Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Uendel é, de fato, o primeiro reforço

17 de janeiro de 2017 0

22779973

Uendel é o primeiro reforço do Inter. É a terceira contestação, mas o primeiro reforço. Falo isso porque ele chega para ser titular e e melhor do que o Inter tem em casa. Já Néris e Roberson, que foram apresentados antes, são jogadores em nível de grupo que chegam para disputar posição.

Há muito tempo, o Inter não tem um titular da lateral-esquerda. Kléber, campeão da Libertadores em 2010, foi o último como esse status. Depois, Fabrício foi o que mais jogou, mas nunca chegou a encantar. O clube tentou ate Alan Ruschel. E recentemente promoveu Artur e Geferson sem muito sucesso.

Mas se resolve o problema da lateral-esquerda, o Inter ainda precisa de uma solução para o lado direito. O rompimento com William era algo que não estava nos planos. A situação ainda pode ser contornada, mas parece que a direção não aposta nisso, pois já está quase acertado com Alemão, do Bragantino.

Os dois alvos do Grêmio

17 de janeiro de 2017 0

22763962

Beto Silva 20 anos, e Angelo Rodriguez, 27, estão muito perto de serem anunciados pelo Grêmio. Eles são os dois reforços que faltam para fechar o grupo e preencher as vagas do “fazedor de gol” que o tricolor promete e procura desde o final da Copa do Brasil.

Beto Silva me impressionou. É jovem. rápido, habilidoso e pode jogar tanto pelo lado, como pelo meio. Foi revelado pelo Sporting Cristal em 2015 e foi imediatamente para o PSV.No time holandês fez uma adaptação notem sub-21 e no último final de semana já fez parte do banco de reservas do time principal. Mesmo sem atuar como titulo na Holanda, Beto faz parte da seleção peruana, onde é tratado com muita atenção pelo técnico Ricardo Gareca. No Peru, mesmo com características diferentes,é apontado como sucessor de Paolo Guerrero.

Já Ângelo Rodriguez é um jogador bem diferente. É mais velho e já bastante rodado. Perambulou por vários times colombianos e somente na última temporada, quando jogou no Envigado e, depois, no Tolima, conseguiu um bom desempenho, chegando a 14 gols no total. É o típico camisa nove. Joga centralizado e e perto da grande área. Mas mesmo vivendo seu melhor momento, os números de Ângelo Rodriguez não são animadores.

Os dois têm poucos gols na carreira. A diferença é que Beto Silva está começando. É uma promessa eu o Grêmio descobriu. Já, Angelo Rodriguez, mais experiente, não entusiasma tanto. Demorou para explodir e por isso é visto com desconfiança, lembrando um pouco Braian Rodriguez, que passou por aqui sem deixar saudades.

 

O Inter não mudou de cara

12 de janeiro de 2017 0

22691914

Mesmo com novo técnico e sob nova direção, o time do Inter mudou muito pouco. Continua praticamente com a mesma cara. Caso fôssemos escalar a equipe no 4-2-3-1 do ano passado, teríamos: Danilo Fernandes, Ceará, Paulão, Ernando e Artur; Rodrigo Dourado e Anselmo, Valdívia, D`Alessandro e Seijas e Nico López. Ou seja, praticamente o mesmo time que caiu para a Serie B.

A grande novidade é a volta de D`Alessandro. As mudanças mais profundas até agora são a rescisão com Alex e o afastamento de Ânderson até que ele encontre um novo clube. O rompimento e a perda de William podem ser compensados em parte com a chegada de Uendel para a outra lateral, mas a verdade é que ainda faltam muitas peças e também um acréscimo de qualidade e experiência.

Roberson chegou como reforço de grupo. Néris e Uendel serão anunciados em breve. Mas o Inter precisa de mais. Bem mais.

