Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Gol fantasma: o erro faz parte do futebol

20 de junho de 2012 22

O gol fantasma do ucraniano Marko Devic contra a Inglaterra é mais um legítimo erro histórico do futebol. Cerca de 130 milhões puderam constatar. Número que cresceu absurdamente nas horas seguintes ao jogo na Ucrânia, terça-feira

A bola cruzou a linha, foi gol, o húngaro Viktor Kassai não viu. Ninguém viu, quem notou precisou ver o lance de novo, rever. Quanto tempo se passou?

O diretor de arbitragem da Uefa, o italiano Pierluigi Collina, disse que o erro do árbitro foi “humano”. Um erro de centímetros. O erro faz parte do futebol, a falha na hora do pênalti, a atrapalhad do goleiro, no gol perdido sem o goleiro.

Foi o primeiro grande erro depois de 24 partidas na Eurocopa 2012. Lance semelhante prejudicou a Inglaterra na Copa do Mundo da África do Sul em 2010 – aí a Alemanha saiu em vantagem.

Com os dois lances martelando na cabeça, Joseph Blatter, o homem mais poderoso do futebol, passou manha europeia dizendo que “a tecnologia para detectar gols não é mais uma alternativa, mas uma necessidade”.

Há uma discussão forte nos bastidores da Fifa. Blatter quer usa tecnologia na linha do gol. Michel Platini, presidente da Uefa e provável sucessor de Blatter depois da Copa do Mundo de 2014, é contra.

Ele prefere dois árbitros assistentes a mais, um ao lado de cada goleiro (um deles não visualizou o gol da Ucrânia) – o francês é o pai da ideia que o Brasil importou para o Brasileirão 2012.

Platini acha que Blatter usará a tecnologia:” Será um grande erro” disse aos repórteres da agência AP.

Platini acha que entrada da tecnologia mudará o futebol para pior, muito pior, será o começo de uma revolução que pode ferir de morte o mundo das chuteiras.

A Fifa decidirá dia 5 de julho se aprova o sistema de cinco árbitros ou um dos dois sistemas de tecnologia (bola com chip ou sensores na linha do gol) que estão sendo testados na Inglaterra e Dinamarca.

Para o bem do futebol, espero que a tecnologia, o olho eletrônico que capta gols fantasmas, fique de fora, bem longe dos gramados.

O futebol pode aceitar alguns erros. É do jogo. Está no seu DND. O erro faz parte do futebol.

Bookmark and Share

Comentários (22)

  • Ademar Garcia diz: 20 de junho de 2012

    Zini meu caro,

    Nós velhos, a maioria dos antigos, temos que acabar com essa resistência em aceitar o moderno, o novo. A tecnologia está facilitando nossas vidas, vamos dar boas vindas a ela senão, seremos atropelados. Pode crer.

    Um abraço,

    Ademar

  • Ruy diz: 20 de junho de 2012

    Quero discordar veementemente caro Zini, acho que como em tudo na vida o futebol também precisa de transparência, precisamos sim e urgente de um sistema que deixe o futebol apenas com erros dos jogadores, ou seja, os erros tecnicos, de passe, de gol, etc. Mas não podemos suportar mais erros, não que os citados assim sejam nesta ordem, mas quase sempre os erros são contra os mais fracos, e um detalhe no futebol é decisivo para o resultado final da partida, seja ele no começo ou no fim do jogo, precisamo de um sistema para o gol fantasma, e mais eu diria, um sistema capaz de dizer se estava ou não impedido o jogador nos lances de impedimento. tendo transparência na maneira de decidir, teremos transparência no resultado final de qualquer competição. Árbitro pode até errar, mas temos que dar a mínima chance para isto. Grande abraço.

  • Gilberto Rossa diz: 20 de junho de 2012

    A tecnologia vai ferir de morte é a roubalheira. É disso que os homens “fortes” do futebol tem medo. Ja Relutaram em botar assistentes atrás do gol, por que é mais um pra molhar a mão no mundo da roubalheira. Agora com um chip na bola não da pra roubar. É disso que eles tem medo. É tudo farinha do mesmo saco que o Ricardo Teixeira.

  • gustavo diz: 20 de junho de 2012

    Concordo plenamente, se nos tirarem o debate sobre o erro de arbitragem vai sobrar pouco para conversar depois dos jogos.
    A beleza do futebol esta na sua imprevisibilidade e o erro faz parte dela.

