Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Barcos"

O GRÊMIO SEM BARCOS

03 de fevereiro de 2015 1

Barcos deixa o Grêmio e vai para o futebol chinês. A saída do argentino não é uma grande negociação para o clube, mas  é uma necessidade provocada pela crise financeira que, caso decisões como essa não forem tomadas, poderá se tornar cada vez mais grave.  Se o dinheiro chinês não é uma solução para todos os problemas gremistas, pelo menos serve para amenizar a situação temporariamente.

Foto: Fernando Gomes/ZH

Financeiramente, a saída de Barcos é um respiro. Já tecnicamente, parece a camisa nove é a única posição onde o Grêmio tem peça de reposição à altura. O Pirata e Marcelo Moreno se equivalem. Talvez Moreno não tenha tanta identificação com a torcida, mas o que importa de fato é, independente do carisma, o desempenho dentro de campo.

Liberando Barcos, o Grêmio preserva alguns outros valores, sem substituição no plantel, que podem ou  poderiam entrar na mira de clubes estrangeiros. Entre eles: Marcelo Grohe, Rhodolfo e Luan. E, por fim, a grana chinesa, se bem administrada, dará ao clube a possibilidade de pagar a rescisão e se livrar de Kléber, um jogador totalmente fora dos planos de Felipão, que, com um alto salário, segue treinando fora do grupo principal.

BARCOS COMANDA A VITÓRIA

31 de janeiro de 2015 1

Possivelmente de saída para a China, Barcos comandou a vitória gremista de 3 a 0 sobre o União Frederiquense na estreia do Gauchão.  O Pirata marcou os dois primeiros e deu o passe para Éverton fechar o placar na Arena. Longe de ser brilhante, o Grêmio foi eficiente e com vinte minutos já havia abatido o União que, além de não se encontrar o campo, muito cedo sofreu com as lesões dos meias  Jéfferson e Adílson, que saíram  ainda na primeira etapa.

Foto: Fernando Gomes/ZH

Porém, o bom começo gremista não se sustentou durante todo o jogo. O time caiu de produção e no segundo tempo viu o time de Frederico Westphalen acertar a marcação e incomodar Marcelo Grohe. E no final, valeu muito mais a maior qualidade técnica gremista do que o  trabalho coletivo. O primeiro jogo no Gauchão, exceto por Barcos e o sempre eficiente Marcelo Grohe, não apresentou nada de excepcional. Valeu muito mais pelo resultado.

Lincoln, jogando de forma objetiva,  foi o melhor entre os garotos.  Araújo manchou a boa atuação com duas falhas na etapa final que acabaram provocando  a sua expulsão. E entre os mais rodados,  Galhardo, que começa a ganhar a condição de titular da lateral direita, mostrou bom apoio e qualidade na bola parada.

 

NECESSIDADE OU CONVICÇÃO?

30 de janeiro de 2015 0

Domingo, após o empate em Cascavel, Felipão disse que não gostou da movimentação da dupla Barcos e Marcelo Moreno e que a tendência era buscar outra alternativa para o ataque. A semana passou e o treinador fez várias experiências.  E, por fim, acabou escolhendo justamente os dois que estiveram em campo no oeste paranaense.  Mesmo que eu apoie a escalação da dupla, pois considero que pela técnica e experiência, ela  pode render mais do que qualquer garoto que venha a ser lançado, não me parece que essa escalação seja por convicção e sim por necessidade, pois a ausência de Douglas na estreia atrapalhou os planos do técnico.

Foto: Lauro Alves/ZH

Se atrapalhou os planos de Felipão, abriu espaço para o garoto Lincoln. O garoto de 16 anos vai ganhar a chance de começar um jogo e se tiver personalidade e futebol poderá cavar o seu espaço entre os titulares.  Algo que aconteceu com Luan no ano passado que surgiu no sub 20 com Mabília e logo em seguida já estava no time da Libertadores. E, pelo jeito, o Grêmio desse começo de temporada será assim.  Uma mudança a cada jogo até que se chegue perto do ideal.

 

BARCOS OU MORENO ?

26 de janeiro de 2015 0

Considero muito cedo para abandonar a ideia de dois atacantes. Primeiro porque as possíveis reposições são inferiores a Barcos e Marcelo Moreno. E depois porque mesmo que o Grêmio não tenha feito uma boa partida domingo, em Cascavel, Barcos teve uma boa movimentação pelo lado esquerdo no primeiro tempo, justamente na etapa em que a dupla de atacantes jogou junta. Não vejo em Paulinho, Everton ou Everaldo uma solução melhor em relação a Barcos e Moreno. Porém, mais adiante, quando Giuliano voltar aí sim, Felipão ganhará em qualidade e poderá montar outro esquema, possivelmente adiantando Luan.

Fotos:Mauro Vieira e Bruno Alencastro/Agência RBS
O desentrosamento apresentado nos primeiros testes é natural para um início de temporada. E o desempenho dos dois atacantes em 2014 serve como crédito para seguir apostando na dupla. O argentino teve em 2014 o seu melhor desempenho até agora. E Marcelo Moreno ressurgiu no cenário brasileiro através da excelente campanha do Cruzeiro. Caso Felipão opte em jogar com somente um deles, certamente ele terá um deles desgostoso e será mais um problema para administrar. E talvez seja mais fácil buscar um melhor entrosamento entres dois dois do que tentar administrar  algum descontentamento.

