Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Caxias e Nóia jogaram mais que a Dupla Gre-Nal

24 de abril de 2017 0

22993421

O Novo Hamburgo passou e o Caxias parou nos pênaltis. Mas os dois times do interior jogaram mais que Grêmio e Inter, seus respectivos adversários na fase semifinal. O Inter só conseguiu ser superior (e nesse caso, bem superior) ao Caxias no primeiro tempo do jogo do Beira-Rio. Ali fez 1 a 0 e até poderia ter ampliado. O Caxias voltou melhor para o segundo tempo e reequilibrou o confronto. No jogo do Centenário, o time de Luís Carlos Winck se impôs diante de um Inter apático. Se impôs e aproveitou para abrir o marcador. A reação do Inter, no segundo tempo, durou até a expulsão de Brenner e o Caxias, ao não converter o pênalti, jogou fora a classificação .Depois,com um jogador a menos, o Inter arriscou menos e tratou  de segurar o resultado e levar a decisão para os pênaltis.

Já o Novo Hamburgo foi mais feliz nos pênaltis e chega â final. Beto Campos se consagra como o melhor técnico do Gauchão e mostrou muita competência em mapear e anular as principais jogadas do Grêmio. Surpreendeu no jogo da Arena com uma marcação forte e um futebol competitivo que quase rendeu a vitória não fosse a bola no poste chutada por Jardel aos 35 do segundo tempo. Ontem, no Estádio do Vale, o Nóia repetiu a mesma estratégia e o Grêmio não conseguiu jogar, nem pressionar. Num jogo que estava equilibrado, o Grêmio saiu na frente numa falha da zaga do Novo Hamburgo, mas o time do Vale teve calma e competência para buscar o empate. E mais calma ainda na hora dos pênaltis.

Pela história e pela grandeza,  o Inter pode ser considerado favorito na final. Mas pela bola que os dois estão jogando, o Novo Hamburgo chega melhor. O resultado do primeiro jogo, no Beira-Rio, será determinante para a definição do campeonato. Se quiser chegar ao hepta, o Inter precisará render mais, porque o Novo Hamburgo está disposto a fazer história e mostrar que a melhor campanha ao longo de todo Gauchão não é obra do acaso.

O objetivo alcançado pelo Grêmio

21 de abril de 2017 0

23232036

Ao escalar os reservas, o Grêmio correu riscos, mas volta de Assunção com o objetivo alcançado. A liderança do grupo foi mantida com o empate em 1 a 1 e os titulares foram preservados para a decisão da vaga, domingo, em Novo Hamburgo. Só não concordo com o fato de levar toda delegação para o Paraguai. Se a ideia de utilizar os reservas já estava tomada antes da viagem, talvez a melhor opção seria deixar os titulares treinando em Porto Alegre sem a necessidade do desgaste da viagem.

Quanto ao jogo, pelo primeiro tempo, caso Lucas Barrios não perdesse tantas oportunidades, dava para voltar com uma vitória. Renato mexeu bem e a entrada de Pedro Rocha, após a expulsão de Michel, reorganizou o time. Aliás, Pedro Rocha, pelo gol e pela bola no poste, e Arthur, pela maturidade da atuação, foram os dois grande destaques gremistas. A decepção foi Lucas Barrios. Afinal, um homem que foi trazido por ser um especialista, o dito ” fazedor de gols”, não pode perder tantas chances como ontem. E não vale dizer que “Ah, mas era o time reserva”, pois esse time reserva criou várias oportunidades e ele não aproveitou.

Uma vitória revigorante em Itaquera

20 de abril de 2017 0

23228831

O Inter volta revigorado com a vaga conquistada nos pênaltis na Copa do Brasil. Foram dois grandes jogos contra o Corinthians com muitas alternâncias e muita emoção. E o jogo em São Paulo foi mais significativo ainda, pois o Inter entrou sem D’Alessandro, Carlinhos e Edenílson e também sem Danilo Fernandes, mas essa ausência fica de lado, pois o herói da classificação foi justamente o seu substituto: Marcelo Lomba.

