Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Inter"

Os problemas que Inter e Novo Hamburgo precisam resolver até a decisão

02 de maio de 2017 0
23260559

Carlos Macedo / Agência RBS

Depois do feriadão, a preparação de Novo Hamburgo e Inter para a final do Gauchão, de fato, começa hoje. E cada um tem um problema sério para resolver. No Noia, a questão do estádio. No Inter, quem será o goleiro.

Não conseguir deixar o Estádio do Vale em condições será uma derrota da direção do Novo Hamburgo. E, mesmo com toda paciência do presidente da Federação, Gaúcha, parece que as exigências não deverão ser cumpridas até às 18 horas de hoje e o jogo está passará de Novo Hamburgo para Caxias. Melhor para o Inter, pois essa troca de local neutraliza um pouco da força que o time de Beto Campos tem dentro de casa.

Já o Inter luta para ter um goleiro com as mínimas condições de jogar no domingo. Keiller está fora. A dúvida é entre Danilo Fernandes, que se recupera de uma fratura no pé, e Marcelo Lomba, com uma lesão muscular na coxa. Qualquer que seja a escolha, o Inter terá um jogador atuando no sacrifício.

A decisão do Novo Hamburgo necessariamente será hoje. A do Inter, ainda leva uns dias.

Cléber Grabauska: 2 a 2 para o Novo Hamburgo

30 de abril de 2017 0
Mateus Bruxel / Agencia RBS

Mateus Bruxel / Agencia RBS

O Novo Hamburgo foi mais competente na sua estratégia de jogo e sai do Beira-Rio festejando o empate em 2 a 2. O time de Beto Campos repetiu a marcação forte , jogou de igual para igual com o Inter e vai para o jogo de volta vivíssimo na luta pelo título.

A primeira final do Gauchão teve um grande espetáculo. O Novo Hamburgo foi melhor no primeiro tempo. Esse predomínio deveu-se também à inaptidão do meio-campo colorado que com Anselmo criou muito pouco, no segundo tempo, com Roberson, o Inter tomou conta do jogo e chegou ao empate. Mas essa reação foi freada com uma segunda falha defensiva no jogo aéreo e o Inter sentiu o segundo gol do Novo Hamburgo. Mas no final, Nico López fez um gol que diminuiu o prejuízo.

Para o jogo de volta, o Novo Hamburgo terá a volta de Preto, seu melhor jogador e a referência técnica da equipe. E possivelmente repetirá a estratégia que deu certo contra o Grêmio na semifinal e nesse primeiro jogo da final. Já o Inter precisará rever alguns conceitos. A ideia de utilizar Anselmo junto com Dourado e Edenilson não funcionou. O Inter precisará arriscar mais e aí Valdívia e Roberson, se tiver condições, são as alternativas para mudar a cara do time. Mas o maior problema do Inter passa a ser o goleiro. Lomba está descontado e, com a lesão de Keiller, deverá jogar no sacrifício.

Caxias e Nóia jogaram mais que a Dupla Gre-Nal

24 de abril de 2017 0

22993421

O Novo Hamburgo passou e o Caxias parou nos pênaltis. Mas os dois times do interior jogaram mais que Grêmio e Inter, seus respectivos adversários na fase semifinal. O Inter só conseguiu ser superior (e nesse caso, bem superior) ao Caxias no primeiro tempo do jogo do Beira-Rio. Ali fez 1 a 0 e até poderia ter ampliado. O Caxias voltou melhor para o segundo tempo e reequilibrou o confronto. No jogo do Centenário, o time de Luís Carlos Winck se impôs diante de um Inter apático. Se impôs e aproveitou para abrir o marcador. A reação do Inter, no segundo tempo, durou até a expulsão de Brenner e o Caxias, ao não converter o pênalti, jogou fora a classificação .Depois,com um jogador a menos, o Inter arriscou menos e tratou  de segurar o resultado e levar a decisão para os pênaltis.

