Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Copa Libertadores"

INTER PERDIDO DENTRO E FORA DE CAMPO

05 de julho de 2015 0

A  derrota de 3 a 1 para o Atlético Mineiro, dentro do Beira-Rio, é o reflexo do atual momento do Inter. Se na quarta-feira, diante do Sport, a explicação foi o uso de um time reserva e desentrosado, neste domingo, ninguém consegue entender como um time reforçado com Wiliam, D`Alessandro, Anderson, Lisandro e Dourado tenha jogado tão pouco e tenha se tornado uma presa fácil para o Galo, o mesmo Galo que foi eliminado recentemente pelo colorado na Copa Libertadores.

Foto: Ricardo Duarte/Agência RBS

O Inter despenca na tabela. Está somente três pontos acima da Zona de Rebaixamento. Mas a maior preocupação é como esse time estará daqui a dez dias quando enfrentará o Tigres na semifinal da Libertadores. O Inter parece perdido. A estratégia de Diego Aguirre desmobilizou o time que já não tem mais o encaixe e a pegada que deram certo nas fases anteriores da Libertadores. O Inter é um time de qualidade e a  atual situação dentro do Brasileiro é algo inesperado. Restam somente dois jogos até o confronto com o mexicanos. E  parece que o Inter deitou sobre os louros das vitórias anteriores e perdeu muito tempo. Perdeu tempo para ajeitar o time para a Libertadores e parece que perdeu mais ano na fila para conquistar o título do Brasileiro.

SASHA SIM, ÂNDERSON AINDA NÃO

10 de fevereiro de 2015 1

A despeito da instabilidade que o time do Inter vive em torno da melhor formação para a atual temporada, as entrevistas do técnico Diego Aguirre são sempre muito lúcidas. Lúcidas, porém, sem ser profunda. E assim foi mais uma vez quando ele visitou o Sala de Redação e falou sobre o que está planejando para a Copa Libertadores.

Foto:Diori Vasconcelos/Rádio Gaúcha

Aguirre não deixou escapar nada daquilo que já se sabe. Anunciou que o time de quarta-feira contra o Cruzeiro deverá praticamente o mesmo da semana que vem. Talvez a altitude de La Paz, caso o The Strongest seja o classificado, o obrigue a fazer alguma alteração.

Réver é titular da zaga. Mas por enquanto, tem uma defasagem na preparação e não deverá estar em campo para o primeiro jogo da Libertadores e Alan Costa começa.  Sobre Ânderson, a mesma coisa. O treinador disse que não tem uma posição preconcebida a respeito da utilização do ex-jogador do Manchester United. A ideia é deixar ele entrar aos poucos até que readquira a melhor condição e a partir daí ver onde ele rende melhor. Quem está em alta é Eduardo Sasha, apontado como uma grande surpresa pelo treinador, e com lugar certo para a estreia da semana que vem.

FELIPÃO NÃO SUPERA LUXA E RENATO

02 de dezembro de 2014 0

Depois de dois anos seguidos, o Grêmio está fora da Copa Libertadores. Nem mesmo a capacidade de um supercampeão como Luís Felipe Scolari foi capaz de colocar o tricolor no caminho da maior competição do continente. E as derrotas  consecutivas – Cruzeiro, Corinthians e Bahia – deixaram um sentimento de decepção. Não só pela eliminação, mas também pelo fato de que a chegada de Felipão era considerada como uma espécie de retomada dos grandes momentos gremistas. Isso não aconteceu. Felipão não conseguiu superar os seus antecessores, Vanderlei Luxembrugo e Renato Portalppi, e , em termos de aproveitamento, foi apenas um pouco melhor que Enderson Moreira.

VANDERLEI LUXEMBURGO

Foto: Bruno Alencastro/ZH

Brasileiro 2012 

Terceiro colocado com 71 pontos, seis pontos atrás do campeão Fluminense.

Campanha: 38 jogos, 20 vitórias 11 empates e 7 derrotas.

