Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Palmeiras"

INTER PRECISA TRANSFORMAR 45 EM 90 MINUTOS

02 de outubro de 2015 0

O Inter saiu do gramado do Alianz Parque, quarta-feira, eliminado da Copa do Brasil, mas não completamente derrotado. O futebol e o poder reação demonstrados no segundo tempo diante do Palmeiras deixam a impressão de que ainda é possível sonhar com alguma coisa nesta reta final de Campeonato Brasileiro. Sonhar não custa nada. O problema é realizar. E a primeira missão já é neste sábado diante do Sport, de Paulo Roberto Falcão, no Beira-Rio.A esperança da torcida é de que o Inter consiga transformar aquele segundo tempo  de quarta-feira numa partida intensa e de qualidade o tempo todo contra os pernambucanos.  Ou seja, que consiga transformar 45 em 90

Foto: Paula Menezes/Agência RBS

D`Alessandro segue fora. Vitinho volta e Ânderson, depois de marcar o primeiro gol com a camiseta colorada, parece que reacendeu, pelo menos em Argel Fucks, a esperança de que ele ainda é capaz acrescentar um pouco de qualidade ao time colorado. A tendência é de que ele siga na equipe, até porque Welington Martins está suspenso. E principalmente pelo fato de que não se pode utilizar três volantes num jogo onde a obrigação é vencer. Não me incluo entre os que  consideram que finalmente Anderson desencantou. O gol contra o Palmeiras ainda é muito pouco diante do pouco futebol que demonstrou em 35 partidas na temporada.

 

 

INTER: DERROTA DE UM TIME SEM ÂNIMO

27 de setembro de 2015 13

Nada de novo na vida do Inter. Desfalcado e desentrosado, o time não conseguiu encarar o Santos e volta da Vila Belmiro com uma justa derrota de 3 a 1. É notório e sabido que todas as atenções coloradas estão voltadas para o jogo de quarta-feira contra o Palmeiras pela Copa do Brasil e, assim, esse resultado no Brasileiro não chegou a ser um desastre para quem já não tinha muitas esperanças de lutar por alguma coisa na competição. Mas o desempenho colorado foi sofrível.

Durante todo o jogo, o Inter não encontrou uma maneira de controlar Lucas Lima, que mandou no jogo e amarelou praticamente todos os marcadores do time de Argel Fucks. O gol de pênalti, sofrido por Juan e convertido por Valdívia, caiu do céu. Depois, naturalmente, o Santos comandou as ações e, mantendo o padrão e o ritmo, conseguiu empatar , virar, ampliar e garantir a décima-primeira vitória com Dorival Júnior em onze jogos dentro de casa.

Foto: Ricardo Duarte/Agênica BS

William, no meio-campo, a exemplo do que aconteceu contra o Coritiba, não funcionou. Silva, que entrou no segundo tempo, ainda está verde. Mostra muita afobação e o pênalti que cometeu é prova disso. Mas o pior rendimento do Inter na Vila Belmiro foi de Ânderson que, com nove meses de clube, ainda não conseguiu adquirir, nem sequer, ritmo de jogo. O jogo contra o Santos poderia ser uma chance para mostrar que Anderson tem condições de ser uma boa opção. Mas nem sequer isso ele conseguiu fazer. Portanto, continua, com justiça, fora dos planos.

 

QUANDO RUSCHEL É MELHOR QUE ANDERSON

03 de junho de 2015 0

Diego Aguirre surpreendeu novamente. No treino que encaminhou o  Inter para o confronto diante do Palmeiras, quando todos esperavam um time mais completo em relação ao que, somente com quatro titulares, pegou o São Paulo, o treinador resolveu reativar a fórmula do revezamento e vai com uma formação bastante modificada.  Sem Geferson, que está na Seleção, o garoto Artur é uma novidade. Juan, Nilmar e Valdívia voltam. Ernando treinou como lateral direito.  William e Dourado trabalharam no time reserva.  Porém, a maior surpresa de todas é Alan Ruschel no time titular e Anderson, no reserva.  Justamente no momento em que o ex-jogador do Manchester United começava a dar sinais de recuperação, ele perde o lugar para Alan Ruschel.