Já o Novo Hamburgo foi mais feliz nos pênaltis e chega â final. Beto Campos se consagra como o melhor técnico do Gauchão e mostrou muita competência em mapear e anular as principais jogadas do Grêmio. Surpreendeu no jogo da Arena com uma marcação forte e um futebol competitivo que quase rendeu a vitória não fosse a bola no poste chutada por Jardel aos 35 do segundo tempo. Ontem, no Estádio do Vale, o Nóia repetiu a mesma estratégia e o Grêmio não conseguiu jogar, nem pressionar. Num jogo que estava equilibrado, o Grêmio saiu na frente numa falha da zaga do Novo Hamburgo, mas o time do Vale teve calma e competência para buscar o empate. E mais calma ainda na hora dos pênaltis.

Pela história e pela grandeza,  o Inter pode ser considerado favorito na final. Mas pela bola que os dois estão jogando, o Novo Hamburgo chega melhor. O resultado do primeiro jogo, no Beira-Rio, será determinante para a definição do campeonato. Se quiser chegar ao hepta, o Inter precisará render mais, porque o Novo Hamburgo está disposto a fazer história e mostrar que a melhor campanha ao longo de todo Gauchão não é obra do acaso.

Uma vitória revigorante em Itaquera

20 de abril de 2017 0

23228831

O Inter volta revigorado com a vaga conquistada nos pênaltis na Copa do Brasil. Foram dois grandes jogos contra o Corinthians com muitas alternâncias e muita emoção. E o jogo em São Paulo foi mais significativo ainda, pois o Inter entrou sem D’Alessandro, Carlinhos e Edenílson e também sem Danilo Fernandes, mas essa ausência fica de lado, pois o herói da classificação foi justamente o seu substituto: Marcelo Lomba.

Lomba foi o herói pegando duas penalidades e foi herói realizando duas atuações especiais. Primeiro no Beira-Rio e depois na Arena do Corinthians. Nico López, o autor intelectual do gol colorado, foi outro destaque. E talvez tenha feito a sua melhor atuação.

O Inter teve altos e baixos. Levou um gol muito cedo e depois equilibrou o jogo. No segundo tempo, o Corinthians voltou melhor, mas não soube matar o jogo. Zago, desta vez, mexeu bem e a entrada de Carlos aumentou a força ofensiva colorada e o empate veio como recompensa. No final, o Corinthians pressionou e perdeu dois incríveis.

A classificação aumenta a confiança do Inter numa hora importante. Domingo, o colorado decide o seu futuro no Gauchão. E, enquanto o time não volta a campo, fica de olho no sorteio de hoje na CBF para saber quem cruzará o seu caminho na Copa do Brasil.

O Gauchão mais importante dos últimos anos

19 de abril de 2017 0

19060932

Ele já foi cafezinho, já foi ruralito, mas hoje está valorizado. Há muito tempo não víamos a Dupla Gre-Nal tão focada na conquista do Gauchão. O Inter quer chegar ao hepta. O Grêmio, depois de conquistar a Copa do Brasil, deseja retomar a rotina de conquistas voltando a mandar no futebol daqui.

E a prova desse foco é a projeção dos times para a rodada do meio de semana. O Inter decide vaga contra o Corinthians na Copa do Brasil mas guarda D’Alessandro e Edenilson para o jogo de domingo contra o Caxias. Não sei nem se ele, mesmo no sacrifício, teriam condições de jogo logo mais em São Paulo, mas a verdade é que Zago não quer correr riscos de ficar sem a dupla também no Centenário.

E o Grêmio levou 27 jogadores para o jogo com o Guarani no Paraguai. Não vejo razão para uma delegação tão grande se a idéia não for poupar alguém. Bolaños, Grohe, Léo Moura e Edenilson são candidatos a um descanso em Assunção. O jogo da Libertadores não é decisivo. Vale a liderança do grupo, mas ela pode ser recuperada semana que vem quando os paraguaios vieram a Porto Alegre. Até mesmo o presidente Romildo, ao dizer que o jogo mais importante da semana é o de domingo, em Novo Hamburgo, válida essa idéia e mostra que há muito tempo o Gauchão nunca foi tão valorizado.