O Grêmio não pode reclamar da parceria

22 de dezembro de 2016 0

22340625

Grêmio e Atlético Mineiro não podem reclamar da sorte. Entre os brasileiros, foram os que se deram bem no sorteio dos grupos da Libertadores 2017. Situação inversa a de Atletico PR e Botafogo que pegaram adversários difíceis na Segunda Fase Classificatória e terão que decidir fora diante de Milionários-COL e Colo Colo-CHI, respectivamente.

Na fase de grupos, a Chapecoense, também pelo fato de estar em remontagem, tem uma parada complicada no Grupo 7 tendo Nacional-URU e Lanús-ARG como adversários mais fortes e possivelmente o caminho mais perigoso. O Palmeiras, campeão brasileiro, está mais tranquilo. Precisa se preocupar apenas com o Peñarol-URU. O Santos tem uma situação semelhante, pois somente o Independiente Santa Fé-COL pode surpreender.

Já o Flamengo vai precisar ter um pouco mais de atenção pois disputa as duas vagas com o San Lorenzo-ARG e Universidade Católica-CHI. E essa situação inicial pode se complicar um pouco mais para Santos , Flamengo e Palmeiras que ainda esperam a definição do último integrante das suas chaves que sairá da seletiva que começará no início de janeiro.

Na teoria, Atlético Mineiro e Grêmio estão com a vida mais tranquila. O Galo pega Libertad-PAR, Godoy Cruz-ARG e Sport Boys-PER e deve passar sem sustos. Mesma situação que se projeta para o Grêmio, integrante do grupo 8 ao lado de Zamora-VEN, Guarany-PAR e Deportes Iquique-CHI. A única ameaça ao tricolor é o Guarany que tem como característica revelar jovens talentos, mas manter-se com veteranos, como por exemplo o atacante Rodrigo Lopez e o zagueiro Cáceres.

Mesmo que os paraguaios tenham surpreendido e eliminado o Corinthians de Tite em 2015, o Grêmio,com o que tem em casa, é favorito ao primeiro lugar do grupo. E depois… bem, depois se faz uma nova projeção. Pois o regulamento mudou e, a partir do próximo ano, não tem mais o emparelhamento de acordo com a campanha na fase de grupos. Os confrontos, a partir das oitavas de final, serão definidos através de sorteios tomara que a sorte continue ao lado do Grêmio.

De quantos reforços o Grêmio precisa?

19 de dezembro de 2016 0

22287370

O Grêmio renovou o contrato do técnico Renato Portaluppi, mas ainda precisa definir o nome do novo vice de futebol. Depois disso, terá condições de partir em busca dos reforços para a temporada de 2017.

Antes mesmo de divulgar o novo comando do futebol, a direção gremista já comenta sobre as necessidades e carências do elenco. Um “fazedor de gols” é a prioridade. Não que Luan deixe a desejar, muito pelo contrário, mas Renato, quando chegou, disse que gostaria de ter um nove de referência. Tentou com Henrique Almeida e abandonou a ideia. Agora, de olho no mercado, o Grêmio tem condições de buscar uma outra alternativa.

Além de um atacante, o Grêmio precisa de laterais. Um para a reserva de Edílson e outro para disputar a posição com Marcelo Oliveira. Mesmo que o titular do lado esquerdo tenha rendido melhor nos últimos jogos da atual temporada, o desempenho, na maior parte do ano, ficou abaixo do esperado.

Outra mercadoria que a direção precisa encontrar no mercado é um meia de armação que sirva como complemento para Douglas. Não alguém para jogar junto ou disputar posição,mas um jogador que sirva de alternativa para eventuais ausências do camisa dez.

Everton e Pedro Rocha terminaram o ano em alta. Mas pensar num atacante que jogue pelo lado também é uma boa ideia. Fernandinho pode voltar. Mas ele não é solução. Não foi aqui, nem no Flamengo. O Grêmio precisa de alguém mais experiente e eficiente. Caso não o encontre, é melhor seguir apostando nos garotos.