Foto: Wendell Ferreira/Agência RBS

Tá certo que esse método de trabalho utilizado por Diego Aguirre proporciona espaço para todos do elenco. E , apesar de ser muito criticado inicialmente, ele funcionou e deu muito certo até aqui. Portanto, não deveria ser uma surpresa tão grande assim. Mas chama atenção quando um jogador que está pedindo passagem e sequência é preterido por outro que está há quase um ano e meio e ainda não mostrou serviço e, pior, quando foi escalado, raramente confirmou.  Pois é,  somente o revezamento explica que Alan Ruschel é uma opção melhor que Anderson.

 

 

A DECISÃO COLORADA

29 de novembro de 2014 0

O Beira-Rio volta a ter um jogo de Copa do Mundo.  Pois para o Inter, o confronto contra o Palmeiras, neste sábado,é decisivo,  uma verdadeira Copa do Mundo. Mesmo que o time precise de apenas uma vitória nas duas últimas partidas, é previdente não deixar tudo para a última rodada. Para os colorados, chegou a hora da decisão, a hora de carimbar a vaga. E mesmo com toda essa necessidade, não se vê um caminho muito tranquilo. Nem tanto pela fragilidade do Palmeiras, uma equipe ameaçada pelo rebaixamento, que não vence e não marca gol há quatro jogos, mas principalmente pela instabilidade do Inter. Uma irregularidade presente ao longo de todo Campeonato Brasileiro e notada nas recentes vitórias contra Goiás e Atlético Mineiro, onde teve esforço e competência para vencer, mas não teve um bom futebol. E, por isso, deixou o torcedor com o  coração na mão até o último momento.

Foto: Alexandre Lops/Internacionalrcida

O Palmeiras,sem Valdívia, vai se resguardar. Jogará fechado para segurar um empate e, quem sabe, no contra-ataque,   surpreender o Inter. Já o time de Abel precisa ser mais veloz, mais criativo e mais efetivo do que vem sendo. Nilmar treinou mas não tem presença confirmada. Poderia ser um reforço, mas o treinador não garante. Assim o quarteto fica desfalcado.  D`Alessandro continua sendo a grande esperança, mas precisará um auxílio maior de Alex e Aránguiz, figuras apagadas no último jogo. Esse trio carrega, basicamente, toda esperança da torcida colorada. É através dele que o Inter poderá resolver um jogo que vale a vaga para a Libertadores e para salvar a temporada.

 

O CAMPEONATO ENTRA NO FUNIL

12 de outubro de 2014 0

Faltando apenas dez rodadas para terminar o Campeonato Brasileiro, nada está definido. O Cruzeiro tropeço novamente (já tem quatro derrotas no returno) e até mesmo  a luta pelo título ainda não está definida.  Com isso, quem vence se reanima. E, pelo outro lado, que perde desce mas ainda continua fazendo contas. E assim foi o final de semana. O Inter bateu o Fluminense, diminuiu o impacto do fiasco em Chapecó, e volta mirar a Raposa. Já o Grêmio perdeu sábado para o Palmeiras, num jogo onde o árbitro Sandro Meira Ricci falhou feio ao expulsar Barcos, e no domingo saiu da Zona da Libertadores com a vitória do Atlético Mineiro sobre o São Paulo.

Foto: Ricardo Duarte/Agência RBS

No Beira-Rio, o Inter fez o jogo da dignidade e da indignação.  Mesmo com Nilmar no banco, a torcida foi paciente e parceira. Afinal de contas, o time teve um ótimo primeiro tempo e mereceu largar em vantagem com Alex aos sete do segundo tempo. Porém, o time perdeu várias chances para matar o jogo, se encolheu , não teve reação diante da pressão do Fluminense e acabou levando o empate. No final,  Valdívia salvou o Inter e fez justiça ao empenho colorado.  Depois do resultado, muitos desabafos e um grande alívio. O Inter , apesar dos pesares, segue vivo e domingo tem outro enorme desafio diante do Corinthians.

