Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Beira-Rio"

O Inter não empolga

12 de fevereiro de 2016 0
Foto: Agência RBS

Foto: Agência RBS

Assim como aconteceu diante do Ypiranga, o Inter passou pelo Passo Fundo no sufoco. A vitória de 2 a 1 foi apertada e a torcida sofreu até o final. A diferença é que contra o time de Erechim o colorado marcou nos acréscimos e ontem se salvou nos instantes finais, quando o time visitante criou duas chances que pararam nas mãos de Alisson.

A verdade é que o time de Argel Fucks não evolui e o Inter continua vivendo a mesma rotina do ano passado: consegue o resultado, mas não mostra bom futebol. O Inter continua desequilibrado, sem velocidade e com enormes dificuldades, até mesmo no Gauchão, de fazer valer a superioridade técnica que tem em relação aos times do interior. Taticamente, as equipes montadas por Leocir Dal’Astra e Paulo Porto renderam muito melhor que o Inter de Argel.

Contra o Passo Fundo, o Inter veio modificado, mas no geral, o rendimento foi fraco. Jackson no lugar de Rever foi um acerto. Sem ser brilhante, o zagueiro que voltou do Palmeiras jogou sério e foi eficiente. Outro acerto de Argel foi a separação da dupla Anderson e Alex. O problema é que Marquinhos não acrescentou muita coisa. Entrou para atuar mais adiantado, mas não conseguiu jogar em velocidade, nem se infiltrar. Errou muito e se perdeu na marcação.

Inter vence e Tigres festeja

16 de julho de 2015 1

Na primeira semifinal da Libertadores, o Inter venceu, mas foi o Tigres quem saiu satisfeito do Beira-Rio. Afinal de contas, o 2 a 1 a favor do colorado é um resultado que deixa todo mundo vivo. O Inter tem a vantagem do empate, entretanto uma vitória simples de. 1 a 0 dá a vaga aos mexicanos.

O Tigres perdeu, mas festeja o resultado. Pois o começo de jogo do Inter foi avassalador. Com dez minutos, o jogo já estava 2 a 0 e parecia que a goleada estava encaminha. Mas os mexicanos se acalmaram, descontaram ainda no primeiro tempo e a partir daí o jogo mudou. O Tigres equilibrou e teve até a chance de empatar.

E a satisfação mexicana tem um ingrediente extra, pois eles conseguiram suportar quase 30 minutos atuando com um jogador a menos e evitaram um sufoco que era obrigação do Inter.

No Inter, D’ Alessandro, Alisson e Dourado jogaram muito. Valdívia fez um gol, movimentou-se bastante e também merece destaque. Os demais foram apenas regular. Aránguiz, Sasha e Nilmar, que voltaram depois ao time, não acrescentaram muito. Porém, se em uma semana, esses três conseguirem evoluir, talvez aí o Inter possa crescer e render melhor no segundo tempo dessa decisão.

PASSAPORTE CARIMBADO

29 de novembro de 2014 2

O Beira-Rio fez a diferença. O time precisava de três vitórias seguidas dentro de casa e conseguiu. O Inter está na Libertadores da América de 2015.   O futebol e o sofrimento foram muito parecidos nos jogos contra Goiás, Atlético Mineiro e Palmeiras. Talvez, hoje, contra o Verdão, pelo gol de Fabrício aos 19 do segundo tempo, o sufoco tenha sido menor, mas o Inter precisou se esforçar muito para compensar o desacerto da equipe. Abel Braga teve erros e acertos. Mas merece um elogio pela coragem de apostar em garotos numa hora tão difícil. Não falo de Álisson e Alan Costa, mas sim de Taiberson e Valdívia, que entraram na fogueira e fizeram gols decisivos, e Gustavo Ferrareis, que pouca gente conhecia, e fez a estreia num verdadeiro caldeirão.

Foto: Alexandre Lops/Divulgação Inter

Fabrício, tão contestado, foi o símbolo da classificação. Primeiro pelo gol salvador nos acréscimos diante do Atlético Mineiro. E depois pelo desafogo ao marcar aos 19 do segundo tempo, num momento em que o jogo estava empatado e o Inter corria perigo. Se a estrelas não resolveram, os operários e os emergentes fizeram o serviço necessário para garantir a vaga e salvar o ano.

