Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Criciúma"

Grêmio x Criciúma: inversão de papéis

14 de julho de 2015 0

17512165

A derrota do Grêmio para o Criciúma foi frustrante e preocupante, pois o futuro do tricolor na Copa do Brasil corre sério risco. Num jogo em que o time gaúcho precisava fazer valer a diferença de um dos melhores da Série A em relação ao Tigre, que não decola na B, o que se viu foi, principalmente no primeiro tempo, uma inversão de papéis. Afinal, foi o Criciúma quem teve intensidade, velocidade, boa marcação e muita movimentação. E, com essas  características que sempre foram marca registada do grupo de Roger, foram os catarinenses que abriram o marcador e fecharam a primeira etapa em vantagem.

Mesmo que Pedro Rocha tenha marcado o gol mal anulado no primeiro tempo, o Grêmio só acordou depois que o oponente abriu o placar e o desempenho na etapa final não foi o esperado. Douglas e Giuliano não conseguiram organizar o meio-campo. O time só ganhou movimentação com a entrada de Fernandinho, mas mesmo assim, a produção no geral foi insuficiente

Terça que vem, o Grêmio precisará vencer e marcar pelo menos dois gols para garantir a vaga. Mas para alcançar isso, precisará jogar mais e resgatar aquilo que Roger vinha aplicando e que faltou nesta terça na Arena. Ou seja, Roger precisará tirar um coelho da cartola. Um coelho que encurrale o Tigre.

VITÓRIA, DE PREFERÊNCIA, SEM SUSTOS

14 de julho de 2015 0

Hoje, diante do Criciúma, o Grêmio precisa fazer valer a diferença que existe entre um time que faz uma grande campanha na Série A e outro que, mesmo mudando de técnico, não consegue engrenar na Série B. E, caso isso não baste, o tricolor poderá ainda apelar para o fator local, para a  tradição vencedora na Copa do Brasil ou ainda para a experiência de Roger Machado que, quando jogador, sagrou-se , tetracampeão do torneio  – três vezes pelo Grêmio e uma pelo Fluminense.

Foto:Fernando Gomes/Agência RBS

O Criciúma trouxe Petkovic para a função de técnico, mas faz uma campanha modesta na Série B. É apenas décimo-terceiro colocado com 15 pontos. E a campanha do novo treinador não empolga. Em cinco jogos, têm duas vitórias e três. Para completar. o time não contará com suas duas principais figuras: o zagueiro Fábio Ferreira e o atacante Neto Baiano.  E os nomes mais conhecidos, e nem tanto assim, são os atacantes Juba, Paulo Sérgio e Lucca.

Diante desse adversário pouco ameaçador, mas que promete jogar no 4-3-3, o Grêmio tem plenas condições de vencer na Arena.  Não estou falando em goleada, mas sim numa vitória sem tropeços. Quem sabe semelhante a conquistada contra o Vasco no sábado, onde, apesar das dificuldades iniciais, o time gremista foi se achando à medida que o tempo foi passando e conseguiu alcançar um resultado  sólido e incontestável.

 

DEPOIS DO CLÁSSICO

14 de novembro de 2014 0

A goleada no Gre-Nal já é história. A partir de agora a preocupação é se manter na Zona da Libertadores e o próximo desafio, na verdade, os próximos dois desafios são vencer o Criciúma e manter um padrão de jogo perto daquele apresentado domingo diante do Inter. No clássico, o Grêmio foi constante do início ao fim. A vitória não aconteceu somente pela mobilização. O time teve qualidade em todos os setores e não precisou de um super-esforço defensivo para alcançar o resultado. Além da marcação, o time teve velocidade , criatividade e uma tarde iluminada de Dudu e Alán Ruiz.  E por isso, existe uma dúvida se o time começa com os três volantes ou se adota o esquema do segundo tempo com um meia na articulação.

