Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Enderson Moreira"

FELIPÃO NÃO SUPERA LUXA E RENATO

02 de dezembro de 2014 0

Depois de dois anos seguidos, o Grêmio está fora da Copa Libertadores. Nem mesmo a capacidade de um supercampeão como Luís Felipe Scolari foi capaz de colocar o tricolor no caminho da maior competição do continente. E as derrotas  consecutivas – Cruzeiro, Corinthians e Bahia – deixaram um sentimento de decepção. Não só pela eliminação, mas também pelo fato de que a chegada de Felipão era considerada como uma espécie de retomada dos grandes momentos gremistas. Isso não aconteceu. Felipão não conseguiu superar os seus antecessores, Vanderlei Luxembrugo e Renato Portalppi, e , em termos de aproveitamento, foi apenas um pouco melhor que Enderson Moreira.

VANDERLEI LUXEMBURGO

Foto: Bruno Alencastro/ZH

Brasileiro 2012 

Terceiro colocado com 71 pontos, seis pontos atrás do campeão Fluminense.

Campanha: 38 jogos, 20 vitórias 11 empates e 7 derrotas.

Aproveitamento: 62,2%

Brasileiro 2013

Comandou o time até a quinta rodada e deixou o time na sétima colocação com 8 pontos.

Campanha: 5 jogos, 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota.

Aproveitamento: 53,3%

CAMPANHA GERAL DE LUXEMBURGO (2012/13)

43 jogos, 22 vitórias, 13 empates e 8 derrotas.

Aproveitamento : 61,2%

 

RENATO PORTALUPPI

Foto: Ricardo Duarte/ZH

Brasileiro 2013

Estreou na sexta rodada (1 x 1 Atlético PR) e com o resultado caiu do sétimo para o oitavo lugar com 9 pontos. Fechou o campeonato em segundo lugar com 65 pontos, ficando onze pontos atrás do campeão Cruzeiro.

Campanha: 57 pontos em 33 jogos. 16 vitórias, 9 empates e 8 derrotas.

Aproveitamento: 57,5%.

ENDERSON MOREIRA

Foto: Lauro Alves/ZH

Brasileiro 2014

Comandou o Grêmio até a décima-segunda rodada. Deixou o cargo após a derrota de 3 a 2 para o Coritiba na Arena, resultado que deixou o time na décima colocação com 19 pontos.

Campanha: 19 pontos em 12 jogos com 5 vitórias, 4 empates e 3 derrotas.

Aproveitamento: 52,7%

Entre a saída de Enderson Moreira e a estreia de Felipão, o Grêmio foi comandado pelo interino Andrei Jardine em Salvador na derrota de 2 a 1 para o Vitória. O resultado manteve o time gaúcho na décima colocação.

LUÍS FELIPE SCOLARI

Foto:Fernando Gomes/Agência RBS

Brasileiro 2014

Felipão estreou no Gre-Nal do primeiro turno. Pegou o time em décimo lugar com 19 pontos e com a derrota para o Bahia, no último domingo, coloca o time na sétima colocação com 60 pontos.

Campanha: 41 pontos em 24 jogos com 12 vitórias, 5 empates e 7 derrotas.

Aproveitamento: 56,9%.

OBS – Caso  o Grêmio derrote o Flamengo na última rodada, Felipão aumentará o seu aproveitamento para 58,6%, superando os 57,5% de Renato Portaluppi, mas sem a vaga para a Libertadores.

 

CORRENDO CONTRA O TEMPO

27 de julho de 2014 0

O Gre-Nal da décima-quarta rodada seria decisivo para o futuro de Enderson Moreira no Grêmio. A entrevista dada pelo vice-presidente Nestor Hein durante a semana confirmava isso. Mas o treinador não teve força para resistir a acabou anunciando a saída após uma decepcionante derrota para o Coritiba por 3 a 2 dentro da Arena.

O Grêmio no jogo foi um retrato do próprio desempenho ao longo da temporada. Frágil, confuso e inconstante. Depois de ser dominado no primeiro tempo, levou um gol no começo da segunda etapa e viveu à beira de um ataque de nervos. Mas aí aconteceu o desencanto de Barcos que marcou duas vezes e parecia que as coisas tinha voltado para o lugar. Mas o time falhou levou o empate e voltou a ser perder em campo. No fim, o gol de Alex foi determinante para o resultado do jogo e para o futuro do treinador.

