Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Cléber Grabauska"

O Grêmio precisa superar a Ponte e a crise

14 de setembro de 2016 0

O Grêmio depende muito dos dois próximos jogos- Ponte Preta e Fluminense – para acabar com a má fase  em que se encontra neste segundo turno. O time precisa conquistar pelo menos quatro pontos para ficar numa situação mais tranquila e não ser ultrapassado na tabela. Além disso, um novo tropeço pode acelerar uma crise que está encubada no departamento de futebol e que, caso se agrave, pode inviabilizar uma reabilitação que ainda é possível.

Lucas Uebel/GRÊMIO FBPA/gremio.net

O Grêmio, que já deu adeus à luta pelo título, não pode abandonar a briga pelo G-4. Precisa iniciar a recuperação imediatamente, mas a situação é complicada. Afinal, o jogo é fora, o adversário é a Ponte que,  apesar de ter empatado em casa com o América Mineiro, faz uma boa campanha e tem um treinador do mesmo peso de Roger Machado.

Por isso, para superar Eduardo Baptista, o treinador gremista precisará ousar. Fazer mais do que vem fazendo e achar alternativas para que o time consiga algo raro: uma vitória fora de casa. Sem Douglas, possivelmente, Bolaños será deslocado para jogar mais centralizado, próximo de Luan. A dúvida é saber quais serão os outros dois jogadores da linha de armação. Negueba, Ramiro, Lincoln, Guilherme e Pedro Rocha, destes cinco, Roger deverá escolher dois. Uma missão complicada, mas passa por aí o caminho do Grêmio para voltar a brigar por alguma coisa no Brasileiro.

O DESAFIO GREMISTA

15 de março de 2016 0

Depois da derrota para o Toluca, o Grêmio encarou a LDU como uma decisão. A recuperação veio e parecia que as coisas estavam sob controle. Mas aí veio o Gre-Nal, a lesão de Bolaños e o inesperado empate com o San Lorenzo na Arena. As coisas voltaram a se complicar  e o jogo de hoje no Nuevo  Gasómetro cresce de tamanho. Ou seja, na Libertadores, o Grêmio vive uma decisão após a outra.

Foto:Marco Souza/Agência RBS

Uma vitória encaminha a classificação. Mas o empate também é um bom resultado. O importante é voltar vivo da Argentina. E para surpreender o San Lorenzo, o Grêmio precisa fazer algumas coisas que não fez no jogo da Arena. O principal  desafio do Grêmio é conseguir jogar, coisa que não conseguiu fazer na semana passada. O Grêmio foi um time passivo que deu espaço para o San Lorenzo e acompanhou o adversário sair desde o campo defensivo, tocando a bola e, muitas vezes, chegando com perigo na área de Grohe.O Grêmio precisa avançar a marcação e forçar o San Lorenzo a quebrar a bola. Não pode Ortigoza fazer a transição do meio para o ataque. Tem que cuidar do lado esquerdo do adversário, onde Mas e Sebastián Blanco circulam muito bem e, principalmente, o Grêmio precisa agredir. Não pode se encolher. Tem que fazer o seu jogo habitual e tem que jogar mais do que fez no jogo da Arena.

INTER NÃO EMBALA E NÃO EMPOLGA

13 de março de 2016 2

O Inter não deslancha no Gauchão. O empate, no Beira-Rio, contra o São Paulo de Rio Grande evidenciou a oscilação que o time vive ao longo desta temporada e da necessidade de reforços. O próprio técnico Argel Fucks voltou a pedir a contratação de um armador e de um atacante, mas o próprio Argel precisa mostrar mais serviço. O esquema montado para o jogo deste domingo não funcionou. Com um quarteto formado por Sasha, Andrigo, Vitinho e Aylon, se esperava um Inter mais rápido e vibrante, mas isso não aconteceu. Mesmo abrindo o marcador logo aos seis minutos, o Inter não teve qualidade, nem volume para ampliar e definir o jogo.

Foto: Divulgação/Internacional

No primeiro tempo, além do gol de Sasha, o time criou apenas outras duas chances. E no segundo tempo, o ritmo colorado caiu. Criou menos ainda e acabou sendo castigado quando o São Paulo, um time organizado e com qualidade defensiva, na única chance de teve, alcançou o empate. Depois disso, o Inter ficou mais confuso ainda e nem mesmo a belíssima bicicleta de Aylon, que acertou o poste, serviu como alento. O resultado foi justo e o Inter decepcionou os mais de 22 mil torcedores que fizeram a festa no Beira-Rio.

