Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de junho 2009

Ronaldo pode virar filme iraniano

29 de junho de 2009 15

Sei que alguns cinéfilos adoradores de esquisitices irão me xingar, mas mesmo assim não perco a piada: poucas coisas no mundo conseguem ser tão enfadonhas quanto um filme iraniano. Pois acreditem: um diretor de cinema da terra dos aitolás quer transformar uma das histórias mais brilhantes e cheias de reviravoltas e surpresas do futebol, a carreira de Ronaldo Fenômeno, em filme iraniano.

Sim, é verdade. Mohamad Hussein Latifi propôs ao atacante rodar um filme sobre a carreira dele. Ele até estaria no Brasil atualmente para apresentar ao jogador os detalhes do projeto. O roteiro preliminar tem como título “Ronaldo, o número nove”. Mais óbvio, impossível.

O Corinthians já havia divulgado no começo do ano a possibilidade de fazer uma produção sobre o retorno do jogador aos gramados. Longe de mim ser um desses chatos defensores de tudo que é nacional, mas tá sim cheio de gente mais gabaritada para contar, como o futebol e os fãs merecem, a história de Ronaldo.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Palpites do fim de semana (6)

27 de junho de 2009 6

Atrasado, mas ainda em tempo de palpitar sobre todos os jogos do Brasileirão, e mais os destaques da Série B, e claro, a final da Copa das Confederações. Sem delongas, vamos lá:

Sábado

Barueri 2 x 2 Atlético-MG
O Galo é líder com sobras. O Barueri já mostrou que é caçulinha, mas não é bobo. Empate.

São Paulo 2 x 0 Náutico
O desespero do tricolor paulista por uma vitória para abafar a crise na estreia do já contestado Ricardo Gomes ganhou um aliado: o fraquinho time do Náutico. Eita joguinho que veio em boa hora.

Atlético-PR 4 x 1 Corinthians
Não sei não. Acho que até agora a tática corintiana de priorizar a Copa do Basil tem dado muito certo. Mas desconfio que na Arena lotada, e com o Atlético, que vem jogando bem, precisando vencer pra sair da lanterna, acho que o estrago será grande.

Cruzeiro 1 x 2 Avaí
O Cruzeiro é um daqueles casos de clube que tem um bom time, mas um elenco apenas regular. Aí, quando poupa titulares priorizando a semifinal da Libertadores, deixa de ser favorito, mesmo jogando em casa. O Leão é que não pode perder essa oportunidade de embalar.

Botafogo 2 x 1 Goiás
O Goiás é sempre um visitante chato. Mas o Botafogo precisa vencer, e em casa, na pressão, deve conseguir. Mas no aperto.

Figueirense 2 x 1 Vasco
Único palpite da Série B na rodada. O Vasco anda flertando com a crise, achou que teria a mesma moleza do Corinthians e começa a se complicar. Deve sair do Scarpelli com mais problemas ainda.

Domingo

Fluminense 1 x 1 Flamengo
Fred contra Adriano. A semana toda só se falou nisso. Sabe o que eu acho que vai acontecer? Empate, com gols de coadjuvantes.

Palmeiras 1 x 3 Santos
Sexta passada caiu o Muricy do São Paulo às vésperas do clássico com o Corinthians. Nesta sexta agora, o Palmeiras demitiu Luxemburgo e domingo pega o Santos em crise interna. Melhor para o Peixe.

Internacional 0 x 2 Coritiba
Que coisa. Um mês atrás o Inter era imbatível, muito graças a autoconfiança do time. Agora, depois de uma série de insucessos e sob enorme pressão, a confiança se foi e, com mistão, deve ser presa fácil ara o rápido time do Coxa.

Sport 2 x 0 Grêmio
Na Ilha, o Sport já seria favorito contra o Grêmio. Ainda mais que os gaúchos vão de mistão, pensando na Libertadores.

Vitória 3 x 1 Santo André
No Barradão, jogo de dois times pouco badalados mas muito competentes. Possibilidade grande de empate, registre-se, mas vou cravar no time baiano, por jogar em casa.

Brasil 5 x 1 EUA
Futebol tem alguns roteiros repetidos. Vejamos. Um time desacreditado consegue uma classificação milagrosa, aí vai enfrentar o bicho-papão e, com um jogo defensivo impecável e contra-ataques mortais, consegue vencer e vai à final. Aí, outra vez na condição de franco-atirador, toma uma lavada. Eu já vi, e você? Então se prepare para ver domingo. E digo mais, vem aí show de Luís Fabiano.

Postado por Rodrigo Braga, antes tarde do que nunca

Quem é o cavalo paraguaio de 2009?