  • Fernando diz: 20 de junho de 2012

    Respeito as opiniões, todas. Porem, percebe-se que a opinião do blogueiro reflete a opinião de quem vive desses erros, com noticias e polemicas…o que seria do jornalismo futebolistico sem esse tipo de situação. Agora para quem vive o futebol dentro do clube, dia-a-dia, trabalhando sério durante toda uma temporada (que não é o caso da Euro, mas me refiro a campeonato com Clubes) se virando com investimentos e outros tantos problemas que o futebol proporciona fora os erros que ja acontecem naturalmente dentro do futebol, comprometer esse trabalho todo por erros que poderiam terem sido corrigidos com a ajuda da tecnologia, pois muitos deles são sim imperceptiveis ao ser humano, mas o que interessa nesse caso é se foi gol ou não, ponto. Futebol envolve muitas outras coisas alem da paixão do torcedor, essa paixão que ja seria motivo de sobra para que essa tecnologia básica fosse acrescentada as partidas. Eu como sócio de um clube de futebol, fico perplexo com esse tipo de posição. É como se defendêssemos a não utilização de cameras e portas de segurança aos Bancos, com a simples desculpa que isso tira a essencia de integridade da instituição. Confesso que certas resistencias são dificeis de se entender…mas, opinião é opinião…quem não vive dela ou por ela, sempre tem alguma.

  • helder diz: 20 de junho de 2012

    Pois é, Zini e tem ainda gols legítimos que agora até o quarto árbitro anula, mesmo quando o árbitro principal e o auxiliar apontaram como gol. Não sei porque não repercutiu na TV, pois era na série B e foi no Jogo do Criciuma contra o ASA de Arapiraca em Alagoas. A bola entrou entre a trave à direita do goleiro na diagonal e o perna do goleiro, vindo a bola ultrapassar a rede bem no centro do gol (havia uma brecha por onde a bola passou). Todos viram pela TV, foi gol que até um cego validaria. Mas depois de muita discussão foi anulado. Depois do jogo o árbitro confessou ao repórter Marcio Cardoso da Radio Eldorado de Criciuma, que acha que não apita mais nenhum jogo depois deste episódio. Ele tem a consciência de que ele, num primeiro momento estava correto, mas foi atrás do quarto árbitro e foi induzido ao erro.Esse é um episódio que deixa em dúvida a qualidade das nossas arbitragens, e isso por sí só justificaria e muito o uso da tecnologia. Muito me espanta que o Platini seja contra.

  • André diz: 20 de junho de 2012

    Nos EUA, no basquete, futebol americano, hockey, e tudo que é esporte é usada a tecnologia. É um absurdo em pleno 2012 o futebol ainda não usar esse tipo de recurso. Quantos anos de trabalho, quanto dinheiro investido pra ser eliminado por “erro de arbitragem”?!

    A tecnologia não vai acabar com o esporte, mas sim fazer com que o futebol seja justo. Um Prova disso são as competições nos EUA onde em caso de lances duvidosos os arbítros analisam as imagens.

  • Eduardo diz: 20 de junho de 2012

    Zini, para mim, gol fantasma é o gol que não existiu e o árbitro, por não perceber claramente o lance, assinalou para o meio do campo, deu o gol, este é o verdadeiro gol fantasma.
    A tecnologia iria eliminar muitas injustiças, só valeriam os gols que realmente fossem gols.
    Claro que reduziria o material jornalístico que a mídia mais gosta, a controversa, teu trabalho ficaria desfalcado de um tema dos mais apaixonantes, o erro do juiz.
    O esporte tem que ser justo, no futebol vence quem fizer mais gols.
    Se não fosse tão trabalhoso e complicado penso que a arbitragem deveria se valer até das repetições da TV para marcar um pênalti duvidoso.
    Vimos que um auxiliar ao lado do gol também não resolve o problema, o ser humano não é preciso na utilização dos seus sentidos.

  • Carlos Alberto de Oliveira diz: 20 de junho de 2012

    Perae!!! A jogada que originou o gol era irregular. No lançamento o atacante estava impedido. A tecnologia para detectar impedimentos é tão importante quanto a de detectar gols. Ou não?

  • Alexandre Perin diz: 20 de junho de 2012

    Oi, Zini. Concordo com a tese em si, porém vale ressaltar que o lance foi irregular desde o início. O jogador ucraniano tava mais de 1 metro impedido e o bandeira não deu. Se ele simplesmente faz o gol, já seria um erro de arbitragem por si só.

  • ademir diz: 20 de junho de 2012

    Se tivesse o uso da tecnologia teria sido cometido um grande erro nesse lance, pois seria mostrado que a bola realmente entrou, mas a tecnologia não iria mostrar o impedimento no momento do lançamento. Assim, um erro compensou o outro. Revejam o lance e irão ver.

  • Arthur diz: 20 de junho de 2012

    ‘Para o bem do futebol, espero que a tecnologia, o olho eletrônico que capta gols fantasmas, fique de fora, bem longe dos gramados.’

    Se espera que, após proferir uma imbecilidade dessas, ao menos se fundamente o posicionamento.
    Por que o futebol seria prejudicado? Por que o erro faz parte do jogo? O erro é um incômodo na vida de quem importa, que é o torcedor. Não torna o futebol mais charmoso, mais encantador, ou melhor em nenhuma maneira. A ausência desse tipo de erro só acrescentaria ao jogo. Não há qualquer razão para que não ocorra essa mudança.