Além do público, Eduardo Sasha, que pediu para sair, e Fabinho foram as notícias positivas do Inter. O volante jogou no meio e depois foi para a  lateral e deu conta nas duas funções. Ele aproveitou muito bem a oportunidade dada a partir da lesão de Fernando Bob e confirmou os elogios que vinha recebendo de Argel.  Sasha, além de marcar o gol, se movimentou muito bem, mas não teve parceria no ataque. Na formação colocada por Argel, jogou pelo meio, penetrando e concluindo. Mas foi uma exceção na parte ofensiva.  Por fim, o Inter precisa melhorar . A fase de avaliação está terminando e o time mostra poucos avanços.  E vale o alerta: se o Gauchão é o engana bobo, esse Inter não está enganando ninguém.

Bolaños começa ou fica no banco?

01 de março de 2016 0

Bolaños desde o início. Essa deve ser a definição de Roger Machado para o jogo do Grêmio contra a LDU nesta quarta-feira, pela Libertadores, na Arena. O equatoriano chega como a grande contratação desta temporada. Ele é o homem que faltava desde o ano passado para completar o time. O problema é que Bolaños ainda não tem ritmo, nem entrosamento e que, se   tivesse estreado sábado diante do Glória, teríamos uma condição melhor de avaliar em que estágio ele se encontra.

Foto: André Ávila/Agência RBS

O jogo é complicado porque a LDU estreou vencendo e o Grêmio, que perdeu para o Toluca, precisa desesperadamente da vitória. Caso o quadro não fosse tão dramático, o ideal seria manter Everton no time e iniciar com Miller Bolaños no banco. Utilizá-lo como elemento surpresa. Mas pelo jeito, Roger Machado vai arriscar desde o início, apostando na estrela do jogador e no astral positivo que a torcida vai criar. Futuramente, Roger poderá tentar outras alternativas e outras formações, inclusive colocando Bolaños no lugar de Douglas, que pela importância do jogo da LDU, por enquanto, é intocável.

 

Qual é a Seleção do Brasileirão?

24 de novembro de 2015 1

A CBF abre amanhã a votação para a escolha da seleção dos melhores do Brasileirão 2015. O quórum será formado por jornalistas de todos os estados, treinadores e capitães dos 20 times da Série A, além da comissão técnica da Seleção Brasileira e dos jogadores que foram convocados para os jogos das Eliminatórias contra a Argentina e o Peru. O anúncio acontecerá no dia 07 de dezembro.

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag.Corinthians/Divulgação

Começo as minhas indicações com uma unanimidade. Tite é o melhor técnico e nem precisa explicar porque. E, caso tivesse a categoria técnico revelação, escolheria Roger Machado, o responsável pela grande campanha gremista.

A minha seleção, num 4-4-2 teria:

Cássio (Corinthians)

Lucas(Palmeiras)

Pedro Geromel (Grêmio)

Gil (Corinthians)

Zeca (Santos)

Rafael Carioca (Atlético Mineiro)

Renato Augusto (Corinthians)

Lucas Lima (Santos)

Jadson (Corinthians)

Luan (Grêmio)

Ricardo Oliveira (Santos)

Ainda poderia relacionar outros destaques, uma espécie de banco de reservas,  com Alisson (Inter), Marcos Rocha e Jemerson(Atlético Mineiro), Elias (Corinthians) e Biro-Biro (Ponte Preta).

Meu voto para revelação do campeonato vai para Gustavo Scarpa, do Fluminense. E o voto mais complicado seria o do melhor estrangeiro. Paolo Guerrero foi o mais badalado, mas termina o ano em baixa e de candidato mais forte, passa a ser a maior decepção. Dátolo e Lucas Barrios tiveram momentos de brilho. Mas, apesar dos pesares, Lucas Pratto, principalmente pelo primeiro turno, ainda foi o melhor gringo que jogou por aqui em 2015.

 

 

Seleção: vencer ou convencer ?