Lomba foi o herói pegando duas penalidades e foi herói realizando duas atuações especiais. Primeiro no Beira-Rio e depois na Arena do Corinthians. Nico López, o autor intelectual do gol colorado, foi outro destaque. E talvez tenha feito a sua melhor atuação.

O Inter teve altos e baixos. Levou um gol muito cedo e depois equilibrou o jogo. No segundo tempo, o Corinthians voltou melhor, mas não soube matar o jogo. Zago, desta vez, mexeu bem e a entrada de Carlos aumentou a força ofensiva colorada e o empate veio como recompensa. No final, o Corinthians pressionou e perdeu dois incríveis.

A classificação aumenta a confiança do Inter numa hora importante. Domingo, o colorado decide o seu futuro no Gauchão. E, enquanto o time não volta a campo, fica de olho no sorteio de hoje na CBF para saber quem cruzará o seu caminho na Copa do Brasil.

O Gauchão mais importante dos últimos anos

19 de abril de 2017 0

19060932

Ele já foi cafezinho, já foi ruralito, mas hoje está valorizado. Há muito tempo não víamos a Dupla Gre-Nal tão focada na conquista do Gauchão. O Inter quer chegar ao hepta. O Grêmio, depois de conquistar a Copa do Brasil, deseja retomar a rotina de conquistas voltando a mandar no futebol daqui.

E a prova desse foco é a projeção dos times para a rodada do meio de semana. O Inter decide vaga contra o Corinthians na Copa do Brasil mas guarda D’Alessandro e Edenilson para o jogo de domingo contra o Caxias. Não sei nem se ele, mesmo no sacrifício, teriam condições de jogo logo mais em São Paulo, mas a verdade é que Zago não quer correr riscos de ficar sem a dupla também no Centenário.

E o Grêmio levou 27 jogadores para o jogo com o Guarani no Paraguai. Não vejo razão para uma delegação tão grande se a idéia não for poupar alguém. Bolaños, Grohe, Léo Moura e Edenilson são candidatos a um descanso em Assunção. O jogo da Libertadores não é decisivo. Vale a liderança do grupo, mas ela pode ser recuperada semana que vem quando os paraguaios vieram a Porto Alegre. Até mesmo o presidente Romildo, ao dizer que o jogo mais importante da semana é o de domingo, em Novo Hamburgo, válida essa idéia e mostra que há muito tempo o Gauchão nunca foi tão valorizado.

O campeonato está aberto e tudo pode acontecer

17 de abril de 2017 0

1492435035573635

A Dupla Gre-Nal não conseguiu o que queria e o interior saiu bem vivo na rodada de ida da semifinal. O Inter, sábado, fez  um bom primeiro tempo contra o Caxias mas terminou com um placar magro:1 a 0.  No segundo, caiu de rendimento porque o Caxias resolveu jogar e não apenas se defender. William foi expulso. Zago fez mudanças que diminuíram a força e o time se complicou. Menos mal que venceu.

Já o Grêmio foi a grande decepção . Jogou mal e Renato não conseguiu encontrar soluções para superar a forte marcação do Novo Hamburgo. No primeiro tempo, o time teve apenas duas chances de gol. No segundo, o gol de Ramiro, logo a dois minutos, poderia mudar a história do jogo. Mas o Novo Hamburgo empatou aos 11 e terminou melhor que o Grêmio. Aliás,  quem teve a chance de vencer foi o Nóia que perdeu dois gols no mesmo lance.

Caxias e Novo Hamburgo surpreenderam. O Noia mostrou muita disciplina tática. Preto, Jardel e Juninho jogaram e marcaram muito. O Caxias, talvez pelos desfalques na defesa, respeitou demais o Inter durante o primeiro tempo. Mas, se jogar um pouco mais do que fez no segundo tempo , terá chances de superar o Inter no Centenário. A dupla Gre-Nal vai com as barbas de molho para a rodada de volta. Tudo pode acontecer. Até mesmo a lógica.