Aproveitamento: 62,2%

Brasileiro 2013

Comandou o time até a quinta rodada e deixou o time na sétima colocação com 8 pontos.

Campanha: 5 jogos, 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota.

Aproveitamento: 53,3%

CAMPANHA GERAL DE LUXEMBURGO (2012/13)

43 jogos, 22 vitórias, 13 empates e 8 derrotas.

Aproveitamento : 61,2%

 

RENATO PORTALUPPI

Foto: Ricardo Duarte/ZH

Brasileiro 2013

Estreou na sexta rodada (1 x 1 Atlético PR) e com o resultado caiu do sétimo para o oitavo lugar com 9 pontos. Fechou o campeonato em segundo lugar com 65 pontos, ficando onze pontos atrás do campeão Cruzeiro.

Campanha: 57 pontos em 33 jogos. 16 vitórias, 9 empates e 8 derrotas.

Aproveitamento: 57,5%.

ENDERSON MOREIRA

Foto: Lauro Alves/ZH

Brasileiro 2014

Comandou o Grêmio até a décima-segunda rodada. Deixou o cargo após a derrota de 3 a 2 para o Coritiba na Arena, resultado que deixou o time na décima colocação com 19 pontos.

Campanha: 19 pontos em 12 jogos com 5 vitórias, 4 empates e 3 derrotas.

Aproveitamento: 52,7%

Entre a saída de Enderson Moreira e a estreia de Felipão, o Grêmio foi comandado pelo interino Andrei Jardine em Salvador na derrota de 2 a 1 para o Vitória. O resultado manteve o time gaúcho na décima colocação.

LUÍS FELIPE SCOLARI

Foto:Fernando Gomes/Agência RBS

Brasileiro 2014

Felipão estreou no Gre-Nal do primeiro turno. Pegou o time em décimo lugar com 19 pontos e com a derrota para o Bahia, no último domingo, coloca o time na sétima colocação com 60 pontos.

Campanha: 41 pontos em 24 jogos com 12 vitórias, 5 empates e 7 derrotas.

Aproveitamento: 56,9%.

OBS – Caso  o Grêmio derrote o Flamengo na última rodada, Felipão aumentará o seu aproveitamento para 58,6%, superando os 57,5% de Renato Portaluppi, mas sem a vaga para a Libertadores.

 

A VOLTA DOS ARGENTINOS

28 de novembro de 2014 0

Num clássico que começou eletrizante, teve muita emoção, mas pouca qualidade técnica, o River Plate derrotou o Boca Juniors por 1 a 0 e vai para a decisão da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, da Colômbia.  Ou seja, a exemplo do que aconteceu na Copa Libertadores, o Brasil está fora da final.  E isso pode ser um sinal de alerta, afinal de contas, o único título brasileiro na temporada ficou com o Atlético Mineiro que conquistou a modesta Recopa Sul-Americana diante do Lanus, também da Argentina. E por falar em argentinos, foram os “hermanos” que decidiram a Copa do Mundo, no Maracanã, contra a Alemanha. Enquanto o Brasil, na semifinal, fez um papelão e levou 7 a  1, os argentinos jogaram de igual para igual com os alemães. Tá certo que perderam, mas foram muito superiores no desempenho em relação ao que o time de Felipão apresentou.

Foto: Diego Haliasz/River Plate

Se 2014 foi ruim para o futebol brasileiro e os argentinos se deram melhores, é importante projetar 2015 e principalmente a Libertadores que está chegando. Nela, a Argentina. depois de muito tempo, terá seus grandes de volta. Além do atual campeão San Lorenzo,  Boca Juniors e River Plate já estão  confirmados. Não sei se 2014 foi uma exceção, mas o futebol brasileiro ficou devendo e precisa dar a volta por cima.