17 de novembro de 2015 0

Mesmo que muitos ainda acreditem nas qualidades de Dunga, a paciência da torcida brasileira com a nossa Seleção está diminuindo gradativamente. E hoje contra o Peru, no último jogo da temporada, se pergunta o que é mais importante para a sequência do trabalho: simplesmente o resultado ou necessariamente uma grande atuação?

Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Vencer sem convencer, apesar de colocar o Brasil tranquilamente entre os quatro primeiros na classificação das eliminatórias  e bem próximo da liderança, nos fará encerrar o ano sem grandes avanços e com poucas definições. Talvez, o trio William, Neymar e Douglas Costa – ainda não completamente afirmado – seja a nossa única grande novidade. O resgate de Ricardo Oliveira não se confirmou. Dunga tenta com ele o que já fez com Diego Tardelli, Firmino e Hulk: achar um homem de referência que dê alternativas para o time não depender exclusivamente de Neymar.

O ideal hoje em Salvador é fazer a lição de casa, ou seja, vencer e mostrar uma evolução em relação à vitória sobre a Venezuela e principalmente em relação ao empate de sexta contra a Argentina. Ao invés da opção vencer sem convencer, a equipe precisa ganhar e arrasar.

Na zaga, Gil ocupa o lugar de David Luiz e, se for bem, pode ganhar a posição. No meio, Lucas Lima precisa começar a jogar algo parecido com o que faz no Santos. E no ataque, apesar de gostar da ideia de escalar Ricardo Oliveira, vejo que o time rende mais com Neymar como o falso nove e principalmente com o bom momento de Douglas Costa, um garoto muito mais à vontade na Seleção do que o experiente Ricardo Oliveira.

INTER SEGUE VIVO

07 de novembro de 2015 0

Mais uma vitória magra com um gol salvador de Vitinho.  Assim foi o Inter contra a Ponte Preta no Beira-Rio. E, apesar do fraco desempenho, a notícia mais importante é que  o colorado segue vivo na briga por uma vaga na Libertadores.  Segue vivo, porém sem animar o torcedor que chegou a vaiar o  time   ainda no primeiro tempo, quando a Ponte estava melhor e o dominava o jogo.

Foto: Ricardo Duarte/ Divulgação Internacionaldo2

Argel Fucks ousou montando um time ofensivo com Valdívia, D´Alessandro, Lisandro e Vitinho, mas faltou conjunto para que o esquema funcionasse. Rodrigo Dourado e Nílton erraram muito e a Ponte Preta, principalmente, com a boa movimentação de Biro-Biro criou as melhores chances. Na segunda etapa, Ânderson, Artur e Alisson Farias, nessa ordem, foram as alternativas para tentar mudar o panorama do jogo, mas sem muito sucesso. No fim, valeu muito mais a garra do que o futebol. O Inter criou muito pouco e nem mesmo na hora em que foi para o abafa chegou a entusiasmar. O mesmo vale para sublinhar a atuação de D´Alessandro que era a novidade e a grande esperança de um Inter com mais qualidade. O argentino se esforçou, tentou comandar o time, mas seu o desempenho  foi abaixo do esperado.

 

 

 

 

 

 

 

 

Inter vence e segue vivo

18 de outubro de 2015 0

Mesmo sem um futebol exuberante, o Inter foi competente para derrotar o Flamengo no Maracanã por 1 a 0 e seguir com esperanças de chegar ao G-4 ou G-5. Se tecnicamente, o colorado não foi um espetáculo, o grupo de jogadores deu uma resposta de alto nível em termos de raça e dedicação.  O avanço na tabela foi pequeno( passou do oitavo para o sétimo lugar), mas, em termos de confiança, esse resultado pode significar muito, pois, além de superar um concorrente direto pela vaga, se conseguir derrotar o Joinville na próxima rodada,  o time seguirá na briga pela classificação.

Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

Após a  o mau resultado e a derrota para o Atlético Mineiro, na quarta-feira, Argel fez pirotecnia na coletiva e preferiu elogiar o seu time, dizendo que fez um jogo de igual com o adversário.  Se quarta, o treinador abraçou o grupo, hoje foi a vez do grupo abraçar Argel. E a resposta foi positiva.

