Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Roger Machado"

O Grêmio precisa superar a Ponte e a crise

14 de setembro de 2016 0

O Grêmio depende muito dos dois próximos jogos- Ponte Preta e Fluminense – para acabar com a má fase  em que se encontra neste segundo turno. O time precisa conquistar pelo menos quatro pontos para ficar numa situação mais tranquila e não ser ultrapassado na tabela. Além disso, um novo tropeço pode acelerar uma crise que está encubada no departamento de futebol e que, caso se agrave, pode inviabilizar uma reabilitação que ainda é possível.

Lucas Uebel/GRÊMIO FBPA/gremio.net

O Grêmio, que já deu adeus à luta pelo título, não pode abandonar a briga pelo G-4. Precisa iniciar a recuperação imediatamente, mas a situação é complicada. Afinal, o jogo é fora, o adversário é a Ponte que,  apesar de ter empatado em casa com o América Mineiro, faz uma boa campanha e tem um treinador do mesmo peso de Roger Machado.

Por isso, para superar Eduardo Baptista, o treinador gremista precisará ousar. Fazer mais do que vem fazendo e achar alternativas para que o time consiga algo raro: uma vitória fora de casa. Sem Douglas, possivelmente, Bolaños será deslocado para jogar mais centralizado, próximo de Luan. A dúvida é saber quais serão os outros dois jogadores da linha de armação. Negueba, Ramiro, Lincoln, Guilherme e Pedro Rocha, destes cinco, Roger deverá escolher dois. Uma missão complicada, mas passa por aí o caminho do Grêmio para voltar a brigar por alguma coisa no Brasileiro.

Bolaños começa ou fica no banco?

01 de março de 2016 0

Bolaños desde o início. Essa deve ser a definição de Roger Machado para o jogo do Grêmio contra a LDU nesta quarta-feira, pela Libertadores, na Arena. O equatoriano chega como a grande contratação desta temporada. Ele é o homem que faltava desde o ano passado para completar o time. O problema é que Bolaños ainda não tem ritmo, nem entrosamento e que, se   tivesse estreado sábado diante do Glória, teríamos uma condição melhor de avaliar em que estágio ele se encontra.

Foto: André Ávila/Agência RBS

O jogo é complicado porque a LDU estreou vencendo e o Grêmio, que perdeu para o Toluca, precisa desesperadamente da vitória. Caso o quadro não fosse tão dramático, o ideal seria manter Everton no time e iniciar com Miller Bolaños no banco. Utilizá-lo como elemento surpresa. Mas pelo jeito, Roger Machado vai arriscar desde o início, apostando na estrela do jogador e no astral positivo que a torcida vai criar. Futuramente, Roger poderá tentar outras alternativas e outras formações, inclusive colocando Bolaños no lugar de Douglas, que pela importância do jogo da LDU, por enquanto, é intocável.

 

Que lições o Grêmio tira da derrota em Toluca?

18 de fevereiro de 2016 15

O pessimismo toma conta  do torcedor gremista após a derrota de 2 a 0 para o Toluca na estreia da Libertadores. Não só pelo resultado, mas pelo fraquíssimo desempenho do time e também pela sequência de atuações fracas diante de Coritiba e São José.  Parece que o Grêmio desaprendeu a jogar. Tudo aquilo que Roger Machado colocou em prática no ano passado foi esquecido. O Grêmio foi um time lento, desorganizado e que errou muitos passes. Talvez Marcelo Grohe tenha sido o único que se salvou do incêndio. A entrada de Fred não acrescentou nada no sistema defensivo que teve uma péssima atuação de Marcelo Oliveira e um Wallace Oliveira perdido.  A defesa, que vem sendo o ponto alto do time nas últimas temporadas, esteve irreconhecível. E Roger Machado faz uma análise correta ao dizer que a dupla de zaga errou muito, mas, principalmente,  em consequência de falhas nas laterais e na marcação.

Foto: Toluca/Divulgação

Walace fez falta no trabalho de bola. Edinho sabe marcar, mas não tem a mesma qualidade quando o time precisa se movimentar. Luan foi anulado pelo time mexicano e Giuliano, que havia voltado com força diante do Veranópolis, não conseguiu imprimir a dinâmica esperada ao meio-campo.

