Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "seleção brasileira"

CONVOCAÇÕES

03 de outubro de 2014 0

Pego de surpresa com três desfalques, Dunga foi obrigado a mexer na Seleção. Além de ter agregado Marcelo Grohe a partir da lesão de Jefferson, que não foi cortado, o treinador fez três trocas em relação à convocação inicial. Ontem havia chamado Souza,d o São Paulo, para o lugar de Ramires e hoje anunciou mais duas modificações: Kaká ocupa a vaga de Ricardo Goulart e Juan Jesus, ex-Inter e atualmente na Internazionale, entra na de Marquinhos. Não sei qual o critério para chamar o ex-zagueiro colorado e não vejo nele uma evolução considerável em relação ao que apresentava por aqui que justifique uma convocação.  Mas como é período de testes, vale quase tudo. Assim como a convocação de Kaká, que mesmo que tenha reerguido do São Paulo no Brasileiro, está muito aquém daquele jogador que já foi apontado como o melhor do mundo. Mesmo com todo respeito que tenho em relação ao ídolo são-paulino, não vejo a Seleção nas Eliminatórias com Kaká.  Mas talvez a experiência tenha definido essa convocação.Muito mais útil e prático seria chamar Paulo Henrique Ganso esse com idade para projetos de médio e longo prazo.

Foto: Ricardo Duarte/Agência RBS

Quanto a Marcelo Grohe, repito o que já havia escrito, foi uma convocação justa. O goleiro gremista vive a melhor fase da carreira. Mas Dunga para ser justo por completo, precisaria chamar Fábio, do Cruzeiro, que há muito tempo está se destacando e merece uma chance, assim como Grohe.

UMA CONVOCAÇÃO CONSERVADORA

19 de agosto de 2014 0

A primeira convocação de Dunga na volta à Seleção Brasileira não apresentou grandes surpresas. A base do grupo que disputou a última Copa do Mundo foi mantida. Dez jogadores  chamados por Felipão continuam nos planos de Dunga, entre eles alguns que talvez já tenham dado o que tinham que dar, casos de Maicon e Hulk.  Entre as novidades:  Alex Sandro e Danilo, os dois laterais do Porto, e a dupla de armadores do Cruzeiro, Ricardo Goulart e Everton Ribeiro, que, merecidamente ganham suas oportunidades.  A volta de Diego Tardelli não deixa de ser um fato novo, mas me parece muito mais por falta de opções do que por convicção. E do exterior, o treinador abre espaço para o experiente Miranda e o garoto Philipe Coutinho, dois nomes que poderiam já ter figurado no Mundial.

Foto:  Assessoria CBF

Dunga foi conservador. Não foi ousado. Primeiro porque precisa mostrar resultado na largada e não pode fazer feio contra Colômbia e Equador. Depois porque a safra continua sendo pobre. Não temos um grande atacante e continuamos sem um líder no meio-campo, um homem que pise na bola, que dite do ritmo do time e que seja, acima de tudo, um líder de um grupo que na Copa mostrou que ainda é verde e que precisa de confiança e segurança nesse período de turbulência e transição. Neymar segue sendo a referência técnica e pensei que ele ganharia um parceiro para dividir essa responsabilidade. Mas Dunga preferiu não chamar Robinho, um jogador mais rodado e que poderia auxiliar nessa tarefa.

Quanto aos ausentes, parece que Marcelo, como já havia acontecido com Dunga na Copa da África, ficará fora dos planos. Paulinho perde o lugar para Elias. Daniel Alves está com o prestígio abalado na Seleção e no Barcelona e Fred dificilmente voltará à Seleção.  Por fim. Jefferson e Rafael Cabral ganham a chance de sepultar definitivamente as chances de Júlio César.

UM MOLEQUE MADURO

10 de julho de 2014 0

Chamado para a coletiva desta quinta-feira, Neymar deixou de lado seu lado moleque para responder de uma maneira séria e madura todos os questionamentos feitas pela imprensa. Não fugiu de nenhuma resposta e teve a lucidez e o senso de realidade que faltaram nas respostas dadas pela comissão técnica na véspera.

Foto:Heuler Andrey/Mowa Press/Divulgação

Neymar teve coragem ao dizer que vai torcer pela Argentina na final em consideração a Mascherano e Messi,  colegas de Barcelona. Mostrou independência ao dizer que não concorda com as declarações do empresário Vágner Ribeiro que pegou pesado com Felipão. E se emocionou ao falar sobre o lance com Zuniga que o retirou da Copa do Mundo. Chorou, mas garantiu que não guarda mágoa. E, acima de tudo, se mostra empenhado em dar a volta por cima. Tomara que ele consiga e que o exemplo do garoto sirva para todas da Seleção Brasileira.