Foto: Ricardo Duarte/Agência RBS

Mas, mesmo que Alán Ruiz tenha marcado duas vezes, ele parece não estar garantido para começar o jogo no Heriberto Hülse.  Na verdade, precisa mostrar que jogador verdadeiramente ele é: se o homem decisivo que entrou no Gre-Nal ou aquele lento e pouco produtivo que vinha assim até a goleada de domingo. Enquanto não tem um parecer definitivo e considerando a dificuldade do jogo em Santa Catarina, pois o Criciúma vai para o tudo ou nada para se manter na primeira divisão, Felipão possivelmente  começará com três volantes, liberando Ramiro para fazer um trabalho de aproximação com Luan, Dudu e Barcos. Pelo menos, para começo de conversa, deve ser assim. Afinal, o desespero do Tigre é uma arma que , com paciência, o Grêmio  poderá explorar.

VITÓRIA TRANQUILA

24 de setembro de 2014 0

O Criciúma complicou somente até levar o primeiro gol que, por sinal, demorou um pouquinho. Saiu só aos 38 do primeiro tempo através de Aránguiz. Depois, o Inter deitou e rolou. Fez 3 a 0 e poderia ter feito mais, caso Rafael Moura não tivesse perdido um pênalti. Eduardo Sasha foi o nome do jogo. Fez um gol e deu o passe para outro. Mas, acima de tudo, foi efetivo. Apareceu para jogar, foi ao fundo, puxou contra-ataque e começa e se firmar como titular e como uma excelente saída para a falta de velocidade do time. O  resultado deu tranquilidade para seguir de olho nos líderes, mas o Inter precisa evoluir, pois, à medida que o campeonato avança, os jogos tendem a ficar mais complicados.  Domingo, nem tanto, pois o adversário é o Coritiba, frequentador assíduo da zona de rebaixamento. O problema do Inter será a ausência de Wellington,  suspenso pelo terceiro amarelo. O ex-jogador do São Paulo tem sido discreto e eficiente. Já o mesmo não se pode dizer de Rafael Moura, outro que levou o terceiro amarelo.

Foto: Ricardo Duarte/Agência RBS

POR UMA BOLA

24 de setembro de 2014 0

Pelo jeito que  está montado, muita gente acredita que o Grêmio tem boas chances de voltar do Maracanã com uma boa vitória diante do Fluminense. Para jogos fora de casa, o esquema com três volantes dá um suporte consistente para o sistema defensivo e aí time fica pela famosa “uma bola” para decidir o jogo. Foi assim contra o Flamengo e quase assim contra o Cruzeiro, dois jogos emblemáticos nesse rápida retorno  de Felipão pelo tricolor. Contra os Cruzeiro, no Mineirão, o Grêmio, apesar da derrota,  fez a melhor apresentação. E diante do Flamengo, no Maracanã, com um gol de Luan no finalzinho, alcançou o melhor resultado.

Foto: Lauro Alves/Agênica RBS

Já no Beira-Rio, pode ser um paradoxo,  o Inter não terá facilidades contra o desesperado Criciúma. E o motivo é o mesmo utilizado para tentar explicar a possibilidade de vitória gremista no Rio de Janeiro: a maneira como o time está montado. O Inter de Abel Braga é um time lento e previsível. Hoje, será preciso modificar esse rotina. O Inter precisa ser veloz e criativo. Precisará muito da movimentação e da inspiração de D`Alessandro e Alex para que não fique amarrado pela marcação catarinense. Eduardo Sasha, jogando pelo lado, pode ser a alternativa de velocidade do time. E além disso, talvez Welington e Aránguiz, como elemento surpresa, podem ser alternativas ofensivas.  Enfim, o torcedor colorado precisa ter paciência. Se for um a zero, sairá satisfeito do Beira-Rio, afinal, essa tem sido a rotina do Inter em todo Campeonato Brasileiro. Ou seja, o Inter, possivelmente, também jogará por uma bola.