  • Caldeira diz: 20 de junho de 2012

    Fantasma? Fantasmagórica é a idéia de repudiar a teconologia no futebol. Aqueles que comungam dessa ignomínia é que vivem numa zona gris, verdadeira zona fantasma. Esse conservadorismo tacanho gera os atrasados, ou seja, aqueles que não aceitam a evolução, gerando, também, espaço para interesses espúrios e controvérsias infindáveis, precipuamente com objetivos financeiros

  • Cesar_Florianópolis diz: 20 de junho de 2012

    Tolerar “erro” numa brincadeira de milhões, como o futebol atual, é inadmissível!
    TECNOLOGIA JÁ!

  • Vitor diz: 20 de junho de 2012

    Concordo com o Sr. Ademar Garcia – e um absurdo erros deste tipo continuar a atrapalhar o futebol. Esse nao foi um gol fantasma – foi um gol legitimo e deveria ser confirmado pelo juiz – eletronico, se for o caso.

  • Lucas Colorado diz: 21 de junho de 2012

    Cada um tem a sua opinião, mas creio que numa era onde estamos tão avançados tecnologicamente é muita burrice botar anos de investimento e trabalho por um mero erro humano. Ainda mais hoje que o futebol é puro bussines. Burrice ainda maior pq nós temos os recursos para modificarmos essa realidade de erros dos juízes.

    Claro que vocês jornalistas teriam um assunto a menos para polemizar, mas quanto a isso tudo bem, vocês inventam outros. Jogador vive fazendo burrice fora de campo, aproveitem ainda mais esse filão.

    Um exemplo: o EUA estão investindo pesado no futebol faz anos, agora imagine que a seleção chegue a final de uma copa do mundo e perca o jogo devido a um lance semelhante ao ocorrido na copa de 2010 no jogo entre Alemanha x Inglaterra. Imagine prejudicar um projeto de ANOS e que foram investidos MILHARES de dólares por um erro humano, e não de UM humano e sim de CINCO que estão em campo.

    O tempo muda, as tecnologias e regras também. Antigamente não tinha a regra de impedimento e normalmente se jogava com 5 atacantes, provavelmente alguém se opós a essa regra, mas graças a ela é que o futebol tem graça e fez com que os técnicos elaborassem mais as suas estratégias.

    Mudaram os uniformes, a bola, os estádios, as regras. Tudo muda e se o futebol não mudar ficará para trás.

  • Jason diz: 21 de junho de 2012

    Zini, como qualquer um de nós, tu tamb´pem deve ter o teu time do coração, aquele pelo qual torcias desde criancinha. Queria ver se não mudarias de ideia, se no último minuto da prorrogação de uma final de mundial interclubes, teu time do coração x Barcelona, o atacante do teu time chuta, a bola vai entrando e Puyol se joga na bola pra evitar que entrasse, de fato ela entrou, num lance idêntico a este da Euro, mas o juiz não deu o gol.
    Não há nada pior que a injustiça, no futebol nã é diferente.
    Se tem que mudar, então que mude pra melhor e seja aceita sim a tecnologia!

  • Luciano diz: 21 de junho de 2012

    Pensamento totalmente retrógrado esse seu e do Platini.

    Tecnologia só beneficia o esporte. Vide futebol americano, tênis…

  • Marco diz: 21 de junho de 2012

    “O futebol pode aceitar alguns erros.Está no seu DNA”.
    Esta frase diz muita coisa…talvez sirva para refletir o porque da Itália ter por muitos anos campeonatos com escândalos de arbitragem,de apostas,etc.Ir contra a tecnologia é ir contra a evolução do homem,da humanidade.Estava vendo os jogos finais da liga americana de basquete,onde em um lance duvidoso o juiz parou tudo e foi conferir na TV.Simples,objetivo.Sem questionamentos.

  • Marco diz: 21 de junho de 2012

    Complementando:Erro sempre será erro.Ou seja,errado!!

  • César diz: 21 de junho de 2012

    Eu tive que ler até o fim pra acreditar que a chamada do comentário queria dizer isso mesmo….. Não é possível que tenhamos que conviver com erros desse tipo no futebol… Também acho que a tecnologia DEVE ser usada pra tirar a dúvida em lance como esses… Além de ser uma emoção a mais, como é nos jogos de Tênis, em que se repete o lance contestado pra saber se a bola entrou….

  • augusto liesenfeld diz: 21 de junho de 2012

    Assistindo o lance pela TV,desde o início,em que houve impedimento,constata-se que apesar dos árbitros que ficam atrás da linha do gol – que não está adiantando muita coisa – é de suma importância que se coloque o “ship”na bola, pois assim iremos sanar todas as dúvidas que existirem em relação aos lances de bolas duvidosas. É ou não é torcedores do MEU BRASIL!

Envie seu Comentário