Edenilson, a boa nova do Inter

10 de abril de 2017 0

23182580

Dois jogos já são suficientes para comprovar o acerto da contratação de Edenilson. O volante chegou, encaixou e acrescentou qualidade ao time do Inter. O técnico Antonio Carlos Zago, após o jogo de ontem, destacou que Edenilson entrou no time com um ritmo muito bom. E eu digo mais. Ele entrou com um ritmo acima dos demais companheiros.

Edenilson traz na bagagem um cultura tática europeia. Ele tem velocidade para atacar e para fazer a recomposição defensiva, acrescentando uma intensidade de jogo que o Inter não tinha. Por ser um motorzinho, ele lembra um pouco a movimentação de Tinga. São jogadores parecidos. De muita entrega, de muita participação.

No jogo de ontem nem tanto, mas no primeiro jogo contra o Cruzeiro, já se percebeu que Edenilson chega para equilibrar o time. Ele, pelo lado direito, acrescenta a qualidade que Uendel coloca no lado esquerdo. Não é pura coincidência, mas bastou Edenilson chegar que o futebol de William voltou a aparecer.

Inter: vitória com final feliz

07 de abril de 2017 0

23192619

Teve muita coisa boa no jogo do Beira-Rio. A começar pelo adversário. Mesmo deixando a desejar na primeira etapa, o Cruzeiro cresceu no segundo tempo, mudou de estratégia, jogou pelos lados e começou a ameaçar. Marcou um gol que o deixaria em excelente situação para o jogo de volta, mas no final, o terceiro gol do Inter recuperou uma vantagem tranquilizadora para o jogo de volta domingo em Gravataí.

O gol de Valdívia foi a outra boa notícia da noite. Pelo choro e pelo desabafo, notou-se que o jogador tirou um peso das costas. Ele não chegou a fazer uma grande partida, mas foi decisivo.

Decisivo foi Brenner, que marcou duas vezes, assumiu a artilharia do Gauchão e mantém uma média invejável. Invejável é a performance de D’Alessandro que chegou aos 40 do segundo tempo dando pique para chegar ao fundo de tempo e, mais uma vez,o gringo foi o comandante do time.

A estréia de Edenilson deu mais consistência ao meio-campo. Foi uma boa estréia, pois ele ajudou Dourado na marcação, combinou com William e D’Alessandro e mostrou muita movimentação, tanto para atacar, como para defender.

E William, em seus últimos dias de Inter, finalmente teve uma atuação no nível das do ano passado. Praticamente todos os méritos do segundo gol colorado cabem a William que recuperou uma boa na linha de fundo, levantou-se e rolou para Brenner.

O Inter cresceu. Não fez ainda a melhor atuação da vida. Mas dá sinais de melhora. Domingo precisa mostrar tranquilidade e jogar administrando uma vantagem considerável diante de um time que tem qualidade e que receberá o reforço de Sander, o seu melhor jogador e o melhor lateral do campeonato.

As boas notícias do Grêmio

06 de abril de 2017 0

Parece ironia, mas os jogadores do América Mineiro, reclamando da falta de fair-play do Grêmio, resolver chutar e agredir Máximo Rodriguez que estava caído. O jogo pela Copa da Primeira Liga não agradou e terminou da pior maneira possível.

Mas para o Grêmio o que interessa é que o time venceu e passou de fase. O time não fez má boa atuação. Muito pelo contrário. Faltou dinâmica, intensidade e entrosamento. Poucos jogadores aproveitaram a chance. Muito se esperava de Cortez, Gata Fernandez e Lucas Barrios, mas a produção do trio não chamou a atenção.