É O NACIONAL

04 de fevereiro de 2014 0

O Nacional será o primeiro adversário do Grêmio na Libertadores, dia 13, em Montevidéu. O time uruguaio garantiu a vaga derrotando o Oriente Petrolero por 2 a 0, num jogo com muito empenho e  pouca técnica. O Nacional não assusta. Tem tradição, torcida e camiseta, mas não possui um grande time. Uma prova disso é a dificuldade que teve para superar o adversário boliviano.

O Grêmio pega o Nacional na estreia da Libertadores.

O Grêmio pega o Nacional na estreia da Libertadores.

O atacante Iván Alonso, de 34 anos, foi uma das poucas coisas que mereceram elogio na partida.A garra charrua continua sendo a principal arma do Nacional. O esquema voluntarioso de  muita marcação e empenho individual tem como objetivo colocar a bola na área para Alonso resolver. Ele é um atacante forte com um repertório variado. Além de marcar um gol de cabeça, mostrou qualidade no arremate(inclusive acertou uma bola na trave) e técnica ao tentar duas conclusões por cobertura de fora da área. O Nacional tem também Recoba, 37 anos, que tem muita habilidade, mas já não tem fôlego para correr os noventa minutos.

 

O BICAMPEONATO DA LIBERTADORES

30 de agosto de 2013 0

O Grêmio conquistou o bicampeonato da Libertadores da América no dia 30 de agosto de 1995. O título veio com um empate  em 1 a 1 com o Atlético Nacional, em Medellín. Mas vale lembrar que a conquista foi facilitada com a grande vitória no jogo de ida, dia 23 de agosto, quando o time de Luís Felipe Scolari venceu por 3 a 1.

Foto: site do Grêmio FBPAGremio 95

Primeira fase
21/02 São Paulo/SP Palmeiras 3 x 2 Grêmio
14/03 Guayaquil/EQU Emelec (EQU) 2 x 2 Grêmio
17/03 Quito/EQU El Nacional (EQU) 1 x 2 Grêmio
22/03 Porto Alegre/RS Grêmio 0 x 0 Palmeiras
31/03 Porto Alegre/RS Grêmio 4 x 1 Emelec (EQU)
07/04 Porto Alegre/RS Grêmio 2 x 0 El Nacional (EQU)

 

Oitavas-de-final
25/04 Asunción/PAR Olímpia (PAR) 0 x 3 Grêmio
03/05 Porto Alegre/RS Grêmio 2 x 0 Olímpia (PAR)

 

Quartas-de-final
26/07 Porto Alegre/RS Grêmio 5 x 0 Palmeiras
02/08 São Paulo/SP Palmeiras 5 x 1 Grêmio

 

Semi-final
10/08 Guayaquil/EQU Emelec (EQU) 0 x 0 Grêmio
16/08 Porto Alegre/RS Grêmio 2 x 0 Emelec (EQU)

 

Final
23/08 Porto Alegre Grêmio 3 x 1 Atl. Nacional (COL)
30/08 Medellín/COL Atl. Nacional (COL) 1 x 1 Grêmio

A PRIMEIRA LIBERTADORES

16 de agosto de 2013 0

O Inter completa nesta sexta-feira, 16 de agosto, sete anos da conquista da primeira Copa Libertadores. O título veio após dois confrontos com o São Paulo:  vitória, no Morumbi, por 2 a 1 e empate, no Beira-Rio, em 2 a 2. Confira a campanha colorada em 2006.

Primeira Fase

16/02 – José Pachencho Romero – 1 x 1 Maracaibo – Ceará

23/02 – Beira-Rio – 3 x 0 Nacional – Michel, Fernandão e Rubens Cardoso

08/03 – Olímpico Universitário – 2 x 1 Pumas – Rentería e Fernandão

22/03 – Beira-Rio – 3 x 2 Pumas – Michel, Fernandão e Adriano Gabiru

04/04 – Parque Central – 0 x 0 Nacional

18/04 – Beira-Rio – 4 x 0 Maracaibo – Adriano Gabiru, Bolívar, Michel e Rentería

Oitavas de Final

27/04 – Parque Central – 2 x 1 Nacional – Jorge Wágner e Rentería

03/05 – Beira-Rio – 0 x 0 Nacional

Quartas de Final

10/05 – Casablanca – 1 x 2 LDU – Jorge Wágner

19/07 – Beira-Rio – 2 x 0 LDU – Rafael Sóbis e Rentería

Semifinal

27/07 – Defensores del Chaco – 0 x 0 Libertad

03/08 – Beira-Rio – 2 x 0 Libertad – Alex e Fernandão

Final

09/08 – Morumbi – 2 x 1 São Paulo – Rafael Sóbis(2)