O campeonato está aberto e tudo pode acontecer

17 de abril de 2017 0

1492435035573635

A Dupla Gre-Nal não conseguiu o que queria e o interior saiu bem vivo na rodada de ida da semifinal. O Inter, sábado, fez  um bom primeiro tempo contra o Caxias mas terminou com um placar magro:1 a 0.  No segundo, caiu de rendimento porque o Caxias resolveu jogar e não apenas se defender. William foi expulso. Zago fez mudanças que diminuíram a força e o time se complicou. Menos mal que venceu.

Já o Grêmio foi a grande decepção . Jogou mal e Renato não conseguiu encontrar soluções para superar a forte marcação do Novo Hamburgo. No primeiro tempo, o time teve apenas duas chances de gol. No segundo, o gol de Ramiro, logo a dois minutos, poderia mudar a história do jogo. Mas o Novo Hamburgo empatou aos 11 e terminou melhor que o Grêmio. Aliás,  quem teve a chance de vencer foi o Nóia que perdeu dois gols no mesmo lance.

Caxias e Novo Hamburgo surpreenderam. O Noia mostrou muita disciplina tática. Preto, Jardel e Juninho jogaram e marcaram muito. O Caxias, talvez pelos desfalques na defesa, respeitou demais o Inter durante o primeiro tempo. Mas, se jogar um pouco mais do que fez no segundo tempo , terá chances de superar o Inter no Centenário. A dupla Gre-Nal vai com as barbas de molho para a rodada de volta. Tudo pode acontecer. Até mesmo a lógica.

Edenilson, a boa nova do Inter

10 de abril de 2017 0

23182580

Dois jogos já são suficientes para comprovar o acerto da contratação de Edenilson. O volante chegou, encaixou e acrescentou qualidade ao time do Inter. O técnico Antonio Carlos Zago, após o jogo de ontem, destacou que Edenilson entrou no time com um ritmo muito bom. E eu digo mais. Ele entrou com um ritmo acima dos demais companheiros.

Edenilson traz na bagagem um cultura tática europeia. Ele tem velocidade para atacar e para fazer a recomposição defensiva, acrescentando uma intensidade de jogo que o Inter não tinha. Por ser um motorzinho, ele lembra um pouco a movimentação de Tinga. São jogadores parecidos. De muita entrega, de muita participação.

No jogo de ontem nem tanto, mas no primeiro jogo contra o Cruzeiro, já se percebeu que Edenilson chega para equilibrar o time. Ele, pelo lado direito, acrescenta a qualidade que Uendel coloca no lado esquerdo. Não é pura coincidência, mas bastou Edenilson chegar que o futebol de William voltou a aparecer.

Inter: vitória com final feliz

07 de abril de 2017 0

23192619

Teve muita coisa boa no jogo do Beira-Rio. A começar pelo adversário. Mesmo deixando a desejar na primeira etapa, o Cruzeiro cresceu no segundo tempo, mudou de estratégia, jogou pelos lados e começou a ameaçar. Marcou um gol que o deixaria em excelente situação para o jogo de volta, mas no final, o terceiro gol do Inter recuperou uma vantagem tranquilizadora para o jogo de volta domingo em Gravataí.

O gol de Valdívia foi a outra boa notícia da noite. Pelo choro e pelo desabafo, notou-se que o jogador tirou um peso das costas. Ele não chegou a fazer uma grande partida, mas foi decisivo.

Decisivo foi Brenner, que marcou duas vezes, assumiu a artilharia do Gauchão e mantém uma média invejável. Invejável é a performance de D’Alessandro que chegou aos 40 do segundo tempo dando pique para chegar ao fundo de tempo e, mais uma vez,o gringo foi o comandante do time.

A estréia de Edenilson deu mais consistência ao meio-campo. Foi uma boa estréia, pois ele ajudou Dourado na marcação, combinou com William e D’Alessandro e mostrou muita movimentação, tanto para atacar, como para defender.

E William, em seus últimos dias de Inter, finalmente teve uma atuação no nível das do ano passado. Praticamente todos os méritos do segundo gol colorado cabem a William que recuperou uma boa na linha de fundo, levantou-se e rolou para Brenner.