Everton, que marcou um golaço, foi destaque. Mas, acima dele, quem mereceu todos os prêmios foi o volante Artur. O garoto jogou com naturalidade, acertou praticamente todos os passes e teve desibinição para aparecer no campo de ataque e ajudar na armação de jogadas. Inclusive, no lance do gol, Artur está na entrada da área do América passando para a conclusão de Everton.

Artur, que já havia jogado bem contra o São Paulo de Rio Grande, começa a ganhar pontos e a chamar a atenção. Em breve, se é que esse já não é o pensamento de Renato, passará a ser poço no time titular, furndo a fil e passando por cima de Jailson e Michel.

O Inter precisa de uma vitória reanimadora

06 de abril de 2017 0

23188365

Na semana de aniversário do clube e no dia dos 48 anos de inauguração do estádio, o Inter precisa de uma vitória para salvar uma quarta-feira que começou “torta” com a derrota no “Caso Victor Ramos”.

O Inter precisa de uma vitória reanimadora. Que indique que o time está no caminho certo e que a passagem para a semifinal será muito mais tranquila do que foi a classificação na primeira fase do Gauchão.

Zago pretendia colocar em campo o seu time ideal com a estréia de Edenilson, a volta de Carlinhos e o retorno de Uendel ao meio-campo. Mas seus planos se desmancharam ontem com a lesão sofrida por Danilo Fernandes. Marcelo Lomba até pode dar conta do recado, mas não transmite a mesma confiança que o titular.

Além dos seus próprios problemas, o Inter ter a que tomar cuidado com o Cruzeiro. O time de Cachoeirinha fez uma campanha espetacular. Terminou em segundo na fase de classificação, sofrendo apenas uma derrota – para o Grêmio. Sorte do Inter que o Cruzeiro não terá o lateral-esquerdo Sander, seu principal jogador. Mas mesmo assim, o conjunto do time de Ben-Hur Pereira é muito bom e, se o Inter, não elevar o nível do seu futebol, corre sério risco de ser surpreendido tal e qual como aconteceu semana passada em Bento Gonçalves.

Três vagas estão encaminhadas

03 de abril de 2017 0

23176911

Não acredito em reviravolta. Os vencedores na rodada de ida, até agora, encaminharam duas classificações para a semifinal do Gauchão. Sem fazer força, o Grêmio venceu o Veranópolis com uma tranquila vantagem de 2 a 0 e, pelo volume do segundo tempo, poderia ter sido mais. Maicon e Geromel voltaram muito bem. Luan foi destaque no primeiro tempo e no segundo, praticamente todos tiveram participações importantes. A exceção pode ser Léo Moura, que saiu da lateral e foi para o meio, e não conseguiu repetir as últimas boas atuações. O Grêmio, mesmo que não possa pensar assim , já está nas semifinais. Até mesmo Tiago Nunes, técnico do Veranópolis, admite que será muito difícil reverter essa situação.

No Ca-Ju deu Caxias. Vantagem magrinha: 1a 0. Mas em campo se viu um Caxias consciente e muito bem organizado contra um Juventude confuso e assustado, principalmente depois de ter levado o gol. Luís Carlos Winck teve muito sucesso na armação do time e, na ausência de um centroavantes de referência, escalou o meia Marlon, uma peça chave para dominar o meio campo e ganhar o jogo. Wagner, mesmo envolvido em muita polêmica e discussão, foi muito bem e também foi personagem do clássico.

E no jogo de sábado, São José e Novo Hamburgo fizeram um confronto muito equilibrado decidido no detalhe. A exemplo do Ca-Ju, a vantagem obtida pelo Nóia é mínima. Mas o pós jogo pode pesar contra o Zequinha. Pois eu não sei qual será a consequência das críticas feitas pelo técnico China Balbino. O clima ficou pesado no vestiário do São José, num jogo onde o oitavo colocado encarou o líder de igual para igual e, no segundo tempo, foi até melhor, mas não soube transformar esse domínio em chance real de gol.