16/08 – Beira-Rio – 2 x 2 São Paulo – Fernandão e Tinga

Foto: Valdir Friolin/Agência RBS 20006

O JOGO DO TÍTULO

INTER 2 X 2 sÃO PAULO

Beira-Rio – 16/08/2006

Arbitragem: Horácio Elizondo (Argentina)

Público: 52.571 pagantes

Gols: Fernandão 29/1, Fabão 5/2, Tinga 20/2 e Lenílson 40/2

Expulsão: Tinga 21/2

INTER – Clemer, Índio, Bolívar e Fabiano Eller; Ceará, Tinga, Edinho, Alex(Michel) e Jorge Wágner; Rafael Sóbis(Ediglê) e Fernandão. Técnico: Abel Braga.

SÃO PAULO – Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Edcarlos(Alex Dias); Souza, Richarlyson(Thiago), Mineiro, Danilo(Lenílson) e Júnior; Leandro e Aloísio Chulapa. Técnico: Muricy Ramalho.

BRASIL OU PARAGUAI ?

23 de julho de 2013 0

Atlético Mineiro e Olímpia decidem nesta quarta a 54ª edição da Copa Libertadores. A vantagem é do time paraguaio que venceu o primeiro jogo por 2 a 0, em Assunção. Vale lembrar que na final não existe o critério do saldo qualificado. Portanto, independente do placar, o Atlético tem que vencer por dois gols de diferença para provocar a prorrogação ou, então, fazer  diferença de três gols para ficar com o título nos noventa minutos.

O Olímpia tenta sua quarta taça. Foi campeão em 1979, 1990 e 2002.  O Atlético disputa a final pela primeira vez.

TODOS OS CAMPEÕES

7 Independiente

6 Boca Juniors

5 Peñarol

4 Estudiantes

3 Santos, São Paulo, Olímpia e Nacional

2 Cruzeiro, Grêmio, Inter e River Plate

1 Corinthians, LDU, Once Caldas, Palmeiras, Vasco da Gama, Vélez Sarsfield, Colo Colo, Atl.Nacional, Argentinos Juniors, Flamengo e Racing

TÍTULOS POR PAÍS

22 Argentina

16 Brasil

8 Uruguai

3 Paraguai

2 Colômbia

1 Equador e Chile

FINAL DA LIBERTADORES

11 de julho de 2013 0

Olímpia e Atlético Mineiro decidem a Libertadores de 2013. Na semifinal, o time paraguaio passou pelo Independiente Santa Fe e o Galo, nos pênaltis, despachou o Newell´s Old Boys. O primeiro jogo da final será dia 17, em Assunção,  e a volta acontece em Belo Horizonte, dia 24 de julho.

O Atlético, em sua quinta participação na Libertadores,   disputa pela primeira vez uma decisão. Em 1972 e 1981 foi eliminado na primeira fase. Em 200o parou nas quartas de final e a sua melhor campanha aconteceu em 1978 quando chegou até a fase semifinal. Na atual edição, foi o time de melhor campanha na primeira fase. Ao todo, realizou 12 jogos com oito vitórias, dois empates e duas derrotas.