FESTEJEM, MAS NEM TANTO

04 de julho de 2014 0

O Brasil derrotou o a Colômbia por 2 a 1 com um excelente primeiro tempo e uma desnecessária dose de sofrimento na etapa final. Digo isso porque na primeira parte do jogo, a Seleção assumiu o papel que realmente tem no cenário mundial. Mandou no jogo e pecou apenas por não ter conseguido fechar em 2 a 0, o que seria um placar muito mais merecido diante da superioridade apresentada. Aquele time “cagão” que jogou no Mineirão não entrou em campo no Castelão. A zaga ganhou todas. Os dois laterais renderam muito bem. Maicon foi um acréscimo importante pela direita. Fernandinho jogou o grosso e o fino e anulou James Rodriguez. Paulinho teve muita movimentação. Oscar saiu da toca e ajudou inclusive marcando. Hulk, mais uma vez, jogou muito e , mais uma vez, pecou na pontaria. Os dois que renderam abaixo da média foram Neymar, justamente o craque do time, e Fred, um totem, quase um cone.

david

Mas esse excelente primeiro tempo ficou no intervalo. No segundo, gradativamente, a Colômbia foi se soltando, tomando conta do jogo e nem mesmo o segundo gol brasileiro, numa extraordinária cobrança de falta de David Luiz, diminuiu o ímpeto. James Rodríguez fez o gol de desconto e por pouco não leva pra prorrogação. Nos últimos dez minutos  muita gente vestindo o “fraldão”, temendo que a vitória escapasse. E isso tudo por quê? Por que  Felipão ficou cristalizado, parecendo que ainda estava no início  de carreira comandando o Criciúma em 1991. Demorou para mexer e acabou dominado pelos colombianos. No resumo, a defesa salvou na frente e salvou atrás.

ONDE ESTÁ O LÍDER ?

29 de junho de 2014 0

A Seleção Brasileira sente a pressão de precisar vencer uma Copa do Mundo dentro de casa. Eu nunca tinha visto uma equipe tão tensa como a que enfrentou o Chile no sábado. Talvez o nervosismo explique a falha que resultou no gol de Alexis Sánchez e muitas outras cenas que vimos não só durante o jogo, mas principalmente nos momentos que antecederam as cobranças de pênalti. Por exemplo, Júlio César, justamente o homem que precisava estar com os nervos no lugar, chorava. E , enquanto isso, o capitão Tiago Silva, ao invés de mobilizar o grupo, se recolheu e foi rezar. Quem reanimou a equipe foi Paulinho, que nem no jogo entrou.

Foto: Denis Sabangan/Agência EFE

Até mesmo Luís Felipe Scolari, um motivador nato, estava uma pilha.  Passou o jogo todo bufando e fazendo caras de contrariedade. David Luiz, outro exemplo, fez uma das piores atuações pela Seleção.  Simplificou o máximo possível e invariavelmente optava em rifar a bola ao invés de tentar uma jogada mais elaborada. O time está desorganizado. Poucos estão conseguindo correr e pensar. Antes de mexer no time, é preciso acalmar a casa. Se a pressão continuar aumentando, o Brasil não vai longe. Está na hora de surgir um líder. Está na hora de colocar a casa em ordem.

UMA DÚVIDA, UM MISTÉRIO E UM ACERTO

27 de junho de 2014 0

Foto: Jefferson Botega

 

O Chile  pode eliminar o Brasil. Até pode. não está proibido. Afinal, os nossos fregueses nas Copas têm um time com qualidade, um bom treinador e pelo menos três bons destaques individuais: Vidal, Aránguiz e Alexis Sánchez. Porém, os chilenos demonstram muito mais preocupação com a arbitragem do que com o adversário. Inclusive, isso foi assunto na coletiva com Felipão na sexta-feira. Mas futebol se joga dentro de campo. É lá dentro que tudo se resolve. EE agora, nas eliminatórias, errar é proibido. Por isso, se espera muito mais do time brasileiro. Aliás, time que tem uma dúvida, um mistério e um acerto.

A dúvida é David Luiz que sente uma lesão nas costas e pode ser substituído por Dante. Não muda a estrutura do time, mas David é muito mais jogador.
O mistério está na lateral-direita entre Daniel Alves e Maicon. Eu gostaria de mudança, pois Daniel Alves falha na marcação e não consegue acrescentar qualidade ao ataque.
E o acerto é a confirmação de Fernandinho no lugar de Paulinho. O segundo tempo do jogo com Camarões já serviu para confirmar isso, pois Fernandinho conseguiu jogar nas duas intermediárias, ajudando na marcação e se somando ao ataque, coisa que Paulinho não estava conseguindo fazer.

E tomara que o Brasil acerte. Jogue mais do que vem jogando. Que não precisa somente do brilho de Neymar para vencer. Para isso, vai precisar de muita coisa e principalmente da inspiração de Hulk e Oscar na criação  e na chegada ao ataque. Assim como coloquei na alça de mira a sequência de Paulinho no jogo com Camarões, para o confronto com o Chile miro em Hulk. Caso ele continue com a produção irregular que teve nos dois jogos que atuou, possivelmente, Felipão voltará com novidade para o segundo tempo. Afinal, o tempo de ajustes já passou. Agora é hora de acontecer na Copa.

CHEGOU A HORA!