Mesmo que  tenha começado mal, a partir do gol marcado por Ernando aos 17 minutos, o Inter mudou a cara da partida e teve méritos para sustentar o resultado. E, além da mudança de atitude, o time teve um desenho diferente na segunda etapa. Não se fechou, não recuou e tentou, com uma marcação avançada, evitar que o Flamengo se lançasse todo para o campo de ataque. Ânderson e Valdívia abriram pelos lados e impediram que Pará e Jorge, os laterais adversários, subissem para o apoio. Argel obrigou o Flamengo a atacar pelo meio e aí bateu de frente com a marcação do Inter que teve um grande trabalho de Nílton, Dourado, William e Paulão.  O time carioca pressionou, mas o segundo tempo não foi um bombardeio como o de quarta em Belo Horizonte.

Grêmio vence e se aproxima da Libertadores

15 de outubro de 2015 0

O Grêmio teve um excelente primeiro tempo e  uma etapa final nem tão brilhante  assim. Mas a grande notícia da noite na Arena(que recebeu 10.496 valentes torcedores) foi a vitória gremista por 1 a 0 sobre o Santos.  O resultado confirma a terceira colocação com 55 pontos e coloca o tricolor cada vez mais próximo da Libertadores, agora com nove pontos de vantagem sobre o Peixe, quarto colocado e também do São Paulo, que vem em  quinto . Do jeito que a coisa vai, a torcida já deve começar a contagem regressiva para a confirmação da vaga matemática.

Foto: Fernando Gomes/Agência RBS

No primeiro tempo, Douglas comandou a grande atuação do Grêmio, seguido de perto por Giuliano e Maicon. Roger Machado apostou numa nova formação com  Bobô na frente e Luan recuado para a linha de armação e essa estratégia não chegou a entusiasmar. O trabalho coletivo foi o que chamou a atenção, pois o time conseguiu impor seu jogo, dominando o meio-campo, jogando de forma compacta, com aproximação e posse de bola.

Na etapa final, essa qualidade não se manteve. Se Douglas foi o nome do primeiro tempo, Lucas Lima foi o personagem do segundo. O Santos equilibrou, foi pra cima, mas o Grêmio, mesmo sem Erazo e Marcelo Grohe, conseguiu se segurar lá atrás, principalmente pela grande atuação de Geromel. A entrada de Pedro Rocha no lugar de Bobô ajudou o Grêmio a fugir da pressão santista e por detalhe o garoto não conseguiu fazer o segundo gol para transformar a boa atuação num placar mais tranquilo.

UM GRÊMIO MODIFICADO NUM JOGO PERIGOSO

15 de outubro de 2015 1

Mesmo que o jogo ainda corra algum risco de ser cancelado por causa dos estragos provocados pelo temporal,  o maior perigo desta noite chama-se Santos.  Quarto colocado, o time da Vila Belmiro faz uma campanha de recuperação desde a chegada de Dorival Júnior e menos mal que Ricardo Oliveira, artilheiro do Brasileirão, será poupado. Mas mesmo assim, o Peixe ainda tem Lucas Lima e Gabriel, jogadores de extrema qualidade. Por isso, o Grêmio precisa de toda atenção para não ser surpreendido dentro de casa, tal como aconteceu recentemente diante de São Paulo e Fluminense.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA/ Gremio.net

Lógico que a vitória seria o ideal , mas o empate não é um resultado de todo desprezível. Afinal, o Grêmio manteria confortáveis seis pontos de vantagem sobre o Santos, quarto colocado, e aumentaria para sete em relação ao São Paulo, que perdeu ontem e  segue em quinto lugar. Mas não dá pra jogar pelo empate. O Grêmio precisa vencer e, para isso, Roger Machado monta um time com novidades. Duas delas por necessidade: Bruno Grassi entra no lugar do lesionado  Marcelo Grohe e Bressan substitui Erazo na zaga. As outras duas  são por convicção. O retorno de Maicon é acréscimo de qualidade. Maicon é titular indiscutível, é o afinador do meio-campo e o homem que garante que a bola saia redondinha do meio para o ataque. E a possível entrada de Bobô como o homem mais avançado é uma tentativa de Roger para mudar a dinâmica do Grêmio que nos últimos jogos passou a ser um time previsível e com dificuldades para fugir da marcação dos adversários.