Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Maradona como técnico me dá pena

06 de setembro de 2009 4

No reencontro com Dunga 19 anos depois, Maradona foi atropelado sem dó nem piedade pelo talento de Kaká e Cia, como admite o sempre engraçadinho e hoje realista Diário Olé/Divulgação Olé

Diego Maradona foi um dos grandes jogadores que o futebol já viu, um talento nato. Mas nunca administrou bem o fato de não ter sido melhor do que um brasileiro, Pelé.

Agora Maradona se diz técnico, e nesse papel não é melhor nem que Dunga, aquele que como jogador ele ajudou a escrachar na Copa de 1990. Dom Diego bancando o professor é uma piada de mau gosto que só nossos vizinhos argentinos são capazes de proporcionar. Ver ele roendo os dedos durante o jogo (as unhas já tinham ido há muito tempo) chegou a me dar pena.

Falar isso hoje (domingo) é facinho, certamente pensará o leitor. Mas estou inconformado de não ter adiantado ontem (sábado) minha expectativa do jogo, que era de goleada do Brasil. Mais precisamente 4 a 1 para o time de Dunga. Maradona também sabia que ia entrar pelo cano, até por isso criou um circo para tentar mudar o foco.

Por uma razão muito simples, a Seleção Brasileira hoje é um time muito forte, entrosado, defesa eficiente e ataque mortal, além do Kaká no meio, que dispensa adjetivos. Enfim, quem gosta e quem não gosta do Dunga é obrigado a admitir: hoje ele tem o tal grupo fechado que tanto falam por aí. Enquanto isso, a Argentina é uma caricatura de time, um amontoado de craques do meio pra frente e de pernas de pau do meio pra trás, sem nenhuma tática, só baseado no peso no peso da tradição da camisa portenha. E não tem jeito, no futebol atual essas coisas místicas ajudam cada vez menos.

A verdade é que o Brasil não tinha como perder, a não ser que o talento de um Messi operasse um milagre. Não fez isso. Nem o caldeirão funcionou. A Seleção, que vive fase esplendorosa, já está na Copa da África do Sul. Vai lutar agora contra um estigma: toda vez que chega tranquilo ao Mundial, com pinta de superfavorito, o Brasil volta de mãos vazias.

a Argentina, como um tango daqueles, vai sofrer até a última rodada. Ainda pega Paraguai e Uruguai fora de casa, em jogos que nós, brasileiros, vamos nos divertir vendo o circo pegar fogo. O risco de eliminação, ou de encarar uma repescagem, assombra os vizinhos. Parar de brincar com Maradona como técnico poderia ajudar.

Postado por Rodrigo Braga, de casa

Comentários (4)

  • Alexandre diz: 6 de setembro de 2009

    Fica Maradona!

  • Armando diz: 7 de setembro de 2009

    Maradona há de morrer no Defensores Del Chaco quarta-feira. Vamos comemorar a classificação pra Copa e de quebra terminar de enterrar eles. Vou comemorar em dose dupla, já que sou brasileiro filho de paraguaios e moro aqui em Assuncion. E vou estar lá! Abraço

  • PELÉ E MARADONA diz: 6 de setembro de 2009

    Mas nunca administrou bem o fato de não ter sido melhor do que um brasileiro, Pelé. AHAHAH fale por vc. Vc é muito otario, ao colocar em pauta isso. MARADONA É IGUAL PELÉ. NÃO TEM POSSIBILIDADE DELE SER MENOS QUE PELÉ. E DIGO MAIS VI VIDEOS DOS DOIS E QUEM DIZ QUE UM É MELHOR QUE O OUTRO, É NO MINIMO BABACA. CALA BOCA ANTES DE FALAR DE MARADONA COMO JOGADOR. SEU LIXO.

    Do blogueiro: ?????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

  • carlos diz: 6 de setembro de 2009

    Devemos respeitá-los.A Argentina vive um momento muito difícil no futbol.Hoje, são poucos os jogadores bons como tinham no passado.Digo mais,o Brasil não está longe disso.Pense nisso.É muito bom ganhar duma Argentina,só que com as ideias no lugar.A Európa,com os esageros saláriais do futbol descaracterizam o futbol sul americano comprometendo a qualidade do futbol

Envie seu Comentário