26 de junho de 2009 18

Apesar de bem bonitinho, o troféu do pangarezinho rampante não orgulhará quem ficar com ele/Arte Denis Pacher

Romário imortalizou a expressão que desde então entrou para o vocabulário do futebol. Time que dispara na frente e vai perdendo fôlego aos poucos, até despencar de vez e ser atropelado pelos demais concorrentes, é o “cavalo paraguaio”. O esporte em geral é pródigo em exemplos. Por isso, o blog, depois de muito prometer, lança nesse fim de semana o Troféu Cavalo Paraguaio 2009.

É esse aí ao lado, feito com muito carinho pelo Denis Pacher, parceiro nas artes para a editoria de esportes do Santa. Bonitinho, né? Mas quem ficar com ele não vai poder se orgulhar não.

A campanha será longa, só no fim do ano será declarado o campeão (a não ser que até lá apareça um candidato invencível). E ocorrerá da seguinte forma: vou postar algumas opções e quem quiser vota em uma delas, ou então sugere novos candidatos. Então vamos nessa? Seguem os candidatos escolhidos pelo blogueiro.

1 – Atlético-MG - Lidera o Brasileirão com folga até agora, mas não consegue assustar ninguém. Nem tanto pela tradição do Galo, que é grande, mas pelo passado do comandante, Celso Roth. Se o troféu não se chamasse cavalo paraguaio, certamente seria batizado com o nome do técnico gaúcho. Roth já esteve nessa situação _ de largar liderando com sobras _ em outras quatro situações, com quatro times diferentes. E em nenhuma delas levantou a taça. Ano passado, por exemplo, deu a posse atual do cavalinho ao Grêmio, que conseguiu a proeza de perder o Brasileirão para o São Paulo nas 10 rodadas finais após ter chegado a abrir 11 pontos de vantagem em relação ao tricolor paulista.

2 – Internacional - Mesmo apontado por nove em 10 na imprensa esportiva como o grande time brasileiro de 2009, o colorado gaúcho também tem na trajetória centenária casos de rateadas. Vide 2008, quando também era cantado como favorito e terminou o Brasileiro lá no pelotão intermediário. Esse ano dava pinta de que dispararia com consistência, já que de fato tem um grande time. Mas nas últimas rodadas começou a perder fôlego. Será que entra na disputa?

3 - Guarani - O Bugre também tem tradição, afinal já foi campeão brasileiro em 1978. Também já esteve lá na Série C, de onde saiu ano passado, e agora faz campanha quase perfeita na Série B. Mas não tem jeito: a cada rodada, todo mundo acha que o time de Campinas vai começar a dar as tradicionais “cavalgadas”.

4 - Jenson Button - Único candidato pessoa física nessa arrancada, o inglês, admito, é um candidato fraco. Até porque dificilmente perderá o Mundial de F-1. Agora, se conseguir fazer isso…

5 - Paraguai - É uma questão de propriedade. Por isso os nossos queridos vizinhos do outro lado da Ponte da Amizade não poderiam ficar de fora. Lideravam as Eliminatórias com uma folga impressionante, até que o DNA falou mais alto: perderam os três últimos jogos, ficaram sem a liderança e até a vaga na próxima Copa já corre risco. Pequeno risco, é verdade, mas se deixarem de ir ao Mundial, podem terminar o ano levantando outra taça. A nossa aqui.

6 - Chile - Candidato da mesma Eliminatória Sul-americana, o Chile vive situação inversa em relação aos paraguaios. Estão em ascenção (ganharam os três últimos jogos) e como vice-líderes estão muito perto da Copa. Mas aí é que mora o perigo: têm histórico de entregar a rapadura, o que os torna pouco confiáveis.

Então é isso. Se alguém tiver novos candidatos, não se acanhem em enviar. Em breve novas atualizações do campeonato.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

No calendário

25 de junho de 2009 8

O tempo passa, o tempo voa… Nesta quinta-feira chuvosa e fria, com joguinho da Seleção na TV, Blumenau completa três meses sem futebol profissional. E a contagem, infelizmente, ainda vai longe.

Vale a pena refletir sobre isso. Todos que podem fazer algo para mudar essa realidade.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Quem se importa?

24 de junho de 2009 6

Olhando a foto, duvido que alguém reclame que ela não anda mais jogando como antes/Sang Tan/AP

Já declarei outra vezes por aqui ser fã da tenista russa Maria Sharapova. Pelo jeito, a musa, que sempre foi fera também (já foi nº 1 do ranking) caminha para ser apenas mais um rostinho (e algo mais) bonito no circuito mundial. Voltando de longo período afastada (nove meses) por contusão no ombro, nesta quarta ela caiu na segunda rodada de Wimbledon. A russa (atual nº 60 do ranking) perdeu por 2 sets a 1 para a argentina Gisela Dulko e se despediu, para desespero do público masculino em Londres.