Pode-se culpar o resultado pelos fracos desempenhos coletivo e individual, mas o maior responsável pela derrota tenha sido Roger Machado. É, isso mesmo; Roger Machado. Algo raro de acontecer. Afinal, se ele estava correto na maneira de pensar o jogo, com posse de bola e time agrupado, a prática foi outra. O  Grêmio jogou para o gasto no primeiro, mas no segundo, quando se esperava que a equipe gremista tomasse conta do jogo com um homem a mais, o que se viu foi o Toluca largando na frente, tomando conta do jogo e vencendo naturalmente.  Agora é hora de lamber as feridas. Corrigir os erros e voltar para a luta. Não dá pra fazer terra arrasada. A vitória contra a LDU, dia 02 de março, ganhou uma importância muito maior do que tinha. É o jogo da reabilitação. Reabilitação na tabela e da confiança.

Qual é a Seleção do Brasileirão?

24 de novembro de 2015 1

A CBF abre amanhã a votação para a escolha da seleção dos melhores do Brasileirão 2015. O quórum será formado por jornalistas de todos os estados, treinadores e capitães dos 20 times da Série A, além da comissão técnica da Seleção Brasileira e dos jogadores que foram convocados para os jogos das Eliminatórias contra a Argentina e o Peru. O anúncio acontecerá no dia 07 de dezembro.

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag.Corinthians/Divulgação

Começo as minhas indicações com uma unanimidade. Tite é o melhor técnico e nem precisa explicar porque. E, caso tivesse a categoria técnico revelação, escolheria Roger Machado, o responsável pela grande campanha gremista.

A minha seleção, num 4-4-2 teria:

Cássio (Corinthians)

Lucas(Palmeiras)

Pedro Geromel (Grêmio)

Gil (Corinthians)

Zeca (Santos)

Rafael Carioca (Atlético Mineiro)

Renato Augusto (Corinthians)

Lucas Lima (Santos)

Jadson (Corinthians)

Luan (Grêmio)

Ricardo Oliveira (Santos)

Ainda poderia relacionar outros destaques, uma espécie de banco de reservas,  com Alisson (Inter), Marcos Rocha e Jemerson(Atlético Mineiro), Elias (Corinthians) e Biro-Biro (Ponte Preta).

Meu voto para revelação do campeonato vai para Gustavo Scarpa, do Fluminense. E o voto mais complicado seria o do melhor estrangeiro. Paolo Guerrero foi o mais badalado, mas termina o ano em baixa e de candidato mais forte, passa a ser a maior decepção. Dátolo e Lucas Barrios tiveram momentos de brilho. Mas, apesar dos pesares, Lucas Pratto, principalmente pelo primeiro turno, ainda foi o melhor gringo que jogou por aqui em 2015.

 

 

Grêmio vence e se aproxima da Libertadores

15 de outubro de 2015 0

O Grêmio teve um excelente primeiro tempo e  uma etapa final nem tão brilhante  assim. Mas a grande notícia da noite na Arena(que recebeu 10.496 valentes torcedores) foi a vitória gremista por 1 a 0 sobre o Santos.  O resultado confirma a terceira colocação com 55 pontos e coloca o tricolor cada vez mais próximo da Libertadores, agora com nove pontos de vantagem sobre o Peixe, quarto colocado e também do São Paulo, que vem em  quinto . Do jeito que a coisa vai, a torcida já deve começar a contagem regressiva para a confirmação da vaga matemática.

Foto: Fernando Gomes/Agência RBS

No primeiro tempo, Douglas comandou a grande atuação do Grêmio, seguido de perto por Giuliano e Maicon. Roger Machado apostou numa nova formação com  Bobô na frente e Luan recuado para a linha de armação e essa estratégia não chegou a entusiasmar. O trabalho coletivo foi o que chamou a atenção, pois o time conseguiu impor seu jogo, dominando o meio-campo, jogando de forma compacta, com aproximação e posse de bola.

Na etapa final, essa qualidade não se manteve. Se Douglas foi o nome do primeiro tempo, Lucas Lima foi o personagem do segundo. O Santos equilibrou, foi pra cima, mas o Grêmio, mesmo sem Erazo e Marcelo Grohe, conseguiu se segurar lá atrás, principalmente pela grande atuação de Geromel. A entrada de Pedro Rocha no lugar de Bobô ajudou o Grêmio a fugir da pressão santista e por detalhe o garoto não conseguiu fazer o segundo gol para transformar a boa atuação num placar mais tranquilo.