 

 

 

A DECISÃO COLORADA

29 de novembro de 2014 0

O Beira-Rio volta a ter um jogo de Copa do Mundo.  Pois para o Inter, o confronto contra o Palmeiras, neste sábado,é decisivo,  uma verdadeira Copa do Mundo. Mesmo que o time precise de apenas uma vitória nas duas últimas partidas, é previdente não deixar tudo para a última rodada. Para os colorados, chegou a hora da decisão, a hora de carimbar a vaga. E mesmo com toda essa necessidade, não se vê um caminho muito tranquilo. Nem tanto pela fragilidade do Palmeiras, uma equipe ameaçada pelo rebaixamento, que não vence e não marca gol há quatro jogos, mas principalmente pela instabilidade do Inter. Uma irregularidade presente ao longo de todo Campeonato Brasileiro e notada nas recentes vitórias contra Goiás e Atlético Mineiro, onde teve esforço e competência para vencer, mas não teve um bom futebol. E, por isso, deixou o torcedor com o  coração na mão até o último momento.

Foto: Alexandre Lops/Internacionalrcida

O Palmeiras,sem Valdívia, vai se resguardar. Jogará fechado para segurar um empate e, quem sabe, no contra-ataque,   surpreender o Inter. Já o time de Abel precisa ser mais veloz, mais criativo e mais efetivo do que vem sendo. Nilmar treinou mas não tem presença confirmada. Poderia ser um reforço, mas o treinador não garante. Assim o quarteto fica desfalcado.  D`Alessandro continua sendo a grande esperança, mas precisará um auxílio maior de Alex e Aránguiz, figuras apagadas no último jogo. Esse trio carrega, basicamente, toda esperança da torcida colorada. É através dele que o Inter poderá resolver um jogo que vale a vaga para a Libertadores e para salvar a temporada.

 

MUITO VIVO

22 de novembro de 2014 0

Parecia que os 38 mil torcedores colorados que foram ao Beira-Rio sairiam frustrados com um empate diante do time reserva do Atlético Mineiro. Mas a sorte sorriu para o Inter no último minuto. Fabrício passou de vilão a herói. O lateral que voltava ao time após cometeu um pênalti infantil no primeiro tempo, mas se redimiu ao marcar o gol de uma vitória fundamental na caminhada rumo à Libertadores da América.  O Inter venceu a segunda seguida no Beira-Rio e continua muito vivo no caminho da classificação.

Foto: Fernando Gomes/Agência RBS

No primeiro tempo, o Inter achou um gol com Rafael Moura, mas foi incapaz de segurar a vantagem. Três minutos depois, numa cobrança de lateral, a zaga falhou e Fabrício fez um pênalti desnecessário. Dodô bateu e igualou. E o Galo ainda teve outro pênalti a seu favor não assinalado por Péricles Cortez. No segundo tempo tempo, o Inter demorou a se encontrar e a pressão não chegou a ser sufocante.  Rafael Moura, o autor do gol colorado, teve três chances para fazer o da vitória, mas não estava com tanta estrela assim.  Coube ao lateral  Fabrício fazer o que os atacantes não conseguiram. Aos 49 veio o gol da vitória. O Inter não fez uma grande partida. Os retornos de Aránguiz e Alex não acrescentaram a qualidade esperada. O Inter sofreu, mas conseguiu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A FORÇA DO BEIRA-RIO

15 de novembro de 2014 0

Depois do sufoco no Morumbi, o Inter volta a Porto Alegre para garantir a permanência no G-4 e  fazer valer a força do  Beira-Rio na reta final do Campeonato Brasileiro. Terceiro colocado com 57 pontos e 20 vitórias, uma a mais que Grêmio e Atlético MG, e duas a mais que o Corinthians, o colorado projeta que, vencendo os três próximos jogos em casa – Goiás, Atlético MG e Palmeiras -, estará garantido na Libertadores para 2015.

Foto: Omar Freitas/Agência RBSVale destacar que o Inter, no atual Campeonato Brasileiro, já tem duas sequências de três vitórias e uma de quatro. A primeira trinca veio com triunfos sobre Vitória, Sport e Atlético PR. Depois, diante de Flamengo, Santos e Grêmio. E, por fim, quatro vitórias seguidas contra Botafogo, Criciúma Coritiba e Fluminense.  Se conseguir manter essa rotina, o Inter fechará o ano com o objetivo alcançado.  Lembrando que, no Beira-Rio, tirando os jogos contra Cruzeiro e Chapecoense, que aconteceram em Caxias do Sul, o colorado tem um excelente aproveitamento de 78,5% com 11 vitórias e três derrotas(Figueirense, São Paulo e Corinthians)  em quatorze jogos.  O desempenho como mandante é muito bom, mas, agora, por obrigação, precisa ser excelente. Ou seja, cem por cento.