Foto: Mauro Bruxel/Agência RBS

LÍDER, MAS SEM FESTA

19 de maio de 2014 0

Foto: divulgação/SC Internacionalci

O Inter é líder isolado do Campeonato Brasileiro, mas poderia estar numa situação melhor ainda.Parece exagero de minha parte, mas garanto que não é. Afinal, a liderança veio com um empate onde o Inter não correu risco diante de um Criciúma retrancado que não ameaçou e nem sequer chutou ao gol de Dida. Foi um jogo que o time de Abel Braga deixou de ganhar, pois não teve brilho, nem competência para furar o bloqueio catarinense. D`Alessandro, desestabilizado com a perseguição/marcação dos volantes adversários, rendeu muito menos do que pode. Wellington teve uma estreia regular. E as substituições feitas por Abel não surtiram efeito. Faltou o fator surpresa e,  acima de tudo, Aránguiz. Pelo empate, pelo desempenho e pela pequena diferença que tem em relação aos seguidores,  a liderança isolada conquistada no Heriberto Hülse não foi tão empolgante assim. Quarta, contra o Coritiba, a situação será semelhante, porém a cobrança será maior, pois o Inter precisa melhorar o seu desempenho como visitante para continuar mantendo a liderança com a “gordura” que se espera.

 

 

GRÊMIO X CRICIÚMA

20 de julho de 2013 0

Grêmio e Criciúma não se enfrentam desde 2005. Na ocasião, o time gaúcho venceu por 2 a 0, no Heriberto Hülse, em jogo válido pela Série B do Brasileiro. Pela Primeira Divisão, o último confronto ocorreu em 2004, no Olímpico, também com vitória gremista por 2 a 0, gols de Felipe Melo e Roberto Santos.

NÚMEROS DO CONFRONTO

25 jogos

14 vitórias do Grêmio

7 empates

4 vitórias do Criciúma

O Grêmio marcou 39 e o Criciúma 24.  A última vitória do Criciúma aconteceu em 2003. No Olímpico,  pelo Brasileiro, o Tigre venceu por 2 a 0 com gols de Leonardo e Luciano Almeida.

Galatto, atualmente no Tigre, defendeu o Grêmio no último confronto.

A ÚLTIMA VEZ

CRICIÚMA 0 X 2 GRÊMIO

Série B do Brasileiro – 15/05/2005

Estádio Heriberto Hülse/Criciúma

Arbitragem: Marcos Tadeu Mafra(PR)

Gols: Saulo(contra) 2/2 e Samuel 17/2

CRICIÚMA -  Roberto, Saulo, Leonardo, Luciano e Juninho Goiano; Erick, Alex Sandro(Athos), Fernandinho(Diego Viana) e Douglas; Éder(Ricardo Lobo) e Rodrigo. Técnico: José Luís Plein.

GRÊMIO – Galatto, Alessandro, Marcelo Oliveira, Domingos e Escalona; Pedrinho, Douglas Silva(Gustavo), Bruno(Marcus Vinícius) e Paulo Ramos; Ânderson (Fábio Bala) e Samuel. Técnico: Mano Menezes.

INTER X CRICIÚMA

29 de maio de 2013 0

Em seu retorno à Primeira Divisão do Brasileiro, o Criciúma faz nesta quinta-feira, diante do Inter, a segunda apresentação.  Na estreia, domingo passado, em casa, venceu o Bahia por 3 a 1.

No seu último ano na Primeira, o time catarinense veio ao Beira-Rio, dia 03 de junho de 2004, e perdeu por 3 a 0. Rogério Gaúcho, Diogo e Duílio(contra) marcaram os gols colorados. No jogo de volta, dia 05 de outubro, no Heriberto Hulse, o Tigre venceu por 2 a 1. Fernandão marcou para o Inter e Vagner Carioca e Douglas anotaram os gols do Criciúma.

Em jogos pelo Campeonato Brasileiro, desde 1986, Inter e Criciúma se enfrentaram dez vezes. O Inter tem seis vitórias, o Criciúma duas e dois jogos terminaram empatados. O Inter marcou 18 e sofreu 8 gols. No retrospecto geral, incluindo Copa do Brasil, Copa Sul-Minas, amistosos e um jogo do time B do Inter(realizado em 2010), são 20 partidas, com dez vitórias coloradas, cinco empates e cinco vitórias do Tigre.