Chega de medalhão

13 de dezembro de 2016 0
Bruno Alencastro / Agencia RBS

Bruno Alencastro / Agencia RBS

Aprovo a contratação de Antônio Carlos Zago. Já que o Inter, após o fracasso no Brasileirão, quer apagar a imagem da arrogância e da soberba, o ideal é apostar em um treinador novos, sem antigos vícios e pronto para um grande desafio. É hora de colocar a casa em ordem e trabalhar bastante. E, para isso, Zago mostrou-se pronto na coletiva desta terça-feira.

Prevendo o que estava para acontecer, a direção do Inter agiu rápido e trouxe um treinador acostumado com a nova realidade que o colorado irá enfrentar. Antônio Carlos Zago foi um grande zagueiro com passagem pelos quatro grandes de São Paulo, pela Roma e pela Seleção Brasileira. Como treinador, atuou em clubes pequenos, teve uma passagem relâmpago pelo Palmeiras e, para decolar de vez, foi buscar aperfeiçoamento na Europa. Depois de estagiar na Roma e no Shakhtar, assumiu o Juventude e conseguiu recuperar um pouco do prestígio do time de Caxias o reconduzindo à Série B do Brasileirão.

Zago é um técnico emergente. Tem experiência na coordenação técnica, pois já exerceu essa função e é um treinador com metodologia atualizada e um profissional participativo. O seu perfil parece ser o ideal para esse momento de reconstrução do Internacional. Não gosta de treino coletivo, nem de rachão. No Juventude seus treinamentos chamaram a atenção pelo aproveitamento quase uniforme de todo grupo. Ou seja, praticamente todos receberam o mesmo trabalho e a mesma orientação, dando  impressão de que todos poderiam ser utilizados a qualquer momento. Ou seja, conseguiu ter um grupo mobilizado o tempo todo.

No Juventude, com o pouco que tinha, conseguiu crescer bastante. Assumiu o comando na metade de Série C em 2015 e quase chegou à segunda fase. E 2016, precisou montar um novo time e alcançou o vice-campeonato gaúcho. Destacou-se na Copa do Brasil despachando o Coritiba e o São Paulo e só parou nas quartas de final quando foi eliminado pelo Atlético Mineiro nos pênaltis. Mas considero o acesso para a Série B o trabalho mais importante e consistente de Zago no Juventude. Afinal, esse era o desejo que  a Papada mais desejava e o treinador conseguiu.

Com um time modesto e com poucos recursos financeiros, realizou um trabalho de qualidade, E, mesmo sendo paulista, montou um time que tem o espírito competitivo do futebol gaúcho. Talvez isso seja exatamente o que está faltando ao Inter. Esse time aguerrido, de força na marcação, boa consistência defensiva  e velocidade no ataque pode ser o novo desenho colorado. Resta saber com que peças ele vai contar. Pois, depois do rebaixamento pra a Série B, o plantel do Inter está desacreditado e desvalorizado e nessa hora é preciso de muito critério para não liquidar um grupo que tem boas peças individuais, mas que não teve qualidade coletiva.

O momento é do Grêmio

03 de novembro de 2016 0

21551678

O Atlético Mineiro tem mais time e mais plantel, mas o momento é do Grêmio. Renato Portaluppi ajustou o time. Melhorou a base deixada por Roger. Manteve a posse de bola, mas acrescentou mais espirito de luta. Tornou o time mais objetivo no ataque e mais seguro na defesa. Douglas cresceu de rendimento. Luan não é a única sadia. Ramiro conseguiu preencher o espaço deixado por Giuliano.

Mas o grande mérito de Renato é ter consertado o sistema defensivo. E os números comprova: em doze jogos, o Grêmio de Renato sofreu apenas cinco gols. Kannemann é uma afirmação. Não é nenhum De León, mas trouxe eficiência a um setor que era um problema. O argentino está jogando por si e por Marcelo Oliveira, amaldiçoado nos tempos de Roger Machado.

Por todos esses detalhes, o intervalo de três semanas até o primeiro jogo da final da Copa do Brasil é prejudicial ao Grêmio. Se a decisão começasse já na próxima semana, o Grêmio estaria em vantagem, pois está melhor equilibrado e vive seu melhor momento na temporada. Já o Galo vive muito mais de suas individualidades do que de sua coletividade. Não dá pra desprezar um time que tem Robinho e Lucas Pratto no ataque, mas dá pra tirar proveito de um time desequilibrado e que erra muito na defesa.

