que se amontoam como querem, apesar dos gestos e dos gritos. Das súplicas.

Montagem de barreira se treina e se repete.

Organização de barreira em final de jogo merece atenção de pênalti.

As muralhas humanas na frente da bola precisam ser montadas, pensadas e ordenadas nos treinos semanais. Nunca na hora do jogo. O jogador entra em campo e já sabe o que fazer com antecipação, especialmente nos finais das partidas quando a vantagem é de quem tenta se defender da falta.

Muriel errou ao deixar um lado do gol livre, errou duas vezes por não ter dado atenção ao batedor, um cobrador acima da média chamado Alex.

Bookmark and Share

Grêmio tentou U2 para show de inauguração da Arena

21 de outubro de 2011 130

O Grêmio tentou trazer a banda irlandesa U2 para o festival de inauguração da Arena, programado para dezembro do ano que vem.

Falou com os empresários, descobriu que o showcustaria R$ 10 milhões, mas não conseguiu espaço na agenda mundial do grupo.

Agora busca nova atração.

Se não encontra algo especial, chamará vários convidados.

A inauguração deve acontecer na segunda semana de dezembro de 2012.

Bookmark and Share

Teixeira vai chamar Luigi ao Rio

21 de outubro de 2011 194

Ricardo Teixeira pretende ouvir o Inter no Rio assim que retornar de Zurique, onde participou do encontra da Fifa.

Vai chamar o presidente Giovanni Luigi para uma reunião definitiva no Comitê Organizador Local da Copa (COL).

Quer saber por que o Projeto Beira-Rio não anda.

Deseja uma definição.

Vai dar um prazo final aos gaúchos.

Bookmark and Share

Kléber dá luz verde ao Grêmio

20 de outubro de 2011 67

Kléber ofereceu luz verde ao Grêmio. Aceita jogar no Olímpico em 2012. Giuseppe Dioguardi, agente Fifa e empresário do atacante, já trata com a direção tricolor, faz o trabalho de meio campo com os paulistas.

O Cruzeiro aceita negociar, não quer a volta do jogador. O Palmeiras aceita negociar, Felipão não trabalha mais com o atacante. Os dois clubes são donos dos direitos federativos do jogador.

O Palmeiras quer Douglas no negócio, mas gostaria de Julio Cesar ou de Fernando. O Grêmio acena com Gabriel e Miralles, não ficaria infeliz se os dois trocassem de campo de treinamento.

O negócio deve ser definido logo, para sim ou não. Há outros clubes interessados.

Natural de Osasco (SP), quatro times na carreira, Kléber, 28 anos, é um dos melhores atacantes do Brasil. Começou no São Paulo, em 2003.

Bookmark and Share

Racha político no Inter afetou obras do Beira Rio

20 de outubro de 2011 102

O Inter perdeu a Copa das Confederações de 2013 por questões políticas. Sua própria política.

Não aponte seu dedo acusador para Brasília, o palácio Piratini, a prefeitura da Capital, a sede da FGF. O forte racha político do grupo gestor do Inter dos últimos 10 anos se refletiu até na Fifa.

As eleições presidenciais de 2010 dividiram o clube, os grupos se apartaram, o clube perdeu força política, foco, se abriu em várias frentes.

O Inter mudou o projeto do Beira-Rio duas vezes em dois anos. O novo não rolou, ainda não saiu do papel, as obras estancaram. O contrato não foi assinado. Tudo parou. Tudo se arrasta desde março passado. Não vou discutir agora o valor de cada projeto, qual o melhor.

A Andrade Gutierrez também precisa ser cobrada. A construtora poderia ter sido mais parceira dos gaúchos.

Sem garantias bancárias e jurídicas, a Fifa riscou o Beira-Rio do torneio, Porto Alegre ficou fora do test drive da Copa do Mundo de 2014.

Com o Beira-Rio sem uma solução aparente, a Arena gremista pode entrar na jogada. Não havia Plano B, hoje existe, segundo o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Acompanho o processo desde 2009. Nunca havia ouvido uma só palavra sobre Plano B em Porto Alegre, seja da Fifa, da CBF, do Col. Agora, é Teixeira quem fala, segundo o presidente da FGF, Francisco Novelletto.

Bookmark and Share

Tite e Dorival Júnior no vestiário colorado

20 de outubro de 2011 3

Dorival Júnior não ganhou o vestiário do Inter apenas pelas qualidades como técnico.

Sua humildade deixou impressionado até dirigentes mais vividos. Ele trata jovens e veteranos jogadores no mesmo tom e respeita os torcedores. Ele tem o carinho dos funcionários do clube.

Mas no ranking dos técnicos que passaram pelo Inter nos últimos anos, Tite, camperão da Copa Sul-Americana e que visita o Beira-Rio, domingo, com o Corinthians, ainda é o número 1 entre os empregados do clube.

É o mais querido e bate fácil Muricy, Abel, Fossati, Roth, entre outros.


Bookmark and Share