CONFRONTOS NO BRASILEIRO

1986 – Heriberto Hülse – Empate 1 x 1

1986 – Beira-Rio – Inter 2 x 0

1988 – Heriberto Hülse – Inter 3 x 1

1995 – Beira-Rio – Empate 2 x 2

1996 – Beira-Rio – Inter 3 x 1

1997 – Cascavel – Inter 1 x 0

2003 – Heriberto Hülse – Criciúma 1 x 0

2003 – Beira-Rio – Inter 2 x 0

2004 – Beira-Rio – Inter 3 x 0

2004 – Heriberto Hülse  – Criciúma 2 x 1

MAIS UM CATARINENSE

09 de novembro de 2012 0

A Chapecoense , do técnico Gilmar Dal Pozzo e do atacante Rodrigo Gral, está classificada para a semifinal da Série C. O time catarinense eliminou o Luverdense do Mato Grosso. Venceu o primeiro jogo por 3 a 0 e garantiu a vaga mesmo perdendo a partida de volta, quinta-feira, por 1 a 0.

Garantida entre os quatro melhores, a Chapecoense também assegurou seu lugar na Série B de 2013. Assim, Santa Catarina deverá três quatro times na Segunda Divisão. Além da equipe de Chapecó, o estado contará com o Avaí e o Joinville, além do Figueirense, virtualmente rebaixado na Série A.

Enquanto o Figueira desce, o Criciúma está muito perto de subir. O Tigreocupa a terceira colocaçãona Série B e pode garantir matematicamente a sua vaga na rodada deste final de semana.

Felipão vem aí!

25 de maio de 2012 1

Foto: Ricardo Duarte

O confronto deste domingo entre Grêmio e Palmeiras, pelo Brasileiro, no Olímpico, será um aperitivo para os duelos das semifinais da Copa do Brasil. De um lado, o Grêmio em busca do pentacampeonato. E de outro, o Palmeiras , campeão em 1998, mas que tem no banco de reservas Luís Felipe Scolari, um especialista, que disputou quatro finais e venceu três delas.

Em 1991, Felipão surpreendeu ao conquistar a Copa do Brasil com o Criciúma. E a final foi justamente contra o Grêmio, treinado na época por Dino Sani. No Olímpico, 1 a 1 no jogo de ida. E na partida de volta, dia 02 de junho, o Tigre fez a festa no Heriberto Hülse com o empate em 0 a 0. O Criciúma jogou com Alexandre, Sarandi, Vilmar, Altair e Itá; Roberto Cavalo, Gélson e Grizzo(Vanderlei); Zé Roberto, Soares e Jairo Lenzi.

O segundo título veio em 1994 com o Grêmio. O adversário da final foi o Ceará. Em Fortaleza, 0 a 0 no jogo de ida. Na volta, dia 10 de junho, no Olímpico, o time gaúcho venceu por 1 a 0 com um gol de Nildo. Scolari escalou na decisão o seguinte time: Danrlei, Ayupe, Paulão, Agnaldo e Roger; Pingo, Jamir, Émerson e Carlos Miguel (Wallace); Fabinho e Nildo(Carlinhos).

No ano seguinte, o Grêmio, com Felipão, chegou novamente à decisão. Mas dessa vez não levou. O título ficou com o Corinthians que venceu os dois jogos da final. Fez 2 a 1 no Pacaembu e , na volta, 1 a 0 no Olímpico.

E o tricampeonato de Felipão veio em 1998 com o Palmeiras. O Cruzeiro saiu na frente , vencendo o jogo de ida, no Mineirão, por 1 a 0. Na volta, dia 30 de maio, no Morumbi, o Verdão levou a taça fazendo 2 a 0, com gols de Paulo Nunes e Oséas. O time do título teve: Velloso, Neném, Cléber, Roque Júnior e Júnior; Galeano, Rogério, Alex(Arílson) e Zinho; Paulo Nunes(Almir) e Oséas(Pedrinho).