Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cielo: o torpedo é brasileiro

30 de julho de 2009 3

César Cielo tornou-se o primeiro homem na história a nadar os 100m livre abaixo dos 47 segundos/EFE

Há dias quero fazer um post para comentar o Mundial de Natação em Roma. Prometo fazer isso no fim de semana, dar minha opinião sobre os polêmicos trajes que só faltam nadar sozinhos. Agora, quero apenas fazer minha modesta homenagem a César Cielo, um monstro das piscinas.

Cesão é um exemplo de obstinação. Já tinha nos mostrado isso com o ouro em Pequim, repetiu a dose quase um ano depois, na piscina do Foro Itálico de Roma. Campeão mundial na prova mais nobre da natação, os 100 metros livre. E com recorde mundial. E o principal: o primeiro ser humano que já habitou este planeta a nadar a distância abaixo da marca dos 47 segundos. Ele queria cravar 46seg89, acordava todo dia olhando para a marca escrita em um papel no teto do quarto onde mora nos EUA. Fez 46seg91, e apesar da marca histórica, fez cara de quem queria mais. E ele ainda é favorito nos 50 metros livre, sábado.

O que Cielo faz nas piscinas serve de motivação para quem nada em qualquer piscina dos quatro cantos do país. E o melhor: a obstinação dele, abrindo mão de tudo para focar apenas no objetivo, que, façamos justiça, é 100% adquirida na convivência com o espírito competitivo dos treinamentos nos EUA, pode se espalhar pelos nossos atletas, muitas vezes talentosos mas derrotados pela própria falta de confiança.

Ave, César! Roma tem um novo imperador.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Comentários (3)

  • edu engler diz: 2 de agosto de 2009

    Cara creio que devemos olhar melhor para o que aconteceu com o esporte nas escolas, do final dos anos 80 pra cá e nos perguntar o pq o treino para grandes competições é feito fora do país.

    Do blogueiro: É verdade, Edu. No Brasil um atleta sair da base e chegar ao topo da pirâmide é quase uma missão impossível.

  • Regina diz: 1 de agosto de 2009

    Isso mesmo. Todos que gostam de natação se emocionam com o Cielo. Mas tens razão quando falas que, na piscina, ele tem atitude de americano. é triste mas é verdade. tomara que inspire novas geraç~ioes a fazer o mesmo

  • Marcela diz: 3 de agosto de 2009

    O feito de Cielo nas piscinas de Roma, merece sem dúvida nenhuma nossa admiração e respeito. Mas é triste ver que atletas de ponta do Brasil são formados fora do país. A natação é mais um dos vários esportes que não tem o apoio que merece em nosso país, aliás, tirando o volei e bem conversadinho a ginática olímpica, não existe base para as futuras gerações de atletas. Pra quem foi nadador e emocionante ve-lo nadar. Agora melhor ainda vai ser ver quebrar um recorde mundial um atleta formado aqui.

Envie seu Comentário