Foto: Divulgação Grêmio FBPA

Sábado, no Pacaembu, o Grêmio sofreu muito com a injusta expulsão de Barcos e Sandro Meira Ricci foi apontado pela direção como o vilão da derrota de 2 a 1 para o Palmeiras. Após a expulsão do Pirata, o tricolor, que estava em vantagem,  se desestabilizou e em doze minutos levou a virada.  Felipão reconheceu que o Palmeiras foi melhor, mas é importante destacar que o Grêmio era um time com onze em campo, repetindo as boas atuações fora da Arena, mas não conseguiu ser o mesmo quando perdeu Barcos.

NOVOS COMPROMISSOS

10 de outubro de 2014 0

Depois da vitória sobre o Sport , o Grêmio não tem muito tempo para curtir a vaga no G4 e neste sábado já vai para o  primeiro desafio na manutenção desse status. Para Felipão, o confronto tem um sabor especial, pois será o reencontro com o Palmeiras, o outro time onde ele também fez história. Mas isso, com certeza, será colocado de lado. O foco é o jogo. E para vencer,  talvez ele aposte no esquema que tem dado muito mais certo como visitante   do que como mandante. Foi assim contra o Fluminense e o Botafogo no Maracanã e , apesar dos desfalques, tem chance acontecer mais uma vez no Pacaembu. O esquema com três volantes, dessa vez com a entrada de Riveros, volta a ser utilizado. No meio existe uma dúvida entre Alán Ruiz e Giuliano. Mas o principal problema está na desfesa, o setor mais eficiente do time. Rhodolfo, lesionado, será substituído por Bressan. E além disso, Marcelo Grohe, na seleção, mais uma vez é desfalque. Tiago, mesmo com a grande atuação contra o Sport, vai para uma nova prova de fogo.  O Palmeiras, após viver uma forte crise, já respira melhor. E com as duas últimas vitórias ganhou um novo ânimo, não se sabe se o suficiente para assustar. Mas pelo sim, pelo não, é um jogo em que o Grêmio precisa tomar cuidado.

Foto: Leonardo Acosta/Rádio Gaúcha

RESTAM SEIS VAGAS

12 de abril de 2013 0

A Libertadores encerra sua penúltima rodada com dez times classificados para as oitavas de final. Três brasileiros já estão garantidos: Palmeiras, Atlético MG e Corinthians. Na próxima semana, Grêmio, Fluminense e São Paulo definem suas situações. Confira como seriam os cruzamentos da próxima fase com a classificação atual,

(1) ATLÉTICO MG X  (16) THE STRONGEST

(2) OLÍMPIA X (15) GRÊMIO

(3) CORINTHIANS X (14) LIBERTAD

(4) VÉLEZ X (13) BOCA JUNIORS

(5) INDEP. SANTA FÉ  X  (12) NEWELLS´S OLD BOYS

(6) NACIONAL X (11) EMELEC

(7) PALMEIRAS X (10) REAL GARCILASO

(8) FLUMINENSE X (9) TIJUANA

* Os times em negrito já estão classificados.

ADEUS FELIPÃO!

14 de setembro de 2012 0

Luís Felipe Scolari sai do Palmeiras sem deixar saudades e, mesmo com a recente conquista da Copa do Brasil, sem recordar a passagem vitoriosa dos anos 90 quando alcançou o título da Copa Libertadores da América em 1999 com um time que era top.

A sua segunda passagem pelo Verdão começou em 2010, após um longo período trabalhando no exterior. O ano de 2012 foi muito complicado. Mesmo com o título da Copa do Brasil, o Palmeiras vivia uma longa crise que se arrastava desde a eliminação diante do Guarani no Campeonato Paulista e que aumentou consideravelmente a partir da péssima campanha no Brasileiro, onde a equipe ocupa a penúltima posição sem demonstrar sinais para fugir da zona de rebaixamento.

Confira os números completos de Luís Felipe Scolari como técnico do Palmeiras.