Enderson teve um bom começo de trabalho classificando o Grêmio na primeira fase da Libertadores, mas esse início foi pulverizado após a eliminação para o San Lorenzo e principalmente pela goleada diante do Inter na decisão do Gauchão. O Brasileiro era a chance de reabilitação e com as chegas dos reforços se esperava uma evolução que não aconteceu. Pois, o Grêmio pós-Copa não foi muito diferente daquele das nove primeiras rodadas. Talvez a única surpresa em tudo isso é o fato da direção se mostrar surpresa com a decisão do treinador em abandonar o cargo.

Agora a direção corre contra o tempo para encontrar um substituto até o Gre-Nal do dia dez. Felipão está descartado e Tite é o nome da preferência. O Grêmio precisa de um técnico maior que Enderson Moreira e não pode apostar em um novo emergente. E esse é o problema. Porque o mercado não dispõe de muitas opções. Tanto é verdade que o nome de Celso Roth, o vitorioso deste domingo na Arena, chega a ser especulado.

DÁ PRA APOSTAR ?

22 de maio de 2014 0

A vitória do Grêmio sobre o Botafogo teve muito do dedo do técnico Enderson Moreira. Primeiro por apostar na dupla Riveros e Ramiro, deixando Edinho, que era o preferido da maioria, no banco. Depois por ter lançado no segundo tempo e o uruguaio acabou marcando um gol e liquidando o jogo. A vitória coloca o Grêmio em segundo lugar, a frente do Inter, e com a mesma pontuação do líder Cruzeiro. Ela reanima a torcida, traz uma nova onda de otimismo no Grêmio e começa a reabilitar o treinador, pois já são três vitórias consecutivas e duas delas contra adversários complicados , no caso, Fluminense e Botafogo.

Foto: Ricardo Duarte/Agência RBS

E o resultado reacende a discussão a respeito do verdadeiro potencial de Maxi Rodríguez. Destaque em alguns jogos do ano passado, o uruguaio, segundo o treinador Renato Portaluppi, não estava pronto para assumir a condição de titular. Mudou o técnico e, até agora, o conceito de Renato parece estar valendo.  Maxi começou a temporada como titular, mas   não conseguiu se firmar. Parece ser um jogador que só se dá bem quando entra no segundo tempo. Um mistério que o Grêmio não tem muito tempo para estudar. Para o bem do time e do próprio jogador, seria útil que ele começasse a mudar esse perfil. Afinal, o plantel gremista apresenta poucas opções e apostar somente em Maxi Rodríguez é pouco para quem sonha com o título.

SEM AGENDA POSTIVA

08 de maio de 2014 1

Os dias passam e o Grêmio segue na letargia pós-eliminações. Ninguém mais suporta ouvir falar em “lamber as feridas” ou na “hora do recomeço”.  O  torcedor gremista quer saber de  reforços, mobilização  e vitórias. Mas nada disso parece muito próximo.  Pelo contrário. Não existe notícia de jogador chegando e Enderson Moreira precisará se virar com o que tem em casa. Talvez, Rodriguinho, começando a pegar ritmo de jogo seja um acréscimo entrando desde o início no domingo. Mas não é exatamente o alento que a torcida esperava. Ainda mais que, Luan pode perder o lugar.

Foto: Augusto Turcato/Agência RBS

O jogo de domingo é uma boa chance de reabilitação para o Grêmio. Pode ser a primeira vitória fora de casa e uma gordura importante na tabela. Importante porque o novo problema que surge no horizonte é  jogar fora da Arena, pois, em breve, o estádio passará para a FIFA na preparação para a Copa.  Nas nove primeiras rodadas, o Grêmio terá apenas dois jogos como mandante:  um já realizado ( 2 a 1 sobre o Atlético Mineiro) e o outro, dia 18 de maio, diante do Fluminense.  E, sem o fator local, ficará complicado fazer campanha nessa largada de campeonato.