O Olímpia fará a sua sétima final em 37 participações . Tem três títulos e três vices. O time paraguaio ficou com a taça  em 1979, superando o Boca Juniors. Em 1990, quando bateu o Barcelona de Guayaquil. E, em 2002,  alcançou o tricampeonato levando a melhor sobre o São Caetano.  Porém, perdeu o campeonato de 1960 para o Peñarol, o de 1989 para o Nacional de Medellín e o de 1991 diante do Colo Colo.  Na Libertadores 2013, o Olímpia fez 14 jogos, com oito vitórias, três empates e três derrotas.

30 ANOS DA BATALHA DE LA PLATA

08 de julho de 2013 0

Há trinta anos, no dia 08 de julho de 1983, o Grêmio disputou um dos jogos mais nervosos de sua história.  No estádio Jorge Luís Hirschi, em La Plata, o time de Valdir Espinosa enfrentou o Estudiantes pela penúltima rodada da fase semifinal da Libertadores. Um triunfo daria a vaga antecipada para a final, mas o clima era de uma tensão tão grande que mesmo deixando uma vitória de 3 a 1 se transformar num amargo empate em 3 a 3, o tricolor festejou o resultado.

Confira o que rolou no jogo, batizado como “A Batalha de La Plata”.

PRIMEIRO TEMPO

Minuto zero – antes da bola rolar, o árbitro uruguaio,  Luís de La Rosa, apresentou cartão amarelo para Trobbiani, do Estudiantes, por atitude antidesportiva.

30 minutos – Trobbiani ao revidar uma falta de China recebe cartão vermelho.

31 minutos – Ponce empurra o árbitro e também é expulso.

39 minutos – Em cobrança de falta, Gurrieri faz Estudiantes 1 x 0.

45 minutos – Osvaldo, pelo lado esquerdo da área, empata para o Grêmio: 1 x 1.

No intervalo, os jogadores do Grêmio, a caminho do vestiário,  são agredidos pelos argentinos.  Caio sofre fratura na tíbia e é substituído por César.

SEGUNDO TEMPO

8 minutos – César aproveita cruzamento da direita e faz Grêmio 2 x 1.

18 minutos – Renato, em jogada individual, amplia: Grêmio 3 x 1.

21 minutos – O auxiliar Ramón Barreto é atingido por uma pedrada na cabeça e precisa ser socorrido pelo departamento médico do Grêmio. Na confusão, Camino é expulso e o Estudiantes fica com apenas oito jogadores.

30 minutos  – O jogo recomeça e Tevez agride Renato. O jogador argentino é expulso e o time fica com sete atletas.

31 minutos – Mesmo com sete jogadores, o Estudiantes desconta através de  Gurrieri.  Estudiantes 2 x 3.

33 minutos – César faz o quarto gol gremista, mas a arbitragem anula, assinalando impedimento.

42 minutos – Gugnali faz o terceiro gol do Estudiantes e empata o jogo.

Com o resultado, o Grêmio encerrou a participação na fase semifinal com 6 pontos e a classificação ficou na dependência do jogo do dia 15 de julho,  em Cáli. O América, jé eliminado, segurou o empate em 0 a 0 com Estudiantes e assim o Grêmio garantiu a vaga para decidir o título com o Peñarol.

FICHA TÉCNICA

ESTUDIANTES 3 X 3 GRÊMIO

Copa Libertadores – 08 de julho de 1983

Estádio: Jorge Luís Hirschi – La Plata/Argentina

Arbitragem:  Luís de la Rosa (Uruguai)

Expulsões: Ponce, Trobbiani, Camino e Tevez

Gols: Gurrieri 39/1, Osvaldo 45/1, César 8/2, Renato 18/2, Guerrieri 31/2 e Gugnali 42/2

ESTUDIANTES: Bertero; Camino, German (Teves), Aguero e  Gugnali; Russo, Sabella, e Ponce,

Trama, Trobbiani e Gurrieri. Técnico: Eduardo Manera

GREMIO: Mazaropi, Paulo Roberto, Leandro, De Leon e Casemiro; China, Osvaldo e  Tita, Renato,

Caio(César) e Tarciso (Tonho). Técnico: Valdir Espinosa