O Inter cresceu. Não fez ainda a melhor atuação da vida. Mas dá sinais de melhora. Domingo precisa mostrar tranquilidade e jogar administrando uma vantagem considerável diante de um time que tem qualidade e que receberá o reforço de Sander, o seu melhor jogador e o melhor lateral do campeonato.

O Inter precisa de uma vitória reanimadora

06 de abril de 2017 0

23188365

Na semana de aniversário do clube e no dia dos 48 anos de inauguração do estádio, o Inter precisa de uma vitória para salvar uma quarta-feira que começou “torta” com a derrota no “Caso Victor Ramos”.

O Inter precisa de uma vitória reanimadora. Que indique que o time está no caminho certo e que a passagem para a semifinal será muito mais tranquila do que foi a classificação na primeira fase do Gauchão.

Zago pretendia colocar em campo o seu time ideal com a estréia de Edenilson, a volta de Carlinhos e o retorno de Uendel ao meio-campo. Mas seus planos se desmancharam ontem com a lesão sofrida por Danilo Fernandes. Marcelo Lomba até pode dar conta do recado, mas não transmite a mesma confiança que o titular.

Além dos seus próprios problemas, o Inter ter a que tomar cuidado com o Cruzeiro. O time de Cachoeirinha fez uma campanha espetacular. Terminou em segundo na fase de classificação, sofrendo apenas uma derrota – para o Grêmio. Sorte do Inter que o Cruzeiro não terá o lateral-esquerdo Sander, seu principal jogador. Mas mesmo assim, o conjunto do time de Ben-Hur Pereira é muito bom e, se o Inter, não elevar o nível do seu futebol, corre sério risco de ser surpreendido tal e qual como aconteceu semana passada em Bento Gonçalves.

Não foi só o juiz que errou em Caxias

13 de março de 2017 0

23119250

A derrota do Inter para o Juventude foi definida num erro do árbitro Diego Real que marcou um pênalti inexistente. Mas, mesmo que o gol tenha surgido numa falha da arbitragem, a verdade é que o placar foi justo porque o Juventude foi melhor e o Inter teve muita coisa errada.

Até mesmo Antônio Carlos Zago, que vinha numa crescente, errou e talvez possa ser considerado o principal responsável pelo mau futebol colorado. Afinal, partiu dele a decisão de tirar Uendel do meio-campo e recolocá-lo na lateral-esquerda. Considero Uendel no meio um dos grandes acertos de Zago e isso não pode ser mudado.

William também tem culpa pela derrota. Pois, desde que fez “as pazes” com a diretoria, ele não conseguiu repetir o futebol que mostrava em 2016. E ontem, foi mal no meio-campo e pior na lateral-esquerda onde levou um passeio de Taiberson no começo do segundo tempo.

Até mesmo o matador Brenner rendeu menos que o esperado. O oportunismo do atacante não entrou em campo no Jaconi, pois Brenner teve três chances (duas de cabeça no primeiro tempo e uma cara a cara com o goleiro no segundo) e não marcou.

E, por fim, a direção também errou. Errou no discurso antes do jogo dizendo que jogar no gramado do Jaconi seria arriscado e que o ideal seria transferir o jogo. E errou mais ainda no final. Não ao reclamar do pênalti, afinal ninguém tem duvida que o árbitro errou. Mas errou no tom do discurso ao dizer que o campeonato está sob suspeita e que a Federação tem interesse em que o Inter não conquiste o hepta.

A arbitragem errou não porque é mal intencionada. Errou porque foi mal durante todo o jogo. Errou assim como Vuaden pode ter errado ao não ter marcado um pênalti no Gre-Nal. Errou como o árbitro que dirigiu o jogo da Copa do. Brasil não marcou um pênalti a favor do Princesa do Solimões. Errou como errou o árbitro que validou o gol do Grêmio contra o São José quando Bolaños ajeitou a bola com o braço. Errou porque os árbitros erram. E erram a favor e contra. No Gauchão, na Copa do Brasil, na Libertadores e até na Copa do Mundo.