11 de junho de 2014 0

Chegou a hora!  A frase de Felipão na coletiva da quarta-feira mostra a ansiedade, não só do técnico, mas, endossada por Neymar, de todo grupo da Seleção Brasileira para a estreia contra a Croácia. Além de ter o peso de jogar em casa, o Brasil entra em campo precisando vencer para diminuir um certo clima de contrariedade nesse momento em que o país está dividido entre os que amam o futebol e aqueles que, independente do Mundial, acham que o Brasil tem coisa muito mais importante pra fazer do que gastar dinheiro em estádios em arenas.

Desde 1982, o Brasil sempre estreia com vitória.  Quase sempre magra, por 1 a 0 ou 2 a 1, mas sempre bem vinda. O placar mais dilatado foi o 2 a 0 sobre a Rússia no Mundial de 1994. Isso mostra que até mesmo os times que conseguiram chegar ao título – 1994 e 2002 – enfrentaram problemas no jogo de abertura. E contra a Croácia não será diferente. Uma prova já aconteceu no amistoso de sexta diante da Sérvia, um adversário de menor qualidade, mas de estilo muito semelhante ao dos croatas.

Foto: CBF/Divulgação

Sobre a escalação, me perguntaram quais os pontos fortes e fracos do time de Felipão. Sobre os aspectos que temos que tomar cuidado: não considero Júlio César um problema. Ele, mesmo sem jogar, na Copa das Confederações mostrou qualidade. Tem experiência e joga esse Mundial com a missão particular de apagar a falha na África do Sul. A minha preocupação está depositada em Fred, que já não é um garoto, faz uma temporada irregular, onde ficou um bom período lesionado e, além disso tudo, não é um jogador fora de série como eram Ronaldo e Romário. Fred não é um cabeça de bagre, não, não é isso. Ainda tem qualidade e faro de gol, mas precisa fazer dessa Copa uma epopeia pessoal.

Quanto aos pontos fortes, destaco três. Um, a experiência vencedora da Felipão, um treinador que conhece os atalhos. O segundo, a qualidade defensiva com destaque para os zagueiros Tiago Silva e David Luiz, talvez a melhor dupla de zaga do mundo. E por fim, o talento de Neymar, a esperança brasileira e o grande talento do time. Ele ainda não atingiu o nível de Messi e Cristiano Ronaldo, mas é o homem que pode desequilibrar.

 

Maior preocupação agora na Seleção é com a camisa 9

04 de junho de 2014 0

Cléber Grabauska analisa o amistoso de terça-feira quanto o Panamá e fala sobre os desafios para a Copa do Mundo. Veja vídeo:

SEM SUSTOS

07 de maio de 2014 0

A convocação da Seleção Brasileira para a Copa não teve sustos, apenas uma pequena surpresa: Henrique.  Ele correu por fora e ganhou a corrida com Miranda e Dedé.  No mais, muita coerência de Felipão, que manteve a base da Copa das Confederações e confirmou alguns nomes que ganharam espaço ao longo das convocações como Ramíres, Willian e Fernandinho.

Foto: Assessoria CBF

A confirmação de Jô talvez seja a única queixa a respeito da lista, mas na verdade, o atacante do Atlético foi chamado muito mais por falta de opções do que por qualidade própria. Afinal, não temos nenhum clamor nacional por alguém que não tenha sido chamado. O grupo para o Mundial é bom, tem qualidade, mas não é fora de série. Talvez, valha muito mais apostar na competência de Felipão do que num futebol de outro mundo. Vamos pra luta. A Copa do Mundo começou.

COM OU SEM NOVIDAEDE?

06 de maio de 2014 0

Parreira diz que sim. Felipão diz que não. Afinal, teremos ou não surpresas na convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo ?

O que eu deduzo:

- alguns jogadores testados até a Copa das Confederações estão fora do Mundial.  Nesse grupo enquadro Damião, Fernando,  Lucas, Rever e Jean.

- o time titular será mantido e,  portanto,  já temos onze convocados certos: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo, Luiz Gustavo,Paulinho, Oscar, Hulk, Neymar e Fred.

- Jeferson será o segundo goleiro.

- Dante,Willian, Ramires, Bernard e Fernandinho estão garantidos.

- Ronaldinho e Kaká não serão chamados.

 O que eu aposto:

Goleiro – Victor,Diego Alves  e Diego Cavalieri

Lateral direito – Rafinha e Maicon

Zagueiro – Dedé, Miranda e Marquinhos

Lateral esquerdo – Filipe Luís e Maxwell

Volante – Lucas Leiva e Hernanes

Atacante – Jô, Robinho e Alan Kardec.

Foto: Rafael Ribeiro/CBF

E eu,  particularmente, não gostaria de contar com Jô. Mas o problema é que não temos nenhuma outra boa opção para o ataque. Não vale apontar atacante de movimentação. Tem que ser  o típico camisa nove. Pois, se não puder contar com o titular, Felipão precisará de outro homem de referência. Surge o nome de Alan Kardec, mas ele não recebeu nenhuma chance. Alguns especulam a saída de Júlio César. Mas eu considero isso pouco provável, mesmo que ele esteja atuando num time do Canadá. Pois, quando foi chamado, o nosso goleiro titular deu conta do recado, sendo destaque na Copa das Confederações, inclusive defendendo um pênalti.