Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Inter ganha, anima, mas não esconde defeitos

26 de fevereiro de 2015 7

Libertadores é sempre um filme de terror. Os sustos nascem e aparecem do começo ao fim de uma partida, todas decisivas.

La U petrificou a torcida colorada no Beira-Rio com um chute no travessão ainda no início da partida decisiva pelo Grupo 4, segunda rodada. Logo depois, ainda no primeiro tempo, Maxi Rodríguez, o mesmo que fez tremer a goleira, perdeu um gol quase da pequena área. Ele conseguiu observar a posição do goleiro Alison, mas chutou longe, alto. O atacante é canhoto, resolveu arriscar de pé direito.

A partida estava difícil, tensa, indefinida. O Inter errava passes demais, não criava e o cheiro do empate tomava conta do estádio no final do primeiro tempo. No último ataque, D’Alessandro foi puxado pela camisa na grande área. Pênalti? Não vi. O puxão não foi para tabto, creio. O argentino cobrou com perfeição, chute forte, marcou e aliviou os companheiros, Diego Aguirre, Vitório Piffero e toda a torcida – 32.133 pagaram ingresso.

O gol animou o Inter, mas não conseguiu esconder seus erros nem ocultar os calafrios da torcida. A defesa continua desprotegida, há um corredor nas duas laterais, Alan Costa e Réver ainda tentam se conhecer. Falta treino. Fazer um time em 50 dias é obra de milagreiros, ninguém faz.

Quando Aguirre chamou Alex e sacou Vitinho, não poderia imaginar que o segundo gol nasceria de um contra-ataque mortal. Alex lançou Jorge Henrique no meio da defesas desprotegida. O meia entrou na área, mirou o canto esquerdo e, com calma e precisão, acertou.

O 2 a 0 não cimentou o time. As costas de Fabrício foram o caminho que os chilenos encontraram para marcar seu gol, obra de Canales, jogador que o Grêmio observa. A torcida tremeu de novo na noite chuvosa de quinta-feira. Mas o terceiro gol gaúcho nasceu em seguida, quando Sasha marcou e foi festejar nos braços da torcida, atrás da goleira oposta ao Gigantinho. A torcida só começou a ficar mais aliviada depois dos 30 minutos do segundo tempo.

A vitória foi ótima, um clássico 3 a 1, o futebol nem tanto. O resultado deixa o Inter em segundo lugar entre quatro. Deixou também a torcida com a certeza que a equipe não está pronta. Não é um volante ou dois que vão deixar a defesa mais protegida e a zaga mais forte e segura. É a organização geral. A marcação começa no ataque e passa pelos meias. Só a sequência de treinos e partidas são capazes de fazer um time competitivo.

Domingo tem Gre-Nal, mas o Inter não está nem aí. Vai chamar um time misto.  Só a Libertadores interessa. O primeiro Gre-Nal do ano não está nos planos colorados. 

Bookmark and Share

Comentários (7)

  • elias diz: 27 de fevereiro de 2015

    Depois de 358 replays o caro zini não viu o puxão na camisa? Compre um óculos. Urgente.

  • Emerson diz: 27 de fevereiro de 2015

    Tu poderia ter comentado também as chances do Inter. Antes da bola no travessão o Inter já tinha criado pelo menor 2 chances claras.

    O penalti que tu não viu, também achei duvidoso. Mas tu não viu outros 2 penaltis claros antes (ou também não quis comentar)?

    O Inter ainda está longe do ideal, mas o placar de hoje foi o retrato do jogo.

  • JOAO NUNES diz: 27 de fevereiro de 2015

    Isto é comentário ou choradeira !!!!

  • rodolfo diz: 27 de fevereiro de 2015

    O jornalista de futebol não viu o penalte no Dalessandro e também não viu em seu texto os dois penaltes que deveriam ter sido marcados sobre Jorge Henrique e sobre Vitinho. Sendo assim, vamos comemorar coloradagem! Dalhe!

  • junio pozebom diz: 27 de fevereiro de 2015

    O Fabricio é uma vergonha,marca muito longe, fica a 10 mts dos atacantes, os caras tem tempo de dominar e fazer a jogada que quiserem…LATERAL ESQUERDO URGENTE.

  • Carlos Alberto diz: 27 de fevereiro de 2015

    Bom dia Zini.
    Olha, puxão na camisa SEMPRE é falta. Com força, de vagar, sutil, sempre vai ser um puxão na camisa. E é falta. Se for na área, pênalti. Antes, ainda teve um pênalti claro no Vitinho, que o juiz não marcou porque o Vitinho já havia simulado duas faltas. Um recado para o Vitinho: Se você perder uma ou outra jogada, a torcida não vai pegar no teu pé (uma ou outra, não dezenas). É melhor tentar recuperar do que simular uma falta. Fica marcado pelo juiz. De tanto mentir, quando conta uma verdade ninguém acredita. Agora, se você continuar nesse cai-cai é provável que terá algum aborrecimento com a torcida.

  • Andre CWB diz: 27 de fevereiro de 2015

    O jogo foi horrivel para qualquer pessoa que conheça futebol. Os dois times não marcam, não aproximam, não compactam.

    Qualquer um dos dois times seria triturado pelo Brasil de Pelotas e suas linhas compactas com boa transição.

    O Inter tem méritos pela vitória, mas esta seria justa se fosse 0,5 x 0.

    A LaU mostrou mais qualidade técnica mas nenhuma maturidade, já o Inter abusou da maturidade e não agrediu o time adversário.

    A evolução colorada ocorre, mas precisa seriamente ser repensado a titularidade do Fabricio ou a mudança da mecânica defensiva.

    O colorado tem elenco e técnico para render muito mais que isso, tomara que engrene, pois como rival, só vejo o meu time se mexer se o Inter puxar a fila, caso contrário iremos nos contentar em ganhar um ou outro grenal…

Envie seu Comentário