 

 

 

 

 

 

 

 

PATO VOLTA AO BEIRA-RIO

20 de agosto de 2014 0

Sete anos depois, Alexandre Pato volta ao Beira-Rio. O seu surgimento no Inter foi tão meteórico que durou apenas 28 jogos no time principal até que fosse negociado com o Milan.  Mas Pato, de grande promessa transformou-se numa enorme interrogação. Depois da passagem pelo futebol italiano e de um fracasso no Corinthians, ele tenta se reerguer e mostrar que é um jogador fora de série.

Foto: Vipcomm,divulgação

Confira a trajetória de Alexandre Pato no Inter.

2006

1)      26//11/- 4 x 1 Palmeiras – substituído por Adriano aos 10/2 – Marcou um gol

2)      13/12- 2 x 1 Al Ahly – substituído por  Luís Adriano aos 20/2 – Marcou um gol

3)      17/12 – 1 x 0 Barcelona –  substituído por Luís Adriano aos 16/2

2007

4)      24/02-  2 x 1 Veranópolis – substituído por Jean aos 27/2 Marcou um gol

5)      28/02 – 3 x 0 Emelec – substituído por Adriano aos 25 /2 – Marcou um gol

6)      04/03 – 2 x 1 Novo Hamburgo – substituído por Jean no intervalo

7)      10/03 – 1 x 1 Santa Cruz – RS

8)      14/03 – 0 x 3 Vélez Sarsfield – entrou no intervalo no lugar de Adriano

9)      17/03 – 1 x 0 Juventude – substituído por Adriano aos 32/2

10)  21/03 – 0 x 0 Glória – entrou aos 16/2 no lugar de Fernandão

11)  25/03 – 1 x 0 Guarany

12)  28/03 – 0 x 0 Vélez Sársfield – entrou no intervalo no lugar Iarley

13)  31/03 – 1 x 0 Gaúcho

14)  04/04 – 1 x 2 Veranópolis – substituído por Pinga no intervalo

15)  10/04 – 2 x 1 Emelec – substituído por Maycon aos 46/2 – GOL

16)  20/04 – 1 x 0 Nacional-URU

17)  05/05 – 3 x 0 Esportivo

18)  13/05 – 2 x 3 Botafogo – marcou um gol

19)  19/05 – 1 x 2 Atlético PR – substituído por Iarley aos 24/2

20)  26/05 – 0 x 3 Fluminense

21)  31/05 – 1 x 2 Pachuca – substituído por Iarley aos 15/2 – marcou um gol

22)  07/06 – 4 x 0 Pachuca – marcou um gol

23)  10/06 – 1 x 0 Santos – marcou um gol

24)  14/07 – 2 x 1 América RN – entrou aos 12/2 no lugar de Luciano Henrique

25)  18/07 – 3 x 0 Corinthians – marcou dois gols

26)  21/07 – 0 x 2 Juventude

27)  25/07 – 1 x 0 Paraná – marcou um gol

28)  01/08 – 0 x 2 Vasco

Resumo: 28 jogos, 17 vitórias, 3 empates e 8 derrotas. 12 gols marcados.

*Desde 2007, Pato jogou apenas uma vez no Beira-Rio. Atuando pela Seleção Brasileira, ele entrou no segundo tempo no lugar de Robinho na vitória de 3 a 0 sobre o Peru pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

FAVORITO NO PAPEL

18 de abril de 2014 0

O Inter precisa terminar com a rotina dos últimos anos  de sempre começar o Brasileirão como favorito e nunca confirmar. Para 2014, o time conta com dois grandes reforços: o técnico Abel Braga e o Estádio Beira-Rio.  E eles são dois acréscimos em relação ao ano passado quando o time era comandado por Dunga e mandava seus jogos em Caxias e Novo Hamburgo. O estádio novo renovará o ânimo da torcida. O Beira-Rio “urrando” poderá fazer a diferença na hora do sufoco. E Abel Braga acrescenta ao Inter mais experiência em relação a Dunga, que até começou o campeonato do ano passado com um bom desempenho, mas não soube manter a regularidade e, no fim, já com Clemer no comando, precisou fugir do fantasma do rebaixamento.