UM GRÊMIO MODIFICADO NUM JOGO PERIGOSO

15 de outubro de 2015 1

Mesmo que o jogo ainda corra algum risco de ser cancelado por causa dos estragos provocados pelo temporal,  o maior perigo desta noite chama-se Santos.  Quarto colocado, o time da Vila Belmiro faz uma campanha de recuperação desde a chegada de Dorival Júnior e menos mal que Ricardo Oliveira, artilheiro do Brasileirão, será poupado. Mas mesmo assim, o Peixe ainda tem Lucas Lima e Gabriel, jogadores de extrema qualidade. Por isso, o Grêmio precisa de toda atenção para não ser surpreendido dentro de casa, tal como aconteceu recentemente diante de São Paulo e Fluminense.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA/ Gremio.net

Lógico que a vitória seria o ideal , mas o empate não é um resultado de todo desprezível. Afinal, o Grêmio manteria confortáveis seis pontos de vantagem sobre o Santos, quarto colocado, e aumentaria para sete em relação ao São Paulo, que perdeu ontem e  segue em quinto lugar. Mas não dá pra jogar pelo empate. O Grêmio precisa vencer e, para isso, Roger Machado monta um time com novidades. Duas delas por necessidade: Bruno Grassi entra no lugar do lesionado  Marcelo Grohe e Bressan substitui Erazo na zaga. As outras duas  são por convicção. O retorno de Maicon é acréscimo de qualidade. Maicon é titular indiscutível, é o afinador do meio-campo e o homem que garante que a bola saia redondinha do meio para o ataque. E a possível entrada de Bobô como o homem mais avançado é uma tentativa de Roger para mudar a dinâmica do Grêmio que nos últimos jogos passou a ser um time previsível e com dificuldades para fugir da marcação dos adversários.

O GRÊMIO NÃO PODE PERDER TEMPO, NEM DINHEIRO

09 de outubro de 2015 1

O plano do Grêmio para 2016 é manter a atual base e buscar reforços pontuais. Mas esse planejamento já enfrenta alguns problemas, pois durante a semana se soube que Erazo já tem pré-contrato com  o Estoril, de Portugal, e nesta sexta-feira surgiu a informação que o Santos não pretende  liberar Galhardo. Menos mal que os dois jogadores em questão não são fundamentais. O lateral cresceu com a chegada do Roger Machado, mas não é um titular imprescindível. E o mesmo vale para Erazo que veio como complemento de grupo e acabou herdando a vaga de Rhodolfo.

Foto: Lauro Alves/Agência RS

Considero que o Grêmio não pode perder tempo, nem dinheiro com esse tipo de problema. Caso os dois possam continuar, excelente. Porém, se for obrigado a abrir mão de um deles, ou dos dois, não tem problema.  A direção gremista tem tempo suficiente para vasculhar o mercado e encontrar boas soluções. Ou, quem sabe, trazer alguém ainda mais qualificado. O que o Grêmio não pode abrir mão é daqueles jogadores que são indiscutíveis e entre eles coloco Pedro Geromel e Maicon. Esses, de fato, titulares que fazem a diferença e merecem todo esforço dos dirigentes do tricolor.

 

 

O GRÊMIO PROVOU DO PRÓPRIO VENENO

13 de setembro de 2015 1

A rodada foi do Corinthians. O time de Tite fez a lição de casa ao derrotar o Joinville e viu a vantagem aumentar em relação aos seus seguidores – Atlético Mineiro e Grêmio. O Galo ficou no empate com o Cruzeiro e o Grêmio foi surpreendido e acabou perdendo na Arena para o São Paulo por 2 a 1. Pela campanha dos dois times no Brasileiro, o resultado em Porto Alegre até pode ser uma surpresa, porém, dentro de campo, o que se viu foi um São Paulo muito organizado e um Grêmio que não soube superar a forte marcação do adversário, foi induzido ao erro e, na hora que precisava reagir , transformou-se num time afobado e que não conseguiu exercer a pressão que se esperava na etapa final.

Foto: Felix Zucco/Agência RBS

Dentro da rotina, Juan Carlos Osorio mexeu mais uma vez na escalação e no esquema do São Paulo. Porém, dessa vez, ele acertou a mão. Montou uma esquema compacto, priorizando a marcação e conseguiu quebrar o ritmo do Grêmio. O primeiro foi equilibrado e o São Paulo conseguiu abrir o marcador num contra-ataque. Porém, no segundo tempo, o time paulista foi muito melhor.  A proposta de Osório funcionou melhor e Roger Machado, mesmo fazendo três alterações para aumentar o poderio ofensivo, não conseguiu mudar o panorama do jogo.  E no fim, quando todo time partiu para cima, Rogério, em mais um contra-ataque, fez 2 a 0 e deu o tiro de misericórdia. Éverton ainda descontou para o Grêmio nos acréscimos, mas já era muito tarde. O resultado foi justo. Hoje foi o São Paulo que fez um jogo quase-perfeito e parece que o Grêmio provou do próprio veneno. Pois todas aquelas qualidades positivas que Roger implantou no Grêmio,  foi Osório que conseguiu colocar em prática no jogo da Arena.