Mas cá entre nós. Olhando a foto aí do lado, quem se importa com isso tudo?

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Será possível?

24 de junho de 2009 3

Nesta quarta à tarde, enquanto assistia aos Estados Unidos passando por cima da badalada (mas com DNA de cavalo paraguaio, não tem jeito) Espanha, lembrei de uma entrevista que vi há muitos anos. Não lembro exatamente quando, mas tenho quase certeza que foi às vésperas da Copa de 1994, nos EUA. Nela, o então técnico norte-americano dizia que a federação do país começava um trabalho na base bem ambicioso no futebol masculino, já que o das mulheres já era (e ainda é) muito forte. O objetivo? Ser campeão mundial na Copa de 2010 ou de 2014. Naquela época passou quase despercebida a declaração, tamanha a improvabilidade. Mas ela nunca saiu da minha cabeça. Sempre que vejo os EUA jogando, lembro daquilo. Será que é possível? Seria uma façanha e tanto.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Texto de apoio ao Joel

24 de junho de 2009 6

Eu prometi e está aí, a opinião que publiquei na edição desta quarta do Santa de papel sobre a polêmica das entrevistas em inglês do Joel Santana. Quem ainda não tinha visto no jornal, e quiser opinar, à vontade:

“Money que é good ele have”

Rodrigo Braga
Editor de Esportes

Tá bom, o inglês do Joel Santana é um horror. A entrevista dele que é sucesso no Youtube é de chorar de rir. Mas vou aqui sair em defesa do Mister Prancheta. Aliás, não só eu, pois em geral a imprensa da África do Sul adorou o esforço quase comovente do brasileiro para se expressar no idioma principal do país da Copa.
Joel sempre foi folclórico, a começar pela inseparável prancheta. Mas ele não gostou com razão das chacotas que fizeram dele nesse episódio (tem até funk na internet). É preciso respeitar o currículo de Joel Santana, que sem dúvida é vitorioso. Ele de certa forma representa o povo brasileiro. É simples, mal fala português direito, quem dera então o inglês, mas tem caráter irrepreensível, é trabalhador e venceu na vida pelo próprio esforço.
Por falar em vencer na vida, os que fizeram piadinhas com o “in the left, in the right” do treinador certamente não ganham (e nem ganharão) 10% do que Joel já conquistou na vida. E tem mais: enquanto outros técnicos brasileiros, mais engomadinhos e fluentes em outros idiomas, vão assistir à Copa de 2010 do sofá de casa, Joel estará lá, comandando os anfitriões diante dos olhos do mundo todo.

rodrigo.braga@santa.com.br

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Eu já sabia!

24 de junho de 2009 1

Tava na cara, tanto que eu já tinha cantado a pedra uma meia dúzia de posts aí abaixo. Os poderosos da Fórmula 1 se reuniram nesta quarta em Mônaco, tomaram uns drinks, fumaram uns charutos e seleram a paz. As equipes terão mais poder e conseguiram a cabeça de Max Mosley, que por sua vez ganhou uma saída honrosa (oficialmente deixará de concorrer à reeleição). E os fãs da F-1 continuarão a ter apenas uma categoria para acompanhar (e com corrida no Brasil, ufa!).

Acordo previsível. Eles podem até se odiar, mas não são loucos de sair rasgando dinheiro por aí.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Tô contigo, Joel

23 de junho de 2009 16

Duvido que alguém ainda não tenha visto, mas de qualquer forma coloco abaixo os vídeos que fazem sucesso na internet do técnico Joel Santana dando entrevista em inglês macarrônico. O Santa de papel desta quarta-feira conta toda a história em detalhes, e inclusive traduz o “dialeto pranchetês” de Joel. Mas lá também saio em defesa do treinador folclórico, que virou chacota pelo esforço legítimo de falar a língua do país onde trabalha. Não deixem de conferir. Depois, postarei aqui também esse comentário.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Ai, ai, ai

23 de junho de 2009 0

É bom os fãs da Fórmula 1 no Brasil (e são muitos) começarem a torcer desde já por um acordo na briga de foice no escuro nos bastidores da categoria.

Isso porque a categoria paralela anunciada semana passada pelas oito equipes dissidentes da FIA, que começaria já em 2010, divulgou um pré-calendário nesta terça, e o Brasil ficou de fora. Nas Américas estão previstas quatro provas: Buenos Aires, Cidade do México, Indianápolis e Montreal. Para Interlagos, se as coisas continuarem tomando o rumo que estão, restará o que sobrar da atual F-1. Ou seja, equipes de terceiro escalão e pilotos idem.

É preocupante

Postado por Rodrigo Braga, da redação