GREMISTAS CARECAS

02 de maio de 2014 0

O torcedor gremista deve ter arrancado os cabelos da cabeça. Primeiro, pela eliminação para o San Lorenzo na quarta-feira. E depois, quando conferiu quem conseguiu passar para as quartas de final. Essa era uma Libertadores onde o Grêmio estava muito bem cotado e tinha grandes chances de chegar ao título. Mas não passou das oitavas de final e, agora, fica olhando times mais modestos como Nacional do Paraguai, Defensor e Bolívar ainda na luta. E pior, o Nacional de Medellín, derrotado duas vezes pelo tricolor na fase classificatória, segue na disputa e com ânimo fortalecido após despachar o Atlético em Belo Horizonte.

Foto: Diego Vara/Agência RBS

As atenções  gremistas agora estão voltadas para o Campeonato Brasileiro e para uma possível reformulação que Enderson Moreira poderá promover.  Uma tentativa, não sei se pensando no futuro ou não, aconteceu domingo passado no jogo contra o Atlético Mineiro. A resposta foi positiva, tanto que muitos torcedores  festejaram a vitória e pediram uma nova chance para o zagueiro Saimon e também apontaram que Rodriguinho poderia ser uma opção melhor do que Zé Roberto para o jogo com o San Lorenzo.  E além de caras novas, o Grêmio precisa de uma chacoalhada para não conviver muito tempo com o problema da eliminação na Libertadores. Pois, de decepção em decepção, o torcedor gremista não quer passar trabalho no Brasileiro. Ou melhor, não quer arrancar os últimos de cabelo.

UM NOVO COMEÇO

01 de maio de 2014 0

Ao perder nos pênaltis para o San Lorenzo, o Grêmio jogou fora a chance de conquistar uma Libertadores, onde , até então, ele era um grande favorito.  E mesmo que o ano não tenha chegado à metade,  a temporada está praticamente perdida. Pois, o clube não tem dinheiro, tempo, nem um projeto novo para tentar salvar 2014.  Uma prova disso é o anúncio da permanência de Enderson Moreira como técnico.

Foto: Diego Vara/ Agência RBSv

O melhor que Enderson possa fazer é  reformular a equipe. Alguns nomes, como Zé Roberto, Barcos e Pará já deram o que tinham que dar.  A questão  custo/benefício não  justifica a permanência desses nomes. É hora da sacudida. Mas, desde já, o torcedor gremista sabe que o time não tem condições de chegar ao título do Brasileiro. Quem sabe, a vaga para a Libertadores,   será a única coisa que ele poderá comemorar em 2014.

DERROTA PREOCUPANTE

20 de abril de 2014 0

Nem tanto o resultado, mas o comportamento do time aumenta a preocupação da torcida gremista para o jogo de quarta-feira contra o San Lorenzo pela Copa Libertadores.  Após a goleada sofrida no Gre-Nal, todos falavam em remobilização e recuperação da confiança. Mas o discurso não foi colocado em prática. O Grêmio que perdeu para o Atlético Paranaense perdeu sem fazer força. Jogou mal, foi confuso, levou um gol cedo e não teve  reação. Nem mesmo o estreante Rodriguinho, que entrou no segundo tempo, fez diferença.

Foto: Atlético Paranaense

Enderson Moreira continua na marca do pênalti. As explicações após o jogo não satisfizeram, pois se esperava muito mais. Se aguardava um time vibrante e guerreiro, mas não se viu isso. A dúvida é se Enderson Moreira, contemplativo ao lado do campo, contagiou o time. Ou, o time apático dentro de campo abalou o espírito de um treinador que, até os jogos finais do Gauchão, realizava um trabalho de muita qualidade. A verdade é que o Grêmio adiou a sua reação. E ela, agora passa para um jogo decisivo, onde é proibido errar.

 

DEPOIS DO GRE-NAL

14 de abril de 2014 0

Perder Gre-Nal é ruim.  Perder uma final de campeonato é horrível. E perder um campeonato levando goleada no Gre-Nal é horrível.  Essa é a triste realidade gremista após a final do Gauchão. Um Gauchão que, ao contrário dos outros anos, o Grêmio estava disposto a vencer.

Foto: Jefferson Botega/Agência RBS

Queria vencer, mas faltou qualidade para tanto. Qualidade e estratégia. E nessa parte está incluído o trabalho do técnico Enderson Moreira que tem muitos méritos até aqui, principalmente pela campanha na Libertadores, mas que falhou nos dois Gre-Nais. No primeiro, permitiu a virada do Inter ao reagir tarde e mexer errado. E no segundo, após um primeiro tempo equilibrado mas com desvantagem no placar, ele precisou se arriscar e se deu mal.  O segundo gol colorado, no começo do segundo tempo, pulverizou a força de reação gremista e depois do 2 a 0, o Grêmio não se achou. Viveu o segundo apagão consecutivo nos Gre-Nais decisivos.