Para o Inter só restou o Campeonato Brasileiro

03 de novembro de 2016 0

21553726

Na soma dos dois jogos, o Inter jogou melhor que o Atlético Mineiro, mas não ficou com a vaga. O colorado foi melhor em Porto Alegre,onde a derrota foi um grande castigo. E no jogo de volta, em Belo Horizonte, fez um bom primeiro e não resistiu à pressão do Galo na etapa final. Um empate em terras mineiras quase sempre pode ser um bom resultado, mas ontem, diante das necessidades, não foi.

O Inter perdeu a classificação nos detalhes. Falhou nos dois gols que sofreu no Beira-Rio e também nos dois que levou no Independência. Mas erros sempre fizeram parte do futebol. Victor que o diga.Mas o principal erro do Inter talvez tenha sido não ter dado importância à Copa do Brasil, onde, pelo que jogou diante do Atlético, se tivesse escalado os titulares, teria garantido vaga na final.

Ficou sem a vaga na final, se complicou novamente no Brasileiro ao empatar com o Santa Cruz e, de quebra, viu o Grêmio garantir lugar na decisão.Diante de tudo isso, a rodada de domingo ganha muito mais importância. Afinal, agora só restou o Brasileirão. E voltar à zona do rebaixamento, a essa altura, é um risco que o Inter não pode correr.

O Inter vive mais um recomeço

31 de outubro de 2016 0

21518955

Quando se pensava que o pior já havia passado, o Inter empata com o lanterna do campeonato em pleno Beira-Rio e joga no lixo o que havia conquistado em termos de “gordura” na fuga do rebaixamento. Depois de um inicio fulminante diante do Santa Cruz , o colorado relaxou, levou um gol, perdeu Eduardo Henrique, expulso ainda no primeiro tempo, e, depois, não se encontrou mais. A torcida, que sempre pegou junto, dessa vez não aguentou e vaiou o time e, principalmente Celso Roth.

A vantagem em relação Vitória, primeiro time na zona da degola,ainda é de dois pontos, mas poderia ser de quatro. O risco de voltar para o Z4 está de volta. Basta o Vitória derrotar o Atlético PR e o Inter perder para o Palmeiras. E, além disso, ainda tem a Copa do Brasil, numa rodada onde a tendência é que o Grêmio se classifique e o Inter seja eliminado.

Ou seja, a semana começa sob ameaça de chuvas e trovoadas para os colorados. Resta saber como o Inter reagirá. Será que aquele crescimento será retomado ou o grupo voltará a se abater? A resposta começará a ser dada quarta-feira no Independência.

Foco na Copa do Brasil

17 de outubro de 2016 0

21346950 (1)

Ao escalar um time reserva contra Santos, Renato Portaluppi correu um grande risco na Vila Belmiro. Pois,além de entrar comum time teoricamente mais frágil, o treinador mostrou que a prioridade gremista é a Copa do Brasil. Mas o plano de Renato deu certo. Os reservas foram bem e conseguiram um empate o que, pelo histórico tricolor na Vila Belmiro, é um resultado que merece ser elogiado.

Na tabela do Brasileiro, o Grêmio é oitavo, pode cair para nono, mas segue na briga por uma vaga no G6. Mas o mais importante é passar pelo Palmeiras quarta-feira e avançar na busca do título da Copa do Brasil. Em resumo, o Grêmio tem dois caminhos para chega a Libertadores 2017. Mas em termos de título só dá pra apostar na Copa do Brasil.

Mas mesmo que o objetivo imediato seja o jogo com o Palmeiras, o descanso dado ao grupo no Brasileiro serve também como garantia de grupo completo para o Gre-Nal de domingo. Afinal, o rebaixamento do Inter é outro fato que continua no foco tricolor.