O GRÊMIO NO MOMENTO

08 de dezembro de 2014 0

Após as coletivas de domingo e as primeiras informações de hoje,  o Grêmio começa a se mexer para montar o time de 2015. A ordem é fazer um grupo enxuto e reduzir a folha salarial em 30%. Dentro dessa realidade, as contratações precisam ser cirúrgicas. E Douglas, a primeira a ser cogitada, não é uma unanimidade. É um jogador de qualidade e o armador que o time precisa, mas que há muito tempo não tem um desempenho de excelência.  Quando esteve no Grêmio, já foi assim. Teve altos e baixos no Corinthians e no Vasco não conseguiu ser protagonista. Vem como indicação do treinador e cabe a Felipão tirar o máximo do novo camisa dez. Se irá conseguir, só o tempo dirá.

Arte Rádio Gaúcha

As outras notícias apontam para a saída de Barcos para o futebol mexicano. O interesse em contar com Marcelo Moreno e o descarte completo de Kléber Gladiador. Pará e Matheus Biteco podem servir para quitar a dívida do Grêmio com o Flamengo ainda referente a Rodrigo Mendes. Dudu e Alán Ruiz já foram. Zé Roberto pode ser liberado por conta do alto salário. E Walace, assim como Barcos, pode ser negociado para fazer caixa. Diante desse quadro, o Grêmio, de momento, para começar 2015, teria: Marcelo Grohe, Matias Rodríguez, Geromel, Rhodolfo e Marcelo Hermes, Fellipe Bastos e Ramiro, Luan, Douglas e Giuliano, e Marcelo Moreno.

 

FICAR OU NEGOCIAR ?

05 de dezembro de 2014 0

O Grêmio ainda não sabe o que vai fazer com Kléber Gladiador que está voltando de empréstimo do Vasco da Gama. A verdade é que o clube precisa urgentemente se livrar de uma despesa desnecessária, pois além de custar muito, o atacante não deu a resposta esperada. E para fechar o pacote, ele e Felipão parece que não vivem harmoniosamente desde os tempos do Palmeiras.

Foto: Banco de Dados ZH

Pois, além de Kléber, o Grêmio precisa decidir qual será o destino de Marcelo Moreno.  A expectativa é de que ele permanecesse no Cruzeiro, onde foi um dos destaques na conquista do Campeonato Brasileiro. Mas, de Belo Horizonte vem a notícia de que o time mineiro sonha com Fred, do Fluminense,  e está reformulando o ataque.  Além de Moreno, Borges e Dagoberto também podem sair. E o que parecia encaminhado, agora já não está.

Com Marcelo Moreno à disposição, muitos torcedores gostariam de vê-lo novamente em ação com a camiseta gremista. Considero que ele é mais útil que Kléber Gladiador, mas do mesmo nível de Barcos, o atual titular.  E, além disso, tanto Barcos, como Marcelo Moreno não podem ser considerados jogadores fora de série. São bons atacantes  que tiveram bons momentos no Brasileirão, porém, sem serem unanimidades. Vale lembrar que antes de ser negociado com o Flamengo e o Cruzeiro, Moreno foi arquivado no Grêmio , que apostou em Kléber e acabou se decidindo por Barcos. O argentino depois de um período de muita cobrança, cresceu com Felipão e parece ser o homem de confiança do treinador gremista.

BARCOS MARCA E GROHE SALVA

24 de agosto de 2014 0

O melhor resultado do Grêmio desde a chegada de Felipão não foi acompanhado de uma grande atuação. Bem ao contrário do jogo de quinta, quando o time atuou  bem e acabou perdendo para o Cruzeiro. Derrotar o Corinthians tem um sabor especial, pois trata-se de um candidato ao título, e por isso, a vitória merece ser festejada. Outro aspecto que precisa ser destacado é a volta da garra e da entrega, pois os jogadores gremistas lutaram muito para segurar a vantagem no segundo tempo. O tricolor teve um empenho que lembrou os velhos tempos de Felipão lá nos anos 90.

Foto:Marcelo Oliveira/Agência RBS

O Grêmio no primeiro tempo teve dificuldades para avançar. As entradas de Matias Rodríguez, Giuliano e Barcos projetavam um time ofensivo. Mas isso não aconteceu. O time de Felipão limitou-se a controlar o Corinthians e ao final dos primeiros 45 minutos acabou saindo vaiado. As coisas mudaram completamente após o intervalo quando em três minutos o Grêmio já vencia por 2 a 0 e na sequência poderia até ter ampliado. Mas aos poucos, a avalanche tricolor virou filme de terror.  O Grêmio foi se encolhendo e o time paulista tomou conta, descontando e se mandando todo para o ataque. As trocas de Felipão, sempre reforçando a marcação, mostraram as dificuldades enfrentadas pelo Grêmio. E, no fim, passado o sufoco, a torcida fez a festa com a grande vitória.