 

 

ROGER ESTÁ NAS PEGADAS DE TITE

07 de setembro de 2015 0

Com a vitória de 2 a 1 sobre o Goiás, Roger Machado completou 20 rodadas no comando do Grêmio  neste Brasileirão. Pegou o time na rabeira e o colocou entre os primeiros. Conquistou 12 vitórias, quatro empates e quatro derrotas, com aproveitamento de 67%.  Com o pouco que tinha, está fazendo muito.  Deu a Douglas uma utilidade que ele não alcançara desde a chegada. Giuliano, Luan e Walace cresceram. A zaga, mesmo com a saída de Rhodolfo, se mantém.  Pedro Rocha ressurgiu e Edinho e Fernandinho voltaram ao grupo principal.

Foto: Fernando Gomes/Agência RBS

Desde Tite, o Grêmio não tem um técnico tão promissor. E olha  que já passaram pela casa-mata tricolor nomes como o eterno ídolo Renato Portaluppi, Mano Menezes e o badaladíssimo Vanderlei Luxemburgo. Roger se criou no Grêmio. Tem a identidade do clube. Ou, como ele mesmo disse na apresentação, tem o DNA tricolor. E junto a essa identificação, Roger  acrescentou conhecimento, dedicação e uma vontade enorme de dar certo. Ele, em menos de quatro meses no cargo, conquistou o grupo de jogadores, a torcida e até mesmo a direção, que já anuncia prorrogação de contrato.

Roger segue os passos de Tite. Os dois trabalharam juntos quando o atual técnico do Corinthians veio para comandar o time gremista e Roger ainda era jogador. Ambos se ajudaram, trocaram ideias e criaram vínculos. E quarta-feira, eles estarão em lados opostos fazendo o principal jogo da rodada. Uma disputa que pode mudar o destino do campeonato. Por isso, Roger Machado, que busca o jogo perfeito,  sem tempo para comandar um treinamento, precisa tomar todos os cuidados. A força da torcida corintiana, a pressão na arbitragem, a regularidade  do time de Tite, tudo isso pode fazer diferença num momento decisivo. Mas não duvidem da disposição do time gremista e da capacidade de Roger Machado, um treinador que está nas pegadas de Tite neste campeonato e , se continuar assim, possivelmente na história gremista.

 

GRÊMIO: PONTO VALORIZADO

23 de agosto de 2015 0

O desempenho do Grêmio no empate em 0 a 0 com a Ponte Preta talvez tenha sido tão ruim quanto da derrota para o São Paulo, lá no primeiro turno, quando Roger Machado estava começando o trabalho. A diferença, é que na ocasião, o Grêmio jogou mal e perdeu por 3 a 0.  Neste domingo,  em Campinas, o time foi mal, mas não perdeu. O próprio treinador admitiu que o desempenho foi ruim, mas o resultado excelente, Afinal,  conquistou um ponto fora de casa.  Mas o resultado talvez não tenha sido digerido da mesma maneira pela torcida que aumentou sua expectativa em relação à possibilidade de chegar ao título e esperava uma vitória. Mas, no geral, pelo que apresentou, o Grêmio ficou no lucro no empate em 0 a 0.

Foto: Grêmio FBPA/DivulgaçãoONTE

Três elementos definiram o resultado no Mosiés Lucarelli. A boa atuação de Marcelo Grohe, com pelo menos duas defesas importantes. A trave salvadora, pois a Ponte, jogando melhor, criou várias chances e acertou o poste em duas ocasiões – uma com Biro-Biro e a outra com Rodnei. E Braian Rodriguez que entrou no lugar de Luan, produziu muito pouco e quando, aos 47 do segundo tempo, teve a bola do jogo, decepcionou e perdeu um gol feito. Um gol que até poderia ser injusto, mas que estava pronto para ser feito e não foi, pura e simplesmente, por falta de qualidade na conclusão.

Marcelo Grohe foi o único que se salvou do incêndio. O Grêmio foi mal individual e coletivamente. A Ponte Preta jogou melhor desde o começo. A marcação do time de Doriva inibiu o Grêmio. Douglas foi anulado por Élton e o time não conseguiu criar nado do meio pra frente. Luan voltou muito apagado e o fator Fernandinho não aconteceu. A aposta de Roger foi completamente anulada por Rodnei, o lateral apoiador, que foi o melhor em campo.