Foto: SCInternacional

Com o Brasileiro, a exigência aumenta e é bom não tomar o Gauchão como parâmetro. Assim, alguns jogadores que passaram tranquilos  pelo Estadual, precisam de uma reavaliação. Eu sei que isso, agora, não vai ser levado muito a sério, afinal, o time vem de uma goleada histórica, mas, à medida que o campeonato avançar, velhos problemas podem reaparecer.  Dentro de campo, o Inter tem uma grande novidade que é o chileno Aránguiz, titular absoluto e um reforço que mudou a dinâmica do meio-campo colorado. Alex,  jogando muito mais do que em 2013, e Alan Patrick, promovido com toda justiça à condição de titular, acrescentam qualidade ao setor que tem D`Alessandro como estrela máxima. E esse quarteto pode fazer a diferença em favor do Inter . Pode parecer precipitado, mas são poucos os times com  um meio-campo tão qualificado como esse no Brasil . A nota destoante, talvez, seja Willians, que , como volante fixo, é um tanto irregular.

 

 

JOGANDO CONTRA A TORCIDA

09 de abril de 2014 0

Não sei qual foi a razão – temor que o Grêmio festeje o título no novo estádio, medo de depredação, ameaça de que coloquem fogo nas membranas ou até mesmo falta de interesse – a verdade é que a direção do Inter , apesar do discurso, não se mobilizou o suficiente para colocar o Beira-Rio em condições para o Gre-Nal de domingo. O mesmo palco que recebeu cem mil pessoas no último final de semana não está liberado para a decisão do Gauchão. E não dá para colocar a culpa nem na Brigada, nem no Ministério Público. Pois esses órgãos deram prazo suficiente e tiveram todo interesse em colaborar. Faltou agilidade e interesse do Inter. Pois, os laudos exigidos não foram entregues até agora e, possivelmente, nem serão. Foto: Bruna Alencastro/Agencia RBS

A direção do Inter está jogando para a torcida. Ou,  no caso,  contra a torcida.  Pois, parece que está fazendo todo o esforço possível para jogar no Beira-Rio, mas na verdade só espera o tempo passar. Isso é uma pena. E isso é um retrato do nosso campeonato. É o capítulo final de um Gauchão sem brilho, sem revelações , sem grandes destaques, onde Grêmio e Inter chegaram à final sem fazer força. Um campeonato que ficou marcado pelo improviso desde a primeira rodada quando Cruzeiro e São Paulo não tinham estádio para jogar. E  o Inter, que antes tinha pressa em utilizar o novo estádio em eventos-teste, não manteve a convicção no momento em que decide o título e poderia contar com cerca de 45 mil torcedores para apoiar o time.  Assim, o Centenário, em Caxias do Sul, será o local da final. Uma final que poderia ser mais glamourosa ou, como dizem a respeito do Gauchão, mais charmosa. Mas não será.

 

 

 

EVENTO TESTE

27 de fevereiro de 2014 0

No segundo evento teste do novo Beira-Rio, o Inter ficou devendo. A melhor nota ficou para o gramado que não sofreu nenhum problema apesar da forte chuva da quarta-feira. E neste excelente gramado, o time de Abel Braga mostrou um futebol pobre, mas mesmo assim derrotou o Brasil de Pelotas por 1 a 0, com um gol suadinho marcado por Welington Paulista no segundo tempo.

Foto: Carlos Macedo/ZH

Na primeira etapa, o Inter foi lento, quase preguiçoso. Não teve velocidade, nem movimentação. Alex, que começou a partida, não deu a mesma  dinâmica que Alan Patrick vinha apresentando. D`Alessandro e Aránguiz ficaram presos na marcação do Xavante e o zero a zero ficou de bom tamanho.

Se o primeiro tempo colorado foi fraco, o começo da etapa final tornou-se horroroso e o Brasil cresceu e começou a incomodar. O panorama só mudou quando entraram Otavinho e Alan Patrick e 0 Inter começou a pressionar. O alívio só veio aos 38 numa das raras conclusões a gol. Welington Paulista, que entrou no lugar do lateral Gilberto, desencantou, mas o Inter não encantou.  Com os reservas perdeu para o Veranópolis. E com os titulares, jogou muito pouco diante do Brasil. O desempenho contra os dois melhores times do interior não agradou.