Geral: 408 jogos (192 vitórias, 111 empates e 105 derrotas) – Aproveitamento 56,12%

Em 1997, 43 jogos (19 vitórias, 16 empates e 8 derrotas) – Aproveitamento 58,58%
Em 1998, 78 jogos (44 vitórias, 15 empates e 19 derrotas) – Aproveitamento 62,82%
Em 1999, 87 jogos (41 vitórias, 21 empates e 25 derrotas) – Aproveitamento 55,17%
Em 2000, 46 jogos (23 vitórias, 12 empates, 11 derrotas) – Aproveitamento 58,69%
Em 2010, 38 jogos (14 vitórias,12 empates e 12 derrotas) – Aproveitamento 47,36%
Em 2011, 65 jogos (29 vitórias, 24 empates, 12 derrotas) – Aproveitamento 56,92%
em 2012, 51 jogos (22 vitórias, 11 empates e 18 derrotas) – Aproveitamento – 50,32%

O Tricolor precisa virar o jogo

21 de junho de 2012 4

O Grêmio participa pela décima-nona vez da Copa do Brasil.  Conquistou quatro títulos. Disputou 142 jogos com 80 vitórias, 39 empates e 22 derrotas.  Em 72 confrontos classificou-se em 58 e foi eliminado em 14 oportunidades.

Incluindo o duelo com o Palmeiras, que hoje tem o jogo de volta em Barueri,  largou com derrota em 16 oportunidades. Em oito delas, conseguiu reverter o resultado e garantir a classificação. Porém, toda vez que levou dois ou mais gols de diferença no jogo de ida, acabou eliminado.

Essa situação ocorreu pela primeira vez em 1996, justamente contra o Palmeiras. O Grêmio perdeu por 3 a 1 em São Paulo e foi desclassificado no Olímpico apesar de vencer  por 2 a 1. Depois, em 1998, o São Paulo abriu as oitavas de final fazendo 2 a 0 no Morumbi e no Olímpico voltou a triunfar mesmo placar. E a terceira oportunidade foi em 2005. O time gremista, treinado por Hugo de Léon, perdeu no Maracanã para o Fluminense por 3 a 0 e voltou a ser batido em Porto Alegre, dessa vez, por 1 a 0.

Os duelos contra o Palmeiras

11 de junho de 2012 0

Grêmio e Palmeiras já se cruzaram três vezes na Copa do Brasil. E o duelo marca 2 a 1 para o Grêmio. Na primeira vez, em 1993, pelas quartas de final, dois empates em 1 a 1 e a decisão da vaga ocorreu nos pênaltis após o jogo de volta no Olímpico. E o Grêmio venceu por 7 a 6 e passou para enfrentar o Flamengo nas semifinais.

Depois, em 1995, pelas oitavas de final, o Grêmio garantiu uma classificação histórica. Empatou no Olímpico em 1 a 1 e carimbou o passaporte no Parque Antártica em 2 a 2. Danrlei foi o nome do jogo, pois com as expulsões de Dinho, Arílson e Goiano, o time gaúcho sofreu uma pressão muito forte.

E o último enfrentamento entre as duas equipes ocorreu na semifinal da  Copa do Brasil de 1996. E, desta vez,O Palmeiras levou a melhor. Venceu em São Paulo por 3 a 1 e classificou-se no Olímpico mesmo com a derrota por 2 a 1. Esse foi um resultado bastante contestado pelo Grêmio, pois o árbitro Francisco Dacildo Mourão anulou um gol de Jardel aos 48 minutos do segundo tempo. Encerrada a partida, houve invasão de campo e agressões.

No jogo do dia 07 de junho de 1996, Cláudio fez o gol do Palmeiras e Jardel e Zé Alcino marcaram para o Grêmio. Felipão escalou o tricolor com Danrlei, Arce, Luciano, Rivarola e Róger, Adílson, João Antônio, Aílton e Rodrigo(Zé Alcino), Paulo Nunes e Jardel. O Palmeiras, de Vanderlei Luxemburgo, teve Veloso, Cafu, Sandro,Cláudio e Júnior,Amaral, Galeano, Rivaldo e Djalminha(Júnior II), Muller(Marquinhos) e Luisão(Elivélton).