Barcos, com dois gols, fez o que se espera de um atacante. Foi decisivo. Mas Marcelo Grohe, com pelo menos três defesas sensacionais, foi o herói do jogo. E além deles, outros dois nomes merecem elogio. Um é Zé Roberto, que, apesar da idade, está dando uma excelente resposta como lateral-esquerdo, apresentando um fôlego que eu não acreditava que ele ainda tivesse. E o outro é Dudu, valente e voluntarioso, recuperando a intensidade que tinha nos primeiros jogos da Libertadores, logo quando chegou ao Grêmio.

 

 

NÃO DÁ PRA VACILAR

18 de julho de 2014 0

No retorno ao Brasileiro, a Dupla Gre-Nal ficou devendo. Por isso, enfrentando times que estão na zona de rebaixamento, chegou a hora da recuperação. Nem mesmo o fato de atuar fora de casa tira a obrigação do Grêmio, afinal de contas, está na hora de acabar com o jejum  e voltar a vencer. Caso siga nessa de não vencer e não marcar, o time de Enderson Moreira ficará vendo o campeonato passar sem ter entrado em campo. Com Giuliano,  a equipe ganhou mais alternativas, mais organização, mas continua morrendo nos pés de Barcos. A situação é tão complicada que até o garoto Lucas Coelho, de quem não se falava muito e andava esquecido, voltou a ser esperança.  Chegou a hora de Barcos marcar, porém, se isso não acontecer, o treinador ficará com duas alternativas; lançar Lucas ou montar um esquema sem o atacante de referência.

Foto: Ricardo Duarte/ZH

No Inter, a derrota para o Corinthians colocou o time no meio da tabela. Vencer o Flamengo passou a ser necessidade para recuperar posições, confiança e mostrar que o colorado não é candidato somente no papel.  O Flamengo é lanterna, mas mesmo assim continua sendo time grande e contra os “grandes”, o Inter não conseguiu vencer. Empatou com Botafogo e Fluminense e perdeu para Cruzeiro e Corinthians. Talvez essa seja a chance, ainda mais com a volta de Aránguiz, a novidade para um domingo especial, não somente pelo retorno do chileno, mas principalmente pelas homenagens que o clube fará a Fernandão, o eterno capitão, que receberá o devido reconhecimento no regresso colorado ao Beira-Rio.

Foto:Alexandre Lops

A CULPA É DO DUDU

27 de maio de 2014 0

Tem uma nova versão na praça a respeito do mau rendimento de Barcos no Grêmio: a culpa é do Dudu. E,  já de cara, digo que não concordo com essa tese. Afinal, a “má fase” do argentino dura desde o ano passado, quando Dudu ainda não tinha chegado. Dizer que Dudu é uma enceradeira, que não cria nada, que corre, corre e não sai do lugar é tentar simplificar o principal problema do Grêmio e desmerecer o pequenino atacante que considero a melhor contratação do clube na atual temporada.

Foto: Ricardo Bernardi

Vale lembrar que Dudu não joga colado no centroavante. Quem anda fazendo essa função é Rodriguinho e antes, Luan. Dudu joga aberto na esquerda, ocupando uma faixa entre os volantes e os homens mais avançados do ataque. Com velocidade, valentia e dribles tenta abrir espaços e é a principal opção para a jogada de contra-ataque. Na verdade, o que falta para o Grêmio melhorar o desempenho ofensivo é criar mais alternativas. O time é lento na transição, avança com poucos homens . não tem um um garçom qualificado, daqueles que desequilibram o jogo e não tem um bom apoio dos laterais que, quase sempre, não conseguem bons cruzamentos, nem jogadas de fundo.  Ou seja, falta muita coisa para o Grêmio. Inclusive um bom centroavante.

 

ATÉ QUANDO ?

25 de maio de 2014 0

A derrota por 1 a 0 para o São Paulo causa grande frustração ao torcedor gremista. Não só pelo fato da deixar escapar a chance de chegar à liderança do Campeonato Brasileiro,  mas principalmente pelo fraco  desempenho  do atacante Barcos, que, mais uma vez, foi o vilão da história ao perder dois gols “feitos”. Sendo o segundo deles, a chamada bola do jogo, pois  o lance aconteceu aos 48 do segundo tempo. A fraca atuação do Pirata irrita o torcedor que pede uma providência e se decepciona com os depoimentos do treinador Enderson Moreira e da direção que estão fechados com Barcos e que enxergam nele méritos  que quase ninguém percebe.

Foto: Alê Cabral/Agência O DiaBRAL

Na derrota para o São Paulo, o Grêmio foi competente na primeira etapa quando teve um jogo equilibrado, apostando na marcação exercida pelos volantes Edinho, Ramiro e Riveros. Porém,  agrediu pouco e na única chance que teve, Barcos chutou pra fora. Na etapa final, estava tudo sob controle até que o São Paulo abriu o marcador numa falha de Grohe. Depois disso, o Grêmio teve pouca força para mexer no placar. Zé Roberto entrou bem, mas o time produziu pouco ofensivamente. Poderia até empatar, mas infelizmente a bola do jogo ficou no pé de Barcos.