Se no primeiro clássico, Marcelo Grohe evitou uma goleada, em Caxias, nem ele conseguiu salvar a pátria.  O Gre-Nal deixou muita gente “na marca do pênalti”. Principalmente o técnico Enderson Moreira que precisa mostrar serviço para recuperar o prestígio que tinha,  mas ficou arranhado com os dois fracassos recentes. Menos mal para o Grêmio que ele tem dez dias para se recuperar até o primeiro jogo com o San Lorenzo.

O PRÊMIO DO GRÊMIO

11 de abril de 2014 0

Campeão do “Grupo da Morte”, invicto com quatro vitórias e dois empates, dono da melhor defesa e da segunda melhor campanha da segunda fase, o Grêmio não ganhou nenhum prêmio. Muito pelo contrário. Vai pegar o San Lorenzo e caiu em um novo grupo da morte, pois, se passar pelos argentinos cruza com Cruzeiro ou Cerro Porteño nas quartas de final. Sem escolher adversário, o tricolor pegou o caminho mais complicado para seguir na Libertadores.

Foto: Jeferson Botega/Agência RBS

E fica mais complicado ainda a partir da ausência de Luan. Por enquanto, o destaque gremista na temporada não tem substituto à altura e dificilmente Enderson Moreira conseguirá manter a dinâmica que o time vinha apresentando até agora. Uma prova já se teve no jogo de quinta contra o Nacional, quando Alán Ruiz foi o escolhido. O argentino, descontando que tem características diferentes das de Luan, não conseguiu abastecer o ataque, não teve velocidade e não se adaptou às necessidades do time. Foi um jogador lento, burocrático e sem rapidez na ligação do meio para o ataque. Mesmo com a boa apresentação de Dudu e Barcos, o ataque gremista ficou muito aquém do que vinha apresentando.

Enderson mudou o esquema do primeiro para o segundo tempo. Abriu mão do volante Edinho para colocar Jean Deretti como meia aberto pela direita numa linha com Alán Ruiz pelo meio e Dudu pela esquerda.  O Grêmio teve mais rapidez, teve mais chances de gol, mas não empolgou. Mais tarde, entrou Máxi Rodríguez que, mesmo com menos tempo em campo, teve mais efetividade. E essas, mais Zé Roberto, voltando de lesão, são as opções para o Gre-Nal. Eu, pela mostra de ontem,  e mesmo que Zé Roberto tenha condições, utilizaria Maxi Rodríguez, que casa mais com a ideia de velocidade, chegada ofensiva e de necessidade de vencer por dois gols para ficar com o título.

 

 

 

O TAMANHO DO ESTRAGO

02 de abril de 2014 0

Hoje é dia de verificar o tamanho do estrago que o resultado do Gre-Nal fez na vida do Grêmio. Tomara que a derrota no clássico não tenha mexido na confiança dos jogadores e nas convicções do treinador, pois, até aqui, o desempenho do time é muito bom e a campanha na Libertadores é excelente. Uma prova disso é que uma vitória garante a vaga antecipadamente  e um empate encaminha a classificação virtualmente.

O Atlético Nacional, mesmo levando 3 a 0 na Arena, é um bom time e, dentro de casa, um adversário complicado. Pela pressão de jogar na Colômbia, pela qualidade do adversário e pelo possível abalo provocado pelo Gauchão, mais do que nunca, hoje o Grêmio precisa colocar a cabeça no lugar. O jogo desta quarta não é daqueles pra comer a bola. É um jogo de paciência, tranquilidade e equilíbrio, enfim, tudo aquilo que o Grêmio vinha apresentando até aqui.

Foto: Rádio Gaúcha

Enderson Moreira e Luan ficam na mira do torcedor. O treinador por ter sido apontado , pela falta de reação, como culpado pela derrota no clássico de domingo e o garoto pela atuação discreta. E mesmo que o torcedor possa ter alguma desconfiança e eu acredito no potencial do Grêmio, na chance de classificação antecipada e na recuperação de Enderson e Luan, pois qualidade eles já mostraram que têm.